Metropolitano de Paris

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Metropolitano de Paris
Metro-M.svg
Informações
Local Paris
Tipo de transporte metropolitano
Número de linhas 16 (4 em planejamento)
Número de estações 302
Website www.ratp.fr
Funcionamento
Início de funcionamento 1900
Operadora(s) Régie Autonome des Transports Parisiens
Dados técnicos
Extensão do sistema 219.9
Bitola 1435 mm
Velocidade máxima 70 km/h (80 km/h na linha 14)
Mapa da rede

Carte Métro de Paris.jpg

O Metropolitano de Paris, conhecido localmente por Métropolitain ou pela abreviatura Métro de Paris, é o sistema de metropolitano de Paris e cidades vizinhas. Antigamente era chamado de Chemin de Fer Métropolitain ("estrada-de-ferro metropolitana").

O sistema consiste em 16 linhas, identificadas por números de 1 a 14, com duas linhas menores, a 3bis e a 7bis, que se separam das linhas originais 3 e 7, respectivamente. É o quarto maior sistema de metropolitano da Europa, após o Metropolitano de Londres, o Metropolitano de Moscou e o Metropolitano de Madrid.

Tem 213 km de linhas, com mais de 300 estações. A distância média entre uma estação e outra é de aproximadamente 300 m[carece de fontes?]. A linha 14 do sistema é completamente automática, ou seja, não tem condutor de cabine. Um único preço de passagem é aplicado em todos os horários, com conexões ilimitadas. O único limite é o uso por, no máximo, duas horas[carece de fontes?].

Uma segunda rede de linhas expressas regionais, o RER (Réseau Express Régional), complementa a rede original do metrô desde a década de 1960.

Arquitetura[editar | editar código-fonte]

Metropolitano no Viaduto de Austerlitz.

Um dos aspectos mais famosos do Metropolitano de Paris são suas entradas em estilo art nouveau de Hector Guimard, que simbolizam Paris, apesar de poucas permanecerem em uso (86 entradas por Guimard ainda existem).

História[editar | editar código-fonte]

O projeto inicial incluía uma linha circular Étoile-Nation-Étoile e duas linhas transversais, uma Norte-Sul (Porte de Clignancourt- Porte d'Orléans) e uma Leste-Oeste (Avenue Gambetta - Porte Maillot).

A Linha 1 (Porte de Vincennes - Porte Maillot) foi inaugurada em 19 de julho de 1900, para servir os ensaios dos Jogos Olímpicos de Verão de 1900 no Bosque de Vincennes. Pequenas seções das linhas 2 e 6 (na época 2) foram completadas no mesmo ano para servir a Feira Mundial.

Paris durante as obras.

As linhas de 1 a 10 foram construídas pela Ville de Paris (Cidade de Paris) e administradas pela CMP (Compagnie du Chemin de Fer Métropolitain de Paris). Acredita-se que o nome do metropolitano parisiense veio da Metropolitan Railway em Londres, que mais tarde tornou-se parte do sistema metropolitano londrino.

Uma segunda empresa, a Nord-Sud (Société du Chemin de Fer Electrique Nord-Sud de Paris), foi criada em 31 de janeiro de 1904 com o projeto da linha entre Montmartre (na verdade Notre-Dame-de-Lorette) e Porte de Versailles. A inauguração desta, em 04 de novembro de 1910 foi adiada pela inundação do rio Sena de janeiro de 1910. A empresa construiu duas linhas nomeadas A e B (agora parte das linhas 12 e 13).

As duas empresas, CPM e Norte-Sul coexistiram até 1930, data em que foram unidas na CPM. Eles usaram materiais compatíveis mas eram diferenciadas pelas diferentes decorações de seus ramais como de suas estações. Estações diferentes portavam o mesmo nome nas duas redes (duas estações Grenelle, por exemplo). Em 1913, o metrô já tinha 10 linhas: oito da CPM e duas da Nord-Sud (a atual linha 12 e a linha 13 ao norte da estação Saint-Lazare). De 55 milhões em 1901, o número anual de passageiros subiu para 467 milhões em 1913. A rede continuou a crescer durante a Primeira Guerra Mundial. Durante o período entre guerras, as linhas 9, 10 e 11 foram abertas.

A Nord-Sud juntou-se com a CMP em 1930 (a linha 11 e a primeira linha 14 foram completadas após a fusão). A CMP virou empresa estatal em 1948 e ganhou um novo nome, RATP (Régie Autonome des Transports Parisiens).

Em 1929, as autoridades da Prefeitura do Sena decidiu a extensão do metrô ao subúrbio próximo com quinze eixos para permitir o transporte de uma população que então era quase tão numerosa para residir nos subúrbios (2,5 milhões) do que na Paris intramuros (3 milhões). A construção de três novas linhas também é decidida.

Em 1939, várias estações estão fechadas por razões de economia no contexto da Segunda Guerra Mundial, o que não impediu o metrô de transportar um milhão e meio de pessoas em 1941, a escassez de gasolina e de pneus imobilizando os ônibus na garagem.

Em 1949, no âmbito do plano de 1929, a rede incluía novas extensões nos subúrbios: a Linha 1 alcançou Neuilly a Oeste e Vincennes a Leste, a linha 3 chegou a Levallois-Perret, a linha 5 a Pantin, a linha 7 a Ivry-sur-Seine, a linha 9 a Boulogne-Billancourt a Oeste e a Montreuil a Leste, a linha 11 a Les Lilas e a linha 12 a Issy-les-Moulineaux.

Em 1 de Janeiro de 1942, a CMP do barão Empain se funde com a Sociedade de transportes da região Parisiense (STCRP), que geria os transportes de superfície; sua rede será incluída em 1949 pela RATP, criada por uma lei de 21 de Março de 1948.[1]. A RATP opera também o funicular de Montmartre, linhas de ônibus, o tramway, e parte das linhas A e B da Rede expressa regional da Ilha de França.

Segundo dados de 2007 da RATP, a utilização diária do Metropolitano de Paris cifra-se em 5 milhões de pessoas.

O sistema de transporte por metrô foi bastante reduzido com início da Segunda Guerra Mundial; várias estações foram fechadas e algumas nunca reabertas, dando origem a estações-fantasma.

Linhas[editar | editar código-fonte]

Linha Terminais Inauguração Estações Comprimento (km)
Linha 1 La DéfenseChâteau de Vincennes 1900 25 45
Linha 2 Porte DauphineNation 1900 25 37
Linha 3 Pont de LevalloisGallieni 1904 25 40
Linha 3bis GambettaPorte des Lilas 1921 4 4
Linha 4 Porte de ClignancourtMairie de Montrouge 1908 26 40
Linha 5 Bobigny - Pablo PicassoPlace d’Italie 1906 22 45
Linha 6 Charles de Gaulle - ÉtoileNation 1907 28 37
Linha 7 La Courneuve - 8 Mai 1945Villejuif - Louis Aragon
/ Mairie d’Ivry
1910 38 60
Linha 7bis Louis BlancPré Saint-Gervais 1911 8 6
Linha 8 BalardPointe du Lac 1913 38 50
Linha 9 Pont de SèvresMairie de Montreuil 1922 37 57
Linha 10 Pont de Saint-CloudGare d’Austerlitz 1913 23 22
Linha 11 ChâteletMairie des Lilas 1935 13 20
Linha 12 Front PopulaireMairie d’Issy 1910 28 37
Linha 13 Les Courtilles / Saint-Denis — Université
Châtillon — Montrouge
1911 32 50
Linha 14 Saint-LazareOlympiades 1998 9 18
Rede do Métro de Paris, quarto maior da Europa.

Extensões[editar | editar código-fonte]

O desenvolvimento da rede de metrô inclui a extensão e a renovação das linhas. Atualmente há um projeto de extensão do tramway, do RER e do metropolitano.

Extensões planejadas ou em curso[editar | editar código-fonte]

O projeto do SDRIF em 2030 votado em 25 outubro de 2012 propõe a realização de um certo número de outras extensões do Metrô em 2030[2]:

Outros projetos propostos pelo SDRIF incluem as extensões das seguintes linhas:

Grand Paris Express[editar | editar código-fonte]

O Grand Paris Express é um projeto que prevê, entre outros, a implementação de extensões da linha 14 ao norte de Mairie de Saint-Ouen para Saint-Denis - Pleyel, continuando a extensão de Saint-Lazare já planejado, e ao sul de Olympiades ao Aeroporto de Orly[3]. Ele prevê a criação de uma linha circular em torno de Paris, que leva o nome de linha 15, e de três linhas adicionais que levam os números 16, 17 e 18.

Estes trabalhos serão realizados em conjunto pela Société du Grand Paris (SGP) e o Syndicat des transports d'Île-de-France (STIF).

Ver também[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Metropolitano de Paris

Referências

  1. Loi Predefinição:N° du 21 mars 1948 REORGANISATION ET COORDINATION DES TRANSPORTS DE VOYAGEURS DANS LA REGION PARISIENNE : CREATION DE L'OFFICE REGIONAL DES TRANSPORTS PARISIENS ET DE LA RATP, sur legifrance.gouv.fr. Consultado em 15 de agosto de 2012.
  2. PDFlink sem parâmetros PDFSDRIF 2030
  3. PDFlink sem parâmetros PDFSocietedugrandparis.fr - « L'Acte Motivé » p.  62 à 66

Ligações externas[editar | editar código-fonte]