Metrô de Calcutá

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Metrô de Calcutá
Kolkata Metro CRRC Dalian rake 2.png
Informações
Local Calcutá
Tipo de transporte Metropolitano
Número de linhas 2
Funcionamento
Operadora(s) Indian Railways
Dados técnicos
Extensão do sistema 40,46 km

O Metrô de Calcutá (bengali: কলকাতা মেট্রো Kolkata Meṭro) é o sistema de metrô da cidade de Calcutá, na Índia. Gerido pela Indian Railways, foi o primeiro metrô construído na Índia, entrando em serviço a partir de 1984. O Metrô possui 40,46 km de extensão, duas linhas e 34 estações.[1]

História[editar | editar código-fonte]

Antecedentes[editar | editar código-fonte]

Bondes elétricos em Calcutá, no início do século XX.

Com mais de um milhão de habitantes em 1911, Calcutá passou a enfrentar problemas de mobilidade cada vez maiores. A administração colonial britânica decidiu criar um comitê de estudos sobre os transportes em 1919. O comitê foi liderado por Sir. William Erskine Crum e recomendou um plano de construção de uma linha de ligando as regiões de Bagmari (ao leste) até Benaras Road, Salkia, em Howrah (ao oeste). A linha deveria ser subterrânea e seu trecho principal passaria sob o Rio Hugli. O projeto avançou em quando a autoridade colonial contratou os serviços do engenheiro britânico e consultor do metrô de Londres Sir Harley Dalrymple-Hay. Sir Dalrymple-Hay delegou a tarefa a seu principal assistente, Ogilvie. O projeto de Sir Dalrymple-Hay foi apresentado em 1921 previa uma linha de 10 quilômetros, a um custo de cerca de 3 milhões de libras. As obras poderiam ser realizadas em dois anos, prevendo-se seu início para meados de 1925. Por motivos desconhecidos, o projeto acabou arquivado pelos britânicos.[2] Em 1949 foi realizado um novo projeto, realizado por engenheiros franceses e coordenado pelo ministro de Bengala Ocidental Bidhan Chandra Roy. Mais uma vez o projeto acabou arquivado.[3] Naquele momento, Calcutá possuía quase três milhões de habitantes.

Projeto MTP[editar | editar código-fonte]

Projeto da Linha 1 do Metrô de Calcutá (1971).

Em 1969 as autoridades de Calcutá criaram o "Metropolitan Transport Project" (MTP). Esse comitê apresentou um plano diretor para o metrô em 1971. O plano diretor do metrô de Calcutá consistia em cinco linhasm de 97,5 quilômetros de extensão. Por questões financeiras, apenas três foram selecionadas:[3]

  • Linha 1 - Dum Dum – Tollygunge
  • Linha 2 - Bidhannagar – Ramrajatala
  • Linha 3 - Dakshineswar – Thakurpukur

O governo indiano à princípio aceitou a participação de consultores soviéticos e alemães orientais nos projetos e nas obras. A primeira-ministra Indira Gandhi lançou a pedra-fundamental da Linha 1 em 29 de dezembro de 1972. Com 16,45 km a Linha 1 ligava Dum Dum a Tollygunge. No início dos anos 1970 Calcutá estava ao lado de São Paulo e Xangai como as únicas cidades com mais de cinco milhões de habitantes no mundo que não possuíam rede de metrô.[4]

Obras e inauguração[editar | editar código-fonte]

Construção de túnel no trecho 4B empregando tecnologia húngara, início da Década de 1980.

As obras foram iniciadas em janeiro de 1973 e se arrastaram até meados de 1974. Os técnicos soviéticos recomendaram a construção de túneis por meio do método “Cut and Cover” (cortar e cobrir). Esse método revelou-se inviável para o “solo mole” de Calcutá e a construção tentou empregar o método de construção de paredes-diafragma. Mais uma vez os resultados foram desastrosos e exauriram os fundos das obras. Em 1977 os técnicos soviéticos resolveram sugerir a adoção de túneis construídos com Tuneladora escudo. O governo indiano lançou um concurso internacional para as obras. A empresa vencedora deveria fornecer o método, treinamento e transferir tecnologia para os técnicos indianos. O concurso foi vencido pelos escritórios húngaros Nikex e Külkerkesdelmi Vállallat (KÉV). A KÉV trabalhou em conjunto com empreiteiros indianos e especialistas soviéticos e as obras foram retomadas em 1978.[5][6]

Em 1980 a KÉV enviou para Calcutá o engenheiro Gusztáv Klados. Klados liderou parte do projeto, angariando prestígio na comunidade de engenharia europeia, sendo mais tarde contratado para as obras do Canal da Mancha. A construção dos túneis acabou sendo feita de forma mais lenta por conta da inexperiência dos técnicos e operários indianos, que ao mesmo tempo eram treinados pela KÉV. O primeiro trecho foi inaugurado em 26 de novembro de 1984.[7]

Tabela[editar | editar código-fonte]

Evolução do metrô de Calcutá
Linha Terminais Inauguração Comprimento (km) Estações
1
Azul
Dakshineswar ↔ Kavi Subhash 26 de outubro de 1984 31,36 26
2
Verde
Salt Lake Sector V ↔ Sealdah 13 de fevereiro de 2020 9,1 8

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Indian Railways. «Metro Railway, Kolkata». Metro Railway, Kolkata. Consultado em 16 de julho de 2022 
  2. Jayanta Gupta (5 de fevereiro de 2020). «Kolkata's Tube Railway plan nipped in bud a century ago». The Times of India. Consultado em 16 de julho de 2022 
  3. a b Indian Railways. «Brief History of Construction of Metro Railway Kolkata». Metro Railway, Kolkata. Consultado em 16 de julho de 2022 
  4. Dirceu Soares (28 de setembro de 1974). «São Paulo: chegou o metrô». Manchete, ano 21, edição 1171, página 6/republicado pela Biblioteca Nacional-Hemeroteca Digital Brasileira 
  5. Mainak Ghosal (agosto de 2018). «Challenges faced(then & now)during Kolkata Metro Construction - A Study». Structural Engineering Digest/republicado no Internet Archive. Consultado em 16 de julho de 2022 
  6. Indian Railways. «Metro Railway, Kolkata, The Confluence of Culture, Technology and Eco-Friendliness». Metro Railway, Kolkata. Consultado em 16 de julho de 2022 
  7. «Kolkata Metro Line 1 provided start of the international career for Gus Klados». TunnelTalk. 26 de setembro de 2019. Consultado em 16 de julho de 2022 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]