Ravena (DC Comics)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Se procura a cidade italiana, veja Ravena.
Ravena
Codinomes conhecidos Rachel Roth

Rainha das Trevas

Raven

Espécie Híbrida demoníaca
humana
Afiliações Novos Titãs
Sentinelas da Magia
Família Angela Roth (mãe) Trigon (pai) Jacob (meio-irmão) Jared (meio-irmão) Jesse (meio-irmão) Jack (meio-irmão) James (meio-irmão)
Terra Natal Azarath
Estado atual Ativa
Criado por Marv Wolfman
George Pérez
Primeira aparição DC Comics Presents #26 (Out. 1980)
Editora(s) DC Comics
Base de operações Azarath, Jump City, Nova York

Raven, (cujo significado literal é "corvo") é uma anti-heroína fictícia que aparece nas histórias em quadrinhos americanas publicadas pela DC Comics. A personagem apareceu pela primeira vez em DC Comics Presents #26 (outubro 1980), e foi criada pelo escritor Marv Wolfman e desenhada pelo ilustrador George Pérez. Ravena é uma empata,[1] que pode se teletransportar e controlar a sua alma, podendo lutar fisicamente, bem como atuar sendo seus olhos e ouvidos mesmo estando longe de seu corpo. A História Cronológica de Raven é dividida tipicamente em três partes. Em sua primeira vida, Raven tinha apenas 18 anos e vivia no Templo de Azarath, tendo criado os "Novos Titãs". Em sua segunda vida ela se transformou na "Ravena Branca", e durou menos de dois anos. E em sua terceira vida, que é sua forma atual, ao contrário da transição entre a sua primeira vida e a segunda, com sua terceira vida ela veio em um corpo novo, mais jovem.

Origem[editar | editar código-fonte]

A personagem foi criada por Marv Wolfman e George Pérez. A descrição de Wolfman de Pérez era de uma personagem feminina do tipo meio que fantasmagórico. Pérez observa que:

"A capa - Eu projetei para se parecer com uma cabeça de um pássaro real - foi minha contribuição, juntamente com o fato de que eu queria lhe dar uma roupa prática para ação. Ela não se parecia com um personagem de ação, porque ela se vestia de forma inapropriada para este tipo de prática."

Primeira vida[editar | editar código-fonte]

Uma personagem com uma origem e passado mórbidos, Ravena é a filha mestiça de uma mulher humana chamada Angela Roth (também conhecida como Arella) e o demônio interdimensional Trigon(destruidor de mundos). Ela cresceu em uma dimensão alternativa chamada Azarath, com seus habitantes pacíficos, cujo líder espiritual era a Mística Azur.[2] Em sua terra natal, ela foi ensinada a "controlar suas emoções", por Azur, a fim de reprimir os poderes demoníacos herdados. Basicamente, impedia-se que Ravena sentisse qualquer emoção forte, pois ela poderia se tornar um demônio como seu pai. Durante este tempo, Ravena raramente viu a mãe e cresceu separada dela. Após a morte de Azur, Arella começou a tarefa de sensibilização e ensino a Ravena. Na mesma época, a herança demoníaca de Ravena foi revelada, já que ela conheceu seu pai cara a cara. Logo após seu aniversário de 16 anos, Ravena aprendeu que Trigon planejava vir para sua dimensão, e ela prometeu detê-lo. Ravena inicialmente tentou se aproximar da Liga da Justiça, mas recusaram-na no conselho de Zatanna,[2] que detectou sua herança demoníaca. Em desespero, ela reformulou os Titãs como Novos Titãs para combater seu pai. A equipe era composta por Robin, Moça Maravilha, Kid Flash, Estelar, Cyborg e Mutano. Nesta encarnação, Ravena foi considerada uma pessoa sombria, muitas vezes notavam-se em suas observações um tom de sarcasmo e/ou ironia.

Ravena, ocasionalmente, sucumbiu a suas emoções, levando a ter problemas com seus companheiros de equipe. Logo após seu recrutamento para a equipe, Kid Flash concordou em ser um membro depois que Ravena usou seus poderes para forçá-lo a amá-la.[2] Durante outra reunião com a Liga da Justiça, Zatanna revelou esta informação, o que levou os outros Titãs à desconfiarem de Ravena. Finalmente, foi revelado que ela manipulou as emoções de Kid Flash e logo após foi removido o seu conhecimento do encontro.[2]

Poderes[editar | editar código-fonte]

Como filha de um demônio interdimensional extremamente poderoso e perigoso, Ravena tem uma série de habilidades únicas que estão ligadas a seus sentimentos e emoções, e como tal, ela se treinou para acalmar todos os sentimentos fortes para contê-los. Sendo dita por muitos como a integrante mais poderosa dos Novos Titãs.

Sendo assim seus poderes são:

Empatia: A capacidade psiônica de sentir as emoções dos outros, permitindo que ela tenha uma visão de seus pensamentos e intenções e até experimente seus próprios sentimentos. Isso também permite que ela sinta o estado mental dos outros.[3]

Manipulação empática: Além de sentir as emoções alheias, Ravena pode curar desde uma dor sentimental e implantar nos outros os sentimentos e emoções que ela quiser. Tendo conseguido fazer com que Wally West e o Asa Noturna se apaixonassem por ela.[4]

Telepatia: A heroína é capaz de ler e investigar a mente de outros seres de consciência autônoma. Seus poderes telepáticos incluem: leitura e controle de mentes, comunicação mental, criação de ilusões, alteração de sentidos, indução às sensações e manipulação das faculdades mentais. Através de suas habilidades telepaticas, ela foi capaz de facilmente subjulgar e controlar todos os seus irmãos titãs ao mesmo tempo.

Teletransporte: Ravena pode se teletransportar, ou a outras pessoas para qualquer lugar do mundo, isso se estendendo a dimensões e a outros planos existenciais.

Auracinese: Projetando sua alma para fora do corpo, Rachel pode mover objetos, criar escudos, ficar intangível, mudar de aparência, lutar fisicamente e combater entidades no plano transcendente. Ela é capaz de ver e alterar auras ao seu redor. Sua alma assume a forma de um corvo.

Umbracinese: Pode manipular sua sombra ou sombras ao seu redor para favorecer a si mesma. Pode tornar as sombras sólidas, capazes de perfurar seres ou mais maleáveis, puxando inimigos ou até mesmo abrindo portais interdimensionais.

Telecinese: Ela é capaz de mover objetos e seres no geral com a força da mente. Podendo mesclar uma pequena parte de sua alma em objetos para controlá-los. O limite para a quantidade de matéria que ela é capaz de controlar é desconhecido. Porém é extremamente extenso.

Campos de força telecineticos: Ela pode erguer escudos e campos protetivos excepcionalmente fortes de pura energia telecinética e escura ao seu redor e de outros.

Cura: Embora ela raramente seja vista usando esse talento, essa é uma das habilidades mais controláveis ​​e fáceis de usar. Ela consegue curar variados tipo de graves lesões, apenas pondo a sua mão sobre o ferimento.

Clarividência: Ela tem um senso pré-cognitivo que ocorre de maneira aleatória, isso lhe permite ter premonições, visões, de eventos futuros que iram acontecer.

Magia: Ravena possui um vasto conhecimento arcano e que, em diversas ocasiões, já foi capaz de utilizar magia. Em Teen titans (série animada), podemos ver a personagem com habilidades místicas, podendo conjurar feitiços e maldições.

Herança diabólica: Sendo filha do demônio Trigon, Ravena possui um lado diabólico que, na maioria das vezes fica sob controle. Contudo, em momentos de raiva, a heroína acaba deixando que seu lado demoníaco a domine. Nessa forma, Ravena possui uma aparência demoníaca, tendo quatro olhos vermelhos e a pele avermelhada. Além disso seus poderes ficam mais fortes e destrutivos, se estendendo a níveis surpreendentemente catastróficos.[5]

• A heroína também aderiu a capacidade de vôo.


Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Traduzido por Callari, Alexandre. «Demônios pessoais». Eaglemoss. Coleção Super-Herói - DC Comics (19): 16-17 
  2. a b c d Traduzido por Callari, Alexandre. «A filha das trevas». Eaglemoss. Coleção Super-Herói - DC Comics (19): 3-9 
  3. «Ravena: tudo sobre a beleza sombria dos Jovens Titãs!». Aficionados. Consultado em 22 de janeiro de 2020 
  4. «10 coisas que você talvez não saiba sobre a Ravena!». Legião dos Heróis. 22 de fevereiro de 2016. Consultado em 25 de janeiro de 2020 
  5. «10 poderes e habilidades que talvez você não saiba que a Ravena tem!». Legião dos Heróis. 14 de junho de 2017. Consultado em 22 de janeiro de 2020