Bom Dia São Paulo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita fontes fiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde maio de 2013). Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Bom Dia São Paulo
Atual logotipo do telejornal, exibido pela primeira vez em 6 de maio de 2013
Informação geral
Formato Telejornal
Duração 75 minutos
Criador(es) Central Globo de Jornalismo
País de origem  Brasil
Idioma original (em português)
Produção
Diretor(es) Ali Kamel(DGJE)
Silvia Faria(CGJ)
Cristina Piasentini(local)
Apresentador(es) Rodrigo Bocardi
Glória Vanique (eventualmente)
Monalisa Perrone (eventualmente) Flávia Freire (eventualmente)
Elenco Maurício Noriega e Natalie Gedra (Esporte)
Maria Júlia Coutinho(Previsão do tempo)
Glória Vanique (Radar SP)
Izabella Camargo (Radar SP) (eventualmente)
Ananda Apple (Quadro Verde)
Tema de abertura instrumental
Tema de
encerramento
instrumental
Exibição
Emissora de
televisão original
Brasil TV Globo São Paulo (Globo)
Formato de exibição 480i (SDTV) 16:9 (HD)
Transmissão original 18 de abril de 1977 - presente
Cronologia
Programas relacionados Bom Dia Brasil

Bom Dia São Paulo[1] é um telejornal brasileiro local transmitido pela TV Globo de São Paulo ancorado pelo jornalista Rodrigo Bocardi.[2] O programa conta com comentários esportivos de Maurício Noriega e Natalie Gedra, previsão do tempo com Eliana Marques, Radar SP com Glória Vanique e o Quadro Verde, às Sextas-Feiras, com Ananda Apple [3]

Formato[editar | editar código-fonte]

O telejornal traz as primeiras notícias do estado nas manhãs, com informações sobre os fatos mais importantes do dia, entrevistas, acontecimentos , previsão do tempo, situação do trânsito em sua capital e nas principais rodovias e resultados da última rodada esportiva entre outras informações.

História[editar | editar código-fonte]

O Bom Dia São Paulo foi o primeiro a utilizar as Unidades Portáteis de Jornalismo. o que possibilitou a entrada ao vivo de repórteres em todo o estado. A experiência resultou na formação de uma rede de jornais locais ao amanhecer seguidos pelo Bom Dia Brasil, o primeiro telejornal de rede todos os dias.

Desde 1977 até os dias de hoje, passaram pelo Bom Dia São Paulo, vários apresentadores e pacotes gráficos (cenários e vinhetas).

Na década de 1990, foi o primeiro telejornal a ser apresentado fora do estúdio, para a comemoração do aniversário da cidade de São Paulo, direto do Parque do Ibirapuera.[4]

Em 12 de maio de 2008, o Bom Dia São Paulo estreou o estúdio panorâmico, localizado no último andar do Edifício Jornalista Roberto Marinho, em Vila Cordeiro. É possível visualizar ao fundo do telejornal a Ponte Estaiada, a Marginal Pinheiros e o Brooklin Novo.

Em 06 de maio de 2013, estreou o novo Bom Dia São Paulo, com novo pacote gráfico (vinheta) e um novo apresentador, Rodrigo Bocardi iniciando as 6h15.

Em 1° de dezembro de 2014, estreia a nova programação jornalística da Globo, com mais ampliação, informação, prestação de serviços, cultura, esporte e etc. Com a mudança,o Bom Dia São Paulo ganha mais 15 minutos passando a iniciar as 6h.

Histórico de Apresentadores[editar | editar código-fonte]

Apresentadores títulares[editar | editar código-fonte]

Apresentadoras eventuais[editar | editar código-fonte]

Versões locais[editar | editar código-fonte]

A TV Fronteira Paulista, a TV Diário e a TV Tribuna Santos, afiliadas da Rede Globo, produzem cada uma, uma versão local do Bom Dia São Paulo exibido de segunda a sexta.

Já as emissoras TV Vanguarda, TV TEM e EPTV fazem no espaço local das 7h15 o Bom Dia Vanguarda (TV Vanguarda), o Bom Dia Cidade (EPTV) e uma versão do Bom Dia Cidade (TV TEM) de segunda a sexta.

Audiência e repercussão[editar | editar código-fonte]

De segunda a sexta-feira, o telejornal é líder de audiência em toda a Região Metropolitana de São Paulo. A audiência média gira em torno de 7 pontos com 45% de participação, chegando a picos de 12 pontos. É mais assistido por pessoas de faixa etária entre 25 e 49 anos (44%), por mulheres (51%), e a maioria de seu público pertence à classe C (50%) contra 37% das classes A e B, e 13% das classes D e E.[5]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]