Seleção Alemã de Futebol

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Alemanha
DFB Eagle.png
Alcunhas?  Nationalelf (onze nacionais)
Mannschaft (a equipe)
Adler (as águias)
Associação Deutscher Fußball-Bund
Confederação UEFA (Europa)
Material desportivo?  Alemanha Adidas
Treinador Alemanha Joachim Löw
Capitão Bastian Schweinsteiger
Mais participações Lothar Matthäus (150)
Artilheiro Miroslav Klose (71)
Kit left arm deutschland14h.png Kit body deutschland14h.png Kit right arm deutschland14h.png
Kit shorts deutschland14h.png
Kit socks deutschland14h.png
Uniforme
titular
Kit left arm deutschland14a.png Kit body deutschland14a.png Kit right arm deutschland14a.png
Kit shorts deutschland14a.png
Kit socks deutschland14a.png
Uniforme
alternativo
editar

A Seleção Alemã de Futebol (AO 1945: Selecção Alemã de Futebol), é organizada pela Federação Alemã de Futebol (em alemão: Deutscher Fußball-Bund), instituição que administra o futebol na Alemanha, e representa o país nas competições de futebol da UEFA e FIFA.

É uma das seleções de futebol mais bem sucedidas do Mundo, participando de oito finais de Copas do Mundo, ganhando quatro delas. É o país que mais vezes chegou entre os semifinalistas, com 13 aparições, além de ser o detentor do maior número de medalhas no torneio, com 12 (quatro ouros, quatro pratas e quatro bronzes). Após o Brasil, é a seleção que conquistou o maior número de vitórias (66), além de deter o recorde de gols marcados (224) e o maior número de jogos disputados (106), em 18 participações no torneio.[2]

A Alemanha não participou de apenas duas Copas do Mundo: 1930 e 1950. No caso de 1930, a Alemanha não se inscreveu, agindo como a maior parte das seleções europeias, que não se interessaram por aquela Copa. No caso de 1950, a participação alemã na Copa foi impedida pela FIFA, no contexto da ocupação do país no pós-2ª Guerra Mundial. A seleção alemã, desta maneira, se classificou para todas as Copas do Mundo para as quais se inscreveu nas Eliminatórias e teve o direito de participar, não tendo jamais falhado em se classificar nas Eliminatórias da Copa do Mundo. Brasil e Alemanha são os únicos países que jamais falharam em passar pelas Eliminatórias da Copa do Mundo.

A Alemanha chegou a seis finais da Eurocopa, vencendo três, sendo o único país a ter conquistado as Copas do Mundo masculina (1954, 1974, 1990 e 2014) e feminina (2003 e 2007) e também é o único país até agora a conquistar a Eurocopa nas suas versões masculina (1972,1980 e 1996) e feminina (1989, 1991, 1995, 1997, 2001, 2005, 2009), o que torna o futebol do país, em termos de seleções nacionais, o mais vitorioso do mundo, com a maior quantidade de conquistas dentre os título mais importantes do futebol mundial(que, para a FIFA, são as Copas do Mundo).[3]

Entre 1950 e 1990, a DFB administrava o futebol na Alemanha Ocidental. Regiões sob ocupação diferenciada - Sarre e Alemanha Oriental - tinham times e federações próprios, como a Seleção do Sarre de Futebol (1950-1956) e a Seleção Alemã Oriental de Futebol (1952-1990), que inclusive enfrentou a Alemanha Ocidental na Copa do Mundo FIFA de 1974. Desde a reunificação da Alemanha em 1990, a DFB reconhece dados individuais de jogadores de ambas as seleções.[4] [5]

A Seleção Alemã é muito conhecida também por ter jogadores muito talentosos, criativos e decisivos como Franz Beckenbauer, um dos cinco melhores jogadores da historia; Gerd Müller, o terceiro maior artilheiro das Copas do Mundo da FIFA e o segundo maior artilheiro da Seleção Alemã, superado apenas por Miroslav Klose, que é também o maior artilheiro da história das Copas do Mundo; Lothar Matthäus, um dos gênios do futebol e o primeiro ganhador do prêmio de Melhor jogador do mundo da FIFA (que se tornou Bola de Ouro da FIFA).

No século XXI os novos gênios da Seleção Alemã de Futebol são Mesut Özil, um dos melhores jogadores do Mundo e muito criativo e habilidoso;Marco Reus , um jogador muito conhecido por sua versatilidade, habilidade, velocidade e técnica; Mario Götze, um dos jogadores mais criativos, habilidoso e genial dessa nova geração do futebol mundial; Thomas Müller, artilheiro da Copa do Mundo FIFA de 2010 e eleito a revelação do ano de 2010; Lukas Podolski eleito Melhor Jogador Jovem da Copa do Mundo de 2006, Podolski é conhecido por seu forte chute com a perna esquerda, e pela sua grande técnica; e Bastian Schweinsteiger. Atualmente a Nationalmannschaft é treinada por Joachim Löw.

História[editar | editar código-fonte]

O atual uniforme alemão consiste em camisas, meias e calções brancos com detalhes em preto, cores da antiga monarquia do país, e listras em forma de "V" em tons avermelhados na altura do peito, formando a figura estilizada de uma águia, símbolo tradicional da nação. O uniforme reserva tradicional consiste em camisas e meias verdes (cores neutras) e calças brancas, tendo sido utilizado na final da Copa do Mundo de 1986. Na primeira década do século XXI, o uniforme reserva deixou de usar verde, chegando a utilizar o cinza e a cor preta. No ano de 2012 porém, a Adidas, marca que fabrica o material esportivo usado pela seleção, anunciou a volta do uniforme reserva verde, criado para o Campeonato Europeu de Futebol de 2012, marcando o aniversário de 40 anos da primeira conquista europeia de futebol.

A Seleção Alemã foi fortemente marcada pela política. Entre 1938 e 1945, a Áustria ficou integrada à Alemanha Nazista. Com isso, jogadores austríacos de destaque passaram a ser também aproveitados pela Seleção Alemã, enquanto a Austríaca (que utiliza tradicionalmente uniforme similar) foi extinta momentaneamente. A anexação ocorreu meses antes da Copa do Mundo de 1938, para a qual ambas as seleções estavam classificadas. Seis austríacos foram convocados para defender a Alemanha no mundial.

Após a Guerra, a Alemanha foi dividida. As áreas conquistadas no conflito voltaram aos antigos países, e o território alemão pré-guerra dividiu-se em quatro: a Áustria voltou a ser um país independente e sua Seleção foi retomada; em 1949, foram criadas as Alemanha Ocidental e Alemanha Oriental independente no futebol, cada uma possuindo também sua seleção, que chegou a disputar as Eliminatórias para a Copa do Mundo de 1954. No final dos anos 50, o Sarre foi integrado à Alemanha Ocidental.

As duas Alemanhas prosseguiram divididas até o ano de 1990, quando reunificaram-se. A reunificação deu-se já após a Copa do Mundo daquele ano, vencida pela Seleção Alemã-Ocidental. Os ocidentais, que continuaram a usar o uniforme da Alemanha pré-guerra, tiveram destaque amplamente maior, classificando-se durante a divisão para todas as Copas do Mundo ocorridas, tendo sido campeões em 1954 e 1974 (quando hospederam o torneio) contra seleções favoritas ao título, respectivamente Hungria e Países Baixos. Só não disputaram a Copa do Mundo de 1950, quando nenhuma seleção alemã existia. Os ocidentais também disputaram todas as Eurocopas a partir da edição de 1972, sendo logo campeões nesta. Venceriam também a de 1980.

A partida entre as duas Alemanhas na Copa do Mundo de 1974. Na época, correu um boato que a Seleção da Alemanha Ocidental teria entregado o seu jogo contra a Seleção da Alemanha Oriental para não cruzar com o Brasil e Holanda, na segunda fase da competição.

A Seleção Alemã-Oriental, mais fraca, classificou-se apenas para uma Copa do Mundo, justamente a de 1974, realizada na Alemanha Ocidental. Ambas se enfrentaram na primeira fase e os orientais conseguiram histórica vitória por 1 a 0. Costumavam ter bons desempenhos nas Eliminatórias, deixando de classificar-se para as Copas normalmente na última partida. Não conseguiram classificar-se para nenhuma Eurocopa.

Por outro lado, ganharam ouro nos Jogos Olímpicos (nas Olimpíadas de 1976), o que as Alemanhas pré-guerra, Ocidental e reunificada não conseguiram. Continuou a usar camisas e meias brancas, mas adotou o azul ao invés do preto na cor dos calções. O azul era a cor da juventude do Partido Socialista Unificado da Alemanha. Seu uniforme reserva consistia na combinação inversa ao do principal, sendo consagrado ao ser utilizado na vitória sobre a Alemanha Ocidental em 1974.

A Alemanha reunificada, que continuou usando os uniformes tradicionais da Ocidental, chamou em maior parte jogadores nascidos no antigo país, embora os melhores jogadores pós-reunificação tenham vindo do lado oriental: Matthias Sammer e Michael Ballack. Dois títulos foram conquistados pela equipe já unificada: a Eurocopa 1996 e a Copa do Mundo 2014.

Torcida da Alemanha na Copa do Mundo de 2006.

A seleção é atualmente treinada por Joachim Löw. O antigo técnico Rudi Völler, um dos jogadores que tem mais jogos pela seleção e, que era o técnico desde Julho de 2000, se demitiu em 24 de Junho de 2004, como conseqüência da eliminação na primeira rodada da Euro 2004. O processo de reposição foi muito mais desgastante que o normal. Após quatro candidatos possíveis terem recusado o posto, Klinsmann assumiu o cargo em 26 de Julho.

Primeiros Anos[editar | editar código-fonte]

Entre 1899 e 1901, antes da formação de uma seleção nacional alemã, foram cinco jogos não oficiais internacionais entre equipes diferentes da seleção alemã de futebol amador e da seleção inglesa, todas essas cinco partidas acabaram com grandes derrotas para as equipes alemãs. Oito anos após a criação da Federação Alemã de Futebol (DFB), a primeira partida oficial da seleção nacional de futebol da Alemanha foi na partida em 5 de abril de 1908, contra a Suíça, na Basileia, com a Suíça vencendo por 5-3.[6] [7] Coincidentemente, a primeira partida após a Primeira Guerra Mundial, em 1920, o primeiro jogo após a Segunda Guerra Mundial, em 1950, quando a Alemanha ainda estava proibida das maiorias das competições internacionais, e o primeiro jogo da Seleção Alemã de Futebol em 1990 após a reunificação da Alemanha Ocidental e Oriental, com ex-jogadores da Alemanha Oriental e Ocidental foi também contra a Seleção Suíça de Futebol. O primeiro título da Seleção Alemã de Futebol foi a Copa do Mundo FIFA de 1954 conquistada também na Suíça contra a Seleção da Hungria de Futebol comandada naquela epoca por Ferenc Puskás.[8]

Naquela época, os jogadores foram selecionados pela Federação Alemã de Futebol, pois não houve treinador oficializado. O primeiro gerente da seleção nacional da Alemanha foi Otto Nerz[9] , um professor da escola de Mannheim na Alemanha, que atuou no comando entre os anos 1926-1936. A Federação Alemã de Futebol não podia viajar para o Uruguai para disputar a Copa do Mundo disputada pela primeira vez em 1930, durante o Grande Depressão, mas quatro anos seguinte disputou sua primeira Copa do mundo onde terminou em terceiro lugar na Copa do Mundo de 1934, em sua primeira aparição na competição. Depois de uma exibição pobre em 1936 nos Jogos Olímpicos de Berlim, mudou-se de treinador entrando no lugar de Otto Nerz o novo treinador Sepp Herberger. Em 1937, ele montou um esquadrão que logo foi apelidado de Elf Breslau ("onze de Breslau") em reconhecimento da sua vitória por 8-0 sobre a Seleção da Dinamarca, na cidade alemã de Breslau, e em seguida, a Baixa Silésia (hoje fica em Wroclaw na Polônia).[10] [11]

Após a Áustria passar a integrar Alemanha no Anschluss de março de 1938, a equipe nacional do país, um dos lados melhores da Europa nesse momento, devido ao profissionalismo foi dissolvida, apesar de ter já classificado para a Copa do Mundo de 1938. Conforme requerido pelos políticos nazistas, cinco ou seis ex-jogadores austríacos, dos clubes Rapid Viena, Áustria Viena, Viena Wien, foram encomendados para se juntar ao time de Alemão em curto prazo em um show encenado de unidade orquestrada por razões políticas. Na Copa do Mundo de 1938, que começou em 04 de junho, este "unida" time alemão conseguiu apenas um empate 1-1 contra a Suíça, e depois perdeu o replay 2-4 na frente de uma multidão hostil em Paris, França. Essa saída precoce permanece como resultado mais negativo da Seleção Alemã de Futebol em Copas do Mundo da FIFA (excluindo os torneios de 1930 e 1950 em que eles não competiram).

Durante a Segunda Guerra Mundial, a equipe jogou mais de 30 jogos internacionais entre setembro de 1939 e novembro de 1942, quando os jogos da equipe nacional foram suspenso como a maioria dos jogadores tiveram que se juntar às forças armadas. Muitos dos jogadores da seleção se reuniram com o técnico Herberger como Jäger Rote através dos esforços de um oficial da força aérea simpático tentando proteger os jogadores de futebol a partir do serviço de guerra mais perigosas.[4] [5]

As três equipes alemãs[editar | editar código-fonte]

Após a Segunda Guerra Mundial, a Alemanha foi proibida de competir em competição na maioria dos esportes, até cerca de 1950, com nenhum dos três novos estados alemães, Alemanha Ocidental, Alemanha Oriental e Protetorado de Sarre, entrar nas Eliminatórias para a Copa do Mundo de 1950, por que a Federação Alemã de Futebol só foi reintegrado como membro oficial da FIFA completo após a Copa do Mundo de 1950.[12]

Mapa da atual Alemanha que são totalmente, ou na maior parte, situada dentro das antigas fronteiras da Alemanha Imperial e do Reino da Prússia. As cores da bandeira da Prússia sempre foi a oficial da seleção de futebol.

Alemanha Ocidental[editar | editar código-fonte]

Como na maioria dos aspectos de vida, as tradições de pré-guerra e organizações da Alemanha foram desenvolvidas pela República Federal da Alemanha, que era conhecido como Alemanha Ocidental. Isso se aplica também à Federação Alemã de Futebol que tinha sido restaurada, e que possuía a sua sede em Frankfurt am Main, e possuía o mesmo treinador ainda empregado Sepp Herberger. Com o reconhecimento da FIFA e UEFA, a Federação Alemã de Futebol mantida e continuada o registro de equipe de pré-guerra. A vizinha Seleção Suíça de Futebol foi mais uma vez a primeira equipe que jogou a Alemanha Ocidental em 1950, e também jogaram com a Alemanha Ocidental a Seleção Turca de Futebol e a Seleção Irlandesa de Futebol sendo a única seleção a não falar a Língua alemã.[13]

Depois de apenas 18 jogos pós-guerra, no total, a Alemanha Ocidental se classificou para a Copa do Mundo 1954, tendo prevalecido contra a Noruega e o "terceiro estado alemão", o Sarre.

Sarre[editar | editar código-fonte]

Devido a repartição da Alemanha no pós-guerra, o Protetorado do Sarre foi separado da República Federal da Alemanha e da República Democrática Alemã. A federação local, Fußballbundes Saarländischer (SFB) foi fundado em 25 de Julho de 1948 em Sulzbach, Com Willy Koch como primeiro presidente. Os clubes do Sarre jogavam na Ehrenliga local por três temporadas, de 1948 a 1951, com exceção do 1. FC Saarbrücken, que foi convidado para jogar na Ligue 2 francesa na temporada 1948-49, onde eles eram conhecidos como FC Sarrebruck. No entanto, após os clubes franceses votaram por unanimidade contra eles aderirem à Federação Francesa de Futebol (resultando na demissão do presidente Jules Rimet, que era a favor da adesão do Saarbrücken), o clube saiu do campeonato francês. Desinteressados em disputar a Ehrenliga eles estabeleceram um breve torneio por convite, o Saarlandpokal Internationaler, que atraiu um grande número de equipes de topo e é considerado como um precursor para a Taça dos Campeões Europeus.[14] Em 1955, Saarbrücken se tornou o único clube que de Saarland a disputar a recém criada Taça dos Campeões Europeus. No torneio, venceram o primeiro jogo em San Siro contra o campeão italiano AC Milan, mas perderam o segundo jogo e foram eliminados.

Em 17 de julho de 1949, os membros do SFB recusaram uma proposta de serem anexados pela Federação Francesa de Futebol por 609 votos contra, 299 votos a favor e 55 abstenções. Liderados pelo novo presidente, Hermann Neuberger, que assumiu em 14 de maio de 1950, o SFB tornou-se parte da FIFA, em 12 de junho de 1950.

A equipe do Sarre foi constituída em grande parte dos jogadores de futebol de 1. FC Saarbrücken, e também por jogadores do SV 05 Sarre Saarbrücken, Borussia Neunkirchen, SV St. Ingbert 1945, FC 1912 Ensdorf e ASC Dudweiler.

A equipe jogou apenas 19 jogos, 10 destes contra times "B", e também jogou as Eliminatórias da Copa do Mundo FIFA de 1954, terminando à frente da Noruega em seu grupo, derrotando-os em Oslo. Antes da Copa do Mundo de 1954 na Suíça, jogaram contra o atual campeão mundial Uruguai em 5 de junho, perdendo por 7 a 1. Outros amistosos foram contra a Iugoslávia (1 a 5), Holanda (1 a 2 e 2 a 3) e Suíça (1 a 1).

Em um plebiscito em 1955, a Seleção do Sarre passou a fazer parte da Seleção Ocidental da Alemanha a partir de 1957. Seu técnico, Helmut Schön, treinou a seleção alemã nas décadas de 1960 e 1970. Hermann Neuberguer, ex-presidente do SFB, fundou a Bundesliga e também organizou a Copa do Mundo de 1974.

Alemanha Oriental[editar | editar código-fonte]

Embora a República Democrática da Alemanha (nome oficial do país) tenha surgido em 1949, a seleção da Alemanha Oriental fez sua estréia oficial somente em 1952. Participou de apenas uma Copa do Mundo, em 1974, quando fez uma partida histórica contra a então seleção da Alemanha Ocidental e venceu por 1 a 0, gol de Jürgen Sparwasser. Porém, terminou a competição apenas em 5.º lugar. Já nos Jogos Olímpicos teve melhor sorte: ganhou uma medalha de ouro em 1976, uma de prata em 1980 e duas de bronze em 1964 e 1972. Venceu também a Pequena Taça do Mundo (com o nome de Taça Cidade de Caracas) em 1975. Além disso, obteve o 3.º lugar no Campeonato Mundial de Futebol Sub-20 de 1987.[15]

Com a reunificação da Alemanha em 1990, a seleção oriental fundiu-se à ocidental. O último jogo da Seleção Alemã Oriental de Futebol realizou-se em 12 de setembro de 1990 numa partida contra a seleção da Bélgica em Bruxelas, com uma vitória de 2 a 0 para os alemães orientais.[16]

O Milagre de Berna[editar | editar código-fonte]

Cartão autografado pelo treinador Sepp Herberger e pelos 11 jogadores alemães que venceram a final.

Alemanha Ocidental, comandada por Fritz Walter, reuniu-se para disputar a Copa do Mundo de 1954 algumas das equipas que jogaram em partidas amigáveis com a Alemanha Ocidental antes da Copa do Mundo foram a Seleção Turca de Futebol, Seleção Iugoslava de Futebol e a Seleção Austríaca de Futebol. Na fase de grupos a Alemanha caiu com a favorita Seleção Húngara de Futebol comandada nessa epoca por Ferenc Puskás um dos melhores jogadores da historia, com boas chances de se classificar para a próxima fase, mesmo em caso de derrota, o treinador Sepp Herberger não colocar em campo seus melhores jogadores, poupando-os para as proximas partidas e da experiência de uma derrota de 8-3 para a Húngria. Alemanha Ocidental iria passar a jogar contra a Hungria novamente na final, enfrentando a equipe lendária da Seleção Húngara de Futebol novamente, que estava invicto por 32 partidas consecutivas. Em uma virada surpreendente, a Alemanha Ocidental voltou de um défice golo madrugador dois para ganhar 3-2, com Helmut Rahn marcando o gol da vitória com apenas seis minutos restantes a vitória inesperada criou uma sensação de euforia ao longo de uma Alemanha dividida no pós-guerra. O triunfo é creditado com um papel significativo em assegurar o fundamento do pós-guerra ideológica da República Federal da Alemanha.[17]

O Estádio Wankdorf em Berna recebeu 60000 pessoas para acompanhar a partida final entre Alemanha Ocidental e Hungria, uma repetição do jogo da primeira fase. Nesta fase, a Hungria venceu os reservas alemães por 8-3. O Time Dourado dos húngaros era o favorito, pois vinha de 32 partidas invicto, porém vinha de duas partidas duras. Começou a chover no dia do jogo - na Alemanha isso é chamado de "Fritz-Walter-Wetter" (tempo de Fritz Walter) pois dizia-se o capitão da equipe alemã Fritz Walter jogava seu melhor futebol na chuva, porque havia contraído malária quando jovem e por isso não atuava tão bem no calor. Adi Dassler, proprietário da Adidas e fornecedor de material esportivo para a seleção alemã, forneceu chuteiras com cravos intercambiáveis, que melhor se adaptariam ao campo molhado.[18]

Na final se viu Ferenc Puskás atuando mesmo não estando em sua melhor forma. Ainda assim ele colocou seu time à frente do placar em apenas 6 minutos de jogo, e com Zoltán Czibor fazendo outro tento dois minutos depois parecia que os favoritos realmente levariam o título. Porém, com um rápido gol de Max Morlock no décimo minuto, e Helmut Rahn empatando aos 19, a maré começou a virar.[19]

No segundo tempo a Hungria desperdiçou diversas chances. Mas, nervosos não conseguiram nada. Os alemães praticamente "cozinharam" o jogo a seu favor, e acabariam premiados. A meros seis minutos do final da partida, o popular narrador do rádio alemão Herbert Zimmermann fez sua mais memorável declaração ao dizer: "Rahn deveria chutar do meio da rua" (em alemão: "aus dem Hintergrund müsste Rahn schießen"), e assim foi. O segundo gol de Rahn, que chutou da meia-lua da área, após a zaga húngara afastar mal a bola, deu a liderança da partida aos alemães. Depois, Puskás ainda teve um gol impedido.

Aos alemães foi entregue a Taça Jules Rimet e o título de vencedores da Copa do Mundo com a torcida cantando junto o hino nacional alemão. Na Alemanha, esta partida é conhecida como o Milagre de Berna. Um filme baseado na história foi lançado em 2003.[20]


Desempenho em competições[editar | editar código-fonte]

Desempenho na Eurocopa
Ano Fase PG V E* D GP GC
França 1960 Não participou - - - - - -
Flag of Spain under Franco.svg 1964 Não participou - - - - - -
Itália 1968 Não se classificou - - - - - -
Bélgica 1972 Campeão 2 2 0 0 5 1
Jugoslávia 1976 Final 2 1 1 0 6 4
Itália 1980 Campeão 4 3 1 0 6 3
França 1984 Primeira fase 3 1 1 1 2 2
Alemanha 1988 Semifinal 4 2 1 1 6 3
Suécia 1992 Final 5 2 1 2 7 8
Inglaterra 1996 Campeão 14 4 2 0 10 3
BélgicaPaíses Baixos 2000 Primeira fase 1 0 1 2 1 5
Portugal 2004 Primeira fase 2 0 2 1 2 3
ÁustriaSuíça 2008 Final 12 4 0 2 10 7
PolóniaUcrânia 2012 Semifinal 12 4 0 1 10 7
França 2016 A classificar - - - - - -
Total 3 Títulos 38 19 10 9 55 39

Uniformes[editar | editar código-fonte]

Uniformes atuais[editar | editar código-fonte]

  • 1º - Camisa,brancas calção brancos meias brancas;
  • 2º - Camisa verde, calção branco e meias verdes.
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Primeiro Uniforme
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Segundo Uniforme

Uniformes dos goleiros[editar | editar código-fonte]

  • Camisa azul, calção e meias azuis.
  • Camisa vermelha, calção e meias vermelhas.
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
'
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
'

Uniformes anteriores[editar | editar código-fonte]

  • 2010
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Primeiro
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Segundo
  • 2008
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Primeiro
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Segundo
  • 2006
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Primeiro
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Segundo

Elenco atual[editar | editar código-fonte]

Lista dos 21 jogadores convocados em 29 de Agosto de 2014 para o amistoso com a Seleção Argentina em 03 de Setembro de 2014.

Nome Time Nascimento Jogos Gols
Goleiros
Neuer, ManuelManuel Neuer Alemanha Bayern Munique 01986-03-27 27 de março de 1986 &0000000000000045.00000045 &-1-1-1-1-1-1-1-1-1-1-1-1-1-1-1-1.0000000
Weidenfeller, RomanRoman Weidenfeller Alemanha Borussia Dortmund 01980-08-06 6 de agosto de 1980 &0000000000000001.0000001 &-1-1-1-1-1-1-1-1-1-1-1-1-1-1-1-1.0000000
{{{2}}}, Ron-Robert ZielerRon-Robert Zieler Alemanha Hannover 96 01989-02-12 12 de fevereiro de 1989 &0000000000000002.0000002 &-1-1-1-1-1-1-1-1-1-1-1-1-1-1-1-1.0000000
Defensores
Boateng, JérômeJérôme Boateng Alemanha Bayern Munique 01988-09-03 3 de setembro de 1988 &0000000000000037.00000037 &-1-1-1-1-1-1-1-1-1-1-1-1-1-1-1-1.0000000
Höwedes, BenediktBenedikt Höwedes Alemanha Schalke 04 01988-02-29 29 de fevereiro de 1988 &0000000000000019.00000019 &0000000000000001.0000001
Hummels, MatsMats Hummels Alemanha Borussia Dortmund 01988-12-16 16 de dezembro de 1988 &0000000000000028.00000028 &0000000000000002.0000002
Ginter, MatthiasMatthias Ginter Alemanha Borussia Dortmund 01994-01-19 19 de janeiro de 1994 &0000000000000001.0000001 &-1-1-1-1-1-1-1-1-1-1-1-1-1-1-1-1.0000000
{{{2}}}, Antonio RüdigerAntonio Rüdiger Alemanha VfB Stuttgart 01993-03-03 3 de março de 1993 &0000000000000001.0000001 &-1-1-1-1-1-1-1-1-1-1-1-1-1-1-1-1.0000000
{{{2}}}, Erik DurmErik Durm Alemanha Borussia Dortmund 01992-05-12 12 de maio de 1992 &0000000000000001.0000001 &-1-1-1-1-1-1-1-1-1-1-1-1-1-1-1-1.0000000
Großkreutz, KevinKevin Großkreutz Alemanha Borussia Dortmund 01988-07-19 19 de julho de 1988 &0000000000000004.0000004 &-1-1-1-1-1-1-1-1-1-1-1-1-1-1-1-1.0000000
Médios
{{{2}}}, Christoph KramerChristoph Kramer Alemanha Borussia Mönchengladbach 01991-02-19 19 de fevereiro de 1991 &0000000000000001.0000001 &-1-1-1-1-1-1-1-1-1-1-1-1-1-1-1-1.0000000
{{{2}}}, Sami KhediraSami Khedira Espanha Real Madrid 01987-04-04 4 de abril de 1987 &0000000000000044.00000044 &0000000000000004.0000004
{{{2}}}, Toni KroosToni Kroos Espanha Real Madrid 01990-01-04 4 de janeiro de 1990 &0000000000000037.00000037 &0000000000000005.0000005
{{{2}}}, Mesut ÖzilMesut Özil Inglaterra Arsenal 01988-10-15 15 de outubro de 1988 &0000000000000053.00000053 &0000000000000017.00000017
Draxler, JulianJulian Draxler Alemanha FC Schalke 04 01978-06-09 9 de junho de 1978 &0000000000000130.000000130 &0000000000000068.00000068
Götze, MarioMario Götze Alemanha Bayern Munique 01992-06-03 3 de junho de 1992 &0000000000000027.00000027 &0000000000000007.0000007
{{{2}}}, Marco ReusMarco Reus Alemanha Borussia Dortmund 01989-05-31 31 de maio de 1989 &0000000000000019.00000019 &0000000000000007.0000007
Schürrle, AndréAndré Schürrle Inglaterra Chelsea 01990-11-06 6 de novembro de 1990 &0000000000000030.00000030 &0000000000000011.00000011
Atacantes
Podolski, LukasLukas Podolski Inglaterra Arsenal 01985-06-04 4 de junho de 1985 &0000000000000111.000000111 &0000000000000046.00000046
{{{2}}}, Thomas MüllerThomas Müller Alemanha Bayern Munique 01989-09-13 13 de setembro de 1989 &0000000000000047.00000047 &0000000000000016.00000016
{{{2}}}, Mario GómezMario Gómez Itália Fiorentina 01985-07-10 10 de julho de 1985 &0000000000000059.00000059 &0000000000000025.00000025
Técnico
Joachim Löw AlemanhaSeleção Alemã 01960-02-03 3 de fevereiro de 1960 &Erro de expressão: Operador / inesperadoErro de expressão: Operador / inesperadoErro de expressão: Operador / inesperadoErro de expressão: Operador / inesperadoErro de expressão: Operador / inesperadoErro de expressão: Operador / inesperadoErro de expressão: Operador / inesperadoErro de expressão: Operador / inesperadoErro de expressão: Operador / inesperadoErro de expressão: Operador / inesperadoErro de expressão: Operador / inesperadoErro de expressão: Operador / inesperadoErro de expressão: Operador / inesperadoErro de expressão: Operador / inesperadoErro de expressão: Operador / inesperado1.1000000- &Erro de expressão: Operador / inesperadoErro de expressão: Operador / inesperadoErro de expressão: Operador / inesperadoErro de expressão: Operador / inesperadoErro de expressão: Operador / inesperadoErro de expressão: Operador / inesperadoErro de expressão: Operador / inesperadoErro de expressão: Operador / inesperadoErro de expressão: Operador / inesperadoErro de expressão: Operador / inesperadoErro de expressão: Operador / inesperadoErro de expressão: Operador / inesperadoErro de expressão: Operador / inesperadoErro de expressão: Operador / inesperadoErro de expressão: Operador / inesperado1.1000000-

Jogadores[editar | editar código-fonte]

Jogadores famosos[editar | editar código-fonte]

Jogadores que ainda estão à serviço da Seleção Alemã.

Títulos[editar | editar código-fonte]

MUNDIAIS
Competição Vezes Ano
W.Cup2.svg Copa do Mundo FIFA 4 1954, 1974, 1990Cscr-featured.png, 2014Cscr-featured.png
Gold medal.svg Jogos Olímpicos 1 1976Cscr-featured.png[21]
CONTINENTAIS
Competição Vezes Ano
UEFA European Cup.svg Eurocopa 3 1972Cscr-featured.png, 1980Cscr-featured.png, 1996Cscr-featured.png

Cscr-featured.png Campeão Invicto

Outros títulos[editar | editar código-fonte]

Títulos de base[editar | editar código-fonte]

Seleção Sub-21[editar | editar código-fonte]

Seleção Sub-20[editar | editar código-fonte]

Seleção Sub-19[editar | editar código-fonte]

Seleção Sub-17[editar | editar código-fonte]

TOTAL: 21 títulos

Obs: 16 títulos como Alemanha Ocidental e 5 títulos como Alemanha Oriental.

Campanhas de destaque[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c FIFA.com (abril de 2011). Ranking Mundial da FIFA/Coca-Cola (em português). Página visitada em 6 de maio de 2011.
  2. fifa (16/07/14). Página visitada em 16/07/14.
  3. http://www.dfb.de/
  4. a b Statistics - Most-capped players. DFB. Página visitada em 11 October 2011.
  5. a b Statistics - Top scorers. DFB. Página visitada em 11 October 2011.
  6. Germany. FIFA. Página visitada em 14 January 2012.
  7. Germany's strength in numbers. UEFA. Página visitada em 14-1-2012.
  8. In early times it was simply called "die 11 besten Spieler von Deutschland" or just "die Bundesauswahl" (the Federation XI). Tags like "National team" or "National XI" weren't introduced until after World War I
  9. Professor Otto Nerz (em german). DFB. Página visitada em 13 March 2012.
  10. Muras, Udo (16 May 2007). Nur Hitler konnte sie stoppen (em german). Página visitada em 7 March 2012.
  11. All matches of The National Team in 1937. DFB. Página visitada em 1 January 2009.
  12. "Football tables", BBC Sport, BBC, 11 October 2011. Página visitada em 3 March 2012.
  13. Das Team hinter dem Team (em german). DFB. Página visitada em 21 May 2010.
  14. As good as it got: Saarland 1950-55 When Saturday Comes, Maio de 2008
  15. "December date for EURO finals draw in Kyiv", UEFA, 3 October 2011. Página visitada em 5 January 2012.
  16. Germany overpower Greece in Gdansk. UEFA (22 June 2012). Página visitada em 7 July 2012.
  17. Lisi, Clemente Angelo. A history of the World Cup: 1930-2006. Lanham, MD: Scarecrow Press, 2007. p. 61. ISBN 0-8108-5905-X
  18. Das Wunder von Bern - Die wahre Geschichte (em german). broadview.tv. Página visitada em 2012-03-15. Cópia arquivada em 2008-04-20.
  19. Germany's 1954 World Cup winners 'were doped'. google.com. AFP (6 October 2010). Página visitada em 16 June 2011.
  20. Das Trauma von Bern: Die unbekannte Seite des legendären Endspiels. Webcitation.org. Página visitada em 2 March 2012.
  21. Título conquistado como Alemanha Oriental.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]