Scheiße

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
"Scheiße"
Canção de Lady Gaga
do álbum Born This Way
Lançamento 20—23 de Maio de 2011
Formato(s) Download digital
Gravação 2010; Autocarro de digressão,
Europa
Género(s) Dance-pop, techno, electroclash, eurodisco
Duração 3:45
Editora(s) Streamline Records, Interscope Records, Kon Live Distribution
Composição Stefani Germanotta, Nadir Khayat
Produção Lady Gaga, RedOne
Faixas de Born This Way
  1. "Marry the Night"
  2. "Born This Way"
  3. "Government Hooker"
  4. "Judas"
  5. "Americano"
  6. "Hair"
  7. "Scheiße"
  8. "Bloody Mary"
  9. "Black Jesus + Amen Fashion
  10. "Bad Kids"
  11. "Fashion of His Love"
  12. "Highway Unicorn (Road to Love)"
  13. "Heavy Metal Lover"
  14. "Electric Chapel"
  15. "The Queen"
  16. "Yoü and I"
  17. "The Edge of Glory"

"Scheiße" (em português: Merda[1][2]) — também escrita como "Scheisse", "ScheiBe" e "Shiza"[3][4] — é uma canção gravada pela cantora e compositora norte-americana Lady Gaga para o seu segundo álbum de estúdio, Born This Way (2011), no qual aparece como a sétima faixa do alinhamento. Composta, produzida e arranjada pela própria com o auxílio de RedOne, um artista marroquino e colaborador de longa data, a ideia para a sua concepção surgiu após a intérprete ter passado uma noite de curtição em uma discoteca na cidade de Berlim, Alemanha, com os seus amigos, tendo o tema tido as suas letras prontamente escritas no dia seguinte, com a gravação decorrido em um estúdio embutido no autocarro usado nas paragens europeias da The Monster Ball Tour (2010-11). Musicalmente, é uma obra do género dance-pop que levemente incorpora elementos notórios de música techno e electroclash, bem como o eurodisco.

"Scheiße" foi revelada para o público e imprensa pela primeira vez em um desfile de moda do designer francês Thierry Mugler em meados de Janeiro de 2011, no qual Gaga fez a sua estreia como modelo de passarelle. A resposta da crítica especialista em música contemporânea foi imediata; a maior parte dos resenhistas vangloriou o trabalho pelo seu apelo dançante e batidas electrónicas características de música de artistas europeus. A frase de abertura da faixa, "I don't speak German, but I can if you like",[nota 1] foi universalmente vangloriada pelos analistas musicais. Todavia, alguns críticos ficaram divididos quanto à inserção de letras em alemão na canção. Após o lançamento mundial inicial de Born This Way, "Scheiße" alcançou o seu pico dentro das vinte melhores posições da tabela de download de canções internacionais na Coreia do Sul. Ademais, após Gaga interpretar a canção no episódio final do programa de televisão Germany's Next Topmodel, a mesma estreou no número noventa da tabela de downloads digitais da Alemanha.

"Scheiße" foi inclusa no repertório de canções da The Born This Way Ball (2012-13) como a última canção do alinhamento.

Antecedentes e lançamento[editar | editar código-fonte]

"Esta canção eu escrevi logo após ter saído de Berlim. Eu fui ao Lab.Oratory Club na noite anterior [11 de Maio de 2010], e me diverti bastante com os meus amigos e, então, no dia seguinte, escrevi 'Scheiße'. Eu fiquei tipo 'merda, [a canção] é boa'. Mas também tive uma outra intenção, porque esta canção é na verdade sobre querer ser uma mulher forte sem toda aquela merda que vem ao longo do caminho desse processo. Tudo o que se envolve no seu caminho e lhe impede de ser brava. Não é a única palavra que conheço, eu apenas gosto da palavra. É sexy."

— Gaga em entrevista à uma revista, na qual revelou que as letras em alemão foram propositadamente inclusas em "Scheiße".[5][6][7]

Em Março de 2010, em entrevista à MTV do Reino Unido, Gaga afirmou que já havia dado início à produção do seu segundo álbum de estúdio e que já havia terminado de escrever o tema central do mesmo.[8] Três meses depois, em entrevista à revista Rolling Stone, a artista declarou que o disco já tinha sido concluído, porém, não seria lançado até 2011.[9] No último trimestre de 2010, Troy Carter, empresário de Gaga, e o produtor musical marroquino RedOne deram opiniões pessoais sobre o álbum.[10] Carter disse: "Estamos muito animados. Estamos a começar a reproduzir um pouco para as pessoas e a obter uma sensação sobre ele, e ela fez um trabalho incrível."[10] RedOne adicionou: "Eu acho que este é mais o seu álbum de liberdade. [... Este] disco que ela está a fazer é precioso demais para falar."[10] Inicialmente, a cantora informou que anunciaria o título do disco no fim do ano, mas essa decisão não se materializou, quando na noite de 12 de Setembro de 2010, na cerimónia dos MTV Video Music Awards, ela recebeu o prémio de "Vídeo do Ano" por "Bad Romance" (2010), tendo de seguida anunciado o nome do seu segundo trabalho de estúdio.[11]

"Scheiße" foi co-escrita e produzida por RedOne, que ainda produziu outras três faixas de Born This Way.

"Scheiße" é resultado de um trabalho colaborativo entre Gaga e RedOne, tendo sido originalmente gravada em um estúdio embutido no autocarro da The Monster Ball Tour em 2010, e mais tarde misturada no Larrabee Sound Studios em North Hollywood, Califórnia, por Trevor Muzzy.[4] Esta foi a primeira de quatro faixas do álbum a serem produzidas por RedOne, que mais tarde viria a co-produzir "Judas", "Hair" e "Highway Unicorn (Road to Love)".[12] Gaga afirmou que a canção foi inspirada por uma noite de curtição no clube nocturno Lab.Oratory na cidade de Berlim, Alemanha e que o seu objectivo era de escrever letras que revelassem a sua intenção de querer ser má sem precisar da permissão dos "seus superiores".[13] Logo no dia seguinte, ela escreveu a letra e compôs os arranjos para "Scheiße", declarando que "ficou tipo 'merda, [a canção] é boa'..."[14]

Em entrevista à BBC, a cantora confirmou que o primeiro single de Born This Way seria lançado em Fevereiro de 2011 e que o disco seria divulgado "em breve".[15] Em meados de 2011, a MTV anunciou que a artista iria estrear uma nova canção do seu então futuro projecto no desfile de moda do designer Thierry Mugler, para o qual Gaga fora nomeada directora musical e iria fazer a sua estreia como modelo de passarele.[16][17] Nesse desfile, intitulado Anatomy of Change e decorrido a 19 de Janeiro, foi revelada a obra "Government Hooker" e ainda realizada uma ante-estreia de uma porção da versão remix de "Scheiße" produzida pelo DJ White Shadow, um frequente colaborador da cantora.[18][19] Este remix apresentava uma batida pulsante de dança com pedaços de palavras alemãs e terminava com as letras "I'll take you out tonight / say whatever you like", sendo que a artista optou por não cantar o refrão.[20][21] O editor de moda italiano Nicola Formichetti, que é grande amigo de Gaga e também director criativo de Mugler, fez elogios à apresentação da cantora e ainda publicou uma parte da letra de "Scheiße" no Twitter poucos dias após o desfile. Além disso, estreou ainda um filme curto que continha um outro remix da canção.[16]

Antes de Born This Way atingir as lojas, várias canções do álbum foram sendo divulgadas como maneira de antecipar e promover o seu lançamento.[22] Três faixas foram lançadas no jogo virtual online FarmVille. Elas foram: "Marry the Night" a 17 de Maio de 2011,[23] seguida por "Eletric Chapel" ​​no dia seguinte,[24] e "Fashion of His Love" no dia após este.[25] O remix do DJ White Shadow para "Fashion of His Love também se tornou disponível no Farmville, bem como as faixas "Government Hooker", "Americano", "Scheiße", "Bad Kids", "Yoü and I" e "Born This Way (Jost & Naaf Remix)", e foram transmitidas online entre 20 e 23 de Maio de 2011.[26] O remix produzido pelo DJ White Shadow foi posto para venda digital no Amazon.com a 21 de Maio.[27]

Gaga anunciou a 26 de Novembro de 2010, durante as apresentações da The Monster Ball Tour em Gdansk, Polónia, que Born This Way poderia ter até vinte faixas, e prometeu que seria o álbum da década. Acrescentou também que ele estava completamente terminado e cheio de "batidas dançantes".[28][29] Foi confirmado em uma entrevista à Vogue que das dezassete faixas que haviam sido gravadas para o álbum, somente quatorze delas iriam aparecer na edição final da versão padrão.[30] As três faixas restantes iriam ser lançadas em uma edição deluxe exclusiva na loja digital Target.[31] Born This Way foi finalmente lançado a 23 de Maio, com esta música aparecendo como a sétima faixa da versão padrão do mesmo.[32] Gaga comentou na sua página online Littlemonsters.com que queria que "Scheiße" fosse lançada como um single, contudo, a sua editora discográfica não queria que ela o fizesse.[33][34]

Estrutura musical e conteúdo[editar | editar código-fonte]

"Scheiße" é uma obra do género dance-pop fortemente influenciada por elementos de música techno, electroclash e eurodisco. Andrew Unterberger, do blogue PopDust, notou influências de Madonna na faixa, inclusive "Justify My Love" (1990) que, tal como "Scheiße", tem segmentos no qual a artista fala ao invés de cantar as letras.[35][36] "Scheiße" foi descrita como "uma mistura estranha de música mecca digestível de centro comercial norte-americano e o baque de música electrónica tocada em discotecas alemãs." A canção apresenta um baixo "encardido" e tantos sintetizadores "efervescentes" que acaba por provocar uma "agressão de teclado nos sentidos".[37][38] As letras do tema são sobre empoderamento feminino. Apesar do tema de "Scheiße" ser similar ao tema inspiracional de outras canções de Born This Way, um repórter do jornal The Village Voice questionou a honestidade das letras feministas, recordando Gaga ter dito uma vez: "Eu não sou uma feminista. Eu aclamo os homens, eu amo os homens", mas chama a si mesma na canção de "blond high-heeled feminist enlisting femmes for this".[nota 2] "Será que esta é alguém que estamos a ver evoluir ou alguém que, à qualquer momento, realmente não sabe sobre o que está a falar?", escreveu o repórter.[39] A expressão alemã "scheiße", quando traduzida para a língua portuguesa, pode ser percebida como "merda".[37] Gaga repetidamente fala em alemão na canção, que acaba soando como algaravia ao longo da mesma, embora fale com um sotaque francês.[35][36][40]

O tema inicia com Gaga a dizer "I don't speak German, but I can if you like", seguindo imediatamente para uma estrofe falada em alemão falso.[41] Após isto, avança para o gancho: "I’ll take you out tonight, say whatever you like, scheiße be mine",[nota 3] que é acompanhado por um pré-refrão apoiado por sintetizadores sincopados no pano de fundo, com influências de música techno.[40] O refrão da canção, no qual a cantora inclui a palavra "Scheiße", é apoiado por sintetizadores que soam como "guinchos contundentes". O refrão é acompanhado pela artista a cantar "oh oh oh oh oh" por entre versos com uma voz alterada electronicamente.[37] As estrofes seguintes, que contêm letras sobre Gaga ser uma mulher forte, são todas acompanhadas por sintetizadores "rosnantes e guturais" e são misturados com alemão e inglês. De acordo com a partitura publicada pela Hal Leonard Corporation na página online Musicnotes.com, "Scheiße" foi composta no compasso de tempo comum com um andamento que se desenvolve no metrónomo de 131 batimentos por minuto. Foi composta na tonalidade de Dó menor, com a voz de Gaga abrangendo 3 até Dó♯5. A canção segue a sequência harmónica de Dóm-Dóm/Dóm-Mi♭/Solm como a sua progressão de acordes.[42]

Crítica profissional[editar | editar código-fonte]

Críticas profissionais
Avaliações da crítica
Fonte Avaliação
BBC (positiva)[43]
Billboard (mista)[35]
The Daily Telegraph (positiva)[44]
The Guardian (positiva)[45]
NME (positiva)[46]
Rolling Stone (mista)[36]
Slant Magazine (positiva)[47]
Slate (positiva)[48]
Spin (positiva)[49]
The Village Voice (mista)[39]
Tal como várias canções de Born This Way, "Scheiße" recebeu comparações a trabalhos da cantora norte-americana Madonna, inclusive a canção "Justify My Love" (1990).

Em geral, "Scheiße" foi recebida com opiniões positivas pelos críticos especialistas em música contemporânea, com alguns apontando-a como o destaque de Born This Way, inclusive Möhammad Choudhery, jornalista da página online Consequence of Sound.[50] Lan Wade, para o portal britânico BBC, definiu "Scheiße" como "uma canção monstruosa que suplica por um vídeo musical com uma temática sexual e masoquista."[43] O resenhista Dan Martin, para a revista NME, achou que o tema é comparável a trabalhos de Madonna, afirmando: "[a canção] canaliza Miss Kittin a fazer uma versão rave de "Erotica" de Madonna", o que faz da obra "uma canção pop comandante" e um "trunfo".[46] Um repórter musical do jornal The Village Voice considerou "Scheiße" como um "ponto alto" do álbum, no entanto, questionou a sinceridade das letras feministas.[39] Abordando ainda tal conteúdo lírico, Neil McCormick, para o periódico britânico The Daily Telegraph, declarou que na faixa, Gaga "transmite aforismos feministas por cima de uma batida que bombeia um baixo efervescente e pulsante",[44] enquanto Sal Cinquemani, na sua análise à Born This Way para a revista Slant, declarou que "Scheiße" "é um manifesto feminino techno [semelhante] à [Marlene] Dietrich e Madonna sob influência de esteroides."[47] Escrevendo para a revista musical Billboard, Kerri Manson achou o tema "antiquado", mas vangloriou o seu refrão,[35] opinião esta partilhada por Tim Jonze, do jornal The Guardian, cuja descrição sobre o refrão foi "ridiculamente cativante" e declarou que o mesmo é o aspecto mais importante da canção. Ele também notou influências de música techno de Berlim na instrumentação da faixa, que considerou como "decadentes".[45][51] Não obstante, Jody Rosen, para a Rolling Stone, descreveu o refrão como "de mão-cheia" e opinou que a batida da canção é "genérica de eurodisco". As letras em alemão falso foram criticadas por Rosen, tendo as descrito como "algaravia que soa como alemão, mas nunca chega a ser".[36] Matthew Perpetua, também para a Rolling Stone, declarou que o tema "evoca memórias dos éxitos dos anos 1990 como C&C Music Factory, música snap e RuPaul".[52] Caryn Ganz, para a revista Spin, considerou a frase de abertura ("I don't speak German, but I can if you like") como "divertidamente absurda".[49]

Tris McCall, para o New Jersey On-Line, apelidou "Scheiße" de "canção de semana" e recomendou-a para que fosse lançada como o próximo single de Born This Way, observando que ela não é "menos absurda" que os singles anteriores. McCall também prestou atenção às letras inarticuladas de Gaga e comparou-as ao que uma versão do filme Cabaret soaria se fosse feita por um grupo de estudantes do ensino secundário. Ele concluiu a sua resenha vangloriando a produção do tema.[53] Craig Jenkins, para a revista Prefix, disse que a canção "manda pastar a merda [que é] o karaoke e arrebenta na pista de dança" e "afasta-se do carácter de viajar no tempo de Born This Way em favor de uma abordagem mais moderna."[54] Ed Commentale, para o Tinymixtapes, fez uma análise mista ao alemão na canção, escrevendo que "a cantora não está a falar a língua do povo alemão, mas sim actualizando-a ao novo milénio, intimando esta nação a avançar da sua história trágica para uma nova era cheia de de amor e dança... ['Scheiße'] revela uma certa negligência em relação aos factos e a realidade."[55] Nathan Heller, para a revista Slate, comparou a faixa à faixas de dança do Mediterrâneo, tendo declarado que a mesma foi "feita à medida para um público internacional".[48]

Jorge Cruz, para a revista musical URB, comentou que, juntamente com outras faixas de Born This Way, "Scheiße" tem "uma composição muito boa e uma sonoridade forte."[56] Amy Sciarretto, para o blogue PopCrush, atribuiu à faixa a classificação de duas estrelas e meia a partir de uma escala de cinco, argumentando que "é uma mistura estranha de digerir. É deslumbrante, uma delícia de eurotrash, mas é também uma das canções menos interessantes de Born This Way, como a singularidade de Gaga é definitivamente não atrevida o suficiente."[57] Andrew Unterberger, para o blogue PopDust, atribuiu à faixa a classificação de três estrelas a partir de uma escala de cinco, declarando que a mesma soa como um convite à era do electroclash com um baixo encardido, secções de palavras mal expressas e letras em alemão ao acaso, que inevitavelmente converter-se-à em um outro arrasador de discotecas neo." Unterberger teve uma opinião positiva sobre o uso de sintetizadores e comentou que "a proclamação do pré-refrão, If you're a strong female / you don't need permission,[nota 4], e um pouco tanto 'Justify My Love'.[37] Um repórter da página LGBT online latina CromosomaX escreveu que a mistura do DJ White Shadow "surpreendentemente não soa à merda, soa muito como uma discoteca berlinense, tipo o Panorama Bar."[58] Nathan Jolly, para o portal The Music Network, declarou que "Scheiße" "é genial e será dominadora de discotecas no próximo ano."[59] Embora tenha achado que Born This Way não foi um dos melhores álbuns de Gaga, Léo Ribeiro, para o blogue brasileiro Yes Pop!, destacou as faixas "Heavy Metal Lover", "Scheiße" e "Bad Kids" como as melhores.[60]

Divulgação[editar | editar código-fonte]

Gaga incluiu a primeira estrofe de "Scheiße" na sua apresentação no episódio final do programa de televisão Germany's Next Topmodel, transmitido a 9 de Junho de 2011 na Alemanha.

Gaga incluiu a primeira estrofe de "Scheiße" na sua apresentação no episódio final do programa de televisão Germany's Next Topmodel, filmado na Arena Lanxess na cidade alemã de Colónia e transmitido a 9 de Junho de 2011.[61] Ela emergiu de uma soleira debaixo de uma porta bem iluminada usando uma peruca turquesa, um chapéu preto e um longo vestido preto, tendo em seguida caminhado até um piano. Apenas as frases em alemão e o primeiro verso da canção foram cantados, tendo a artista movido para um piano decorado com notas de dólares norte-americanos e cantado uma versão acústica de "Born This Way".[62] Após isto, começou a andar pela passarela enquanto cantava "The Edge of Glory" e terminava a sua performance.[63] Em uma análise desta apresentação, Ray Rodriguez, do portal ImpreMedia, afirmou que "Gaga assumiu o controle do palco. Gaga sempre nos dá algo sobre o que falar. E a sua apresentação não foi nenhuma excepção e, desta vez, ela foi vista a dançar ao longo de uma fila de guilhotinas que liam 'sexo' e 'dinheiro' e 'vaidade' enquanto dançarinos semi-nus atiravam notas à ela."[64][65] Por outro lado, Charlie Amter, para o portal The Hollywood Reporter, afirmou que "Gaga deslumbrou os seus fãs alemães".[66] Não obstante, Becky Bain, para o portal Idolator, foi menos receptiva, declarando que a artista "não sabe que está a actuar em um programa no qual há modelos, pois não!? Que desempenho tão baixo."[67]

A estrofe de abertura, cantada em alemão falso, a estrofe a seguir a essa e o refrão abriram a performance de Gaga no festival de música da iHeartRadio em Las Vegas, Nevada.[68] Além disso, o tema foi incluso no repertório de canções da digressão The Born This Way Ball (2012-13), sendo cantada após "Paparazzi" (2009).[69][70] A cantora, que tinha tranças louras compridas na sua cabeça, realizou uma coreografia complexa vestindo uma blusa preta e calças leves, descritas por Miguel Dumaual, do CBS News, como contendo "batidas sólidas de dance".[71] No dia dos namorados de 2012, Gaga revelou, de uma maneira discreta, através do Twitter, que a campanha comercial para a sua então futura fragrância nova, intitulada Fame, seria editada em torno de "Scheiße". "[Estou] ansiosa por este fim-de-semana. [Vou] gravar a campanha comercial para o meu perfume com Steven Klein. Será editada em torno de uma canção especial... merda", escreveu a cantora. A 14 de Agosto seguinte, foi finalmente divulgado o primeiro trailer promocional para o produto, com "Scheiße" podendo ser ouvida no pano de fundo.[19][72]

Alinhamento de faixas e formatos[editar | editar código-fonte]

Em todas as versões lançadas de Born This Way, "Scheiße" foi inclusa como a sétima canção do alinhamento de faixas. O remix produzido pelo DJ White Shadow está disponível para download digital na Amazon.com e foi incluso no segundo disco da versão especial de Born This Way. Na compilação Born This Way: The Remix (2011), que consiste em remixes de canções de Born This Way, o remix produzido por Guéna LG aparece como a oitava faixa do alinhamento.

Download digital — Remix[27]
N.º Título Duração
1. "Scheiße" (DJ White Shadow Mugler) 9:35

Créditos e pessoal[editar | editar código-fonte]

Os créditos seguintes foram adaptados dos encartes dos álbuns Born This Way (2011) e Born This Way: The Remix (2011):[12][76]

Gravação
Pessoal
  • Stefani Germanotta — composição, produção e arranjos, vocalista, vocais de apoio
  • Nadir Khayat — composição, produção e arranjos, edição vocal, arranjos vocais, engenharia acústica, instrumentação, programação, gravação vocal
  • Trevor Muzzy — gravação vocal, edição vocal, engenharia acústica, mixagem
  • Gene Grimaldi — masterização

Desempenho nas tabelas musicais[editar | editar código-fonte]

Embora não tenha sido lançada individualmente como um single, "Scheiße" entrou nas tabelas musicais de diversos países, incluindo a Alemanha, onde estreou no número noventa na tabela de downloads digitais após Gaga ter incluído pedaços da faixa na sua apresentação ao vivo no Germany's Next Topmodel. Aquando do lançamento inicial de Born This Way, a canção alcançou a posição treze na tabela de downloads de canções internacionais na Coreia do Sul, saltando 21 posições da semana anterior, na qual havia feito a sua estreia. Além disso, estreou no posto 136 no Reino Unido e atingiu a décima primeira colocação na tabela Bubbling Under Hot 100 Singles, publicada pela revista norte-americana Billboard. Ainda na América do Norte, posicionou-se no quarto posto da tabela Hot Dance/Electronic Digital Songs nos Estados Unidos, enquanto alcançava o número 67 na tabela canadiana de downloads digitais.

País — Tabela musical (2011) Posição
de pico
 AlemanhaMedia Control Download Chart[77] 90
 CanadáHot Digital Songs (Billboard)[78][79] 67
 Coreia do SulGaon International Digital Download Chart[80] 20
 Estados UnidosBubbling Under Hot 100 Singles (Billboard)[81][82] 11
 Estados UnidosHot Dance/Electronic Digital Songs (Billboard)[78][83] 4
 ItáliaFederazione Industria Musicale Italiana[84] 92
 Reino UnidoUK Singles Chart (The Official Charts Company)[85] 136

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Notas
  1. Em língua portuguesa: "Eu não falo alemão, mas posso se você quiser".
  2. Em língua portuguesa: "feminista loira de saltos altos a recrutar mulheres para isto".
  3. Em língua portuguesa: "Vou lhe levar para sair esta noite, diga o que quiser, Scheiße seja meu/minha".
  4. Em língua portuguesa: "Se você é uma mulher forte, você não precisa de permissão."
Geral
  1. «Scheiße» (em inglês). WordReference. Consultado em 6 de Setembro de 2011 
  2. Candido, Rebeca. «Lady Gaga - Scheiße». Jovem Pan. Consultado em 13 de Março de 2012. Cópia arquivada em 20 de Julho de 2012 
  3. a b Germanotta, Stefani; Khayat, Nadir. «Shiza (Legal Title)» (em inglês). Broadcast Music Incorporated. Consultado em 9 de Setembro de 2011 
  4. «Lady Gaga could live in Berlin» (em inglês). MSN Entertainment (Microsoft). 10 de Junho de 2011. Consultado em 4 de Setembro de 2011. Cópia arquivada em 9 de Julho de 2012 
  5. «Lady Gaga podría vivir en Berlín». Últimas noticias (em espanhol). Bang Showbiz. 10 de Junho de 2011. Consultado em 4 de Setembro de 2011. Cópia arquivada em 30 de Junho de 2012 
  6. «Lady Gaga podría vivir en Berlín». La República (em inglês). Grupo La República. 10 de Junho de 2011. Consultado em 4 de Agosto de 2011 
  7. Montogomery, James (26 de Março de 2010). «Lady GaGa: "My Next Album Will Be My Best Yet"» (em inglês). MTV UK (MTV Networks / Viacom Media Networks). Consultado em 19 de Abril de 2010. Cópia arquivada em 19 de Agosto de 2012 
  8. Michaels, Sean (23 de Junho de 2010). «Lady Gaga's new album 'finished'». The Guardian (em inglês). Guardian News and Trust. Consultado em 23 de Junho de 2010. Cópia arquivada em 23 de Maio de 2014 
  9. a b c Vena, Jocelyn (15 de Novembro de 2011). «Lady Gaga's Born This Way Is 'Incredible,' Manager Says» (em inglês). MTV (MTV Networks / Viacom Media Networks). Consultado em 10 de Abril de 2010 
  10. «VMA 2010: los grandes ganadores» (em espanhol). MTV América Latina (MTV Networks / Viacom Media Networks). 14 de Setembro de 2010. Consultado em 31 de Agosto de 2010. Cópia arquivada em 4 de Setembro de 2012 
  11. a b (2011) Créditos do álbum Born This Way por Lady Gaga [encarte]. Interscope Records (2771838).
  12. Gaga, Lady. «Lady Gaga on Twitter» (em inglês). Consultado em 6 de Março de 2016 
  13. «Lady Gaga could live in Berlin» (em inglês). Contactmusic.com. 10 de Junho de 2011. Consultado em 9 de Setembro de 2011 
  14. Cochrane, Greg (20 de Dezembro de 2010). «Lady Gaga reveals plans for Born This Way album». Newsbeat (em inglês). British Broadcasting Corporation. Consultado em 21 de Dezembro de 2010. Cópia arquivada em 30 de Junho de 2012 
  15. a b Vozick-Levinson, Simon (20 de Janeiro de 2011). «Lady Gaga debuts new remix: Listen here». Entertainment Weekly (em inglês). Time, Inc. Consultado em 9 de Setembro de 2011 
  16. Cruz, Jorge (20 de Janeiro de 2011). «Lady Gaga, "Scheiße (Remix)"». URB (em inglês). URB Magazine Inc. Consultado em 19 de Agosto de 2011  |arquivourl= é mal formado: timestamp (ajuda)
  17. Dinh, James (1 de Março de 2011). «Lady Gaga To Preview New Track During Parish Fashion Show» (em inglês). MTV (MTV Networks / Viacom Media Networks). Consultado em 5 de Março de 2011. Cópia arquivada em 30 de Junho de 2012 
  18. a b «Born This Way by Lady Gaga» (em inglês). iTunes (Apple, Inc.). Consultado em 26 de Maio de 2011 
  19. Mapes, Jillian (20 de Janeiro de 2011). «Listen: Gaga Premieres 'Born This Way' Remix at Mugler Fashion Show». Billboard (em inglês). Prometheus Global Media. Consultado em 9 de Setembro de 2011 
  20. «Lady Gaga Makes Music for Thierry Mugler». Women's Wear Daily (em inglês). Penske Media Corporation. 16 de Janeiro de 2011. Consultado em 18 de Janeiro de 2011 
  21. Hilton, Perez (18 de Maio de 2011). «GaGa's Fashion Of His Love Has Arrived! Listen HERE!!!!» (em inglês). PerezHilton.com. Consultado em 10 de Fevereiro de 2014. Cópia arquivada em 11 de Abril de 2013 
  22. Herrera, Monica (17 de Maio de 2011). «Lady Gaga's 'Marry the Night' Premieres on FarmVille Game Spin-Off: Listen». Billboard (em inglês). Prometheus Global Media. Consultado em 21 de Maio de 2011 
  23. Daw, Robbie (18 de Maio de 2011). «Lady Gaga Is Goin' To The "Electric Chapel" On New Pop-Metal Track». Idolator (em inglês). BuzzMedia. Consultado em 20 de Maio de 2011 
  24. «Lady GaGa Reveals 'Fashion of His Love' and Streams Rest of the Album Online» (em inglês). Ace Show Biz. 19 de Maio de 2011. Consultado em 20 de Maio de 2011 
  25. Shaul, Brandy (20 de Maio de 2011). «FarmVille GagaVille Born This Way Quest: Everything you need to know» (em inglês). Gaga Daily. Consultado em 20 de Maio de 2011. Cópia arquivada em 7 de Julho de 2012 
  26. a b «Scheiße (DJ White Shadow Mugler): Lady Gaga» (em inglês). Amazon.com. Consultado em 20 de Fevereiro de 2017 
  27. Vick, Megan (29 de Novembro de 2010). «Lady Gaga Promises 'Greatest Album of This Decade' in 'Born This Way'». Billboard (em inglês). Prometheus Global Media. Consultado em 8 de Fevereiro de 2011. Cópia arquivada em 26 de Dezembro de 2012 
  28. Vena, Jocelyn (1 de Dezembro de 2010). «Lady Gaga To Release First Born This Way Single In February» (em inglês). MTV (MTV Networks / Viacom Media Networks). Consultado em 21 de Dezembro de 2010. Cópia arquivada em 23 de Maio de 2014 
  29. Meter, Jonathon Van (10 de Fevereiro de 2011). «Lady Gaga: Our Lady Of Pop». Vogue (em inglês). Condé Nast Digital. Consultado em 10 de Fevereiro de 2011 
  30. «Lady Gaga BORN THIS WAY Deluxe Digital Album» (em inglês). ScatterTunes. Consultado em 23 de Julho de 2011. Cópia arquivada em 23 de Maio de 2014 
  31. Vena, Jocelyn (2 de Maio de 2011). «Lady Gaga Releases Born This Way Track Listing» (em inglês). MTV News (MTV Networks / Viacom Media Networks). Consultado em 3 de Outubro de 2011 
  32. Shettler, Scott. «LADY GAGA, 'FASHION OF HIS LOVE' – SONG REVIEW». PopCrush (em inglês). PopCrush Network. Consultado em 10 de Fevereiro de 2014 
  33. «Film Submission: Scheisse» (em inglês). LittleMonsters.com. 2 de Agosto de 2011. Consultado em 3 de Agosto de 2012 
  34. a b c d Manson, Kerri (23 de Maio de 2011). «Lady Gaga 'Born This Way': Track-By-Track Review». Billboard (em inglês). Prometheus Global Media. Consultado em 7 de Setembro de 2011 
  35. a b c d Rosen, Jody (18 de Maio de 2011). «Lady Gaga's 'Born This Way': A Track-by-Track Breakdown». Rolling Stone (em inglês). Wenner Media LLC. Consultado em 7 de Setembro de 2011 
  36. a b c d Unterberger, Andrew (18 de Maio de 2011). «Lady Gaga's Born This Way: #10, "Scheisse"». PopDust (em inglês). PopDust Inc. Consultado em 9 de Setembro de 2011 
  37. McCormick, Neil (23 de Maio de 2011). «Lady Gaga's Born This Way: track-by-track review». The Daily Telegraph (em inglês). Telegraph Media. Consultado em 9 de Setembro de 2011 
  38. a b c Juzwiak, Rich (25 de Maio de 2011). «Lady Gaga's Fame Ball Rolls On». The Village Voice (em inglês). The Village Voice LLC. Consultado em 7 de Setembro de 2011. Cópia arquivada em 22 de Junho de 2011 
  39. a b Soderberg, Brandon (20 de Janeiro de 2011). «Scheisse! The new Lady Gaga song is here». Pop Dust (em inglês). PopDust Inc. Consultado em 9 de Setembro de 2011 
  40. Gass, Travis (30 de Junho de 2011). «Lady Gaga, 'Born This Way' (Interscope)». Bangor Daily News (em inglês). Consultado em 8 de Abril de 2013 
  41. Germanotta, Stefani; Khayat, Nadir (2011). «Digital Sheet Music – Lady Gaga – Scheiße». Musicnotes.com. Hal Leonard Corporation 
  42. a b Wade, Lan (19 de Maio de 2011). «Lady Gaga Born This Way Review» (em inglês). BBC Music Online (British Broadcasting Corporation). Consultado em 18 de Agosto de 2011 
  43. a b McCormick, Neil (19 de Maio de 2011). «Lady Gaga's Born This Way: track-by-track review». The Daily Telegraph Online (em inglês). Telegraph Media Group. Consultado em 18 de Agosto de 2011 
  44. a b Jonze, Tim (21 de Maio de 2011). «Lady Gaga: Born This Way – review». The Guardian Online (em inglês). Guardian News and Media. Consultado em 7 de Setembro de 2011 
  45. a b Martin, Dan (17 de Maio de 2011). «Album Review: Lady Gaga, 'Born This Way'». New Music Express (em inglês). IPC Media. Consultado em 9 de Setembro de 2011 
  46. a b Cinquemani, Sal (18 de Maio de 2011). «Lady Gaga: Born This Way - Music Review». Slant Magazine (em inglês). Consultado em 6 de Setembro de 2011 
  47. a b Heller, Nathan (8 de Setembro de 2011). «Lady Gaga: Pop's leading conservative». Slate (em inglês). The Washington Post Company. Consultado em 28 de Setembro de 2011 
  48. a b Ganz, Caryn (Maio de 2011). «Lady Gaga, Born This Way (Streamline/KonLive/Interscope)». Spin (em inglês). Spin Media LLC. Consultado em 7 de Setembro de 2011. Cópia arquivada em 10 de Setembro de 2012  Verifique data em: |ano= (ajuda)
  49. Choudhery, Möhammad (23 de Maio de 2011). «Album Review: Lady Gaga – Born This Way» (em inglês). Consequence of Sound. Consultado em 19 de Agosto de 2011 
  50. Jonze, Tim (18 de Maio de 2011). «Lady Gaga: Born This Way – review». The Guardian (em inglês). Guardian News and Media. Consultado em 19 de Agosto de 2011 
  51. Perpetua, Matthew (18 de Fevereiro de 2011). «An Early Report on Six Songs From Lady Gaga's Born This Way». Rolling Stone (em inglês). Wenner Media LLC. Consultado em 23 de Outubro de 2011 
  52. McCall, Tris (15 de Julho de 2011). «Song of the Week: 'Scheiße,' Lady Gaga». New Jersey On-Line (em inglês). Consultado em 9 de Setembro de 2011 
  53. Jenkins, Craig (23 de Maio de 2011). «Lady GaGa Born This Way». Prefix Magazine (em inglês). Consultado em 10 de Setembro de 2011 
  54. Comentale, Ed (23 de Maio de 2011). «Lady Gaga Born Thus Way». Tinymixtapes (em inglês). Consultado em 10 de Setembro de 2011 
  55. Cruz, Jorge (23 de Maio de 2011). «Lady Gaga, "Born This Way" (Review)». URB (em inglês). URB Magazine Inc. Consultado em 19 de Agosto de 2011. Cópia arquivada em 30 de Junho de 2012 
  56. Sciarretto, Amy (21 de Maio de 2011). «Lady Gaga, 'Scheisse' – Song Review». PopCrush (em inglês). PopCrush Network. Consultado em 4 de Setembro de 2011 
  57. «Nueva canción de Lady Gaga: Scheiße, que significa 'mierda'». CromosomaX (em espanhol). 20 de Janeiro de 2011. Consultado em 4 de Setembro de 2011 
  58. Jolly, Nathan (21 de Maio de 2011). «Album Review: Lady Gaga, Born This Way». The Music Network (em inglês). The Entertainment Media Group. Consultado em 30 de Novembro de 2015  |arquivourl= é mal formado: timestamp (ajuda)
  59. Ribeiro, Léo (18 de Maio de 2011). «Review do novo álbum da Lady Gaga, "Born This Way"». Yes Pop!. Consultado em 13 de Setembro de 2012 
  60. Lazarine, Devin (12 de Junho de 2011). «Keri Hilson and Lady Gaga Perform in Germany». Rap-Up (em inglês). Consultado em 15 de Junho de 2011 
  61. «Gaga performs on the Germany's next top model finale!» (em inglês). LadyGaga.com. Consultado em 12 de Junho de 2011. Cópia arquivada em 30 de Junho de 2012 
  62. «Lady GaGa Performs On Germanys Next Top Model» (em inglês). The Grape Juice. 9 de Junho de 2011. Consultado em 23 de Julho de 2011 
  63. Rodriguez, Ray (10 de Junho de 2011). «Lady Gaga: en Germany's Next Top Model» (em inglês). ImpreMedia, LLC. Consultado em 9 de Setembro de 2011 
  64. «'I used to be called a s**t at school' says Lady Gaga... as she parades down a runway in a see-through dress». Daily Mail Online (em inglês). Daily Mail and General Trust. 15 de Junho de 2011. Consultado em 5 de Setembro de 2011 
  65. Amber, Charlie (9 de Junho de 2011). «Gaga Goes German, Performs on Top Model». The Hollywood Reporter (em inglês). Prometheus Global Media. Consultado em 9 de Setembro de 2011 
  66. Bain, Becky (9 de Junho de 2011). «Lady Gaga Almost Loses Her Head On Germany's Next Top Model». Idolator (em inglês). Buzz Media. Consultado em 9 de Setembro de 2011 
  67. «Lady Gaga - Scheiße & Judas (Live at iHeart Radio) HD» (em inglês). YouTube. Consultado em 23 de Janeiro de 2017 
  68. Villalva, Eva (26 de Setembro de 2011). «Lady Gaga cierra el Festival iHeartRadio con impactante presentación». Netjoven (em espanhol). Grupo Emprendedor de Comunicaciones S.A.C. Consultado em 27 de Setembro de 2011 
  69. Stransky, Tanner (24 de Setembro de 2011). «On the scene at the iHeartRadio Music Festival, day two: Lady Gaga takes over the show». Entertainment Weekly (em inglês). Time, Inc. Consultado em 27 de Setembro de 2011 
  70. Dumaual, Michael (23 de Maio de 2012). «Review: Lady Gaga's 'Born This Way Ball'» (em inglês). Alto Broadcasting System - Chronicle Broadcasting Network Corporation. Consultado em 2 de Janeiro de 2013 
  71. «Lady Gaga To Launch LADY GAGA FAME, The First Fragrance From Haus Laboratories». PR Newswire (em inglês). Coty, Inc. 14 de Junho de 2012. Consultado em 9 de Julho de 2012 
  72. «Born This Way (Bonus Track Version) by Lady Gaga» (em inglês). iTunes (Apple). Consultado em 20 de Janeiro de 2014. Cópia arquivada em 16 de Outubro de 2013 
  73. «Born This Way [22 Track Special Edition]» (em inglês). Allmusic (Rovi Corporation). Consultado em 20 de Maio de 2011. Cópia arquivada em 19 de Agosto de 2012 
  74. «Interscope Lady Gaga — Releases» (em inglês). Interscope Records. Consultado em 21 de Outubro de 2011. Cópia arquivada em 26 de Abril de 2012 
  75. (2012) Créditos do álbum Born This Way: The Remix por Lady Gaga [encarte]. Colómbia: Interscope Records (602527870007).
  76. «Lady Gaga auf internationalem Siegeszug» (em alemão). Media Control Charts via Gfk-Entertainment. 1 de Junho de 2011. Consultado em 9 de Setembro de 2011  |arquivourl= é mal formado: timestamp (ajuda)
  77. a b «Histórico de singles de Lady Gaga: Scheibe». Billboard (em inglês). Prometheus Global Media. Consultado em 14 de Fevereiro de 2017 
  78. «Canadian Hot Digital Songs: Week Ending June 11, 2011». Billboard (em inglês). Prometheus Global Media. Consultado em 12 de Dezembro de 2011  |arquivourl= é mal formado: timestamp (ajuda)
  79. «South Korean Gaon Chart - Week of May 29, 2011» (em coreano). Gaon. Consultado em 18 de Agosto de 2011 
  80. «Histórico de Lady Gaga na Bubbling Under Hot 100 Singles». Billboard (em inglês). Prometheus Global Media. Consultado em 5 de Setembro de 2016 
  81. «Bubbling Under Hot 100 Singles: Week Ending June 11, 2011». Billboard (em inglês). Prometheus Global Media. Consultado em 21 de Setembro de 2011  |arquivourl= é mal formado: timestamp (ajuda)
  82. «Dance/Electronic Digital Songs: Week Ending June 11, 2011». Billboard (em inglês). Prometheus Global Media. Consultado em 21 de Setembro de 2011  |arquivourl= é mal formado: timestamp (ajuda)
  83. «Tutti i successi del 2011» (em italiano). Hit Parade Italia. Consultado em 4 de Agosto de 2014 
  84. «CHART: CLUK Update 4.06.2011 (wk21)» (em inglês). ChartsPlus. Zobbel.de. Milton Keynes. IQ Ware Ltd. Consultado em 4 de Fevereiro de 2012 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Portal.svg A Wikipédia possui o
Portal Lady Gaga