Pessoal do Ceará

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Pessoal do Ceará
Origens estilísticas Rock and roll, MPB, pop
Contexto cultural década de 1970, Brasil

Pessoal do Ceará foi um movimento cultural brasileiro surgido na década de 1960, sendo um dos mais importantes movimentos da música contemporânea cearense.[1][2]

O movimento surgiu após se formar no Ceará um grupo de artistas e intelectuais que pensavam, criavam, recriavam todas as questões que inquietavam o país na época. Entre seus integrantes existiam filósofos, físicos, químicos, arquitetos, músicos, poetas, cantores e atores.[3]

O marco deste movimento aconteceu em 1972, quando a gravadora Continental lançou o disco Pessoal do Ceará – Meu Corpo Minha Embalagem Todo Gasto na Viagem, que introduziu novos compositores cearenses no mercado fonográfico.

Segundo o pesquisador Pedro Rogério, "a ideia de criar o "Pessoal do Ceará" partiu de Augusto Pontes, tendo como base os movimentos Tropicália e Clube da Esquina. Desta forma, o "Pessoal do Ceará" encontra-se inserido no contexto sócio-cultural dos movimentos musicais daquela época, marcado pela atmosfera dos festivais e pelo engajamento político".[1]

Histórico[editar | editar código-fonte]

Conforme conta Rodger Rogério, cantor e compositor cearense, em 1971 houve o IV Festival Universitário, e o cantor Belchior ganhou o primeiro lugar do festival com a com a música "Hora do Almoço". A vitória do Belchior mostrou ao Brasil, e ao próprio Ceará, que a música cearense concorria com a nacional.[4]

Ainda segundo relata Rodger, anos depois, ele e Belchior, se reencontraram em SP e foram convidados a fazer um programa de entrevistas na TV Cultura, chamado "Proposta", que contava ainda com Ednardo e Téti. Semanalmente, os quatro eram provocados a compor e apresentar durante as gravações canções que estivessem ligadas ao assunto abordado com o entrevistado.[5] Um dos entrevistados do programa foi o produtor musical Walter Silva, que quis produzir um disco com eles. Assim nasceu o LP Pessoal do Ceará – Meu Corpo Minha Embalagem Todo Gasto na Viagem. Belchior e Fagner não entraram no disco porque já tinham projetos solos encaminhados.[4]

Referências

  1. a b [http://diariodonordeste.verdesmares.com.br/cadernos/caderno-3/integrantes-do-pessoal-do-ceara-fazem-releitura-de-disco-classico-1.789300 Integrantes do Pessoal do Ceará fazem releitura de disco clássico
  2. grupodiscuta.ufc.br/ A construção identitária regional nas canções do “Pessoal do Ceará”. Tese de mestrado, por: Maria das Dores Nogueira Mendes
  3. Pessoal do Ceará: formação de um habitus e de um campo musical na década de 1970 por Pedro Rogério Dissertação apresentada ao Programa de Pós-Graduação em Educação Brasileira da Faculdade de Educação da Universidade Federal do Ceará como requisito parcial para a obtenção do grau de Mestre em Educação.
  4. a b une.org.br/ Resistência e Reinvenção do “Pessoal do Ceará” na Bienal da UNE
  5. onordeste.com/ Pessoal do Ceará