Gastrina

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

A gastrina é um hormônio peptídeo que estimula a secreção de ácido clorídrico (parte do suco gástrico) e estimular a motilidade do estômago. É secretado pela célula G no antro do estômago.[1] É também fundamental para o crescimento da mucosa gástrica e intestinal. O suco gástrico é composto por ácido clorídrico (HCl), renina e pepsinogênio-pepsina.

Síntese[editar | editar código-fonte]

É sintetizado como preprogastrina, clivado como progastrina e então sofre várias modificações pós-traducionais, em particular a sulfatação, até ser finalmente transformada no ácido 34-amino maduro (gastrina-34). Essa forma pode ser clivada em duas gastrinas-17 (17 amino).[1]

Estimulação[editar | editar código-fonte]

O principal fator que estimula sua produção é a elevação do PH estomacal, porém distensão gástrica, alimentos ricos em proteínas, secretina elevada ou níveis séricos elevados de cálcio também podem estimular sua produção.[1]

Inibição[editar | editar código-fonte]

A gastrina é inibida pelo aumento de ácido (principalmente o HCl segregado) no estômago (um caso de feedback negativo). A somatostatina, secretina, peptídeos gastroinibitórios, VIP (peptídeo intestinal vasoactivo), glucagon e calcitonina também podem inibir a produção de gastrina.

Patologias[editar | editar código-fonte]

Na síndrome de Zollinger-Ellison, a gastrina é secretada em excesso, geralmente por um tumor produtor de gastrina (gastrinoma). Esta síndrome é caracterizada por múltiplas úlceras pépticas.

Referências