National Treasure

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
National Treasure
O Tesouro (PT)
A Lenda do Tesouro Perdido (BR)
 Estados Unidos
2004 • cor • 131 min 
Direção Jon Turteltaub
Produção Jerry Bruckheimer
Jon Turteltaub
Roteiro Ted Elliott
Terry Rossio
Cormac Wibberley
Marianne Wibberley
Jim Kouf (história)
Oren Aviv (história)
Charles Segars (história)
Elenco Nicolas Cage
Harvey Keitel
Jon Voight
Diane Kruger
Sean Bean
Justin Bartha
Christopher Plummer
Gênero aventura
ação
suspense
Idioma inglês
Música Trevor Rabin
Cinematografia Caleb Deschanel
Edição William Goldenberg
Estúdio Walt Disney Pictures
Jerry Bruckheimer Films
Junction Entertainment
Saturn Films
Distribuição Walt Disney Pictures
Lançamento Estados Unidos 19 de novembro de 2004
Portugal 9 de dezembro de 2004
Brasil 31 de dezembro de 2004
Orçamento US$100 milhões[1]
Receita US$347,512,318
Página no IMDb (em inglês)

National Treasure (br: A Lenda do Tesouro Perdido; pt: O Tesouro) é um filme de aventura/assalto estadunidense de 2004 produzido e lançado pela Walt Disney Pictures. Ele foi escrito por Jim Kouf, Ted Elliott, Terry Rossio, Cormac Wibberley e Marianne Wibberley, produzido por Jerry Bruckheimer e dirigido por Jon Turteltaub. É o primeiro filme da franquia National Treasure e estrelado por Nicolas Cage, Harvey Keitel, Jon Voight, Diane Kruger, Sean Bean, Justin Bartha e Christopher Plummer.

Cage interpreta Benjamin Franklin Gates, um historiador e criptologista amador em busca de um tesouro perdido de metais preciosos, jóias, obras de arte e outros artefatos que foi acumulada em um único arsenal enorme por saqueadores e guerreiros ao longo de muitos milênios começando no Antigo Egito, mais tarde redescoberto por guerreiros que se formaram nos Cavaleiros Templários para proteger o tesouro, eventualmente escondido por maçons americanos durante a Guerra Revolucionária Americana. Um mapa codificado no verso da Declaração de Independência que mostra os pontos para a localização do "tesouro nacional", mas Gates não está sozinho em sua busca. Quem pode roubar a Declaração e decodificá-lo em primeiro lugar vai encontrar o maior tesouro da história.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

Benjamin Franklin Gates é o último descendente da família Gates. Quando Ben era criança, seu avô lhe contou a Lenda do Tesouro dos Templários, escondido pelos maçons durante a Revolução Americana. Determinado a encontrá-lo, Ben se lança à procura de um barco afundado, o Charlotte.

Ao encontrá-lo, ele e seus parceiros, encontram uma pista, uma pista pertencente aos maçons, que os conduzem um passo adiante na busca ao tesouro. Ben decifra essa pista. É a localização de um mapa invisível para chegar ao tesouro. O problema é que o mapa está na Declaração de Independência dos Estados Unidos. Ian, um dos parceiros de Ben, decide fazer as coisas do próprio jeito e ficar com o tesouro para si.

Para isso, ele decide roubar a Declaração de Independência. Porém, Ben e Riley, seu melhor amigo, recusam-se a ajudá-lo. Ian tenta matá-los, mas eles se salvam. Estes fazem queixa das intenções de Ian ao FBI, dizendo que alguém ia roubar a Declaração, mas infelizmente em vão.

Assim pedem ajuda a Abigail Chase, que também não acredita nestes quando ouve que há um mapa invisível, e assegura-os de que não há nada para que se preocupar.

Ben e Riley decidem então roubá-la, já que esta é a única maneira de que ela não seja destruída por Ian. No baile do dia do aniversário do Arquivo Nacional, roubam-na. Mas não antes de se encontrarem com Ian, que começa um tiroteio.

Uma pista leva para outra, mas ninguém tem garantias de que no final das pistas haverá o magnífico tesouro que a lenda promete.

Riley e Abigail tentam dar um golpe em Ian (se este fizer algo a Ben, eles contatam o FBI), mas Ian coloca o pai de Ben, Patrick Gates, como refém. Ian está com tudo a seu favor e obriga Ben, Riley, Abigail e Patrick a ajudá-lo a localizar o tesouro.

Quando tudo parecia perdido, Ben e seu pai, Patrick enganam Ian com uma pista falsa. Ian sai do caminho de Ben e segue a pista falsa.

Ben consegue abrir uma passagem secreta que da em uma sala vazia. Quando Ben acha que falhou em achar o tesouro, ele percebe que as pessoas que cavaram aquela sala tinham que sair de alguma forma caos ocorre-se um desabamento. Ben, Riley, Patrick e a senhorita Abigail acham a saída de emergência e entram na verdadeira câmara do tesouro. O tesouro templário era magnífico e com isso, Ben devolve a Declaração de Independência e o cachimbo achado no Charlotte ao agente do FBI Sadusky que diz a Ben que ele deve trocar a Declaração de Independência e Ben recebe o crédito pela descoberta do tesouro com a ajuda do senhor Riley Polle, Ben limpa a ficha de Abigail Chase que já era considerada uma criminosa pelo FBI e diz que não queria ir para a cadeia. Sadusky diz a Ben que alguém deve ir para a cadeia e Ben indica uma pessoa: Ian, que ainda estava na trilha da pista falsa. Ian é preso e Ben fica muito famoso e reconhecido pela sociedade que antes o ridicularizava.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Recepção[editar | editar código-fonte]

Resposta da crítica[editar | editar código-fonte]

O filme recebeu uma reação mista dos críticos, alguns dos quais louvaram como um divertimento, aventura em família simples, enquanto outros ridicularizaram seus inúmeros implausibilidades e reviravoltas inacreditáveis. Roger Ebert deu a National Treasure duas estrelas (em quatro), chamando-o "tão bobo que a versão Monty Python poderia usar o mesmo roteiro, linha por linha".[2] Acadêmico David Bordwell manifestou um gosto para o filme, colocando-o na tradição de filmes de aventura de 1950 da Disney crianças,[3] e usá-lo como base para um ensaio sobre transições de cena em cinema clássico de Hollywood.[4]

O filme possui atualmente um índice de aprovação de 44% no Rotten Tomatoes.[5]

Bilheteria[editar | editar código-fonte]

O filme foi um sucesso de bilheteria, arrecadando mais de 173 milhões de dólares no mercado interno e 174,5 milhões de dólares em todo o mundo para um total de $ 347,5 milhões de dólares em todo o mundo.

Lançamentos em home vídeo[editar | editar código-fonte]

DVD Edição de Colecionador[editar | editar código-fonte]

A edição especial de colecionador, conjunto de dois discos DVD do filme foi lançado em 18 de dezembro de 2007.

Blu-ray Disc[editar | editar código-fonte]

Walt Disney Studios Home Entertainment lançou versões de Blu-ray Disc de National Treasure e sua sequência, National Treasure 2: Book of Secrets, em 20 de maio de 2008.[6]

Trilha sonora[editar | editar código-fonte]

National Treasure
National Treasure trilha sonora.jpg
filme de Trevor Rabin
Lançamento 16 de novembro de 2004
Gravação 2004
Gravadora(s) Hollywood
Produção Trevor Rabin


Todas as letras escritas por Trevor Rabin. todas as músicas compostas por {{{toda_música}}}.

N.º Título Duração
1. "National Treasure Suite"   3:17
2. "Ben"   4:03
3. "Finding Charlotte"   1:04
4. "Library of Congress"   2:27
5. "Preparation Montage"   4:53
6. "Arrival at National Archives"   1:54
7. "The Chase"   4:22
8. "Declaration of Independence"   1:43
9. "Foot Chase"   3:34
10. "Spectacle Discovery"   3:18
11. "Interrogation"   4:30
12. "Treasure"   3:39

Sequências[editar | editar código-fonte]

National Treasure: Book of Secrets[editar | editar código-fonte]

Although the DVD commentary stated that there were no plans for a sequel, the film's box office gross of an unexpected $347.5 million worldwide warranted a second film, which was given the green light in 2005. National Treasure: Book of Secrets, on the DVD as National Treasure 2: Book of Secrets, was released on December 21, 2007.

Embora o comentário do DVD afirmou que não havia planos para uma sequência, bilheteria bruta do filme de um inesperado $347,500,000 em todo o mundo justifica um segundo filme, que foi dada a luz verde em 2005. National Treasure: Book of Secrets, no DVD como National Treasure 2: Book of Secrets, foi lançado em 21 de dezembro de 2007.

National Treasure 3[editar | editar código-fonte]

O diretor Jon Turteltaub, disse que a equipe de filmagem vai demorar o seu tempo em outra sequência de National Treasure,[7] mas a Disney já registrou os domínios para NationalTreasure3.com e NationalTreasure4.com.[8] Apesar de o segundo filme terminou com a pergunta sobre a página 47 de livro de segredos do Presidente, Turteltaub respondeu em uma entrevista coletiva que a idéia não foi gravada na pedra como base para a National Treasure 3.[9]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Box office statistics for National Treasure (2004). Box Office Mojo. Página visitada em 27 de novembro de 2013..
  2. Ebert, Roger. National Treasure.
  3. Bordwell, David (5 de janeiro de 2008). Your trash, my Treasure. Página visitada em 27 de novembro de 2013.
  4. Bordwell, David (janeiro de 2008). The Hook: Scene Transitions in Classical Cinema. Página visitada em 27 de novembro de 2013.
  5. National Treasure. Rotten Tomatoes. Página visitada em 27 de novembro de 2013.
  6. Walt Disney Studios Home Entertainment Announces the Disney Blu-Ray Title Wave Coming 2008. High-Def Digest (17 de agosto de 2007). Página visitada em 27 de novembro de 2013.
  7. Kirkland, Bruce (30 de maio de 2008). 'National Treasure 3' in works. Jam!. Canoe.
  8. Sciretta, Peter (1 de fevereiro de 2008). Disney Plans For National Treasure 3 & 4. SlashFilm.
  9. National Treasure 3: Page 47. Hits USA (22 de dezembro de 2007).

Ligações externas[editar | editar código-fonte]