Héctor Scarone

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Héctor Scarone
Informações pessoais
Nome completo Héctor Pedro Scarone
Data de nasc. 26 de novembro de 1898
Local de nasc. Montevidéu, Uruguai
Falecido em 4 de abril de 1967 (68 anos)
Local da morte Montevidéu, Uruguai
Altura 1,75 m
Informações profissionais
Posição Ponta-direita
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos (golos/gols)
1916-1926
1926
1927-1931
1931-1932
1932-1934
1934-1938
Uruguai Nacional
Flag of Spain (1785-1873 and 1875-1931).svg Barcelona
Uruguai Nacional
Flag of Italy (1861-1946).svg Ambrosiana-Inter
Flag of Italy (1861-1946).svg Palermo
Uruguai Nacional
115 (108)
18 (9)
45 (39)
14 (7)
54 (13)
31 (16)
Seleção nacional
1917-1930 Flag of Uruguay.svg Uruguai 52 (31)
Medalhas
Jogos Olímpicos
Ouro Paris 1924 Equipe
Ouro Amsterdam 1928 Equipe

Héctor Pedro Scarone (Montevidéu, 26 de novembro de 1898 - Montevidéu, 4 de abril de 1967) foi um futebolista uruguaio que fez parte da chamada Celeste Olímpica, conquistando, entre outros títulos, o bicampeonato olímpico em 1924 e 1928 e a Copa do Mundo FIFA em 1930.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Começou sua trajetória em clubes de bairro de Montevidéu, mas em 1916 chega ao Nacional, para atuar no ataque ao lado de seu irmão mais velho Carlos Scarone e de outro grande craque como Ángel Romano e sai apenas para cumprir uma destacada temporada pelo Barcelona em 1926,uma temporada na Fiorentina em 1932 ,algumas semanas pelo Palermo em 1934,uma fugaz passagem pela Ambrosiana-Inter (atual Internazionale de Milão) e o final da carreira no Montevideo Wanderers em 1939.

Em 1917, quando não havia completado ainda 20 anos, foi chamado pelo célebre treinador Ramón Platero para integrar a seleção uruguaia no Campeonato Sul-Americano (atual Copa América), já apresentando o que viria a ser e ajudando a formação uruguaia a conquistar o segundo torneio continental de forma consecutiva. Sua carreira de internacional culminaria com a obtenção do primeiro campeonato mundial 13 anos depois.

Ágil e veloz,dominava bem ambas as pernas, habilidoso nos dribles, era incrível a precisão e força que ostentava ao finalizar. Infalível nos tiros de bola parada. Foi um excelente cabeceador,apesar de não ter muita altura (1,75 m). Pelo Nacional foi campeão uruguaio em oito ocasiões (1916, 1917, 1919, 1920, 1922, 1923, 1924 e 1933). Atuou pelo seu país em 51 ocasiões, marcando 31 vezes, sendo até hoje o o goleador máximo da Celeste Olímpica.

Foi o segundo futebolista de seu país a jogar no velho continente, depois de Julio Bavasto, que jogara no Milan em 1910. Quando de sua passagem pelo clube da Catalunha, o futebol começava a se tornar profissional na Espanha, e Scarone teria que renunciar o selecionado nacional que disputaria os Jogos Olímpicos em Amsterdão, uma vez que somente atletas amadores podiam participar dos jogos; entre a glória olímpica e oportunidade de uma ascensão financeira no então nascente profissionalismo europeu, Scarone decidiu-se pela chance de mais uma medalha de ouro, o que o fez ainda mais querido dos aficionados uruguaios.

Consagrou-se campeão olímpico em 1924 (Paris) e 1928 (Amsterdã), e em 1930 ajudou o Uruguai a ganhar o primeiro Campeonato mundial de futebol. Além do mais ganhou os campeonatos sul-americanos em 1917, 1923, 1924 e 1926. Recebeu o apelido de El mago também o de Gardel del Fútbol (em referência ao Rei do tango, Carlos Gardel). Marcou 301 gols em 368 jogos pelo Nacional,clube que defendeu por 18 anos.

Deixou a função de atleta em 1939, depois de brilhar por mais de 20 anos nos gramados sul-americanos e europeus, e foi técnico do Millonarios da Colômbia entre 1946 e 1947, do Real Madrid entre 1950 e 1952 e do seu querido Nacional em 1954, mas sem ter nunca abandonado o seu posto de carteiro nos correios de Montevidéu, ofício que lhe deu a aposentadoria.

Títulos[editar | editar código-fonte]

Competições nacionais[editar | editar código-fonte]

  • Campeonato Uruguaio (8): 1916, 1917, 1919, 1920, 1922, 1923, 1924 e 1933 - todos pelo Nacional.

Competições internacionais pela Seleção Uruguaia[editar | editar código-fonte]

Torneios internacionais pelo Club Nacional[editar | editar código-fonte]

  • Copa Ricardo Aldao ou Campeonato Rio-Platense (contra o campeão argentino) (3): 1916,1919 e 1920.

Ver também[editar | editar código-fonte]