Bastian Schweinsteiger

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Bastian Schweinsteiger
Bastian Schweinsteiger
Informações pessoais
Nome completo Bastian Schweinsteiger
Data de nasc. 1 de agosto de 1984 (29 anos)
Local de nasc. Kolbermoor,  Alemanha Ocidental
Altura 1,83 m[1] [2]
Destro
Informações profissionais
Clube atual Alemanha Bayern de Munique
Número 31
Posição Meia
Clubes de juventude
1987–1992
1992–1998
1998–2002
Alemanha FV Oberaudorf
Alemanha TSV 1860 Rosenheim
Alemanha Bayern de Munique
Clubes profissionais1
Anos Clubes Jogos (golos/gols)
2002–2004
2002–
Alemanha Bayern de Munique II
Alemanha Bayern de Munique
034 0000(2)
460 000(59)
Seleção nacional3
2000
2001–2002
2002–2003
2004
2004–
Bandeira da Alemanha Alemanha Sub-16
Bandeira da Alemanha Alemanha Sub-18
Bandeira da Alemanha Alemanha Sub-19
Bandeira da Alemanha Alemanha Sub-21
Bandeira da Alemanha Alemanha
001 0000(0)
011 0000(2)
007 0000(2)
007 0000(2)
101 000(23)


1 Partidas e gols pelo clube profissional
contam apenas partidas das ligas nacionais,
atualizados até 15 de março de 2014.


3 Partidas e gols da seleção nacional estão atualizados
até 5 de março de 2014.

Bastian Schweinsteiger[1] [2] (Kolbermoor, 1 de agosto de 1984) é um futebolista alemão que atua como meia. Atualmente, joga pelo Bayern de Munique. É também um dos principais jogadores da atual geração da Seleção Alemã, pela qual disputou as Copas do Mundo de 2006 e 2010.

Suas principais características são os chutes de média e longa distância, um refinado toque e domínio de bola, além dos passes e lançamentos extremamente precisos, que já proporcionaram muitos gols aos seus companheiros de equipe.

Estreou no time principal do Bayern de Munique aos 18 e vestiu a camisa da Seleção Alemã pela primeira vez com apenas 20 anos de idade. Outrora um meia-direito, sob o comando de Louis van Gaal, Schweinsteiger foi implantado numa função mais centralizada, evoluindo ainda mais como jogador. Hoje, é considerado por muitos especialistas um dos melhores jogadores do mundo em sua posição. No Bayern de Munique, conquistou cinco "dobradinhas" (Bundesliga e Copa da Alemanha) em temporadas consecutivas. Já pelo "Seleção Alemã", passou a ter uma importância ainda maior após a aposentadoria de Michael Ballack, de quem praticamente herdou posição. Veterano de várias competições internacionais, Bastian somou recentemente sua 90ª partida pela Seleção da Alemanha.

A sua transformação pode ser comparada à de outros dois grandes jogadores que se tornaram referência em suas equipes quando passaram a jogar mais recuados, tendo a missão de comandar o time de trás: Freddy Rincón e Andrea Pirlo. O italiano, em 2001, quando chegou ao Milan, ouviu do técnico Carlo Ancelotti a sugestão para jogar mais atrás e organizar a saída de bola. Ele topou, e não demorou para ser aclamado como craque.

Desde sua juventude, Schweinsteiger sempre foi uma aposta pessoal de Franz Beckenbauer, presidente do Bayern de Munique, e desde que desistiu de seguir a carreira de esquiador, a qual também demonstrava muito talento, de acordo com seu amigo Felix Neureuther, um dos destaques da Alemanha na modalidade.

Cquote1.svg Na minha infância, eu morava no pé dos Alpes e sonhava em ser esquiador ou jogador de futebol. Quando recebi o convite para treinar no Bayern, decidi rapidamente que teria de abandonar a ideia de fazer carreira no esqui. Eu passaria menos frio e teria de carregar menos equipamento Cquote2.svg
disse, durante entrevista na Euro 2012.

Infância e juventude[editar | editar código-fonte]

Era verão na Europa quando Bastian Schweinsteiger ingressou nas divisões de base do Bayern de Munique aos 14 anos de idade, no dia 1º de julho de 1998.[1] Nesta época, o jovem Bastian demonstrava um grande talento na prática do esqui, e teve de optar entre qual destas carreiras iria seguir como profissional. Isto com apenas 14 anos. Após algumas conquistas expressivas com o Bayern em campeonatos de juniores na Alemanha, não restaram dúvidas. O garoto iria mesmo se tornar um jogador de futebol.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Bayern de Munique[editar | editar código-fonte]

Após ter conquistado o Campeonato Alemão de Juniores em julho de 2002, Schweinsteiger, que era notoriamente um dos grandes destaques daquela geração que estava sendo revelada, passou a buscar também seu lugar no elenco profissional. Ao passo que era promovido à equipe de cima, produzia também uma grande exposição de seu nome na mídia esportiva alemã, principalmente em manchetes polêmicas. Este lado foi rapidamente superado com o amadurecimento e inúmeras demonstrações, dentro de campo, de que era realmente um jogador extremamente promissor.

Apenas duas sessões treinando com o time principal, e o treinador Ottmar Hitzfeld deu a Schweinsteiger a oportunidade de estrear como um substituto num jogo da Liga dos Campeões da UEFA contra o time francês do Lens, em novembro de 2002. E o recém-promovido Schweinsteiger não decepcionou. Muito pelo contrário, em poucos minutos foi o autor de uma jogada que culminou num belo gol de Markus Feulner. Assinou então um contrato profissional no mês seguinte e participou de 14 jogos da Bundesliga na temporada 2002–03, ajudando a Bayern na conquista da "dobradinha" (Campeonato e Copa nacional). Ainda nesta temporada, marcou também o seu primeiro gol como profissional, num encontro frente ao Wolfsburg, em setembro de 2003. Na temporada seguinte, já havia se firmado de vez no time titular e disputou 26 jogos pela Bundesliga.

Sofreu um breve revés em sua precoce carreira no início da temporada 2004–05. Por opção do recém-chegado técnico Felix Magath, Schweinsteiger retornou ao Time B durante algumas semanas, mesmo após suas recentes façanhas internacionais do verão na UEFA Euro 2004. Após apenas três partidas pelo chamado "Bayern München II", Schweinsteiger rapidamente reintegrou o time principal e teve papel importante na campanha do bicampeonato nacional.

Passados mais alguns anos, o homem que viria a ser um dos grandes responsáveis pelo salto de qualidade em sua carreira assumia o comando do Bayern. Trata-se do treinador holandês Louis Van Gaal, que chegou ao Bayern em julho de 2009. O técnico, que já havia protagonizado notáveis trabalhos no Ajax, no Barcelona e na seleção de seu país, rapidamente implantou Schweinsteiger como um volante quando assumiu o clube alemão. Antes de Van Gaal chegar ao Bayern, cabia a Schweinsteiger a função que passou a ser do também holandês Arjen Robben e do francês Franck Ribéry, contratados posteriormente pelos bávaros. Apesar de seu vigor físico (1,83 m e 79 quilos), Bastian jogava aberto pelos dois flancos e tinha a função de driblar marcadores, abrindo espaços e visando suprir o centroavante com lançamentos longos ou passes. E fazia isso muito bem. Tanto que aos 22 anos já tinha 41 partidas disputadas pela seleção, número que jamais outro jogador alemão havia alcançado com essa idade. Apesar disso tudo, diversas vezes afirmou que não se sentia satisfeito naquela função, pois se sentia limitado jogando perto da linha lateral.

Implantado nesta posição, Schweinsteiger se transformou num jogador ainda mais completo, se tornando uma referência de volante que tanto sabe marcar, quanto tratar bem a bola com seu refinado estilo de jogo. Jogando centralizado, ele não só começou a mostrar qualidades que ainda não havia exibido em sua plenitude (visão de jogo, capacidade para desarmar e driblar, além de uma alta precisão nos passes e lançamentos), como também ganhou confiança para virar protagonista e se tornar um líder no Bayern de Munique.

Seleção Alemã[editar | editar código-fonte]

Fez sua estreia pela Seleção Alemã principal em 2004, aos 20 anos de idade, num amistoso contra a Hungria. O camisa 31 do Bayern deixou boa impressão ao atuar pela seleção alemã na Euro 2004, em Portugal, mostrando habilidade e fazendo a jogada do gol do companheiro de equipe Michael Ballack na derrota alemã por 2 x 1 frente a República Tcheca

Marcou seus primeiros dois gols internacionais em 8 de junho de 2005 contra a Rússia e marcou seu primeiro gol num torneio internacional contra a Tunísia em 18 de junho de 2005 na Copa das Confederações 2005, na Alemanha. Isso foi sucedido por dois gols na decisão do terceiro lugar da Copa do Mundo de 2006, também no seu país natal, quando a Alemanha venceu Portugal pelo placar de 3 x 1. Schweinsteiger fez praticamente um hat-trick com seus dois gols marcados e tendo provocado um gol contra do português Petit.

Aos 22 anos, já havia jogado 41 partidas pela Seleção Alemã, um recorde na história do futebol do país. Na mesma idade, Lothar Matthäus (recordista absoluto de participações, com 150 jogos) tinha jogado somente 13 vezes pela equipe nacional. O colega e companheiro de seleção de Schweinsteiger, Lukas Podolski, de 22 anos, vem logo atrás com 38 jogos disputados.

Durante as eliminatórias da Euro 2008, marcou dois gols na vitória de 13 x 0 sobre San Marino em San Marino. Marcou o terceiro gol na vitória alemã por 4 x 1 sobre a Eslováquia em Bratislava. Perto do final do jogo contra a Croácia, válido pela Euro 2008, foi expulso com cartão vermelho direto.

Basicamente, Schweinsteiger passou a ter a real importância que possui hoje dentro do "Nationalelf" no ano de 2009, com a aposentadoria de Michael Ballack um dos grandes jogadores da história recente do futebol alemão e da seleção nacional. Atualmente, Bastian é titular e peça indispensável no meio-de-campo central do Bayern de Munique e da Seleção Alemã, seja jogando como volante ou meia-de-ligação, na maioria das vezes ao lado de Sami Khedira.

Vida pessoal[editar | editar código-fonte]

Schweinsteiger atualmente namora a modelo alemã Sarah Brandner [3] É irmão do também futebolista Tobias Schweinsteiger, que atua por divisões inferiores da Alemanha. Bastian é também bastante lembrado por sua simpatia e grande amizade com o jogador Lukas Podolski, de quem foi por muito tempo companheiro de clube com o Bayern de Munique e ainda companheiro de Seleção Alemã.

Polêmicas[editar | editar código-fonte]

Ainda saindo da adolescência e ingressando em sua carreira como profissional, Schweinsteiger produzia também uma grande exposição de seu nome na mídia alemã. Inicialmente, ele passou a ser conhecido por uma reputação rebelde fora de campo, um garoto jovem, que estava adquirindo fortuna e aos poucos ficava famoso no país por protagonizar manchetes negativas. Este lado foi rapidamente superado ao passo que amadurecia e demonstrava, dentro de campo, ser um jogador muito promissor e diferenciado em relação aos demais.


  • Quando ainda estava no time juvenil do Bayern de Munique, foi flagrado com uma mulher dentro de uma jacuzzi que ficava no vestiário da equipe principal, em pleno Centro de Treinamento do Bayern. E saiu-se com a seguinte desculpa dizendo: "É a minha prima. Ela queria conhecer o local onde treino."


  • Anos mais tarde, foi multado por ter passado a noite numa discoteca de Munique dois dias antes de uma partida pelo Campeonato Alemão. Mais uma vez, não perdeu o rebolado e falou: "A multa foi justa, mas a diversão compensou."


  • As polêmicas histórias de Schweinsteiger chegavam com frequência aos ouvidos do presidente honorário do Bayern de Munique Franz Beckenbauer, que pouco dava importância. Com seu olho clínico e a sabedoria de quem foi um dos maiores jogadores da história do futebol e o maior jogador da historia do futebol alemão, não tinha dúvida de que estava diante de um jogador de grande futuro. "Até que enfim estamos revelando um garoto que vale a pena", dizia.

Estatísticas[editar | editar código-fonte]

Atualizado até 17 de agosto de 2013.

Clube[editar | editar código-fonte]

[4] [2]

Clube Temporada Campeonato
nacional
Copas
nacionais1
Competições
europeias
2
Total
Jogos Gols Assist. Jogos Gols Assist. Jogos Gols Assist. Jogos Gols Assist.
Bayern de Munique 200203 14 0 2 2 2 0 1 0 0 17 2 2
200304 26 4 5 4 0 0 3 0 0 33 4 5
200405 26 3 7 6 0 2 7 1 1 39 4 10
200506 30 3 3 5 0 2 7 0 3 42 3 8
200607 27 4 6 5 0 1 8 2 1 40 6 8
200708 30 1 8 6 1 0 12 0 3 48 2 11
200809 31 5 12 4 2 0 9 2 2 44 9 14
200910 33 2 3 4 1 1 12 0 0 49 3 4
201011 32 4 7 5 2 1 7 2 2 44 8 10
201112 22 3 3 1 0 11 1 0 36 5
201213 28 7 3 5 0 0 11 2 4 44 9 7
201213 4 0 0 1 0 0 0 0 0 3 0 0
Total 301 36 56 50 9 7 88 10 16 441 55 79
Desde 2004 na Seleção Alemã, Schweinsteiger já se aproxima da centésima partida pela equipe.

Estatística ainda não disponível.
1 Incluindo a Copa da Alemanha e a Copa da Liga Alemã.
2 Incluindo a Liga dos Campeões da UEFA.

Seleção Alemã[editar | editar código-fonte]

[5]

Ano Jogos Gols Assist.
2004 10 0 2
2005 13 4 3
2006 18 9 11
2007 6 0 1
2008 15 4 3
2009 10 2 3
2010 12 2 4
2011 6 2 3
2012 7 0 2
2013 1 0 3
Total 98 23 32

Títulos[editar | editar código-fonte]

Bayern de Munique
Bayern de Munique II
Bayern de Munique time júnior

Campanhas de destaque[editar | editar código-fonte]

Bayern de Munique
Seleção Alemã

Prêmios individuais[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c Perfil de Bastian Schweinsteiger (em inglês). fcbayern.telekom.de. Página visitada em 7 de maio de 2013.
  2. a b c Bastian Schweinsteiger. uefa.com. Página visitada em 7 de maio de 2013.
  3. Sarah Brandner. secret.extrarisk.com.
  4. Football : Bastian Schweinsteiger (em inglês). FootballDatabase.eu. Página visitada em 7 de maio de 2013.
  5. Player - Bastian Schweinsteiger (em inglês). National Football Teams. Página visitada em 7 de maio de 2013.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]