Super Rádio Marajoara

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Rádio Marajoara)
Super Marajoara
{{{alt}}}
Emissoras Rádio Marajoara Ltda.
País Brasil
Frequência(s) AM 1130 kHz
OT 4955 kHz
Antigas frequências:
OC 15254 kHz (19 m)
Sede Belém, PA
Slogan No coração do povo
Fundação 6 de fevereiro de 1954 (68 anos)
Fundador Assis Chateaubriand
Pertence a Grupo Marajoara de Comunicação
Proprietário(s) Carlos Santos
Antigo(s) proprietário(s) Diários Associados (1954–1981)
Manoel Ribeiro (1981–1982)
Formato comercial
Gênero popular
Idioma português
Prefixo ZYI 531 em AM
ZYG 361 em OT
Prefixo(s) anterior(es) ZYE 20 em AM
ZYE 21 em OC
Emissoras irmãs Mix FM Belém
Coord. do transmissor 1° 28' 21.2" S 48° 28' 23" O
Dados técnicos Potência: 10 kW
Classe: B
Agência reguladora ANATEL
Informação de licença
CDB
PDF
Webcast simulcast
Página oficial www.supermarajoara.com.br

A Super Marajoara é uma emissora de rádio brasileira sediada em Belém, capital do estado do Pará, que opera nas frequências de 1130 kHz em amplitude modulada e 4955 kHz em onda tropical. Inaugurada em 1954, integrou os Diários Associados até a década de 1980, quando tornou-se propriedade do político Manoel Ribeiro e, depois, do empresário Carlos Santos, sendo pertencente ao Grupo Marajoara de Comunicação. Sua programação tem formato popular, com atrações noticiosas, esportivas e de entretenimento.[1]

História[editar | editar código-fonte]

Logo após comprar e reativar o jornal A Província do Pará, o conglomerado de mídia Diários Associados anunciou, em 1947, o lançamento da Rádio Marajoara em Belém, capital paraense,[2] que obteve a concessão da frequência de 1130 kHz, de prefixo ZYE 20, via decreto federal em 25 de maio de 1951.[3] Com sinal emitido a partir de uma torre no bairro Guamá,[4] utilizada até hoje, a emissora foi inaugurada em 6 de fevereiro de 1954, iniciando suas transmissões às 10 horas com uma mensagem de Frederico Barata, jornalista dirigente dos Diários Associados na região Norte do país.[5][6][1] Sua programação era formada por radionovelas, noticiários, programas humorísticos e de auditório, sendo que a estação foi a primeira a contar com um auditório de rádio em Belém, na Praça Justo Chermont, que tinha capacidade para mil pessoas e chegava a acomodar o dobro.[7][1]

Em 9 de junho de 1958, a Rádio Marajoara recebeu a outorga de uma frequência em onda curta, nos 15245 kHz,[8] que posteriormente foi desativada e declarada perempta em 16 de março de 1978,[9] e em 10 de outubro de 1959, foi autorizada a operar em onda tropical,[10] que segue no ar.

Em julho de 1980, enfrentando uma crise financeira ocasionada pela cassação de canais de televisão, os Diários Associados puseram a venda algumas emissoras de rádio, entre as quais a Rádio Marajoara,[11] comprada um ano depois pelo então deputado federal pelo Pará Manoel Ribeiro.[12][1] A estação foi vendida novamente, em 1.º de maio de 1982, para o empresário Carlos Santos, passando desde então a integrar seu grupo de comunicação.[13][1]

Referências

  1. a b c d e Dinair Cardoso Neri (4–7 de setembro de 2015). "A Evolução do Rádio: Um Estudo de Caso na Rádio Marajoara" . XXXVIII Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação (Intercom Rio 2015). Rio de Janeiro.
  2. «ACONTECIMENTO MARCANTE NA IMPRENSA DO NORTE DO PAÍS». Diario de Pernambuco. 18 de fevereiro de 1947. p. 10 
  3. Vargas, Getúlio (25 de maio de 1951). «DECRETO Nº 29.333, DE 7 DE MARÇO DE 1951». Diário Oficial da União. p. 8089 (Seção 1) 
  4. «NOVA EMISSORA». O Jornal. 6 de fevereiro de 1953. p. 2 (Segunda Secção) 
  5. «SUPER MARAJOARA AM 1130 KHTZ». Super Marajoara. Arquivado do original em 31 de março de 2008 
  6. «Está entrando no ar a Rádio Marajoara». O Pará nas ondas do rádio. Consultado em 21 de fevereiro de 2017. Arquivado do original em 6 de setembro de 2009 
  7. Pinto, Walter (13 de dezembro de 2016). «Resenha: A Era do Rádio na cidade dos sonoros». Jornal Beira do Rio 
  8. Kubitschek, Juscelino (9 de junho de 1958). «DECRETO Nº 43.878, DE 9 DE JUNHO DE 1958». Diário Oficial da União 
  9. Geisel, Ernesto (16 de março de 1978). «DECRETO No 81.450, DE 15 DE MARÇO DE 1978». Diário Oficial da União 
  10. Kubitschek, Juscelino (4 de agosto de 1959). «DECRETO Nº 46.897, DE 24 DE SETEMBRO DE 1959». Diário Oficial da União 
  11. «Associados decidem vender Rádio Tupi». Jornal do Brasil. 29 de julho de 1980. p. 5 
  12. «Políticos disputam concessões». Jornal do Brasil. 29 de novembro de 1981. p. 4 
  13. «HISTÓRIA DA RÁDIO». Rádio Marajoara FM. Arquivado do original em 22 de março de 2007 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]