Ragnarök Online

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Classes de Ragnarok Online)
Ir para: navegação, pesquisa
Ragnarök Online
Produtora Gravity Corp.
Motor AEGIS e Granny 3D
Plataforma(s) PC (Windows)
Data(s) de lançamento Coreia do Sul 31 de Agosto de 2002
República da China Outubro de 2002
Japão 1 de Dezembro de 2002
Tailândia Março de 2003
República Popular da China 20 de Maio de 2003
Estados UnidosCanadá 1 de Junho de 2003
Filipinas Setembro de 2003
Indonésia Outubro de 2003
Índia Abril de 2004
SingapuraMalásia Abril de 2004
Brasil Setembro de 2004
AustráliaNova Zelândia Dezembro de 2004
Espanha Abril de 2006
França Junho de 2007
Gênero(s) MMORPG
Modos de jogo Online
Classificação Inadequado para menores de 13 anos i ESRB (América do Norte)
Inadequado para menores de 12 anos i DEJUS (Brasil)
Inadequado para menores de 12 anos i CERO (Japão)
Inadequado para menores de 12 anos i PEGI (Europa)
Média CD/Download (Cerca de 1,6 GB)
Requisitos mínimos Intel Pentium 400 MHz ou CPU equivalente; RAM de 128MB; Conexão de Internet; DirectX 8; Placa de Vídeo de 8MB; Placa de som; Espaço mínimo em disco de 1,6GB

Ragnarök Online (Coreano: 라그나로크 온라인) é um MMORPG desenvolvido pela empresa sul-coreana Gravity Corp.. Os cenários, mitos e lendas do jogo, foram baseados, inicialmente, no manhwa Ragnarök de Lee Myung-Jin.

Ragnarök Online foi o primeiro jogo online Coreano a ser exportado com sucesso a outros países. No Brasil, foi o primeiro MMORPG traduzido oficialmente para a língua portuguesa, rodado em servidores nacionais, com planos de pagamento em Real.[1] Estima-se que possua mais de 25 milhões de assinantes no mundo todo.[2] [3]

Interface[editar | editar código-fonte]

O jogo mistura gráficos com personagens bidimensionais (sprites) com cenários em tridimensionais (3D). Para movimentar o personagem e conversar com NPCs utiliza-se o mouse, enquanto o teclado é usado para execução de habilidades (de acordo com os atalhos, que podem ser modificados) e para comunicação com outros jogadores. É possível visualizar o nome, a guild e a party de um personagem ao passar o ponteiro do mouse sobre ele.

A tela de jogo apresenta uma "janela principal" composta de um menu com o desenvolvimento, o nome do personagem, sua classe, o HP, o SP, o peso em itens e o dinheiro do personagem. Existe também uma barra de atalhos que representam as teclas do F1 ao F9, podendo ser expansível em até quatro linhas. O jogador pode configurar seus itens, equipamentos e suas habilidades que serão usadas nele. Também existe uma barra de chat, que permite o jogador se comunicar publicamente com outros personagens presentes no mesmo mapa, ou privadamente com qualquer outro jogador, com os membros da guild, da party, e amigos. É possível alterar o "tema" das janelas utilizando skins.[4]

Ao lado direito, são mostrados símbolos que indicam estado do personagem, como buffs ou status negativos. Ao passar o mouse no buff, é possível obter mais detalhes sobre e sua duração. Ao passar de nível de base ou classe, aparece um ícone no canto inferior esquerdo da tela, que funciona como atalho para suas respectivas janelas.

Também existe o Battle Mode ( Modo de Batalha) que permite o uso, além do F1 ao F9, o uso do teclado para utilizar as habilidades. Com a Renovação, é possível modificar as teclas de sua preferência.

Mecânica do jogo[editar | editar código-fonte]

Criação e customização do personagem[editar | editar código-fonte]

Ao criar um personagem é possível escolher um nome, e cor e estilo do cabelo. É possível alterar sua aparência utilizando equipamentos para a cabeça,como chapéus. Enquanto as "roupas" do personagem variam de classe para classe. O sexo do personagem é determinado ao criar a conta, e geralmente é o mesmo do usuário, devido à limitações técnicas e à política da Gravity.

Desenvolvimento do personagem[editar | editar código-fonte]

O desenvolvimento do personagem é avaliado de duas formas: o Base level (Nível de Base) e Job level (nível de classe). O primeiro, é fixo, e indica o nível do personagem; se inicia do nível 1, e tem como limite 150. Cada vez que um personagem passa de nível de base, ele recebe alguns pontos para distribuir livremente entre seus atributos. O segundo, nível de classe, indica o nível atual da profissão do personagem. Cada vez que o personagem passa de nível de classe, recebe um ponto para adquirir uma habilidade, ou um nível de habilidade. Esta possui diferentes limites, dependendo da classe.

Para subir os níveis de um personagem, o jogador deve adquirir EXP (pontos de experiência), que são recebidas, principalmente, ao derrotar monstros. Existem também quests, que ao serem completadas dão EXP ao jogador.

Sistema de classes[editar | editar código-fonte]

Classe Inicial
Aprendiz
Classe 1-1
Espadachim Mago Arqueiro Mercador Gatuno Noviço Taekwon
Classe 2-1
Cavaleiro Bruxo Caçador Ferreiro Mercenário Sacerdote Mestre Taekwon
Classe 2-2
Templário Sábio Bardo Odalisca Alquimista Arruaceiro Monge Espiritualista
Transclasse 2-1
Lorde Arquimago Atirador de Elite Mestre-Ferreiro Algoz Sumo-Sacerdote
Transclasse 2-2
Paladino Professor Menestrel Cigana Criador Desordeiro Mestre
Classe 3-1
Cavaleiro Rúnico Arcano Sentinela Mecânico Sicária Arcebispo
Classe 3-2
Guardião Real Feiticeiro Trovador Musa Bioquímico Renegado Shura


Classe Especial
Super Aprendiz
Evolução dos Super Aprendizes
Super Aprendiz Expandido


Classe Expandidas
Justiceiro Ninja
Classes 2-1 e 2-2 das Classes Expandidas
Rebellion Kagerou (Masculino) Oboro (Feminino)

Todo jogador começa como Aprendiz. Após atingir o nível 10 de classe, o Aprendiz poderá mudar para uma das classes iniciais ou ainda se tornar um Super Aprendiz após o nível 45 de base.

Ao nível 40 de classe (podendo chegar até o 50), o personagem de classe inicial poderá ter uma segunda classe. Após atingir o nível 99 de base e 50 de classe dessa segunda classe, o personagem pode optar para renascer, e se tornar uma Transclasse. Voltará ao nível 1/1 agora como aprendiz "T"("T" do significado "Transcendental"), e deverá refazer todo percurso de antes. Na Renovação, é possível uma classe 2-1 ou 2-2 virar 3-1 ou 3-2, mas é garantido benefícios e skills exclusivas fazendo o caminho mais longo, virando transcendental e depois uma terceira classe.

As classes expandidas Justiceiro e Ninja, tal como as classes Taekwon e Super Aprendiz, não podem transcender, ou seja, não podem ser superiores a sua classe. Porém, eles possuem evoluções especiais para que possam se equiparar as demais classes do jogo.

Sistema de habilidades[editar | editar código-fonte]

As habilidades de um personagem variam de classe para classe. São divididas em duas categorias: Passivas e Ativas sendo esse último dividido em duas subcategorias: Ofensivas e Suportes . As habilidades são divididas em vários níveis, que podem ser aumentados com o ganho de pontos ao subir o nível de classe. A habilidade só poderá ser usada após a inserção de pontos na mesma. Algumas habilidades necessitam de um determinado nível de outras para serem habilitadas.

Existem também habilidades fixas que podem ser adquiridas através de quests, e outras utilizando certos equipamentos, cartas, e itens consumíveis.

Equipamentos[editar | editar código-fonte]

Os equipamentos são divididos em dez categorias: cabeça (baixo, médio e alto), corpo, capa, mão esquerda, mão direita, sapatos, acessório esquerdo e acessório direito. E servem para aumentar os atributos de um personagem. Alguns equipamentos podem possuir um ou mais espaços que podem ser preenchidos com cartas que dão poderes especiais adicionais aos equipamentos. Alguns equipamentos também combam com outros, trazendos mais benefícios a determinado personagem.

Monstros[editar | editar código-fonte]

São NPCs que agem sob inteligência artificial, e são encontrados nos mais variados mapas do jogo. Podem, ou não, se locomover, assim como podem atacar o jogador sem que o mesmo o tenha provocado. Possuem também a capacidade de usar skills(Habilidades), e são divididos por várias raças, formas e níveis.

Existem também, em alguns mapas, os "chefes" popularmente chamados de "boss" ou "MVP". Os monstros desse tipo são mais fortes e qualquer jogador pode atacá-lo. Quando o mesmo é derrotado, os prêmios pela conquista são distribuidos aos jogadores que infligiram maior índice de dano sobre ele. Geralmente, esses chefes vem acompanhados por outros monstros.

Sistema de cartas[editar | editar código-fonte]

Em Ragnarok Online, quase todos os monstros podem oferecer cartas - com sua respectiva imagem nela. O uso das cartas é restrito a ser preenchido nos equipamentos com espaço para fixar-la. Cartas adicionadas nos equipamentos ganham diversos bônus, como mudar a propriedade elemental do jogador, de seu ataque físico ou conceder habilidades exclusivas de outras classes à qualquer uma (embora com um nivel inferior do máximo). Também existem combos de cartas, que dão um certos bônus. A chance de obtê-las é baixo, sendo um item raro.

Atributos[editar | editar código-fonte]

Ao passar um nível de base, o jogador recebe pontos para serem distribuídos livremente entre seus atributos. Quanto mais pontos forem investidos em determinado atributo, mais pontos serão necessários para que se possa elevar o mesmo. Atributos influenciam diretamente no desempenho do personagem, e uma vez aumentados, não podem ser diminuídos novamente, até que o personagem vire uma transclasse, quando seus atributos são automaticamente "resetados". O limite para colocar é 120, além dos bônus dos equipamentos, contados separadamente.

Grupos[editar | editar código-fonte]

São equipes que podem ser criadas e desfeitas a qualquer hora, desde que o personagem tenha as habilidades necessárias. Possuem o limite de 12 membros. Os membros de uma party podem dividir itens e EXP entre eles (desde que a diferença entre níveis dos mesmos não ultrapasse 15), assim como podem ver quantidade de HP de seus aliados. O "líder" da Party é o único que possui o direito de convidar, transferir a liderança, expulsar membros e configurar a party, como drops divididos entre os membros. Personagens não podem participar de mais de um grupo ao mesmo tempo, e os personagens de uma mesma conta não podem participar da mesma party.

Guildas[editar | editar código-fonte]

Com o uso de um item especial chamado "Emperium", um jogador pode criar, através de um comando, uma "guilda". Pode-se escolher um nome - que não poderá ser mudado posteriormente - e um emblema (feito pelos próprios jogadores ou encontrado em sites), que pode ser mudado a qualquer hora. O criador da guild é chamado de "Guildmaster", e pode recrutar mais membros para a mesma. O Guildmaster pode dar diferentes autorizações para os membros, como recrutar, ou expulsar os demais jogadores. Existe também hierarquias, que podem ser modificadas.

Guildas também possuem diferentes habilidades, que são ganhas ao subir de níveis, com o recebimento de EXP doado pelos membros. Somente o Guildmaster pode usar essas habilidades. Algumas como "Seal of Aproval", permite que a Guild possa conquistar um castelo na "War of Emperium". Um Guildmaster também pode configurar quais Guilds são suas aliadas ou inimigas.

Player versus Player (PvP)[editar | editar código-fonte]

É uma modalidade de jogo no qual personagens de nível maior que 31 podem batalhar contra outros. Ocorrem em "réplicas" de algumas cidades (não possuindo NPCs ou portais), e pode ser jogado de duas formas: na primeira (YoYo), personagens não são penalizados ao morrerem; enquanto na segunda (Nightmare), há uma chance de que os equipamentos do personagem derrotado sejam derrubados. Em alguns servidores ou determinados eventos, é possível que áreas normais tenham o PvP habilitado.

Sistema de Sieges[editar | editar código-fonte]

War of Emperium (WoE, Guerra do Emperium), é um evento que ocorre duas vezes na semana dentro do jogo. Só pode ser praticada por clãs com a habilidade "Autorização Oficial". Possui duas horas de duração, e tem como objetivo conquistar um ou mais dos 30 castelos do jogo, distribuídos em 6 feudos: Feudo das Valquírias (Prontera), Bosque Celestial (Payon), Feudo de Luina (Al de Baran), Feudo de Britoniah (Geffen), Feudo de Nithafjoll(Juno) e Feudo de Valfreyja(Veins). Estes clãs podem defender ou atacar um castelo, podendo adotar diversas estratégias. Para se conquistar um castelo, deve-se chegar à sala do "Emperium" e destruir-lo. O Emperium nada mais é do que uma pedra dourada, que representa o 'coração' da fortaleza da guild dominante. Uma vez destruído, todas as pessoas que não são do clã e suas alianças são movidas para fora do castelo para que a guild possa armar sua defesa.

Ao investir dinheiro no castelo, o líder da guild pode receber itens raros. Os membros dessa mesma guilda também poderão ter acesso a Guild Dungeon (GD) - uma área especial para guilds com um ou mais castelos em posse. A Guild Dungeon possui diversos monstros que garantirão a EXP dos membros da guilda. Cada feudo possui uma Guild Dungeon diferente, e todas as guilds que dominaram um castelo em um determinado feudo podem acessar a GD do mesmo, onde o sistema PvP é liberado.

Também existem os chamados Itens Divinos, equipamentos que dão atributos anormais comparados com outros equipamentos e são bastante cobiçados pelos players, divididos em 1.0 e 2.0. O primeiro exige que players comuns façam uma missão de selos. Cada selo, quando completado por 100 players, permite a criação do mesmo, com os itens, na maioria obtidos pelos baús do castelo. Os Itens Divinos 2.0 começam com uma missão com um grupo do clã. Esse clã deverá se submeter à vários desafios da missão em 1 hora e depois lutar contra uma Valquíria. Depois de se provar de poder carregar o Item Divino, deverá ter os itens para produzí-lo, obtidos nos baús.

Guerra do Emperium 1.0[editar | editar código-fonte]

Este primeiro estilo de WoE é caracterizado pelos vários portais para chegar até a sala onde está o emperium. Normalmente, a guild dominante faz o chamado "pré-cast", magias soltas no portal, aumentando a dificuldade de serem atacados. Os seus feudos são: Feudo das Valquírias, Bosque Celestial, Feudo de Luina e o Feudo de Britoniah, totalizando 20 castelos.

Guerra do Emperium 2.0[editar | editar código-fonte]

Esta modalidade de WoE é caracterizada pela falta de portais e portanto, "pré-cast". Os castelos também possuem mais proteções. Existem duas runas e 4 barricadas, sendo 1 das barricadas, sustentada pelas runas e é indestrutível, sendo apenas derrubando as runas para destruir as 3 barricadas em um caminho longo. Além disso, enquanto existir as runas, haverá um sistema automático que criará guardiões poderosos para ajudar na defesa. Os seus feudos são: Feudo de Nithafjoll e Feudo de Valfreyja, que dão num total de 10 castelos.

Renovação[editar | editar código-fonte]

Em 23 de Julho de 2010, a Level Up! lançou as inscrições para a Renovação (Renewal) Closed Beta, que seria um período de testes fechado, com 500 jogadores, onde irão experimentar a nova interface do jogo, as classes 3-1/3-2 e outras novidades. O Episódio Renovação também trará uma mecânica totalmente nova, para tentar se comparar a outros títulos de MMORPGs atuais.[5] Em 14 de Fevereiro de 2011, a Level Up! anunciou a implementação do Episódio, que durou 4 dias. Em 18 de Fevereiro de 2011, os servidores brasileiros já estavam liberados para acesso.

A Renovação trouxe várias novidades, incluindo:

  • 13 Classes Novas, As Classes 3, evolução das Classe 2. Um personagem pode virar Classe 3 com nível 99 de base e 50 de classe, sendo classe 2 ou transclasse. É prometido vantagens aos que fazerem o percurso mais demorado, de transclasse para classe 3.
  • Nível Máximo aumentou para 150.
  • É necessário agora menos experiência para evoluir.
  • Novas fórmulas de Defesa, Defesa Mágica, Ataque Físico e Mágico.
  • Armas, Armaduras e Chapéus exclusivos para as novas classes.
  • 11 Novas Cartas de Monstros.

Entre outros.

Modelos de Renovação[editar | editar código-fonte]

Existem dois modelos da Renovação, o Coreano e o Japonês. O Coreano em si traz todas as novidades da Renovação. Já o Japonês modificou alguns aspectos do modelo coreano, como a Experiência. Diferente do Coreano, onde a necessidade de obter uma grande quantidade de Experiência diminuiu, o modelo Japonês não modificou essa parte da Experiência.

No Brasil, o modelo que é seguido será o Coreano.

Geografia de Ragnarök Online[editar | editar código-fonte]

O jogo se passa em continente chamado Midgard. Este continente é dividido por três reinos: Ao sul, Rune-Midgard, o polo militar; composto pela capital Prontera, sua cidade-satélite Izlude, Geffen, Morroc, Payon, Alberta, Comodo, Lutie e Umbala. Ao norte fica localizado a República de Schwarzwald; o polo tecnológico do continente, composto por Yuno (a capital), Al de Baran, Einbroch, Einbech (cidade satélite), Lighthalzen e Hugel. Ao oeste fica localizado a Nação de Arunafeltz, um grande polo religioso; composto por Rachel (capital), Veins, e Ilha Esquecida. Existem também algumas cidadelas baseadas no antigo oriente, que não pertencem a nenhuma nação, e fazem parte do "Global Project": Amatsu, Kunlun, Louyang, Ayothaya , Moscovia e Brasilis e agora a nova cidade Dewata

Servidores[editar | editar código-fonte]

Ragnarok Online é distribuído oficialmente na Coréia do Sul, Estados Unidos, Canadá, Japão, China, Taiwan, Hong Kong, Indonésia, Filipinas, Brasil, Malásia, Cingapura, Rússia, Índia, Alemanha, Itália, Áustria, Turquia, Reino Unido, Suíça, França e Vietnã; com respectivos servidores para cada região.

Servidores privados[editar | editar código-fonte]

Existem ainda inúmeros servidores privados (também chamados de private servers ou "servidores piratas"), que geralmente oferecem itens customizados e outros elementos de diferenciação em relação aos servidores oficiais. Em parte, são servidores gratuitos, mas muitos possuem o sistema de "doações", no qual o jogador recebe recursos extras em troca de dinheiro real.

A execução de servidores privados, uma vez que utilizam emuladores de código livre (como eAthena, os brasileiros Cronus e brAthena) não são ilegais perante a lei brasileira (que não restringe a criação de produtos através de engenharia reversa). A ilegalidade na execução destes tipos de servidores dar-se-à mediante a utilização da marca registrada Ragnarök (de propriedade da Gravity Corporation) e, principalmente, na utilização do programa e dos gráficos deste mesmo jogo, que são de propriedade da Level Up! Interactive S/A em território brasileiro.

Antigamente, muitos jogadores procuravam os servidores privados por que a Level Up! cobrava uma taxa mensal, ou porque estes ofereciam algumas customizações às vezes interessantes. Porém, esta situação - embora fosse esperado o contrário - foi agravada com a criação do servidor Thor, da Level Up!. Os jogadores culpam-na de ter tirado parte da diversão do jogo - que era a de obter itens e zenys (moeda do jogo) com quests e monstros -, ao criar os ROPs, que podem ser comprados com dinheiro real e podem ser trocados por itens dentro do jogo, dando vantagem aos mais afortunados.

Planos de pagamento[editar | editar código-fonte]

Os servidores de Ragnarök Online em geral o sistema de mensalidades (pay-to-play), no qual o jogador compra créditos em horas, dias, ou meses para poder acessar o jogo. Em certos servidores também é possível a compra de itens por dinheiro real (item mall).

Algumas regiões possuem sub-servidores avulsos, que são gratuitos para se jogar (free-to-play), mas que ainda sim possuem um item mall. Neste, os itens disponíveis para compra, bem como as configurações do jogo são diferentes do normal.

No Ragnarök Online com sede no Brasil, temos três sub-servidores: Odin, Thor e Asgard. Odin é o servidor mais clássico de Ragnarök, sendo o resultado da fusão dos três primeiros servidores do jogo: Chaos, Loki e Iris, da época das mensalidades. Hoje em dia, ele é um servidor com características especiais: basta adquirir o Passe de Acesso, no valor de R$ 29,90, uma única vez para acessar o servidor.

Expansões[editar | editar código-fonte]

Em Ragnarök Online as grandes atualizações feitas nos jogo, são chamadas de Episódios. São geralmente feitas e testadas em seções de seis em seis meses no servidor de testes Sakray do kRO, antes de serem lançadas em servidores normais oficialmente. Estes Episódios normalmente trazem novas cidades, calabouços, monstros, equipamentos entre outros.

NPCs[editar | editar código-fonte]

Os NPCs(personagem não-jogável em português) são personagens que possuem diversas funções. Alguns vendem armamentos e armaduras. Outros, consumíveis. Alguns também permitem a participação em "Quests"(Missões), possuindo uma história nessas quests. Alguns desses NPCs são homenagens a jogadores famosos, como o NPC, Kaheny em Payon (Homenagem ao jogador Raul Alencar de Sena, que foi GM do bRO até 2009), e o NPC Dulaheny que é uma homenagem a Clarice Menezes que juntamente com Raul Alencar de Sena ajudaram na criação do bRO no Brasil.

Áudio[editar | editar código-fonte]

A trilha-sonora de Ragnarok Online é composta pelo grupo coreano soundTeMP, e atualmente conta com 125 faixas. As músicas misturam os mais variados estilos musicais, desde o techno ao clássico. Constantemente são lançados discos - tanto pela soundTeMP ou por outros grupos - com compilações de músicas do jogo. Algumas faixas são remixadas ou recebem vocais, e outras são inéditas no jogo.

Spin-offs[editar | editar código-fonte]

Ragnarök Battle OFFline (RBO)[editar | editar código-fonte]

Jogo para PC no estilo Beat 'em up, lançado em 2004 e desenvolvido pela empresa amadora japonesa FrenchBread, e mais tarde distribuída pela Gravity Corp.. O jogo possui várias expansões lançadas posteriormente, que acrescentam novos estágios ao mesmo.

Ragnarok Tactics Ragnarök Online[editar | editar código-fonte]

Outro jogo da série mobile, porém no gênero RPG/Tactics e com gráficos em 3D. Lançado em 1 de novembro de 2005, o jogador Fatal Error (EX: GM Kaheny) participou da produção do game após ganhar um concurso via website.

Ragnarök the Animation[editar | editar código-fonte]

Série de anime televisiva baseada em Ragnarök Online.

Ragnarök TCG[editar | editar código-fonte]

Card Game para PC jogado de forma Online, desenvolvido pela empresa japonesa Netmarble e publicado pela Gravity em 7 de Outubro de 2005.

Ragnarök the Animation: Typing Battle[editar | editar código-fonte]

Jogo eletrônico para PC do gênero Typing Game, desenvolvido pela empresa japonesa FrontierGroup, e lançado em 25 de Fevereiro de 2005, apenas no Japão. O jogo é baseado na série de animação, e possui uma sequência: Ragnarok the Animation: Typing Battle 2, lançado em 24 de Junho de 2005.

Ragnarok Online II: The Legend of the Second[editar | editar código-fonte]

Sequência direta de Ragnarok Online.

Ragnarök Online DS[editar | editar código-fonte]

RPG de Ação desenvolvido pela empresa japonesa GungHO para plataforma Nintendo DS, lançado em 18 de dezembro de 2008.[13]

Referências

  1. Ragnarok Online (PC) - Análise - UOL Jogos. jogos.uol.com.br. Página visitada em 16 de fevereiro de 2011.
  2. Sword of the New World: Granado Espada Q&A - PC Previews at GameSpot. www.gamespot.com. Página visitada em 16 de fevereiro de 2011.
  3. Jogos - "World of WarCraft" não é o maior RPG online da história - 12/12/2007 - Erratas. noticias.uol.com.br. Página visitada em 16 de fevereiro de 2011.
  4. 404 - File or directory not found.. www.playragnarok.com. Página visitada em 16 de fevereiro de 2011.
  5. gameLib - Estreou a Renovação em "Ragnarok"!. www.gamelib.com.br. Página visitada em 2 de Março de 2011.
  6. 모바일로 만나는 게임세상. www.mobilegravity.co.kr. Página visitada em 16 de fevereiro de 2011.
  7. 모바일로 만나는 게임세상. www.mobilegravity.co.kr. Página visitada em 16 de fevereiro de 2011.
  8. 모바일로 만나는 게임세상. www.mobilegravity.co.kr. Página visitada em 16 de fevereiro de 2011.
  9. 모바일로 만나는 게임세상. www.mobilegravity.co.kr. Página visitada em 16 de fevereiro de 2011.
  10. 모바일로 만나는 게임세상. www.mobilegravity.co.kr. Página visitada em 16 de fevereiro de 2011.
  11. 모바일로 만나는 게임세상. www.mobilegravity.co.kr. Página visitada em 16 de fevereiro de 2011.
  12. 모바일로 만나는 게임세상. www.mobilegravity.co.kr. Página visitada em 16 de fevereiro de 2011.
  13. "Ragnarök" terá versão para Nintendo DS - 04/07/2007 - DS - UOL Jogos. jogos.uol.com.br. Página visitada em 16 de fevereiro de 2011.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]