ccTLD

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Mapa mundial com todas as ccTLDs.

O domínio de topo de código de país[1] , ou country code top-level domain (ccTLD) em inglês, é o domínio de topo na Internet geralmente usado ou reservado para um país ou um território dependente.

Os identificadores ccTLD são de duas letras e todas os domínios de topo de duas letras são também ccTLDs. A criação e manutenção das ccTLDs são feitas pela Internet Assigned Numbers Authority (IANA), e com poucas exceções, os códigos corresponde ao códigos de país ISO 3166-1 alpha-2 mantido pela agência ISO 3166.

Delegação e manutenção[editar | editar código-fonte]

A IANA é responsável por determinar o correto código para cada ccTLD. A administração e controle do domínio é também delegado a essa entidade, que tem a responsabilidade para o policiamento e funcionamento do domínio. As atuais delegações podem ser vista na lista de ccTLDs da IANA. Cada ccTLDs pode ter diferentes exigências e taxa de registro de subdomínios. Podem haver exigências de presença física no país (como cidadania ou outra ligação com o país). Como exemplo, os domínios canadense (.ca) ou alemão (.de) exigem presença no país.

ISO 3166-1 e ccTLDs[editar | editar código-fonte]

ccTLDs dos países da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa
País ccTLD
 Angola

.ao

 Brasil

.br

Cabo Verde Cabo Verde

.cv

Guiné-Bissau

.gw

Macau

.mo

 Moçambique

.mz

 Portugal

.pt

 São Tomé e Príncipe

.st

Códigos ISO 3166-1 não usados como ccTLDs[editar | editar código-fonte]

O código EH, que teoricamente deveria ser um ccTLD para o Sahara Ocidental nunca foi criado e não existe no DNS. De modo semelhante, o código CS (Sérvia e Montenegro) nunca foi colocado para operação. (cs foi anteriormente usado para a Checoslováquia). TL (do pós-independente Timor-Leste), foi atualmente introduzido para substituir o antigo TP.

Todos os outro códigos atuais da ISO 3166-1 foram criados e existem na DNS. Entretanto, algum desses código são efetivamente não usados. Em particular, a ilha Bouvet (.bv), uma dependência da Noruega, e Svalbard e Jan Mayen (.sj) são códigos que não existem na DNS, mas nenhum subdomínios foram criados. Alguns territórios franceses, incluindo Saint-Pierre e Miquelon (.pm), ainda estão esperando a autorização da AFNIC francesa para registro.

Apenas um único subdomínio é ainda registrado no .gb (ISO 3166-1 para o Reino Unido) e não se aceitam mais registros nesse código. Sites no Reino Unido geralmente usam o código .uk (veja abaixo).

ccTLDs que não estão no ISO 3166-1[editar | editar código-fonte]

Seis ccTLDs são atualmente usados e não estão no código de duas letras do ISO 3166-1. Alguns deles estão no antigo código ISO 3166-1 (agora listado como ISO 3166-3).

  • uk (Reino Unido): O código ISO 3166-1 para o Reino Unido é GB, entretanto o JANET network foi quem selecionou o uk como código de topo, com a intenção de ser transitório, mas isso nunca aconteceu e o uso do uk é atualmente proibido.
  • su (O antigo código ISO 3166 para a União Soviética): Atribuído ainda enquanto a União Soviética existia e o SU era atribuído ao seu código ISO 3166. Os responsáveis pelo su declararam em 2001 que começariam a aceitar novos registros nesse código, mas não está claro se essa ação é compatível com a política da ICANN
  • ac (Ilha Ascensão): Esse código é um vestígio da decisão dada pela IANA para permitir a utilização de códigos reservados pela União Postal Universal. A decisão foi posteriormente revertida. (Existem outras ccTLDs gg (Guernsey), im (Ilha de Man) and je (Jersey) que também estão nessa desde 1996 até que eles receberam seus correspondentes códigos ISO 3166 em Março de 2006.
  • eu (União Europeia): Em 25 de setembro de 2000, a ICANN decidiu alocar o uso de qualquer código reservado de duas letras do ISO3166-1 que é reservado para qualquer propósito. Atualmente apenas o EU está nesse critério. Seguindo a decisão dada pelo Conselho do Ministério de Telecomunicação da União Europeia em março de 2002, o registro de domínio foi escolhido pela Comissão Europeia, e os critérios para a alocação: ICANN aprovou o eu como um ccTLD, e o abriu para registros em 7 de dezembro de 2005 para os sites de maiores importâncias. Desde 7 de Abril de 2006, os registros estão abertos para todos.
  • tp (O antigo código ISO 3166-1 para o Timor-Leste): Foi desativado em favor do código tl durante 2005.
  • yu (o antigo código ISO 3166-1 para Sérvia e Montenegro, quanto ela ainda era conhecida como Iugoslávia): Foi desativado em favor do código rs e me e estará em uso até o final de 2009.

ccTLDs históricas[editar | editar código-fonte]

Existem duas ccTLDs que foram eliminadas depois que o correspondente código de duas letras foram retiradas do ISO 3166-1:cs (para a Checoslováquia) e zr (para o Zaire). Também existiram ccTLD para a Alemanha Oriental, dd, que nunca foram usadas. Também existe um grande atraso entre a exclusão do código da ISO 3166-1 e a remoção do DNS, por exemplo, ZR foi excluído dos códigos ISO 3166-1 em 1997, mas o ccTLD zr não foi eliminado até 2001. Outras ccTLDs correspondente ao obsoleto código ISO 3166-1 ainda não foram eliminados; em alguns casos elas nunca serão em vista que podem são ccTLDs muito usadas. Em particular, a da União Soviética, su ainda está em uso há mais de uma década, desde que SU foi removido da ISO 3166-1.

Usos não convencional das ccTLD[editar | editar código-fonte]

Com o uso da criatividade e por não haver certas restrições em algumas ccTLDs, resultaram em nomes como I.am, tip.it, start.at e go.to. Outras variações de ccTLDs usadas com os domínios de segundo nível são conhecidas como domain hacks, e podem formar alguma palavra ou um título. Isso resulta em domínios como blo.gs da Ilhas Geórgia do Sul e Sandwich do Sul (gs), del.icio.us dos Estados Unidos da América (us), e cr.yp.to de Tonga (to). Códigos que não são TLDs de países são também usados, como inter.net que usa o gTLD .net, provavelmente o primeiro domain hack criado.

Outras formas de domain hack das ccTLDs é feita para captar erros de digitação. O domínio .co da Colômbia tem gerado bastante interesse desde que se descobriu que muitas pessoas esquecem de escrever o "m" para sites com o domínio .com, ou similarmente o domínio .cm de Camarões com o esquecimento do "o".

Essa forma podem gerar bastante dinheiro para ccTLDs de países, sem que os sites sejam usadas no próprio país. O caso mais famoso foi de Tuvalu que o código é .tv, onde aumentou 50% do PIB desse país, apenas por causa do código ser similar a abreviação de Televisão.

ccTLDs de Domains hack[editar | editar código-fonte]

Domains Hack são o uso de ccTLDs que são usados para vários propósitos, a maioria não se relaciona com o próprio país, por causa do seu nome.

Por exemplo:

  • ad é o ccTLD para Andorra, mas é recentemente usado por agências de propaganda.
  • ag é o ccTLD para Antígua e Barbuda e é algumas vezes usado para sites de agricultura. em Alemão, AG (abreviação para Aktiengesellschaft) que é o nome de uma empresa stock-based, similar ao Inc. nos USA.
  • am é o ccTLD para Armênia, mas é também usado para estações de Rádio AM.
  • as é o ccTLD para Samoa Americana. Na Dinamarca e na Noruega, AS é também o nome para empresas stock-based, similar ao Inc. nos USA.
  • be é o ccTLD para Bélgica. Amplamente utilizado pelos pequenos sites búlgaro, pois é mais barato que a ccTLD bg.
  • cc é o ccTLD para Ilhas Cocos mas é usado para uma grande variedade de sites.
  • cd é o ccTLD para República Democrática do Congo mas é também usado pelo mercado de CD e sites de troca de arquivos.
  • dj é o ccTLD para Djibouti mas é também usado para o mercado de CD e dos disc jockeys.
  • fm é o ccTLD para os Estados Federados da Micronésia mas é também usado para estações de rádios FM.
  • gg é o ccTLD para Guernsey, mas é também usado pela indústria de jogos de aposta, especialmente nas apostas de corrida de cavalos, pois se refere a cavalos gee-gee.
  • im é o ccTLD para Ilha de Man mas é também usado por programas de mensagens intantâneas e serviços.
  • in é o ccTLD para Índia mas é também usado para a indústria da internet.
  • je é o ccTLD para Jersey mas também é usado como diminutivo em Holandês (ex: "huis.je), como "você" ("zoek.je"), ou como Eu em Francês (ex: "moi.je").
  • la é o ccTLD para Laos mas é também usado como TLD para Los Angeles.
  • li é o ccTLD para Liechtenstein mas é também usado como TLD para Long Island.
  • md é o ccTLD para Moldávia, mas também é comercializado exclusivamente para a indústria médica (como "medical domain" (site médico) ou "Medical doctor").
  • mu é o ccTLD para Maurícia, mas também é usado pela indústria da música.
  • nu é o ccTLD para Niue mas também é usado como "new" (novo) em inglês e "now" (agora) em holandês. E também significa "nú" em Francês e Português.
  • sc é o ccTLD para Seychellesmas também é usado como .Source.
  • tv é o ccTLD para Tuvalu mas é também usada pela indústria da televisão ou do entretenimento.
  • ws é o ccTLD para Samoa também é usada como .Website
  • vu é o ccTLD para Vanuatu e significa "ver" em Francês.

Referências

  1. Tipos de Domínios. domínios.pt. Página visitada em 4 de maio de 2010.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]