Ravena (DC Comics)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Disambig grey.svg Nota: Se procura a cidade italiana, veja Ravena.
Ravena
Criado(a) por Marv Wolfman
George Pérez
Descrição ficcional
Codinomes conhecidos Rachel Roth

Rainha das Trevas

Raven

Terra Natal Azarath
Espécie Híbrida demoníaca
humana
Afiliações Novos Titãs
Sentinelas da Magia
Família Angela Roth (mãe) Trigon (pai) Jacob (meio-irmão) Jared (meio-irmão) Jesse (meio-irmão) Jack (meio-irmão) James (meio-irmão)
Estado atual Ativa
Base de operações Azarath, Jump City, Nova York
Aparições
Primeira aparição DC Comics Presents #26 (Out. 1980)
Editora(s) DC Comics

Raven, (cujo significado literal é "corvo") é uma anti-heroína fictícia que aparece nas histórias em quadrinhos americanas publicadas pela DC Comics. A personagem apareceu pela primeira vez em DC Comics Presents #26 (outubro 1980), e foi criada pelo escritor Marv Wolfman e desenhada pelo ilustrador George Pérez. Ravena é uma empata,[1] que pode se teletransportar e controlar a sua alma, podendo lutar fisicamente, bem como atuar sendo seus olhos e ouvidos mesmo estando longe de seu corpo. A História Cronológica de Raven é dividida tipicamente em três partes. Em sua primeira vida, Raven tinha apenas 18 anos e vivia no Templo de Azarath, tendo criado os "Novos Titãs". Em sua segunda vida ela se transformou na "Ravena Branca", e durou menos de dois anos. E em sua terceira vida, que é sua forma atual, ao contrário da transição entre a sua primeira vida e a segunda, com sua terceira vida ela veio em um corpo novo, mais jovem.

Criação da personagem[editar | editar código-fonte]

Ravena/Cosplay. Dragon Con 2013.

Ravena foi criada para complementar os Jovens Titãs, além disso, todos queriam que ela se tornasse uma espécie de destaque na equipe, pois algo faltava para completar esse pequeno time. Seus criadores, chamados George Pérez e Marv Wolfman, queriam uma heroína diferente, sendo essa parecida com um corvo, aliás, almejavam sua aparência um tanto sombria, justamente para despertar a curiosidade dos fãs da DC, pensando nisso, os dois fizeram a ilustração semelhante a dos corvos, principalmente sua cabeça. Ademais, a roupa da personagem era um tanto peculiar. Como os desenvolvedores afirmam: "não eram adaptadas para combate". Pelos fatos mostrados, Ravena caiu no gosto do público, principalmente pelos jovens, os quais a consideram peça importante nos Jovens Titãs e nas histórias em quadrinhos da DC Comics. Pérez observa-se que:

"A capa - Eu projetei para se parecer com uma cabeça de um pássaro real - foi minha contribuição, juntamente com o fato de que eu queria lhe dar uma roupa prática para ação. Ela não se parecia com um personagem de ação, porque ela se vestia de forma inapropriada para este tipo de prática."

Origem[editar | editar código-fonte]

Primeira vida[editar | editar código-fonte]

Uma personagem com uma origem e passado mórbidos, Ravena é a filha mestiça de uma mulher humana chamada Angela Roth (também conhecida como Arella) e o demônio interdimensional Trigon(destruidor de mundos). Ela cresceu em uma dimensão alternativa chamada Azarath, com seus habitantes pacíficos, cujo líder espiritual era a Mística Azur.[2] Em sua terra natal, ela foi ensinada a "controlar suas emoções", por Azur, a fim de reprimir os poderes demoníacos herdados. Basicamente, impedia-se que Ravena sentisse qualquer emoção forte, pois ela poderia se tornar um demônio como seu pai. Durante este tempo, Ravena raramente viu a mãe e cresceu separada dela. Após a morte de Azur, Arella começou a tarefa de sensibilização e ensino a Ravena. Na mesma época, a herança demoníaca de Ravena foi revelada, já que ela conheceu seu pai cara a cara. Logo após seu aniversário de 16 anos, Ravena aprendeu que Trigon planejava vir para sua dimensão, e ela prometeu detê-lo. Ravena inicialmente tentou se aproximar da Liga da Justiça, mas recusaram-na no conselho de Zatanna,[2] que detectou sua herança demoníaca. Em desespero, ela reformulou os Titãs como Novos Titãs para combater seu pai. A equipe era composta por Robin, Moça Maravilha, Kid Flash, Estelar, Cyborg e Mutano. Nesta encarnação, Ravena foi considerada uma pessoa sombria, muitas vezes notavam-se em suas observações um tom de sarcasmo e/ou ironia.

Ravena, ocasionalmente, sucumbiu a suas emoções, levando a ter problemas com seus companheiros de equipe. Logo após seu recrutamento para a equipe, Kid Flash concordou em ser um membro depois que Ravena usou seus poderes para forçá-lo a amá-la.[2] Durante outra reunião com a Liga da Justiça, Zatanna revelou esta informação, o que levou os outros Titãs à desconfiarem de Ravena. Finalmente, foi revelado que ela manipulou as emoções de Kid Flash e logo após foi removido o seu conhecimento do encontro.[2]

Poderes e Habilidades[editar | editar código-fonte]

Ravena cresceu em Azarath, dimensão paralela habitada por pacifistas que tinham por mística Azur a sua líder espiritual. Foi ela, de resto, a mentora da filha do demônio Trigon, a quem ensinou o segredo das artes místicas e a como controlar as suas emoções, com o intuito de suprimir a sua perigosa natureza maligna, herdada do seu progenitor. [3] Contudo, a supressão total de suas emoções, no entanto, já resultou em seus poderes manifestando-se subconscientemente - como tal, ela constantemente tenta se expressar, enquanto mantém-se em controle.

Grande parte dos seus poderes já apresentados, têm como base a utilização de diversas técnicas psiônicas. Ela consegue penetrar no subconsciente de qualquer pessoa, afim de explorar os seus pensamentos, projetar e transmitir os seus próprios pensamentos, assim como, alterar as suas memórias; para transmitir e extrair informações de diversas formas e para diversos fins. Até mesmo, para conhecer os seus maiores temores e imperceptivelmente, transformá-los em "realidade" nas mentes dos seus alvos. As suas capacidades empáticas possuem uma peculiaridade específica; que possibilita-lhe absorver a dor das pessoas feridas, para suprimir os seus sofrimentos e induzir uma cura rápida. Permitido-lhe, também, sentir ou facilmente manipular, qualquer emoção existente em alguém. Tendo conseguido fazer com que Wally West e o Asa Noturna, se apaixonassem por ela. [4] Seus sentidos empáticos, se estendem a distâncias extremas e são capazes de afetar diversos indivíduos ao mesmo tempo; variando de manipulações sutis que os outros geralmente desconhecem, até a negação completa das suas emoções. [5]

Ravena, pode emitir poderosas explosões de energia escura pelas mãos, se teleportar, quase que instantaneamente entre as dimensões, sentir, dominar e moldar as sombras ao seu redor conseguindo deste modo dar formas a elas e usá-las para ataque ou defesa podendo simular inclusive telecinésiae projetar-se astralmente sob a forma de uma energia negra que geralmente assume a figura de um corvo gigante, chamado de seu Ego-espiritual, que pode lutar fisicamente, bem como agir sendo os seus olhos e ouvidos, mesmo estando longe de seu corpo físico. Seu espírito pode subjugar pelo menos uma pessoa, subentendo-a a um poderoso ataque mental, ao envolvê-la dentro de seu interior. Ele pode teleportar os outros, para qualquer lugar da terra e atuar como um escudo e absorver uma quantidade desconhecida de energia e matéria sólida, regurgitando-os antes de se reintegrar ao corpo de Ravena. [6] Sua alma poderia ficar fora de seu corpo por exatamente cinco minutos, eventualmente ela superou tal limitação. [7]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Traduzido por Callari, Alexandre. «Demônios pessoais». Eaglemoss. Coleção Super-Herói - DC Comics (19): 16-17 
  2. a b c d Traduzido por Callari, Alexandre. «A filha das trevas». Eaglemoss. Coleção Super-Herói - DC Comics (19): 3-9 
  3. Tales of the New Titans (1982) #2
  4. «10 coisas que você talvez não saiba sobre a Ravena!». Legião dos Heróis. 22 de fevereiro de 2016. Consultado em 25 de janeiro de 2020 
  5. «Ravena: tudo sobre a beleza sombria dos Jovens Titãs!». Aficionados. Consultado em 22 de janeiro de 2020 
  6. Who's Who in The Dc Universe #8
  7. The New Teen Titans (1980) #8