António de Abreu (navegador)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Searchtool.svg
Esta página ou secção foi marcada para revisão, devido a inconsistências e/ou dados de confiabilidade duvidosa. Se tem algum conhecimento sobre o tema, por favor, verifique e melhore a consistência e o rigor deste artigo. Considere utilizar {{revisão-sobre}} para associar este artigo com um WikiProjeto e colocar uma explicação mais detalhada na discussão.

António de Abreu foi um navegador português e oficial da marinha nascido na Madeira. Participou, sob as ordens de Afonso de Albuquerque, na conquista de Ormuz em 1507 e de Malaca em 1511, sendo nesse ano enviado ao comando da primeira expedição europeia a chegar às Molucas, a Timor e às ilhas Banda (Bante) em 1512.[1]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Filho de João Fernandes do Arco e de sua mulher Beatriz de Abreu.

Em 25 de Julho de 1511, na conquista de Malaca, António de Abreu comandou o junco chinês que, subindo o rio de Malaca na maré alta, desembarcou o contingente português na cidade permitindo a conquista em Agosto. Gravemente ferido no rosto, tendo perdido parte dos dentes e da língua,[2] recusou a proposta de Albuquerque para afastar-se do comando. Em Novembro, antes de partir de Malaca, Afonso de Albuquerque confiou-lhe a liderança da frota de três navios que rumou a este, em busca das "ilhas das especiarias", comandados por Francisco Serrão[3] e Afonso Bisagudo. Pilotos malaios foram recrutados para os guiar via Java, as Pequenas Ilhas de Sunda e Amboina até Banda, onde chegaram no início de 1512.[4] Aí permaneceram, durante cerca de um mês, comprando e enchendo os seus navios com noz moscada e cravinho.[5] António de Abreu partiu então velejando por Amboina enquanto o seu vice-comandante se adiantou para as ilhas Molucas mas naufragou terminando em Ternate. Ocupados com hostilidades noutros pontos do arquipélago, como Amboina e Ternate, só regressou em 1529.

Foi ainda major, em vida do Infante D. Henrique, aventou a hipótese de António de Abreu ter descoberto a Austrália, cem anos antes da chegada dos neerlandeses. O seu serviço nas Índias seria condecorado com a nomeação de capitão-mor de Malaca, em 1526.

Notas e referências

  1. Hannard, Willard A.. Indonesian Banda: Colonialism and its Aftermath in the Nutmeg Islands. Bandanaira: Yayasan Warisan dan Budaya Banda Naira, 1991. 7–8 pp.
  2. Diffie, Bailey W. and George D. Winius, Foundations of the Portuguese Empire, 1415–1580. p. 259
  3. Ricklefs, M.C.. A History of Modern Indonesia Since c.1300, 2nd Edition. London: MacMillan, 1991. p. 24. ISBN 0-333-57689-6.
  4. Hannard (1991), page 7; Milton, Giles. Nathaniel's Nutmeg. London: Sceptre, 1999. 5 and 7 pp. ISBN 978-0-340-69676-7.
  5. Hannard (1991), page 7

Referências

Ver também[editar | editar código-fonte]