Copa Intercontinental de 1962

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, comprometendo a sua verificabilidade (desde fevereiro de 2016).
Por favor, adicione mais referências inserindo-as no texto. Material sem fontes poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Copa Intercontinental de 1962
Intercontinenal Cup 1962
Dados
Participantes 2
Organização CONMEBOL e UEFA
Anfitrião  Brasil (1º jogo)
 Portugal (2º jogo)
Período 19 de setembro11 de outubro
Gol(o)s 12
Partidas 2
Média 6 gol(o)s por partida
Campeão Brasil Santos
Vice-campeão Portugal Benfica
Melhor marcador 5 gols:
Pelé (Santos)
◄◄ 1961 Soccerball.svg 1963 ►►

A terceira edição da Copa Intercontinental, também conhecido como Mundial Interclubes, ocorreu em 1962. Foi disputada em duas partidas entre o campeão europeu e o campeão sul-americano nos dias 19 de setembro de 1962 e 11 de outubro. Nesse ano, pela primeira vez, os clubes participantes eram de países lusófonos: Brasil e Portugal.[1]

O campeão foi o Santos, que conquistou esse título pela primeira vez na ocasião. A majestosa equipe liderada por Pelé não deu nenhuma chance ao Benfica de Eusébio. Com duas vitórias, o time da Vila Belmiro venceu o torneio, com grande destaque no segundo jogo, em Portugal, onde o Santos venceu por um expressivo 5-2 em pleno Estádio da Luz, em Lisboa

Em seu site, o Santos reconhece o título como o primeiro título mundial da equipe.[2] Em 27 de outubro de 2017, após uma reunião realizada na Índia, o Conselho da FIFA reconheceu os vencedores da Copa Intercontinental como campeões mundiais.[3][4]

Sobre os times[editar | editar código-fonte]

O clube português Benfica apresentava-se como bicampeão da Liga dos Campeões da UEFA e como repetente dessa competição, buscando o título. Já o Santos participava pela primeira vez e foi o primeiro time brasileiro a vencer a Libertadores da América.

O Benfica vinha com uma goleada de 5–3 no pentacampeão europeu Real Madrid e apresentava grandes expectativas de vitória. Por outro lado, o Santos apresentava bons resultados contra o Peñarol: ganhou de 2–1 no primeiro jogo, perdeu o segundo por 3–2 e goleou o time uruguaio por 3–0 no jogo de desempate. Ambos aspiravam pelo título de campeão e pela fama de melhor time do mundo.

Equipes classificadas[editar | editar código-fonte]

Localidade das equipes que disputaram a Copa Intercontinental 1962.
Confederação Equipe Classificação Participação
CONMEBOL Brasil Santos Campeão da Copa Libertadores da América de 1962
UEFA Portugal Benfica Campeão da Taça dos Campeões Europeus 1961-62

Os jogos[editar | editar código-fonte]

Depois de colecionar canecos em 1962 (Paulista, Brasileiro e Libertadores), ainda faltava a cereja no bolo do Santos: a Copa Intercontinental. Na época, o campeonato era disputado em duas partidas, uma em cada país. Se permanecesse a igualdade em pontos, não em gols, haveria uma terceira partida na casa do time que fazia o segundo jogo. Naquela decisão, Santos e Benfica iriam ver quem era o melhor time do mundo. Do lado brasileiro, o esquadrão que estava na ponta da língua dos torcedores de todo país, que jogava o fino da bola e tinha Pelé. Do lado português, outro esquadrão, que era bicampeão europeu e havia vencido o Real Madrid na decisão da Liga dos Campeões por 5 a 3. A estrela do time de Lisboa era o “Pantera Negra” Eusébio, um monstro da bola.

O primeiro jogo foi no Brasil, com o Maracanã lotado com mais de 90 mil pessoas. Não eram apenas santistas. Eram alvinegros, tricolores, rubro-negros. Ao contrário do que vemos hoje, na época, o Santos tinha a torcida de todos, afinal, era um time do Brasil em campo, e o respeito era outro. Hoje, tal fato é inimaginável. O jogo foi duro e disputado, mas o Santos venceu por 3 a 2, com gols de Pelé (2) e Coutinho, com Santana (2) descontando para o time português. Era hora de cruzar o atlântico para o jogo de volta.

O Estádio da Luz, em Lisboa, estava lotado. Os portugueses, animados com a dureza que o Benfica impuzera ao Santos no Brasil, tinham a certeza de que haveria uma terceira partida, tanto é que até os ingressos já estavam prontos. Eles estavam muito confiantes. Porém, esqueceram de avisar aquela torcida que do outro lado estava o Santos. “O” Santos de Pelé, Coutinho, Pepe e companhia. E que o esquadrão brancaleone faria naquela partida uma das maiores exibições de um time de futebol na história. O peixe jogou muito, mas muito, e não deu chances ao rival em nenhum momento. Pelé fez logo dois aos 15´ e aos 25´. Coutinho fez o terceiro, Pelé fez o quarto e Pepe fechou o caixão: 5 a 0. O Benfica ainda fez dois gols, para não ficar tão feio, no final do jogo, mas era tarde: Santos 5×2 Benfica. O time brasileiro conquistava pela primeira vez em sua história o título de campeão da Copa Intercontinental. Era a consagração que aqueles brilhantes jogadores precisavam. E o ápice para o mundo conhecer de vez o time de Pelé e companhia.

Chaveamento[editar | editar código-fonte]

  A Classificação[NOTA] Copa Intercontinental 1962
                     
 Portugal Benfica 5  
 Espanha Real Madrid 3  
   Portugal Benfica 2 2
   Brasil Santos 3 5
 Brasil Santos 2 2 3
 Uruguai Peñarol 1 3 0
Notas

Finais[editar | editar código-fonte]

Partida de ida
19 de setembro de 1962 Santos Brasil 3 – 2 Portugal Benfica Maracanã, Rio de Janeiro
21:00 h (UTC-3)
Pelé Gol marcado aos 31 minutos de jogo 31', Gol marcado aos 85 minutos de jogo 85'
Coutinho Gol marcado aos 64 minutos de jogo 64'
Santana Gol marcado aos 58 minutos de jogo 58', Gol marcado aos 87 minutos de jogo 87' Público: 85 459
Renda: Cr$ 31.205.110,00
Árbitro: ParaguaiPRY Rubén Cabrera
 
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Santos
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Benfica
 
SANTOS:
G Brasil Gilmar
LD Brasil Lima
Z Brasil Mauro
Z Brasil Calvet
LE Brasil Dalmo
M Brasil Mengálvio
M Brasil Zito (C)
A Brasil Dorval
A Brasil Coutinho
A Brasil Pelé
A Brasil Pepe
Treinador:
Brasil Lula
BENFICA:
G Portugal Rita
LD Portugal Ângelo
Z Portugal Humberto
Z Portugal Raúl
LE Portugal Cruz
M Portugal Simões
M Portugal José Augusto
A Angola Santana
A Portugal Eusébio
A Moçambique Coluna (C)
A Portugal Cavém
Treinador:
Chile Fernando Riera
2° jogo
11 de outubro de 1962 Benfica Portugal 2 – 5 Brasil Santos Estádio da Luz, Lisboa (Portugal)

Eusébio Gol marcado aos 85 minutos de jogo 85'
Santana Gol marcado aos 89 minutos de jogo 89'
Pelé Gol marcado aos 15 minutos de jogo 15' Gol marcado aos 25 minutos de jogo 25' Gol marcado aos 64 minutos de jogo 64'
Coutinho Gol marcado aos 48 minutos de jogo 48'
Pepe Gol marcado aos 77 minutos de jogo 77'
Público: ≈70.000
Árbitro: França Pierre Schwinte
 
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Benfica
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Santos
 
BENFICA:
G Moçambique Costa Pereira
LD Portugal Jacinto
Z Portugal Germano
Z Portugal Raúl
LE Portugal Cruz
M Portugal Simões
M Portugal José Augusto
A Angola Santana
A Portugal Eusébio
A Moçambique Coluna (C)
A Portugal Cavém
Treinador:
Chile Fernando Riera
SANTOS:
G Brasil Gilmar
LD Brasil Olavo
Z Brasil Mauro
Z Brasil Calvet
LE Brasil Dalmo
M Brasil Lima
M Brasil Zito (C)
A Brasil Dorval
A Brasil Coutinho
A Brasil Pelé
A Brasil Pepe
Treinador:
Brasil Lula
Copa Intercontinental de 1962
Flag of Brazil.svg
Santos
Campeão
(1º título)

Artilharia[editar | editar código-fonte]

Jogador Clube Gols
Brasil Pelé Brasil Santos 5
Angola Santana Portugal Benfica 3
Brasil Coutinho Brasil Santos 2
Portugal Eusébio
Brasil Pepe
Portugal Benfica
Brasil Santos
1

Publicações[editar | editar código-fonte]

  • "Donos da Terra - A História do Primeiro Título Mundial do Santos (2007)"

Odir Cunha, Realejo Edições, CDD 796.33406081612

Referências

  1. Gorgazzi, Osvaldo José (14 de abril de 1999). «Intercontinental Club Cup 1962». RSSS. Consultado em 1 de fevereiro de 2015 
  2. Site do Santos Futebol Clube
  3. «Fifa reconhece títulos mundiais de Santos, Flamengo, Grêmio e São Paulo». ESPN. Consultado em 27 de outubro de 2017 
  4. «Fifa reconhece Santos, Fla e Grêmio como campeões mundiais». Veja. Consultado em 27 de outubro de 2017 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]