Melhor É Impossível

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Melhor É Impossível
As Good as It Gets
Pôster promocional
 Estados Unidos
1997 • cor • 139 min 
Direção James L. Brooks
Produção James L. Brooks
Bridget Johnson
Kristi Zea
Roteiro Mark Andrus (história)
James L. Brooks
Elenco Jack Nicholson
Helen Hunt
Greg Kinnear
Gênero Comédia romântica
Idioma Inglês
Música Hans Zimmer
Cinematografia John Bailey
Edição Richard Marks
Estúdio Gracie Films
Distribuição TriStar Pictures
Lançamento Estados Unidos 25 de dezembro de 1997
Portugal 20 de fevereiro de 1998
Brasil 6 de março de 1998
Orçamento US$ 50 milhões[1]
Receita US$ 314 178 011[1]
Página no IMDb (em inglês)

Melhor É Impossível (em inglês: As Good as It Gets) é um filme norte-americano de 1997, do gênero comédia romântica, dirigido por James L. Brooks e produzida por Laura Ziskin. É estrelado por Jack Nicholson como um romancista obsessivo-compulsivo misantropo, Helen Hunt como uma mãe solteira com um filho asmático, e Greg Kinnear como um artista gay. O roteiro foi escrito por Mark Andrus e James L. Brooks.

Nicholson e Hunt ganharam o Oscar de Melhor Ator e Oscar de Melhor Atriz, respectivamente, tornando As Good As It Gets o filme mais recente que ganhou ambos os prêmios de atuação de protagonização, e o primeiro desde 1991, quando aconteceu com O Silêncio dos Inocentes. Ele é classificado na posição 140 da revista Empire da lista de "Os 500 Melhores Filmes de Todos os Tempos".[2]

Ao receber o prêmio Oscar de melhor ator por Melhor É Impossível, Jack Nicholson o dedicou ao ator J.T. Walsh, com quem trabalhara em A Few Good Men e que havia falecido pouco antes.[3] [4] Jack Nicholson e James L. Brooks já haviam trabalhado juntos em Laços de Ternura, de 1983, onde Nicholson recebeu o Oscar de Melhor Ator Coadjuvante.[3] Ao término dos créditos de Melhor É Impossível aparece a seguinte frase: "The actors in this film were in no way mistreated" (em tradução livre: "Os atores desse filme não foram de maneira alguma maltratados").[3]

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

Melvin Udall (Jack Nicholson) é um escritor de romances de sucesso em Nova Iorque. Ele é racista, homófobo, anti-semita e misantropo. Sofre de transtorno obsessivo compulsivo (TOC), que aliado à sua misantropia, o isola de seus vizinhos e de qualquer outra pessoa em seu apartamento em Manhattan. Come todos os dias na mesma mesa do mesmo restaurante usando talheres descartáveis que ele mesmo leva consigo. Ele se interessa pela garçonete Carol Connelly (Helen Hunt), a única funcionária do restaurante que tolera seu comportamento abusivo.

Um dia, um vizinho de Melvin, o artista plástico homossexual Simon Bishop (Greg Kinnear) é internado em um hospital por causa de um assalto à sua casa. Melvin é forçado a cuidar de Verdell, o cachorro de Simon. Apesar de Melvin odiar o cachorro, ele acaba criando laços de amizade com o animal à medida em que começa a ganhar mais atenção da garçonete. Suas vidas começam a se misturar a partir da volta de Simon do hospital.

Gtk-paste.svg Aviso: Terminam aqui as revelações sobre o enredo.

Elenco principal[editar | editar código-fonte]

Trilha sonora[editar | editar código-fonte]

As Good as It Gets
Trilha sonora de Hans Zimmer e vários artistas
Lançamento 13 de janeiro de 1998
Gravadora(s) Sony Records

A trilha sonora apresenta peças instrumentais compostas por Hans Zimmer e músicas de vários artistas.

  1. "As Good as It Gets" - Zimmer
  2. "A Better Man" - Zimmer
  3. "Humanity" - Zimmer
  4. "Too Much Reality" - Zimmer
  5. "1.2.3.4.5" - Zimmer
  6. "Greatest Woman on Earth" - Zimmer
  7. "Everything My Heart Desires" - Danielle Brisebois
  8. "Under Stars" - Phil Roy
  9. "My Only" - Danielle Brisebois
  10. "For Sentimental Reasons (I Love You)" - Nat King Cole
  11. "Hand on My Heart" - Judith Owen
  12. "Climb on (A Back That's Strong)" - Shawn Colvin
  13. "Always Look on the Bright Side of Life" - Eric Idle

Recepção[editar | editar código-fonte]

O filme recebeu críticas positivas dos críticos e foi nomeado e recebeu muitos prêmios de cinema, incluindo uma indicação ao Oscar de Melhor Filme e um Globo de Ouro de Melhor Filme Musical ou Comédia. Rotten Tomatoes relata que 86% dos críticos profissionais deram ao filme uma revisão positiva com base em 75 comentários.[5] Metacritic, um site que avalia filmes pela média de sua resposta crítica em geral, deu ao filme um metascore de 67, significando avaliações favoráveis.[6] Dois atores principais do filme, Jack Nicholson e Helen Hunt, receberam ambos prêmios Oscar e Globo de Ouro por suas atuações. Crítico de cinema do Chicago Reader Jonathan Rosenbaum escreveu que o diretor James Brooks "Ver como gerencia (os personagens), que lutam bravamente para se conectar uns com os outros é engraçado, doloroso, bonito, e, basicamente, verdadeiro, um triunfo para todos os envolvidos."[7]

No entanto, elogios para o filme não foi uniforme entre os críticos. Roger Ebert deu ao filme três estrelas (em quatro) e chamou o filme de um "compromisso, um filme que força um sorriso em material que não usa uma facilidade", escrevendo que o filme chamou "volta para fórmulas de história", mas tinha bom diálogo e performances.[8] Crítico de cinema do Washington Post Desson Howe deu uma revisão geral negativa do filme, escrevendo que "fica atolado em sentimentalismo, enquanto as rodas giram inutilmente na ultrapassagem da resolução de vida."[9]

Bilheteria[editar | editar código-fonte]

As Good as It Gets também foi um sucesso de bilheteria, a abertura no número três na bilheteria (atrás de Titanic e Tomorrow Never Dies) com 12,6 milhões de dólares,[10] e, eventualmente, ganhando mais 148 milhões no mercado interno e 314 milhões em todo o mundo.[1] É segundo filme mais lucrativo de Jack Nicholson, atrás de Batman.[11]

Principais prêmios e indicações[editar | editar código-fonte]

Applications-multimedia.svg A Wikipédia possui o

Oscar 1998 (EUA)[12] [13]

Globo de Ouro 1998 (EUA)[12] [14]

  • Venceu na categoria de melhor filme - comédia/musical, melhor ator - Ccomédia/musical (Jack Nicholson) e melhor atriz - comédia/musical (Helen Hunt).
  • Indicado nas categorias de melhor diretor, melhor ator (coadjuvante/secundário) (Greg Kinnear) e melhor roteiro.

Academia Japonesa de Cinema 1999 (Japão)[14]

  • Venceu na categoria de melhor filme estrangeiro.

MTV Movie Awards 1998 (EUA)[14]

  • Indicado na categoria de melhor atuação feminina (Helen Hunt).

Referências

  1. a b c "Box office statistics for As Good As It Gets (1997)" Box Office Mojo. Retrieved June 11, 2010.
  2. Empire Features Empireonline.com. Visitado em 2009-10-17.
  3. a b c Adorocinema - Curiosidades Adorocinema.com.
  4. IMDb - Trivia (em inglês) IMDb.com.
  5. Rotten Tomatoes Retrieved on January 11, 2010
  6. Metacritic Retrieved on January 7, 2009
  7. Chicago Reader review. Retrieved on January 7, 2009
  8. Roger Ebert review Retrieved on January 7, 2009
  9. Washington Post review. Retrieved on January 7, 2009
  10. Weekend Box Office Results for December 26–28, 1997 Box Office Mojo. Visitado em 2009-07-06.
  11. Batman (1989) Box Office Mojo. Visitado em 2009-07-06. Cópia arquivada em 11 June 2009.
  12. a b Adorocinem - Premiações Adorocinema.com.
  13. IMDB - Prêmios (em inglês) IMDb.com.
  14. a b c IMDb - Prêmios (em inglês) IMDb.com.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]