Copa do Mundo FIFA de 1986

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Copa do Mundo de 1986)
Ir para: navegação, pesquisa
Copa do Mundo FIFA de 1986
Copa Mundial de Fútbol México '86
Mexico 86
World cup Mexico 86 Logo svg.png
Cartaz promocional da Copa do Mundo de 1986,
realizada no México.
Dados
Participantes 24
Organização FIFA
Anfitrião  México
Período 31 de maio29 de junho
Gol(o)s 132
Jogos 52
Média 2,54 gol(o)s por partida
Campeão Flag of Argentina.svg Argentina (2º título)
Vice-campeão Bandeira da Alemanha Ocidental Alemanha Ocidental
3º colocado Bandeira da França França
4º colocado Flag of Belgium (civil).svg Bélgica
Melhor marcador InglaterraENG Gary Lineker – 6 gols
Melhor ataque (fase inicial) 9 gols:
Melhor defesa (fase inicial) Brasil Brasil – 1 gol
Maior goleada
(diferença)
União Soviética Flag of the Soviet Union.svg 6 a 0 Flag of Hungary.svg Hungria
Estádio Sergio León ChavezLeón
2 de junho, Grupo C, 1ª rodada
Público 2 393 331
Média 46 025,6 pessoas por partida
Premiações
Melhor jogador
ArgentinaARG Diego Maradona
Melhor jogador jovem BélgicaBEL Enzo Scifo
Fair play Brasil Brasil
◄◄ Espanha Espanha 1982 Soccerball.svg Itália 1990 Itália ►►

A Copa do Mundo FIFA de 1986 foi a 13ª Copa do Mundo disputada, e contou com a participação de 24 países divididos em seis grupos de quatro. De cada grupo os 2 primeiros colocados se classificavam diretamente para as Oitavas de Final. Para completar as 16 seleções classificadas, os 4 terceiros colocados de melhor campanha conquistavam a vaga por índice técnico. No total 113 países participaram das eliminatórias.

A Copa de 1986 seria disputada na Colômbia. Porém, os graves problemas econômicos deste país impediram os colombianos de serem os anfitriões do torneio. A FIFA ofereceu a Copa para o Brasil[1], os Estados Unidos e o Canadá, em 1982, mas os governos desses três países recusaram. Então, o Mundial foi aceito pelo México, escolhido em 1983 para sediá-lo mais uma vez. Nem mesmo os terremotos um ano antes puseram em risco a realização da copa.

Resumo[editar | editar código-fonte]

A Argentina fazia parte do Grupo "A". Em sua estreia venceu por 3 a 1 a Coréia do Sul que retornava às copas após 1954. Empatou com a Itália em 1 a 1, a velha asa negra albi-celeste, e venceu a Bulgária por 2 a 0 confirmando o primeiro lugar. A "Azzurra", campeã do mundo, mais uma vez passava de fase aos trancos e barrancos e, após empatar com a Argentina e Bulgária, esta em 1 a 1, venceu os coreanos por apertadíssimos 3 a 2, ficando com a outra vaga. A Bulgária ficou com o terceiro posto, por critério técnico.

O México, dono da casa pela segunda vez, e liderado por Hugo Sánchez, não desperdiçou a chance de se classificar no grupo "B", com adversários de menor expressão (exceção feita à Bélgica), se classificando após bater os belgas por 2 a 1, empatar com o Paraguai por 1 a 1 e ganhar o Iraque por 1 a 0. Os "diabos vermelhos", vice-campeões europeus de 1980, venceram o Iraque por 2 a 1 e empataram com o Paraguai por 2 a 2, ficando com a terceira vaga do grupo, já que os sul-americanos, que venceram o Iraque por 1 a 0, ficaram com o segundo posto.

No Grupo "C", a Hungria, que chegou à Copa após ótima campanha nas eliminatórias e uma vitória por 3 a 0 sobre o Brasil, decepcionou. Os magiares perderam por 3 a 0 para a França de Michel Platini e tomaram uma super goleada de 6 a 0 da URSS. Aliás, a seleção soviética, com um futebol ofensivo e altamente tático, venceu o Canadá por 2 a 0 e empatou com a França por 1 a 1, conquistando a primeira vaga. A França ficou com a segunda vaga, em um grupo que não houve seleção que conquistasse o avanço às oitavas por índice técnico. Húngaros e canadenses deram adeus à copa ainda na primeira fase.

O Brasil, cabeça de chave do Grupo "D", novamente comandado por Telê Santana, fez uma estreia dura contra a seleção espanhola. A seleção canarinho, com o time muito modificado em relação ao "onze de 82", tinha contudo uma defesa mais consistente. Zico, gravemente contundido só entrava no decorrer das partidas. Júnior foi deslocado para compor o meio campo com Sócrates. Nomes como Éder, Toninho Cerezo, Renato Gaúcho e Leandro não foram ao Mundial, por motivos que foram da indisciplina à deficiência técnica. O Brasil venceu a estréia por 1 a 0, em um jogo que deveria ter terminado em empate, pois um gol de Michel foi anulado injustamente pelo juiz. A bola bateu no travessão e após a linha do gol, mas ao contrário da final de 66, o juiz não validou o gol. O Brasil teve 100% de aproveitamento ao vencer por 1 a 0 a Argélia e por 3 a 0 a Irlanda do Norte. O destaque da seleção foi o desconhecido Josimar, lateral-direito que foi convocado às pressas para a Copa no lugar de Leandro, que desistiu no embarque em solidariedade a Renato Gaúcho, cortado do grupo que iria ao Mundial. Com dois golaços, foi considerado o melhor jogador do mundial na posição. A "Fúria" venceu por 2 a 1 a Irlanda do Norte e por 3 a 0 a Argélia ficando com o segundo posto. Não houve classificado por índice técnico.

No Grupo "E" a Dinamarca, apelidada "Dinamáquina", foi a grande sensação da Copa. Os dinamarqueses comandados pelo técnico Sep Piontek inauguraram o sistema 3-5-2, com líbero jogando na defesa e os laterais transformados em alas. A seleção nórdica ainda tinha grandes craques como Michael Laudrup e o artilheiro Elkjaer-Larsen. O time dinamarquês venceu os três jogos, com direito a inacreditáveis 6 a 1 no Uruguai e 2 a 0 na Alemanha Ocidental. Os alemães ficaram com a segunda vaga após empatarem com o Uruguai em 1 a 1 e vencerem a Escócia por 2 a 1. A seleção "celeste" empatou com a Escócia por 0 a 0 e ficou com a terceira vaga sem nenhuma vitória.

No Grupo "F", outra surpresa. Em um grupo complicadíssimo com Inglaterra, Polônia e Portugal, a seleção de Marrocos, que disputava apenas seu segundo Mundial, o primeiro foi em 1970, também no México, conquistou uma das vagas de forma invicta. Foram dois empates de 0 a 0 contra respectivamente Polônia e Inglaterra e uma vitória por 3 a 1 contra a seleção lusa. A Inglaterra, após estreia com derrota por 1 a 0 contra Portugal e empate contra Marrocos, se recupera e goleia a Polônia por 3 a 0, conquistando uma das vagas. A Polônia venceu Portugal por 1 a 0 e ficou com a última vaga.

Oitavas de Final[editar | editar código-fonte]

Estavam classificadas 16 equipes para as oitavas de final. A Argentina venceu o superclássico contra o Uruguai por 1 a 0. O Brasil goleou a Polônia por 4 a 0. A Dinamarca, grande vedete da Copa, abriu o placar e tomou uma virada por 5 a 1 para a Espanha, onde Emilio Butragueño entrou para a história ao marcar 4 gols.

A França despachou a campeã mundial Itália por 2 a 0. Em um jogo espetacular belgas e soviéticos fizeram um prélio cheio de alternativas, e os "Diabos Vermelhos" venceram por 4 a 3. Para alegria da torcida local, o México venceu a Bulgária por 2 a 0 com direito a um gol acrobático do artilheiro Hugo Sánchez. O "English Team" passeou em campo contra o Paraguai, e o artilheiro Gary Lineker aproveitou para ampliar a artilharia, 3 a 0. A Alemanha Ocidental venceu o Marrocos com um gol de Lothar Matthäus aos 42 do segundo tempo por 1 a 0.

Quartas de Final[editar | editar código-fonte]

Brasil e França duelaram em Guadalajara. Após empate em 1 a 1, o Brasil teve a chance da vitória, mas Zico cobrou mal um pênalti defendido pelo goleiro francês Joël Bats. Na disputa de penais, o Brasil viu Sócrates errar a cobrança máxima, além do zagueiro Júlio César. Final 4 a 3 a favor da França.

A Argentina fez um jogo histórico contra a Inglaterra. E Maradona, em uma exibição de gala, alcançou o status de mito em seu país. Em uma partida espetacular, "El Pibe de Oro" fez um gol com a mão, que ele chamou de "a mão de Deus". O segundo gol é considerado por muitos, o mais belo de todas as copas: Maradona driblou seis ingleses, tirou do goleiro e fez o gol, levando ao êxtase "los hermanos", que se sentiam vingados da derrota na Guerra das Malvinas, travada contra a Inglaterra quatro anos antes. O locutor uruguaio Victor Hugo Morales, radicado na Argentina, chegou a chorar ao narrar o gol do "barrilete cósmico".

O México empatou com a Alemanha mas perdeu na disputa de penais por 4 a 1. A última vaga ficou com a Bélgica que conquistava pela primeira vez um lugar entre semifinalistas de copas ao vencer a Espanha por 5 a 4 nos pênaltis, após empate em 1 a 1.

Semifinal[editar | editar código-fonte]

Nas semifinais, a França deu continuidade à sua freguesia contra a Alemanha, final 2 a 0 para os germânicos. A Argentina continuou marchando rumo ao título ao vencer a Bélgica por 2 a 0 com outro show de Maradona, com direito a outro golaço para a antologia das copas.

Disputa do 3º lugar[editar | editar código-fonte]

Nesse jogo a seleção francesa entrou em campo sem seus principais astros. A geração de Platini, com mais uma eliminação perante a Alemanha em uma semifinal de copa, abriu mão do direito de jogar e cedeu lugar para muitos reservas. Mas a Bélgica, esgotada após 2 prorrogações, sucumbiu na sua terceira prorrogação e após empatar em 2 a 2 no tempo normal, perdeu o jogo por 4 a 2.

Final[editar | editar código-fonte]

Na final, Argentina e Alemanha Ocidental fazem o duelo do futebol arte contra o futebol marcial e tático. A Argentina abre 2 a 0 com gols de José Luis Brown e Jorge Valdano, dominando amplamente a partida.

Mas a Alemanha, repetindo 54 e 74, busca o resultado e empata com gols de Karl-Heinz Rummenigge e Rudi Völler, ambos após cobranças de escanteio. Só que dessa vez o final seria diferente e Maradona não permitiu que sua seleção levasse a virada, fato não evitado por Ferenc Puskás e Johan Cruyff.

Em um descuido de Matthäus, escolhido especialmente para marcar Maradona, o "Pibe" acha Burruchaga e o lança livre por trás da zaga alemã, marcando 3 a 2 para a Argentina. Dessa vez, ao contrário de 1978, sem contestações.

Sedes[editar | editar código-fonte]

Copa do Mundo FIFA de 1986 (México)
Red pog.svg
Guadalajara
Red pog.svg
Irapuato
Red pog.svg
León
Red pog.svg
Cidade do México
Red pog.svg
Monterrey
Red pog.svg
Nezahualcóyotl
Red pog.svg
Puebla
Red pog.svg
Querétaro
Red pog.svg
San Nicolás de los Garza
Red pog.svg
Toluca
Red pog.svg
Zapopan
Mapa com as sedes da Copa do Mundo FIFA de 1986
Cidade do México Cidade do México Guadalajara Puebla
Estádio Azteca Estádio Olímpico Universitário Estádio Jalisco Estádio Cuauhtémoc
Capacidade: 114.600 Capacidade: 72.000 Capacidade: 66.000 Capacidade: 46.000
Azteca entrance.jpg Estadio Olímpico Universitario 2.jpeg Estadio jalisco.jpg Estadio Cuauhtémoc, Puebla.jpg
San Nicolás de los Garza Querétaro Monterrey León
Estadio Universitario Estadio La Corregidora Estadio Tecnológico Estádio León
Capacidade: 44.000 Capacidade: 40.785 Capacidade: 38.000 Capacidade: 35.000
Cancha-del-universitario-tomada-por-mi.jpg Estadio la Corregidora.JPG ITESM Estadio Tecnologico.jpg EstadioLeon.jpg
Nezahualcoyotl Irapuato Zapopan Toluca
Estadio Neza 86 Estadio Sergio León Chávez Estadio Tres de Marzo Estadio Nemesio Díez
Capacity: 35,000 Capacity: 32,000 Capacity: 30,000 Capacity: 30,000
Estadio SLC Irapuato.jpg Tecos stadium.jpg B4GameTolChivas.JPG

Brasil Brasil na Copa[editar | editar código-fonte]

Mesmo retendo a base da seleção que teve bom desempenho em 1982, o Brasil não tinha as mesmas expectativas por problemas como a saída do técnico Evaristo de Macedo - substituído por Telê Santana, o mesmo da Copa anterior - e o corte do atacante Renato Gaúcho, que levou o lateral Leandro a desistir do torneio, além de diversas contusões entre o time que viajou para o México. A seleção venceu todos os jogos da primeira fase, e nas oitavas de final bateu a Polônia por folgados 4 a 0. Nas quartas de final contra a França, Careca - artilheiro da seleção com 5 gols - abriu o placar, e o capitão francês Michel Platini empatou. Na segunda etapa, Zico errou uma cobrança de pênalti que tornou o craque bode expiatório da eliminação brasileira, já que o jogo permaneceu empatado no tempo regulamentar e prorrogação, e nos pênaltis os franceses ganharam por 4 a 3, com Sócrates e Júlio César errando suas cobranças.[1]

Flag of Portugal.svg Portugal na Copa[editar | editar código-fonte]

Eliminatórias[editar | editar código-fonte]

Havia 20 anos que Portugal não participava de uma Copa. No sorteio das eliminatórias, Portugal ficou alinhado com Alemanha, Tchecoslováquia, Suécia e Malta. Duas equipas por grupo iriam ao campeonato.

Portugal começou bem, indo ganhar à Suécia por 1 a 0, em Estocolmo, a 12 de setembro de 1984. Foi a primeira vitória frente à Suécia. O gol foi de Gomes. Depois, no Porto, a 14 de outubro, Portugal derrotou a Tchecoslováquia por 2 a 1, com gols de Diamantino Miranda e Carlos Manuel; com Janecka pelos tchecoslovacos. Mas, um mês depois, a 14 de Novembro, em Lisboa, Portugal cedeu 1 a 3 com a Suécia, com um golo de Rui Jordão, Nilsson e Prytz (2) pelos suecos. Em Malta, a 10 de Fevereiro, Portugal ganhou por 1 a 3, com golos de Gomes (2) e Carlos Manuel, Ferrugia marcou o gol dos malteses. Esse jogo caracterizou-se por ter sido jogado da parte da manhã, antes de almoço. Com a Alemanha, em Lisboa, a 14 de Fevereiro, Portugal voltou a perder 1 a 2 (Diamantino marcou para Portugal; Völler e Pierre Littbarski marcaram para a Alemanha). As esperanças de qualificação ficaram quase completamente arrasadas com mais uma derrota, desta vez em Praga, a 25 de setembro por 1 a 0, gol de Hruska. Com Malta, em Lisboa, Portugal venceu novamente, mas tangencialmente 3 a 2, com gols de Gomes (2) e José Rafael; Frederico marcou na sua própria baliza; Di Giorgio marcou também por Malta.

Portugal foi para Stuttgart, e o que parecia impossível aconteceu. A Alemanha perdeu para Portugal por 1 a 0, em casa, com um gol de fora da área de Carlos Manuel, carimbando o passaporte português para a Copa do México.

Fase Final[editar | editar código-fonte]

No México, Portugal ficou no grupo da Inglaterra, Polónia e Marrocos; à partida, este era um grupo acessível. A equipa portuguesa instalou-se em Saltillo. A 3 de Junho de 1986, em Monterrey, Portugal estreou bem, vencendo a Inglaterra por 1 a 0, gol de Carlos Manuel.

Portugal alinhou com: Bento; Álvaro, Frederico, Oliveira, Inácio; Diamantino (aos 83' José António), Jaime Pacheco, André, Sousa; Carlos Manuel e Gomes (aos 73': Futre).
Inglaterra com: Shilton; Gary M. Stevens, Fenwick, Butcher, Sansom; Glenn Hoddle, Bryan Robson (aos 60': Hodge), Wilkins, Chris Waddle (aos 80' Peter Beardsley); Hateley e Lineker.

Mas algo estava mal entre a delegação portuguesa. Os jogadores e a federação não chegavam a acordo sobre prémios de jogo. Havia problemas de indisciplina e entre o primeiro e o segundo jogo, os jogadores fizeram greve aos treinos. Além disso, o guarda-redes português, Bento, partiu uma perna na véspera do segundo jogo, tendo sido substituído por Vítor Damas. A 7 de junho, também em Monterrey, Portugal defrontou a Polónia e perdeu por 0 a 1, com gol de Smolarek.

Portugal alinhou com: Vitor Damas; Álvaro, Frederico, Oliveira, Inácio; Diamantino, Jaime Pacheco, André (aos 73': Jaime Magalhães), Sousa; Carlos Manuel, Gomes (aos 46': Futre).
Polónia com: Młynarczyk; Pawlak, Wójcicki, Majewski, Ostrowski; Matysik, Komornicki (aos 57' Karaś), Boniek; Smolarek (aos 75' Zgutczyński), Dziekanowski, Urban.

A 11 de junho, em Guadalajara, Marrocos, que antes havia surpreendentemente empatado com Polónia e Inglaterra, ganhou 3 a 1 (Khairi (2) e Krimau; Diamantino).
Portugal alinhou com: Damas; Álvaro (aos 55' Rui Aguas), Frederico, Oliveira, Inácio; Pacheco, Magalhães, Sousa (aos 69' Diamantino), Carlos Manuel; Gomes, Futre.
Marrocos entrou com: Zaki; Khalifi, El Biaz, Bouyahyaoui, Lemriss (aos 69' Amanallah); Dolmy, El Haddaoui (aos 71' Souleymani), Timoumi, Khairi; Bouderbala, Krimau.

Portugal ficou em último lugar e foi eliminado.

A greve de Saltillo deixou marcas profundas: a quase totalidade dos jogadores que foram ao campeonato do Mundo recusaram voltar a jogar pela selecção durante dois anos, e Portugal viu-se obrigado a jogar com uma equipa de reservistas.

Seleções participantes[editar | editar código-fonte]

Seleção Participações última aparição
Flag of Algeria.svg Argélia 2 1982
Bandeira da Alemanha Alemanha 11 1982
Flag of Argentina.svg Argentina 9 1982
Brasil Brasil 13 1982
Flag of Belgium (civil).svg Bélgica 7 1982
Flag of Bulgaria.svg Bulgária 5 1974
Flag of Canada.svg Canadá 1 -
Flag of South Korea.svg Coreia do Sul 2 1954
Flag of Denmark.svg Dinamarca 1 -
Flag of Scotland.svg Escócia 6 1982
Flag of Spain.svg Espanha 7 1982
Bandeira da França França 9 1982
Flag of Hungary.svg Hungria 9 1982
Flag of England.svg Inglaterra 8 1982
Bandeira da Irlanda do Norte Irlanda do Norte 3 1982
Flag of Iraq.svg Iraque 1 -
Flag of Italy.svg Itália 11 1982
Flag of Morocco.svg Marrocos 2 1970
Flag of Mexico.svg México 9 1978
Flag of Paraguay.svg Paraguai 4 1958
Flag of Poland.svg Polónia 5 1982
Flag of Portugal.svg Portugal 2 1966
Flag of the Soviet Union.svg União Soviética 6 1982
Flag of Uruguay.svg Uruguai 8 1974

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

Broom icon.svg
Seções de curiosidades são desencorajadas pelas políticas da Wikipédia.
Ajude a melhorar este artigo, integrando ao corpo do texto os itens relevantes e removendo os supérfluos ou impróprios.
  • Três equipes faziam sua primeira participação em copas: Canadá, Dinamarca e Iraque.
  • No dia do embarque para o México, o lateral brasileiro Leandro desistiu de participar da Copa. Ele disse que a atitude era em solidariedade ao corte de seu companheiro, Renato Gaúcho, que havia saído da concentração sem permissão. Além disso, Leandro já não jogava mais no Flamengo como lateral-direito, posição para qual Telê Santana o convocara, mas sim como zagueiro. Telê "promoveu" o lateral Édson para titular e chamou o discreto Josimar, do Botafogo, para a reserva. Com Édson contundido no segundo jogo, Telê lançou Josimar como titular no terceiro jogo e o jogador acabou virando a grande sensação do Brasil na Copa, ao marcar dois golaços, na primeira fase contra a Irlanda do Norte e na segunda fase contra a Polônia, surpreendendo a todos.
  • Atolada em uma grave crise financeira e administrativa, a Jamaica não conseguiu pagar a taxa de afiliados à FIFA e foi impedida de participar das Eliminatórias.
  • No jogo entre Paraguai x Bélgica, o paraguaio Cayetano Ré (que jogou a Copa da Suécia) se tornou o primeiro treinador a ser expulso de uma partida de Copa do Mundo.
  • Embora tenha feito parte da criação da FIFA em 1904, a Dinamarca só conseguiu se classificar pela primeira vez para um mundial em 1986.
  • Nessa Copa a Dinamarca ficou conhecida como "Dinamáquina" devido a goleada de 6x1 no Uruguai e ter vencido a Alemanha Ocidental por 2x0.
  • Na estreia do Brasil, contra a Espanha, o DJ do Estádio Jalisco tocou o Hino à bandeira do Brasil em vez do Hino Nacional Brasileiro.
  • Na partidas Espanha vs Brasil, Alemanha vs Escócia, Dinamarca vs Escócia e Polônia vs Brasil, os hinos de Alemanha, Dinamarca e Polônia foram tocados 2 vezes, enquanto o da Espanha foi tocado 4.
  • Estreante em Copas, o Canadá passou despercebido no Mundial. Seus jogos serviram apenas para treinar os adversários na primeira fase, pois nas três partidas que disputou, levou cinco gols, perdeu todas e sequer balançou as redes. Sem tradição no futebol, o Canadá terminou em último lugar, e nunca mais voltaria a participar de uma edição do torneio. Na véspera do jogo contra a França, o técnico francês Henri Michel declarou: "Só os temeria se fosse um torneio de hóquei de gelo".
  • No mesmo grupo do Canadá, a Hungria tinha, no papel, uma boa equipe, mas na estreia jogou muito mal, e foi impiedosamente massacrada pela URSS por 6x0. No dia seguinte à derrota seu treinador convocou todos os jogadores numa sala dentro da concentração para assistir ao video-tape do jogo, para verificar onde a equipe tinha falhado. Após a reunião, o goleiro húngaro Péter Disztl disse aos jornalistas presentes: "Tomar 6 gols num só jogo é duro. Pior foi ter que assistir novamente esse jogo. Foi a experiência mais dolorosa da minha vida rever os gols que sofri."
  • Além de Telê Santana, outros dois treinadores brasileiros participaram da Copa, José Faria (treinador do Marrocos) e Evaristo de Macedo (treinador do Iraque), que substituiu o compatriota Jorge Vieira, demitido meses antes da Copa. Evaristo era o treinador da equipe brasileira para as eliminatórias, mas acabou substituído por Telê meses antes do torneio começar, em 1985.
  • O prêmio dos argentinos, campeões mundiais, foi de 50 mil dólares. Se ficassem com a taça, os brasileiros ficariam com 130 mil.
  • Foi no Mundial de 1986 que surgiram as primeiras moedas comemorativas à realização de um torneio. A ideia foi de uma igreja mexicana e tinha de um lado da moeda a imagem da Virgem de Guadalupe (Santa padroeira do país) e do outro lado um lance de jogo, estilizando as partidas que seriam disputadas no torneio.
  • Carlos Bilardo, técnico da Argentina, trabalhava como médico.
  • A data do jogo entre Brasil x França (21 de junho) é histórica para ambas as equipes. Nesse dia, estavam se completando 16 anos da conquista do tricampeonato mundial do Brasil em 70, assim como também era o aniversário de 31 anos de Michel Platini, o maior jogador francês da época e o maior da história de seu país até o surgimento de Zinédine Zidane, na Copa de 1998. Na decisão por pênaltis, Platini deu um "presente de grego" para si mesmo: cobrou o pênalti para fora, mas, para sorte do craque, a França venceu.
  • O atacante dinamarquês Preben Elkjaer Larsen tinha um hábito incomum para jogadores de futebol: o vício pelo cigarro. O craque fumava cerca de 30 cigarros por dia.
  • A expulsão mais rápida das Copas foi a do uruguaio José Batista no jogo contra a Escócia. Ele recebeu o cartão vermelho aos 55 segundos do primeiro tempo após cometer falta violenta em Gordon Strachan.
  • Pela segunda vez consecutiva (1982-1986), a Seleção Brasileira conquistou o Troféu Fair Play (Jogo Limpo) oferecido pela FIFA à equipe mais disciplinada da competição.
  • Para viajar ao México, a seleção italiana exigiu da empresa aérea Alitalia a mesma tripulação que os levara a Espanha quatro anos antes. É que em 1982, a Itália tinha se sagrado campeã. Entretanto, a superstição não deu certo.
  • O treinador sérvio Bora Milutinović participava de sua primeira copa treinando a equipe do país-sede. Ele se tornaria o técnico que mais participou de copas (5 consecutivas), pois ainda comandou a Costa Rica em Itália 90, os anfitriões de EUA 94, a Nigéria em França 98 e a China em Coréia do Sul/Japão 2002.
  • Antes do futebol, o atacante italiano Bruno Conti jogava baseball. Ele era tão bom que quase foi jogar profissionalmente nos EUA.
  • Quando o francês Bruno Bellone cobrou o pênalti para a França no jogo contra o Brasil, a bola bateu na trave, nas costas do goleiro Carlos e entrou. Os jogadores brasileiros pediram a anulação do gol, mas não sabiam que este lance era válido nas regras do futebol.
  • Uma cena que ficou marcada para sempre na história da televisão brasileira foi a expressão de choro do jornalista e apresentador da Rede Globo, Fernando Vanucci, ao final da partida em que o Brasil foi eliminado pela França nos pênaltis; Vanucci declamou nos estúdios da Globo uma mensagem ao torcedor brasileiro e à seleção, narrando uma poesia de Affonso Romano de Sant'Anna, mas não conseguiu conter as lágrimas.
  • Quatro jogadores da seleção uruguaia jogavam no Brasil: o goleiro Rodolfo Rodríguez (Santos), o lateral Diogo (Palmeiras), o zagueiro Dario Pereyra (São Paulo) e o meia Rubén Paz (Internacional).
  • Preocupada com o Mal de Montezuma, que causa incontroláveis crise de estômago em estrangeiros no México, a delegação da Bélgica trouxe em sua bagagem 20 mil litros de água mineral e centenas de quilos de queijo holandês.
  • Ao marcar 6 gols na Copa de 86, o atacante Gary Lineker se tornou o primeiro inglês a terminar como artilheiro de uma Copa do Mundo, embora a Inglaterra tenha sido eliminada nas quartas-de-final.
  • Em 1985, durante as eliminatórias, o coração do técnico escocês Jock Stein não resistiu as emoções do jogo decisivo contra o País de Gales. Ele tombou morto no banco, depois da partida. Para o lugar do finado treinador, foi chamado Alex Ferguson, que após a Copa se tornou treinador do Manchester United, onde esteve até sua aposentadoria, em 2013.
  • A Bélgica jamais tinha chegado tão longe numa Copa do Mundo. Os "Diabos Vermelhos" terminaram o Mundial em quarto e o goleiro Jean-Marie Pfaff foi eleito o melhor goleiro da Copa.
  • O brasileiro Romualdo Arppi Filho repetiu o feito de Arnaldo César Coelho e apitou a final do Mundial de 86. Romualdo chegou a dar cartão amarelo para Maradona na final.
  • Vários craques da época se despediram das Copas em 86. Zico, Sócrates, Falcão e Júnior (Brasil); Gordillo e Senor (Espanha); Harald Schumacher e Karl-Heinz Rummenigge (Alemanha); Michel Platini, Jean Tigana e Alain Giresse (França).
  • Seis seleções voltam a disputar uma copa do mundo após um longo período: Coreia do Sul (32 anos depois), Paraguai (28 anos depois), Portugal (20 anos depois), Marrocos (16 anos depois), Bulgária e Uruguai (12 anos depois).
  • Foi a primeira vez que uma Copa do Mundo virava tema nos videogames. O jogo oficial era o Mexico 86, lançado em 1987 para fliperamas (arcades). Esse jogo era uma variação do Kick and Run lançado no ano de 1985, mas tinha alguns defeitos: os times disponíveis para jogar não tinham seus uniformes oficiais, e participavam do jogo algumas seleções que não tinham se classificado para as finais (casos de Japão e Estados Unidos). Mesmo assim, lotou as casas de arcades onde era exibido, saindo-se muito bem, mesmo o jogo tendo sido lançado muito tempo após o torneio.

Sorteio[editar | editar código-fonte]

Cabeças de Chave Europa/Ásia América do Sul/África/América do Norte

Primeira Fase[editar | editar código-fonte]

Grupo A[editar | editar código-fonte]

Time Pts J V E D GF GC SG
Flag of Argentina.svg Argentina 5 3 2 1 0 6 2 4
Flag of Italy.svg Itália 4 3 1 2 0 5 4 1
Flag of Bulgaria.svg Bulgária 2 3 0 2 1 2 4 -2
Flag of South Korea.svg Coreia do Sul 1 3 0 1 2 4 7 -3
31 de maio de 1986
12:00
Flag of Italy.svg Itália 1–1 Flag of Bulgaria.svg Bulgária Estádio Azteca, Cidade do México
Árbitro: Fredriksson (Suécia)
Público: 95,000

Altobelli 43' Sirakov 85'

2 de junho de 1986
12:00
Flag of Argentina.svg Argentina 3–1 Flag of South Korea.svg Coreia do Sul Estádio Olímpico Universitário, Cidade do México
Árbitro: Sánchez (Espanha)
Público: 60,000

Valdano 6', 46'
Ruggeri 18'
Park Chang-Seon 73'

5 de junho de 1986
12:00
Flag of Italy.svg Itália 1–1 Flag of Argentina.svg Argentina Estadio Cuauthémoc, Puebla
Árbitro: Keizer (Países Baixos)
Público: 32,000

Altobelli 6' pen Maradona 34'

5 de junho de 1986
16:00
Flag of Bulgaria.svg Bulgária 1–1 Flag of South Korea.svg Coreia do Sul Estádio Olímpico Universitário, Cidade do México
Árbitro: Al Shanar (Arábia Saudita)
Público: 45,000

Getov 11' Kim Jong-Boo 70'

10 de junho de 1986
12:00
Flag of Italy.svg Itália 3–2 Flag of South Korea.svg Coreia do Sul Estádio Cuauhtémoc, Puebla
Árbitro: Socha (Estados Unidos)
Público: 20,000

Altobelli 17', 73'
Cho Kwang-Rae 82' (g.c.)
Choi Soon-Ho 62'
Huh Jung-Moo 83'

10 de junho de 1986
12:00
Flag of Argentina.svg Argentina 2–0 Flag of Bulgaria.svg Bulgária Estádio Olímpico Universitário, Cidade do México
Árbitro: Morera (Costa Rica)
Público: 65,000

Valdano 3'
Burruchaga 79'
 

Grupo B[editar | editar código-fonte]

Time Pts J V E D GF GC SG
Flag of Mexico.svg México 5 3 2 1 0 4 2 2
Flag of Paraguay.svg Paraguai 4 3 1 2 0 4 3 1
Flag of Belgium (civil).svg Bélgica 3 3 1 1 1 5 5 0
Flag of Iraq (1963-1991); Flag of Syria (1963-1972).svg Iraque 0 3 0 0 3 1 4 -3
3 de junho de 1986
12:00
Flag of Mexico.svg México 2–1 Flag of Belgium (civil).svg Bélgica Estádio Azteca, Cidade do México
Árbitro: Espósito (Argentina)
Público: 110,000

Quirarte 23'
Sánchez 39'
Vandenbergh 45'

4 de junho de 1986
12:00
Flag of Paraguay.svg Paraguai 1–0 Flag of Iraq (1963-1991); Flag of Syria (1963-1972).svg Iraque Estádio Nemesio Díez, Toluca
Ref: Picon-Ackong (Ilhas Maurício)
Público: 24,000

Romerito 35'  

7 de junho de 1986
12:00
Flag of Mexico.svg México 1–1 Flag of Paraguay.svg Paraguai Estádio Azteca, Cidade do México
Árbitro: Courtney (Inglaterra)
Público: 114,000

Flores 3' Romerito 85'

8 de junho de 1986
12:00
Flag of Belgium (civil).svg Bélgica 2–1 Flag of Iraq (1963-1991); Flag of Syria (1963-1972).svg Iraque Estadio Nemesio Díez, Toluca
Árbitro: Díaz (Colômbia)
Público: 20,000

Scifo 16'
Claesen 19' (pen)
Radhi 59'

11 de junho de 1986
12:00
Flag of Belgium (civil).svg Bélgica 2–2 Flag of Paraguay.svg Paraguai Estadio Nemesio Díez, Toluca
Árbitro: Dochev (Bulgária)
Público: 16,000

Vercauteren 30'
Veyt 59'
Cabañas 50', 76'

11 de junho de 1986
12:00
Flag of Mexico.svg México 1–0 Flag of Iraq (1963-1991); Flag of Syria (1963-1972).svg Iraque Estádio Azteca, Cidade do México
Ref: Petrović (Iugoslávia)
Público: 103,000

Quirarte 54'  

Grupo C[editar | editar código-fonte]

Time Pts J V E D GF GC SG
Flag of the Soviet Union.svg União Soviética 5 3 2 1 0 9 1 8
Bandeira da França França 5 3 2 1 0 5 1 4
Flag of Hungary.svg Hungria 2 3 1 0 2 2 9 -7
Flag of Canada.svg Canadá 0 3 0 0 3 0 5 -5
1 de junho de 1986
16:00
Bandeira da França França 1–0 Flag of Canada.svg Canadá Estádio Nou Camp, León
Árbitro: Silva (Chile)
Público: 36,000

Jean-Pierre Papin 79'  

2 de junho de 1986
12:00
Flag of the Soviet Union.svg União Soviética 6–0 Flag of Hungary.svg Hungria Estádio Sergio León Chavez, Irapuato
Ref: Agnolin (Itália)
Árbitro: 16,500

Pavel Yakovenko 2'
Sergey Aleynikov 4'
Igor Belanov 24' pen
Ivan Yaremchuk 66', 75'
Sergey Rodionov 80'
 

5 de junho de 1986
12:00
Bandeira da França França 1–1 Flag of the Soviet Union.svg União Soviética Estadio Nou Camp, León
Árbitro: Arppi Filho (Brasil)
Público: 36,500

Luis Fernández 60' Vasilly Rats 53'

6 de junho de 1986
12:00
Flag of Canada.svg Canadá 0–2 Flag of Hungary.svg Hungria Estádio Sergio León Chavez, Irapuato
Árbitro: Al-Sharif (Síria)
Público: 14,000

  Márton Esterházy 2'
Lajos Détári 75'

9 de junho de 1986
12:00
Bandeira da França França 3–0 Flag of Hungary.svg Hungria Estádio Nou Camp, León
Árbitro: Valente (Portugal)
Público: 31,000

Yannick Stopyra 29'
Jean Tigana 62'
Dominique Rocheteau 84'
 

9 de junho de 1986
12:00
Flag of Canada.svg Canadá 0–2 Flag of the Soviet Union.svg União Soviética Estádio Sergio León Chavez, Irapuato
Árbitro: Traoré (Mali)
Público: 14,200

  Oleg Blokhin 58'
Aleksandr Zavarov 74'

Grupo D[editar | editar código-fonte]

Time Pts J V E D GF GC SG
Brasil Brasil 6 3 3 0 0 5 0 5
Flag of Spain.svg Espanha 4 3 2 0 1 5 2 3
Bandeira da Irlanda do Norte Irlanda do Norte 1 3 0 1 2 2 6 -4
Argélia Argélia 1 3 0 1 2 1 5 -4
1 de junho de 1986
12:00
Brasil Brasil 1–0 Flag of Spain.svg Espanha Estádio Jalisco, Guadalajara
Árbitro: Bambridge (Austrália)
Público: 65,000

Sócrates 62'  

3 de junho de 1986
12:00
Flag of Algeria.svg Argélia 1–1 Bandeira da Irlanda do Norte Irlanda do Norte Estádio Tres de Marzo, Guadalajara
Ref: Butenko (União Soviética)
Attendance: 22,000

Djamel Zidane 59' Norman Whiteside 6'

6 de junho de 1986
12:00
Brasil Brasil 1–0 Flag of Algeria.svg Argélia Estádio Jalisco, Guadalajara
Ref: Méndez (Guatemala)
Público: 48,000

Careca 66'  

7 de junho de 1986
12:00
Flag of Spain.svg Espanha 2–1 Bandeira da Irlanda do Norte Irlanda do Norte Estádio Tres de Marzo, Guadalajara
Árbitro: Brummeier (Áustria)
Público: 28,000

Emilio Butragueño 1'
Julio Salinas 18'
Colin Clarke 46'

12 de junho de 1986
12:00
Brasil Brasil 3–0 Bandeira da Irlanda do Norte Irlanda do Norte Estádio Jalisco, Guadalajara
Árbitro: Kirschen (Alemanha Oriental)
Público: 51,000

Careca 15', 87'
Josimar 42'
 

12 de junho de 1986
12:00
Flag of Spain.svg Espanha 3–0 Flag of Algeria.svg Argélia Estádio Tecnológico, Monterrey
Árbitro: Takada (Japão)
Público: 20,000

Calderé 15', 68'
Eloy Olaya 70'
 

Grupo E[editar | editar código-fonte]

Time Pts J V E D GF GC SG
Flag of Denmark.svg Dinamarca 6 3 3 0 0 9 1 8
Alemanha Alemanha Ocidental 3 3 1 1 1 3 4 -1
Flag of Uruguay.svg Uruguai 2 3 0 2 1 2 7 -5
Flag of Scotland.svg Escócia 1 3 0 1 2 1 3 -2
4 de junho de 1986
12:00
Alemanha Alemanha Ocidental 1–1 Flag of Uruguay.svg Uruguai Estádio La Corregidora, Quéretaro
Árbitro: Christov (Tchecoslováquia)
Público: 30,000

Allofs 84' Alzamendi 4'

4 de junho de 1986
16:00
Flag of Scotland.svg Escócia 0–1 Flag of Denmark.svg Dinamarca Estádio Neza 86, Nezahualcóyotl
Árbitro: Nemeth (Hungria)
Público: 18,000

  Elkjær Larsen 57'

8 de junho de 1986
12:00
Alemanha Alemanha Ocidental 2–1 Flag of Scotland.svg Escócia Estadio La Corregidora, Querétaro
Árbitro: Igna (Romênia)
Público: 30,000

Völler 23'
Allofs 49'
Strachan 18'

8 de junho de 1986
16:00
Flag of Uruguay.svg Uruguai 1–6 Flag of Denmark.svg Dinamarca Estádio Neza 86, Nezahualcóyotl
Árbitro: Ramírez (México)
Público: 26,000

Francescoli 45' pen Elkjær Larsen 11', 67', 80'
Lerby 41'
Laudrup 52'
J. Olsen 88'

13 de junho de 1986
12:00
Alemanha Alemanha Ocidental 0–2 Flag of Denmark.svg Dinamarca Estádio La Corregidora, Querétaro
Árbitro: Ponnet (Bélgica)
Público: 36,000

  J. Olsen 43' pen
Eriksen 62'

13 de junho de 1986
12:00
Flag of Uruguay.svg Uruguai 0–0 Flag of Scotland.svg Escócia Estádio Neza 86, Nezahualcóyotl
Árbitro: Quiniou (França)
Público: 20,000

   

Grupo F[editar | editar código-fonte]

Time Pts J V E D GF GC SG
Marrocos Marrocos 4 3 1 2 0 3 1 2
Flag of England.svg Inglaterra 3 3 1 1 1 3 1 2
Flag of Poland.svg Polónia 3 3 1 1 1 1 3 -2
Flag of Portugal.svg Portugal 2 3 1 0 2 2 4 -2
2 de junho de 1986
16:00
Flag of Poland.svg Polónia 0–0 Flag of Morocco.svg Marrocos Estádio Universitário, Monterrey
Árbitro: Bazan (Uruguai)
Público: 19,000

   

3 de junho de 1986
16:00
Flag of Portugal.svg Portugal 1–0 Flag of England.svg Inglaterra Estádio Tecnológico, Monterrey
Ref: Roth (Alemanha Ocidental)
Público: 23,000

Carlos Manuel 76'  

6 de junho de 1986
16:00
Flag of Morocco.svg Marrocos 0–0 Flag of England.svg Inglaterra Estádio Tecnológico, Monterrey
Árbitro: González (Paraguai)
Público: 20,000

   

7 de junho de 1986
16:00
Flag of Poland.svg Polónia 1–0 Flag of Portugal.svg Portugal Estádio Universitário, Monterrey
Árbitro: Bin Nasser (Tunísia)
Público: 20,000

Smolarek 68'  

11 de junho de 1986
16:00
Flag of Poland.svg Polónia 0–3 Flag of England.svg Inglaterra Estádio Tecnológico, Monterrey
Árbitro: Daina (Suíça)
Público: 23,000

  Lineker 9', 14', 34'

11 de junho de 1986
16:00
Flag of Morocco.svg Marrocos 3–1 Flag of Portugal.svg Portugal Estádio Jalisco, Guadalajara
Árbitro: Snoddy (Irlanda do Norte)
Público: 24,000

Khairi 19', 26'
Merry Krimau 62'
Diamantino 80'

Fase final[editar | editar código-fonte]

Oitavas-de-final Quartas-de-final Semifinais Final
                           
16 de junho – Puebla            
 Flag of Argentina.svg Argentina  1
22 de junho – Cidade do México
 Flag of Uruguay.svg Uruguai  0  
 Flag of Argentina.svg Argentina  2
18 de junho – Cidade do México
   Flag of England.svg Inglaterra  1  
 Flag of England.svg Inglaterra  3
25 de junho – Cidade do México
 Flag of Paraguay.svg Paraguai  0  
 Flag of Argentina.svg Argentina  2
18 de junho – Querétano
   Flag of Belgium (civil).svg Bélgica  0  
 Flag of Denmark.svg Dinamarca  1
22 de junho – Puebla
 Flag of Spain.svg Espanha  5  
 Flag of Spain.svg Espanha  1 (4)
15 de junho – León
   Flag of Belgium (civil).svg Bélgica (pen)  1 (5)  
 Flag of the Soviet Union.svg União Soviética  3
29 de junho – Cidade do México
 Flag of Belgium (civil).svg Bélgica (pro)  4  
 Flag of Argentina.svg Argentina  3
16 de junho – Guadalajara
   Alemanha Alemanha Ocidental  2
 Brasil Brasil  4
21 de junho – Guadalajara
 Flag of Poland.svg Polónia  0  
 Brasil Brasil  1 (3)
17 de junho – Cidade do México
   Bandeira da França França (pen)  1 (4)  
 Flag of Italy.svg Itália  0
25 de junho – Guadalajara
 Bandeira da França França  2  
 Bandeira da França França  0
17 de junho – Monterrey
   Alemanha Alemanha Ocidental  2   Terceiro lugar
 Flag of Morocco.svg Marrocos  0
21 de junho – Monterrey 28 de junho – Puebla
 Alemanha Alemanha Ocidental  1  
 Alemanha Alemanha Ocidental (pen)  0 (4)  Flag of Belgium (civil).svg Bélgica  2
15 de junho – Cidade do México
   Flag of Mexico.svg México  0 (1)    Bandeira da França França (pro)  4
 Flag of Mexico.svg México  2
 Flag of Bulgaria.svg Bulgária  0  

Oitavas-de-Final[editar | editar código-fonte]

15 de junho de 1986
12:00
Flag of Mexico.svg México 2–0 Flag of Bulgaria.svg Bulgária Estádio Azteca, Cidade do México
Árbitro: Arppi Filho (Brasil)
Público: 114,000

Negrete 34'
Servín 61'
 

15 de junho de 1986
16:00
Flag of the Soviet Union.svg União Soviética 3–4 (Prorrogação) Flag of Belgium (civil).svg Bélgica Estádio Nou Camp, León
Árbitro: Fredriksson (Suécia)
Público: 32,300

Bilanov 27, 70, 111' (pen) Scifo 56'
Ceulemans 77'
Demol 102'
Claesen 110'

16 de junho de 1986
12:00
Brasil Brasil 4–0 Flag of Poland.svg Polónia Estádio Jalisco, Guadalajara
Árbitro: Roth (Alemanha Ocidental)
Público: 45,000

Sócrates 30' (pen)
Josimar 55'
Edinho 79'
Careca 83' pen
 

16 de junho de 1986
16:00
Flag of Argentina.svg Argentina 1–0 Flag of Uruguay.svg Uruguai Estádio Cuauhtémoc, Puebla
Árbitro: Agnolin (Itália)
Público: 26,000

Pasculli 42'  

17 de junho de 1986
12:00
Bandeira da França França 2–0 Flag of Italy.svg Itália Estádio Olímpico Universitário, Cidade do México
Árbitro: Espósito (Argentina)
Público: 70,000

Platini 15'
Stopyra 57'
 

17 de junho de 1986
16:00
Flag of Morocco.svg Marrocos 0–1 Alemanha Alemanha Ocidental Estádio Universitário, Monterrey
Árbitro: Petrović (Iugoslávia)
Público: 19,000

  Matthäus 87'

18 de junho de 1986
12:00
Flag of England.svg Inglaterra 3–0 Flag of Paraguay.svg Paraguai Estádio Azteca, Cidade do México
Árbitro: Al Sharif (Síria)
Público: 99,000

Lineker 31', 73'
Beardsley 56'
 

18 de junho de 1986
16:00
Flag of Denmark.svg Dinamarca 1–5 Flag of Spain.svg Espanha Estadio La Corregidora, Querétaro
Árbitro: Keizer (Países Baixos)
Público: 38,500

J. Olsen 33' pen Butragueño 43', 56', 80', 88' (pen)
Goikoetxea 68' pen

Quartas-de-Final[editar | editar código-fonte]

21 de junho de 1986
12:00
Crystal Clear app kworldclock.png Histórico
Brasil Brasil 1–1 (Prorrogação)
(3–4 Disputa por pênaltis)
Bandeira da França França Estadio Jalisco, Guadalajara
Árbitro: Igna (Romênia)
Público: 65,000

Careca 17' Platini 40'
    Penalidades  
Sócrates: Bats defendeu
Alemão: marcou
Zico: marcou
Branco: marcou
Júlio César: chutou na trave
3–4 Stopyra: marcou
Amoros: marcou
Bellone: marcou
Platini: chutou para fora
Fernández: marcou
 

21 de junho de 1986
16:00
Flag of Mexico.svg México 0–0 (Prorrogação)
(1–4 Disputa por pênaltis)
Alemanha Alemanha Ocidental Estádio Universitário, Monterrey
Árbitro: Díaz (Colômbia)
Público: 44,000

   
    Penalidades  
Negrete: marcou
Quirarte: Schumacher defendeu
Servín: Schumacher defendeu
1–4 Allofs: marcou
Brehme: marcou
Matthäus: marcou
Littbarski: marcou
 

22 de junho de 1986
12:00
Flag of Argentina.svg Argentina 2–1 Flag of England.svg Inglaterra Estádio Azteca, Cidade do México
Árbitro: Bin Nasser (Tunísia)
Público: 115,000

Maradona 51', 55' Lineker 81'

Nesta partida Diego Maradona marcou os famosos gols La Mano de Dios e aquele que ficou conhecido como O Gol do Século, onde ele dribla 6 jogadores ingleses até tocar a bola para o gol vazio.


22 de junho de 1986
16:00
Flag of Belgium (civil).svg Bélgica 1–1 (Prorrogação)
(5–4) (Disputa por pênaltis)
Flag of Spain.svg Espanha Estádio Cuauhtémoc, Puebla
Ref: Kirschen (Alemanha Oriental)
Público: 45,000

Ceulemans 35' Señor 85'
    Penalidades  
Claesen: marcou
Scifo: marcou
Broos: marcou
Vervoort: marcou
van der Elst: marcou
5–4 Señor: marcou
Eloy: Pfaff defendeu
Chendo: marcou
Butragueño: marcou
Víctor: marcou
 

Semifinais[editar | editar código-fonte]

25 de junho de 1986
12:00
Alemanha Alemanha Ocidental 2–0 Bandeira da França França Estádio Jalisco, Guadalajara
Árbitro: Agnolin (Itália)
Público: 50,000

Brehme 9'
Völler 89'
 

25 de junho de 1986
16:00
Flag of Argentina.svg Argentina 2–0 Flag of Belgium (civil).svg Bélgica Estádio Azteca, Cidade do México
Árbitro: Ramírez (México)
Público: 110,000

Maradona 51', 63'  

Disputa de 3º Lugar[editar | editar código-fonte]

28 de junho de 1986
12:00
Bandeira da França França 4–2 (Prorrogação) Flag of Belgium (civil).svg Bélgica Estádio Cuauhtémoc, Puebla
Árbitro: Courtney (Inglaterra)
Público: 21,000

Ferreri 27'
Papin 43'
Genghini 104'
Amoros 111' pen
Ceulemans 11'
Claesen 73'

Final[editar | editar código-fonte]

29 de junho de 1986
12:00
Flag of Argentina.svg Argentina 3–2 Alemanha Alemanha Ocidental Estádio Azteca, Cidade do México
Árbitro: Arppi Filho (Brasil)
Público: 114,600

Brown 23'
Valdano 55'
Burruchaga 83'
Rummenigge 74'
Völler 80'
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Argentina
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Alemanha Ocidental

Classificação final[editar | editar código-fonte]

Finalistas[editar | editar código-fonte]

Premiações[editar | editar código-fonte]

Campeã da Copa do Mundo FIFA de 1986
Argentina.
Argentina
Segundo Título

Individuais[editar | editar código-fonte]

Bola de Ouro Bola de Prata Bola de Bronze Prêmio Yashin
Argentina Diego Maradona Alemanha Harald Schumacher Dinamarca Preben Elkjær Larsen Alemanha Harald Schumacher

Artilharia[editar | editar código-fonte]

Chuteira de Ouro Chuteira de Prata Chuteira de Bronze FIFA Prêmio Fair Play
Inglaterra Gary Lineker Argentina Diego Maradona
Brasil Careca
Espanha Emilio Butragueño
Argentina Jorge Valdano
Dinamarca Preben Elkjær Larsen
Itália Alessandro Altobelli
União das Repúblicas Socialistas Soviéticas Igor Belanov
 Brasil

Grupos[editar | editar código-fonte]

Grupo A[editar | editar código-fonte]

Grupo B[editar | editar código-fonte]

Grupo C[editar | editar código-fonte]

Grupo D[editar | editar código-fonte]

Grupo E[editar | editar código-fonte]

Grupo F[editar | editar código-fonte]

Artilharia[editar | editar código-fonte]

6 gols[2]
5 gols
4 gols
3 gols

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

--igordebraga 12h55min de 22 de março de 2014 (UTC)