Línguas da Europa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Distribuição aproximada das línguas actualmente faladas na Europa.
Línguas européias que não pertencem ao grupo indo-europeu: Basco, Estoniano, Finlandês, Húngaro, e Turco.

A maioria das muitas línguas da Europa pertencem à família de línguas indo-européias. Outra grande família é das línguas fino-úgricas. A família das línguas turcomanas têm vários membros europeus. As famílias linguísticas do Cáucaso setentrional e meridional são importantes na extremidade sudeste do continente europeu. O basco é uma língua isolada.

Na Europa são faladas mais de 60 línguas - oficiais ou regionais e dialetos de povos. Há países que têm uma única língua oficial: Portugal, França , Alemanha, Países Baixos, Hungria e Islândia. Outros admitem língua regionais como na Espanha, onde o catalão é oficial apenas na Catalunha, a galego na Galiza. Em Portugal é reconhecida a mirandês, apenas no município de Miranda do Douro. Na Irlanda é reconhecido o gaélico irlandês, como língua minoritária. Há línguas mortas que tentam ser ressuscitadas, caso da manx que em 1974 já não tinha qualquer habitante da ilha de Man a usá-la como língua materna, mas depois de ter ensinada nas escolas possui na atualidade 300 falantes que a usam como língua meterna. A Bélgica é um país trilíngue, mas em que duas línguas o neerlandês, também conhecido erradamente por flamengo (é o nome dado aos habitantes de língua neerlandesa da Bélgica) e o francês, esmagam o alemão. As duas principais comunidades linguísticas vivem numa espécie de apartheid linguístico, em que tudo desde jornais e televisões estão claramente divididas em duas partes, tendo havido conflitos, por causa do uso oficial das línguas. Há municípios em que há tolerância do uso dos dois idiomas. O país com mais línguas oficiais é a Suíça, três latinas - francês, italiano e o romanche - e uma de origem germânica - o alemão.1 A variedade linguística atual da Europa é resultado das línguas primitivas que sofreram alterações.

Primeiros dicionários e gramáticas[editar | editar código-fonte]

Os primeiros tipos de dicionários eram glossários, isto é, listas mais ou menos estruturadas de pares léxicos (em ordem alfabética ou de acordo com campos conceituais). O Codex Abrogans germano-latino foi um dos primeiros. Uma nova onda de lexicografia iniciou-se de fins do século XV em diante (depois da introdução da prensa móvel e com o interesse crescente de padronização das línguas).


Divisão geolinguística[editar | editar código-fonte]

A Europa é dividida em grandes áreas segundo famílias linguísticas. São elas: Europa latina (línguas românicas), Europa germânica (línguas germânicas), Europa eslava (línguas eslavas), e Europa celta (línguas célticas).

Europa latina
Europa latina
Europa germânica
Europa germânica
Europa eslava
Europa eslava
Europa céltica
Europa céltica

Referências

  1. Línguas oficiais da Suíça segundo a constituição Federal Título primeiro - Artigo 4.º: As línguas nacionais são o alemão, o francês, o italiano e o romanche.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre linguística ou um linguista é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.