Grupos étnicos da Europa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Os povos europeus, ou grupos étnicos da Europa, são as várias nações e grupos étnicos da Europa. Eles são estudados pela etnologia europeia (etnologia europeiaAO 1990), que é o campo da antropologia com foco na Europa.

Minorias étnicas da Europa[editar | editar código-fonte]

Da população total da Europa de cerca de 730 milhões de habitantes (2005), cerca de 85% ou 630 milhões incluem-se em três grandes super-grupos etno-linguísticos, a saber: eslavos, latinos e germânicos. Os maiores grupos que não estão incluídos nestes últimos são os gregos (cerca de 13 milhões) e os povos fino-úgricos (cerca de 23 milhões). Entre 20 e 25 milhões são membros de diásporas de origem não europeia. A população da União Europeia, cerca de 500 milhões, é responsável por dois terços da população europeia.

O maior grupo étnico da Europa é provavelmente formado pelos russos com cerca de 90 milhões estabelecidos na parte europeia da Rússia. Em seguida vêm os alemães (76 milhões), italianos (58 milhões), franceses (49 milhões[1] ), ingleses (45 milhões), espanhóis (42 milhões), ucranianos (40 milhões) e poloneses (40 milhões).

Dependendo de que partes do Cáucaso são consideradas partes da Europa, vários povos do Cáucaso podem também ser considerados "povos europeus".

Minorias "nativas"[editar | editar código-fonte]

Visto que a maior parte da Europa nos tempos históricos nunca foi colonizada por potências não europeias com efeito duradouro (exceto pela Hungria, Trácia Oriental, Tartaristão, Calmúquia e ilhas como Malta e Chipre[3] ), a vasta maioria dos europeus pode ser considerada "nativa". Num senso mais estreito de "povos indígenas", como as minorias étnicas marginalizadas pela expansão histórica das populações vizinhas, os seguintes grupos podem ser considerados "povos nativos" da Europa:

Aparência física e origens genéticas[editar | editar código-fonte]

A grande maioria dos europeus são de tipologia caucasóide, principalmente caracterizados pela pele levemente pigmentada e cores dos olhos e dos cabelos variadas,[4] apesar de a divisão tipológica em raças seja agora amplamente desacreditada.[5] [6] [7] [8] [9] [10] [11] [12] A Europa tem sido habitadas por humanos por mais de um milhão de anos,[13] [14] mas restos humanos com reconhecível anatomia moderna são datados a partir de 40.000 anos atrás, com o surgimento do Cro-Magnon. Por todo o período pré-histórico houve contínua imigração na Europa, especialmente com a revolução neolítica.[15] É provável que as origens dos homens Cro-Magnon possam ser traçadas até os seus ancestrais na África Oriental.[16]

Diásporas europeias[editar | editar código-fonte]

Nações e regiões fora da Europa com populações significantes de ancestralidade europeia:[17]

Diásporas na Europa[editar | editar código-fonte]

Populações de origem não-europeia na Europa (aproximadamente 25 a 30 milhões, ou 3,42 a 4,11% - dependendo da definição de origem não-europeia - de um total de aproximadamente 730 milhões):

  • Turcos - aproximadamente 5 milhões, principalmente na Alemanha, França, Países Baixos, Áustria e Suécia.
  • Norte-africanos (árabes e berberes - aproximadamente 5 milhões, principalmente na França, Países Baixos e Suécia.
  • Africanos sub-saarianos (muitas etnias incluem afro-caribenhos e outros por descendência) - aproximadamente 5 milhões, principalmente no Reino Unido, França, Países Baixos e Alemanha.[57]
  • Libaneses - aproximadamente 1,4 milhões, especialmente na França e Reino Unido.
  • Somalis - aproximadamente 200 mil, principalmente no Reino Unido,[58] Países Baixos e Espanha.
  • Latino-americanos (principalmente mestiços - aproximadamente 2,2 milhões, com os maiores grupos na Espanha e Itália.[59]
    • Mais os britânicos latino-americanos, cerca de 1 milhão.
  • Asiáticos do sul (muitas etnias) - aproximadamente 3 milhões, principalmente no Reino Unido.
    • Paquistaneses - aproximadamente 1 milhão, principalmente no Reino Unido.
    • Tâmeis - aproximadamente 250 mil.
  • Armênios (às vezes considerados europeus, ver abaixo) - aproximadamente 1,5 milhão.
  • Curdos - aproximadamente 1,5 milhão, principalmente na Alemanha e Suécia.
  • Chineses - aproximadamente 1 milhão, principalmente na França, Reino Unido e Países Baixos.
  • Filipinos - aproximadamente 500 mil, principalmente no Reino Unido, França, Alemanha e Itália.
  • Sírios - aproximadamente 130 mil, principalmente na Suécia.
  • Japoneses - cerca de 100 mil, principalmente no Reino Unido.

Identidade e cultura europeias[editar | editar código-fonte]

A cultura da Europa pode ser melhor descrita como uma série de culturas sobrepostas. Pode ser uma questão de Ocidente em oposição ao Oriente; Cristianismo em oposição ao Islã.

A cultura europeia também tem uma grande influência além do continente europeu devido ao legado do colonialismo. Em um sentido amplo, é às vezes chamada de civilização ocidental. Quase toda a América e toda a África foram governadas por potências europeias pelo menos uma vez, e algumas partes do Novo Mundo, como a Guiana Francesa, ainda são. A vasta maioria da população das Américas fala línguas europeias, especialmente espanhol, inglês, português e francês e em menor extensão neerlandês. Além disso, as culturas das potências coloniais europeias (Espanha, Reino Unido, Países Baixos, Portugal, Bélgica e França) exercem uma forte influência.

A identidade pan-europeia se refere ao senso de identificação pessoal com a Europa e à identidade possuída pela Europa como um todo. "Europa" é amplamente usado como um sinônimo de União Europeia, embora haja milhões de pessoas vivendo no continente europeu em estados que não fazem parte da União Europeia. O prefixo pan significa que a identidade se aplica a toda Europa, e especialmente no contexto da União Europeia, "pan-europeu" é frequentemente comparado com nacional.

Religião[editar | editar código-fonte]

Desde a Alta Idade Média, a maior parte da Europa tem sido dominada pelo Cristianismo. Há três principais denominações: católicos romanos, protestantes e cristãos ortodoxos, com o protestantismo restrito principalmente às regiões germânicas e a ortodoxia às regiões eslavas, Grécia e Geórgia. O catolicismo, centralizado nas regiões latinas, tem um número significante de seguidores nas regiões germânicas, eslavas e celtas.

O Islã tem de certa forma tradição nos Bálcãs (os domínios europeus do Império Otomano do século XVI ao XIX), na Albânia, nos países que formavam a ex-Iugoslávia, na Bulgária e na Trácia turca, assim como entre os tártaros e chechenos na Rússia. Com as migrações do século XX, os muçulmanos na Europa Ocidental se tornaram uma minoria considerável.

O Judaísmo tem uma longa história na Europa, mas permanece uma pequena minoria religiosa, com a França (1%) sendo o único país europeu com uma população judia que excede 0,5%. A população judia da Europa é compreendida principalmente por dois grupos: os asquenazes e os sefarditas. Os judeus asquenazes migraram para a Europa no século VIII, enquanto os judeus sefarditas se estabeleceram na Espanha e em Portugal pelo menos oitocentos anos antes. A história dos judeus europeus foi notavelmente afetada pelo genocídio e pela emigração resultante no século XX.

Nos tempos modernos, uma secularização significante tem tomado lugar, notavelmente na laica França no século XIX e na Europa oriental comunista no século XX. Atualmente, a distribuição do teísmo na Europa é muito heterogêneo, com mais de 95% na Polônia, e menos de 20% na República Tcheca. Na média, segundo números de 2005,[60] 52% dos cidadãos dos estados membros da União alemã acreditam em Deus.

Leitura complementar[editar | editar código-fonte]

  • Cole, J. W., Wolf, E. R., The Hidden Frontier: Ecology and Ethnicity in an Alpine Valley, University of California Press; (1999), ISBN 978-0520216815.
  • Dow, R. R., Bockhorn, O., The Study of European Ethnology in Austria, Progress in European Ethnology, Ashgate Publishing (2004), ISBN 978-0754617471.
  • Jordan, T. G., The European culture area: A systematic geography (2nd ed.). New York: Harper and Row (1988).
  • Parman, S. (ed.), Europe in the Anthropological Imagination, Prentice Hall (1998).

Notas e referências

  1. Recensement officiel de l'Insee
  2. Como um país transcontinental, a Geórgia pode ser considerada como estando na Ásia e/ou na Europa. A ONU classificação das regiões do mundo localiza a Geórgia na Ásia ocidental; o World Factbook [1] da CIA, National Geographic e Encyclopædia Britannica também localizam a Geórgia na Ásia. De forma oposta, várias fontes localizam a Geórgia na Europa como a BBC [2], Oxford Reference Online [3], Merriam-Webster's Collegiate Dictionary e www.worldatlas.com.
  3. Domínios temporários sobre partes da Europa por forças não-europeias incluem o Império Huno (século V), o Canato Ávaro (c.560s-800), Al-Andalus (711-1492), o Emirado da Sicília (831-1072), as invasões mongol/tártara (1223-1480) e o controle otomano dos Bálcãs (1389-1878)
  4. Europe, Encyclopædia Britannica Online
  5. Thompson, William; Joseph Hickey. Society in Focus. Boston, MA: Pearson, 2005. 0-205-41365-X
  6. Daniel A. Segal 'The European': Allegories of Racial Purity Anthropology Today, Vol. 7, No. 5 (Oct., 1991), pp. 7-9 doi:10.2307/3032780
  7. Bindon, Jim. University of Alabama. "Post World War II". 2005. August 28, 2006.
  8. American Anthropological Association's Statement on Race and RACE: Are we so different? a public education program developed by the American Anthropological Association.
  9. American Association of Physical Anthropologists' Statement on Biological Aspects of Race
  10. OMB Statistical Directive 15, "Standards for Maintaining, Collecting, and Presenting Federal Data on Race and Ethnicity", Federal Register, 30 October 1997.
  11. "The Race Question", UNESCO, 1950
  12. US Census Bureau: Definition of Race
  13. Georgian Homo Erectus Published by Angela M.H. Schuster. Archaeology May 2000]
  14. The million year old tooth from Atapuerca, Spain, found in June 2007
  15. Encyclopædia Britannica, s.v. "Europe: The people".
  16. The Genographic Project, National Geographic
  17. Ethnic groups by country. Statistics (where available) from CIA Factbook.
  18. South Africa: People: Ethnic Groups. World Factbook of CIA
  19. Namibia: People: Ethnic Groups. World Factbook of CIA
  20. Réunion Island
  21. Swaziland: People: Ethnic Groups. World Factbook of CIA
  22. Tunisia: People: Ethnic Groups. World Factbook of CIA
  23. Fiona Hill, Russia — Coming In From the Cold?, The Globalist, 23 February 2004
  24. Robert Greenall, Russians left behind in Central Asia, BBC News, 23 November 2005.
  25. Kyrgyzstan: People: Ethnic Groups. World Factbook of CIA
  26. Turkmenistan: People: Ethnic Groups. World Factbook of CIA
  27. HK Census. "HK Census." Statistical Table. Retrieved on 2007-03-08.
  28. Greenland
  29. North America - Britannica Concise Encyclopedia - The online encyclopedia you can trust!
  30. Mexico:: Ethnic groups - Britannica Online Encyclopedia
  31. Mexico: People: Ethnic Groups. World Factbook of CIA
  32. Bahamas: People: Ethnic Groups. World Factbook of CIA
  33. Barbados: People: Ethnic Groups. World Factbook of CIA
  34. Bermuda: People: Ethnic Groups. World Factbook of CIA
  35. "Cuba; People; Ethnic groups", CIA World Factbook. Página visitada em 2007-11-21.
  36. [https:http://dev.prenhall.com/divisions/hss/worldreference/CU/people.html#People Cuba: People: Ethnic Groups.] World Factbook of CIA
  37. Dominican Republic: People: Ethnic groups. World Factbook of CIA
  38. El Salvador: People: Ethnic Groups. World Factbook of CIA
  39. Martinique: People: Ethnic Groups. World Factbook of CIA
  40. "Nicaragua: People; Ethnic groups", CIA World Factbook. Página visitada em 2007-11-15.
  41. "Panama; People; Ethnic groups", CIA World Factbook. Página visitada em 2007-11-21.
  42. Puerto Rico: People: Ethnic Groups World Factbook of CIA
  43. [4]
  44. Argentina: People: Ethnic Groups. World Factbook of CIA
  45. Bolivia: People: Ethnic Groups. World Factbook of CIA
  46. PNAD (em Portuguese) pp. Table 1.2 (2006). Página visitada em 2007-09-14.
  47. Composición Étnica de las Tres Áreas Culturales del Continente Americano al Comienzo del Siglo XXI
  48. Argentina, como Chile y Uruguay, su población está formada casi exclusivamente por una población blanca e blanca mestiza procedente del sur de Europa, más del 90% E. García Zarza, 1992, 19.
  49. Genetic epidemiology of single gene defects in Chile..
  50. Colombia: People: Ethnic Groups. World Factbook of CIA
  51. "Ecuador: People; Ethnic groups", CIA World Factbook. Página visitada em 2007-11-26.
  52. French Guiana: People: Ethnic Groups. World Factbook of CIA
  53. Peru: People: Ethnic Groups. World Factbook of CIA
  54. Uruguay: People: Ethnic Groups. World Factbook of CIA
  55. French Polynesia: People: Ethnic Groups. World Factbook of CIA
  56. Brazil: People: Ethnic Groups. World Factbook of CIA
  57. France's blacks stand up to be counted
  58. Youths bring violence from a war-torn land
  59. Latin American Immigration to Southern Europe
  60. ReportDGResearchSocialValuesEN2.PDF

Ligações externas[editar | editar código-fonte]