Tropa dos Lanternas Verdes

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto (desde junho de 2013).
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.


Tropa dos Lanternas Verdes
Comic image missing-pt.png
Dados sobre publicação
Publicado por DC Comics
Primeira aparição Showcase #22 (Setembro de 1959).
Criado por John Broome
Gil Kane
Características do grupo
Base de operações Oa
Ver Lista de Lanternas Verdes
Projecto Banda desenhada  · Portal da Banda desenhada

A Tropa dos Lanternas Verdes é uma polícia intergalática fictícia da DC Comics[1] .

A Tropa dos Lanternas Verdes patrulha uma vasta região do espaço do Universo DC. Os Guardiões do Universo, uma raça super-inteligente e nobre, mas às vezes, fechada e arrogante,fundou e ainda administra a Tropa dos Lanternas Verdes do planeta Oa. Os Guardiões dividiram o Universo em 3600 setores, e escolheram um nativo de cada setor para servir como Lanterna Verde deste, no início da história da tropa. Posteriormente, quando do ressurgimento dos Lanternas Verdes, depois que Hal Jordan reativou a bateria central, essa norma foi mudada e passaram a ser dois Lanternas por setor. Essa modificação foi para que existisse maior seguraça entre as ações entre os membros, sem o risco de isolamento e possível posterior derrocada deste (como o que aconteceu com Hal Jorda e com Sinestro em tempos mais antigos). Isto atualmente indica que exitam aproximadamente 7200 membros efetivos e mais os agentes independentes e encarregados dos treinamento de novos recrutas. Cada Lanterna Verde recebe um anel que lhe dá grande controle sobre o universo a sua volta. O anel é considerada a arma mais poderosa do Universo, sendo limitado apenas pela vontade do portador.

Os Guardiões criaram a Tropa dos Lanternas Verdes há cerca de três bilhões de anos atrás, logo após o fracasso representado pela criação dos Caçadores Cósmicos, e a força sobreviveu a múltiplas rebeliões, assassinatos e colapsos dentro e fora dela.

Origens[editar | editar código-fonte]

Desde os primórdios dos tempos, uma raça vivia calmamente em Maltus. Os Maltusianos eram um povo altamente avançado em tecnologia, medicina, filosofia, e poderes mentais. Entretanto, um desses habitantes, Krona, queria descobrir os segredos da própria criação do Universo. Construindo uma máquina capaz do feito, ele observou a criação. Ele observou por seu portal uma palma gigantesca com um caldo de estrelas na mão, quando a máquina explodiu. Esta tolice custou caro a toda a existência. Devido a esse ato, fora criado o Universo de Antimatéria. A mera existência disso liberou uma onda de mal que corrompeu milhares de mundos.

Sentindo-se culpados pela catástrofe, os Maltusianos procuraram meios de acabar com este mal. Uma parte dos Maltusianos afirmava que o mal devia ser destruído, e se retiraram para outra dimensão, e tornaram-se os Controladores. A parte restante dos Maltusianos foram os Guardiões do Universo, que migraram então para o planeta Oa. A princípio, para ajudar a proteger o universo, eles engendraram uma raça chamada Psíons. Estes se rebelaram. A seguir, os Guardiões criaram os andróides Caçadores Cósmicos, que tiveram um destino parecido. Para impedir que a ordem se perdesse e que o universo entrasse em puro caos, os Guardiões do Universo dividiram todo o universo em 3600 setores, e para cada um deles, foi criado um anel que permitia fazer praticamente qualquer coisa que o usuário desejasse. Cada anel seria entregue aos seres mais honestos, mais destemidos e de maior força de vontade (a qual ativava os poderes do anel). Esses seres passaram a ser conhecidos como Lanternas Verdes. Séculos e séculos se passaram, mas a Tropa dos Lanternas Verdes sempre serviu aos seus mestres e cumpriu seu objetivo: proteger todas as galáxias.

O poder dos anéis deve ser recarregado a cada rotação do planeta de origem do usuário, por pequenas baterias em forma de lanterna (daí o nome Lanterna Verde). Estas baterias originavam-se duma gigantesca bateria também em forma de lanterna, que ficava em Oa. Esta bateria foi construída por energia azul dos Guardiões e impureza amarela. Devido a esta impureza necessária, os anéis eram ineficazes contra qualquer coisa de cor amarela. Hoje em dia, sabe-se que a impureza era, na verdade, um ser chamado Paralax. Esse ser representava o medo existente no universo recem arranjado. Foi aprisionado pelos Guardiões em sua Bateria Central, sendo absorvido, posteriormente por Hal Jordan quando de sua revolta contra os Guardiões.

Assumindo para sí o nome de Paralax, mas sem saber por que, Jordan se tornou um vilão temido por anos. Depois de inumeras mudanças de roteiro e de conceito, Jordan acabou descobrindo, durante os últimos anos, que tudo havia sdo um plano de Sinestro. Expiando a sua culpa e enfrentando o seu medo, Jordan exorcisou Paralax de seu corpo e derrotou-o.

Desde então os Anéis não possuem mais a fraqueza do amarelo no geral. Apenas os aneis de recrutas e membros em treinamento possuem essa fraqueza como limitador de ações.

Os Lanternas Verdes sempre foram os maiores exemplos de bondade em todos os planetas, mas sempre houve vilões querendo destruí-los. Quando Abin Sur, Lanterna Verde do setor 2814, que incluia o nosso planeta Terra foi atacado pelo vilão conhecido como atrocitus, ele teve um acidente e acabou por falecer, mas antes de morrer, passou seu anel ao humano que viria a ser um dia, na opinião da maior parte dos fâs, o maior Lanterna Verde de todos, Hal Jordan. Hal cumpriu com todas as suas obrigações como Lanterna Verde durante décadas, vendo a morte de amigos e o surgimento de novos Lanternas que viriam a ajudá-lo, como John Stewart e Guy Gardner. Mas depois de milênios combatendo o mal, a Tropa dos Lanternas Verdes caiu perante o maior de seus inimigos, o antigo Lanterna Verde Hal Jordan agora conhecido como Parallax.

O fim?[editar | editar código-fonte]

Segundo as informações presentes na saga "Crepúsculo Esmeralda" Hal Jordan tornou-se o maior vilão do universo depois de perder sua cidade natal, Coast City, destruída pelos vilões Superciborgue e Mongul. Após tamanha destruição diante de seus olhos, Jordan só queria reconstruir a paz e a alegria de sua antiga cidade, acertar as coisas.

Mas os Guardiões não aceitavam que Jordan quisesse mudar eventos passados, então negaram-lhe o direito de consertar a história de sua cidade. Hal então cruzou o universo rumo ao planeta Oa, onde a Bateria Central e os Guardiões se encontravam, para absorver a energia da maior fonte de poder do universo. No caminho, Hal enfrentou dezenas de Lanternas Verdes, mas chegou com sucesso em Oa, onde enfrentou no último embate de todos seu arqui-inimigo e ex-Lanterna Verde, Sinestro e teve de matar um dos símbolos da tropa e treinador de inúmeros membros, incluindo o próprio Jordan, Kilowog.

E assim, a Tropa dos Lanternas Verdes encontrou seu fim. Mas o bem não morre tão fácil assim.

Os demais guardiões do Universo se sacrificaram para proteger a vida do seu membro mais jovem (que, inclusive, esteve com Hal Jordan na terra, em suas aventuras durante os anos setenta, junto com o Arqueiro Verde, naquelas que são consideradas as melhores histórias desses dois heróis), Ganthet, enquanto o Hal Jordan, dominado pela entidade cósmica do medo, Parallax, que estava presa na Bateria central, absorvia toda energia esmeralda, a mesma entidade se fundiu ao Jordan. Enquanto isso Ganthet foi a terra e entregou um anel energético e uma bateria para um rapaz, Kyle Rayner, que assumiu sozinho por anos o legado de ser o Unico Lanterna verde do universo, alem de aprender a ser heroi.

Um detalhe sobre o anel que Rayner recebeu, é que ele foi o primeiro anel sem a fraqueza inerente ao espectro amarelo, justamente por que foi o primeiro anel fabricado sem que a impureza amarela (o Parallax) estivesse preso na baterial.

Com o tempo e auxiliado pela experiencia e conselhos de Alan Scott, Guy Gardner, John Stewart e posteriormente o próprio Hal Jordan, que morreu salvando a terra do devorador de sóis e se tornou o novo Espectro, Rayner se tornou um herói respeitado. Em uma de suas aventuras, Kyle acaba voltando ao passado, numa época que a tropa dos Lanternas está na ativa e Jordan era jovem. Quando voltou a seu tempo, Kyle recebeu de Jordan uma cópia de seu anel, que pode se replicar e tem uma bateria própria, também replicante, podendo dessa forma recriar a Tropa. Por causa disso, outros puderam ser Lanternas Verde, como Jade, Filha de Alan Scott, e posteriormente John Stewart.

Após várias aventuras e uma luta derradeira com Parallax, Kyle acaba por absorver todo o poder Cósmico disperso que pertencia a bateria Central de OA e torna-se Íon, capaz de manipular matéria, tempo e espaço. Após reflexão sobre seus poderes, responsabilidades, Kyle recupera o planeta Oa, a raça dos Guardiões e volta a ser um Lanterna Verde. Descobre-se porém, em várias de suas incursões pelo universo, a lenda de Parallax, uma entidade amarela alimentada pelo medo, que a milênios foi banida pelos guardiões do universo para dentro da bateria central, sendo responsável pela fraqueza dos lanternas ao amarelo. Esta entidade contaminou Hal Jordan durante a ocasião em que ele absorveu todo o poder da bateria para salvar o planeta Oa. A contaminação tornou-se pior com o passar do tempo e por fim, tomou conta de Hal. Detalhe: o sinal mais claro da contaminação foi o de que Hal Jordan, que tem a mesma idade aproximada de Superman, Batman e outros, passou a apresentar cabelos grisalhos.

A entidade só foi retirada da mente de Hal na saga Retorno de Hal Jordan, onde os Lanternas da Terra, juntamente com Kilowog (ressucitado), recuperaram o corpo de Hal, do centro do sol, ressucitando-o e aprisionando a entidade Parallax novamente na Bateria Central, porém com a diferença de agora conhecerem que ele é o causador da impureza que enfraquece os anéis de poder diante de coisas amarelas. Esta fraqueza ao amarelo é normalmente superada pela força de vontade e coragem dos lanternas mais experientes da tropa.

Hoje os Lanternas Verdes da Terra são Jordan e Stewart, sendo que Gardner se tornou agente especial, sem um setor específico e Rayner se tornou uma espécie de inspetor geral.

Poderes[editar | editar código-fonte]

O anel dos Lanternas Verdes permite criar objetos com energia verde que funcionam como suas exatas duplicatas reais, ainda que não teham os mesmos princípios (em automóvel conjurado possui substância e massa que o portador quiser, mas dificilmente possuirá todas as peças de uma automóvel de verdade, havendo no entanto a certeza de que ele irá andar e se portar como um), voar a velocidades interplanetárias, traduzir automaticamente cada língua conhecida no universo, cobrir o corpo do usuário com uma aura para protegê-lo de ataques e rigores do espaço, fazer análises, detectar outros Lanternas verdes, projeção astral e fazer o usuário relembrar de fatos esquecidos. O anel protege o usuário automaticamente contra dano fatal e é capaz de curá-lo em níveis baixos. O anel também pode reproduzir praticamente qualquer efeito físico imaginado (raios, radiação, magnetismo, gravidade, etc...). O nível dos poderes do anel é limitado pela força de vontade do usuário e só necessita de ser recarregado a cada rotação do planeta do portador do anel, ou quando os níveis de energia estão muito baixos (em casos extremos de uso, o que é muito raro em usuários mais experientes). O anel não funciona contra coisas amarelas (novatos) ou quando o usuário não está com a sua força de vontade e coragem suficientemente desenvolvidas.

Outro detalhe dos anéis é que a forma como os poderes se manifestam depende do seu usuário. Cada usuário possui uma característica que o anel imediatamente imita, independentemente do usuário anterior. O único anel que emite som, por exemplo, é o de Killowog (som de rajadas e explosões). Os construtos de Stewart parecem ser construidos de fora para dentro, sendo caracterizados pela leveza das formas e pela lembrança de plantas arquiteturais. Jordan quase sempre usa construtos simples por ser ele mesmo uma pessoa prática (daí a utilização de luvas de boxe e molas ser muito comum, por exemplo). Os construtos de Rayner são extremamente detalhistas por ser ele um desenhista de imaginação e capacidade fantásticos. Gardner utilizava rajadas e raios, além de alguns construtos simples, mas sempre agressivos.

Requisitos[editar | editar código-fonte]

Para se tornar um membro da Tropa, o candidato deve:

  1. Ser honesto;
  2. uma enorme capacidade de superar o medo
  3. Ter força de vontade desenvolvida para poder operar o anel.

Atualmente[editar | editar código-fonte]

Após os eventos mostrados na saga O Retorno de Hal Jordan, a Tropa está mais uma vez ativa.

Kyle, Kilowog e Guy Gardner foram convocados pelos guardiões do universo para treinar a nova geração de Lanternas verdes.

Ion[editar | editar código-fonte]

Kyle Ryner recebeu o poder de Ion dos Guardiões de Oa. Deste ponto em diante seu poder não seria restrito apenas ao anel, porém, ele mesmo teria o poder da bateria internamente. Ele se tornou uma espécie de "super lanterna verde", o homem mais forte do universo, que faria as missões mais arriscadas diretamente para os Guardiões.

Em uma de suas missões, Kyle foi infectado pelo "vírus" da Tropa Sinestro amarelo (Despotellis), assim foi plantado em seu coração uma brecha para o terrível Parallax. Mais adiante o vírus pega a sua mãe e a faz adoecer muito. Porém isto fazia parte dos planos de Sinestro para atraí-lo ao lado negro dos lanternas.

Uma vez que ele estava muito envolvido com missões no espaço, recebeu horas depois a terrível notícia que sua mãe morreu.

Um novo Ion e uma nova tropa[editar | editar código-fonte]

Com estes sucessíveis terríveis fatos que ocorreram com Kyle (como ocorrera no passado com Hal Jordan), Ryner se transformou - ou melhor, se tornou - em Parallax.

A guerra foi duradoura entre a Tropa Sinestro e a Tropa dos Lanternas Verdes. A esse embate deu-se o nome de Guerra dos Anéis (do original Sinestro Corps War). Detalhes clique aqui também.

Hal Jordam conseguiu recuperar a mente perdida de Kyle e isto fez com que ele percebe que "muito poder corrompe". Os Guardiões resolveram retirar o poder de Ion de Kyle e o passaram para o novo promissor Lanterna Verde Sodam Yat [carece de fontes?].

Neste ínterim os Guardiões lançaram 10 novas leis no Livro de Oa. Umas destas leis foi tida como necessária para que os Lanternas Verdes pudessem derrotar a Tropa Sinestro: poder de fogo liberado para matar!. Isto trouxe um certo alvoroço e fez com que a Lanterna Verde Laira matasse a sangue-frio o Lanterna Amarelo Amon Sur.

Com isto, uma nova Tropa foi necessária para "policiar" a Tropa dos Lanternas Verdes. Surgiu a Tropa dos Lanternas Alfa, Lanternas cujos corpos são fundidos às energias de seus anéis e baterias.

Tropas de outras cores[editar | editar código-fonte]

Assim como a Tropa dos Lanternas Verdes é vinculada à "Força de Vontade", surgiram outros grupos similares com diferentes cores e vinculações:

Para o futuro[editar | editar código-fonte]

A tropa dos lanternas irão enfrentar o maior evento que já foi profetizado no livro de Oa: A Noite Mais Densa [carece de fontes?]

Referências

Ver também[editar | editar código-fonte]


Portal A Wikipédia possui o portal: