Peter Sellers

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Peter Sellers
Peter Sellers em 1973.
Nome completo Richard Henry Sellers
Nascimento 8 de setembro de 1925
Southsea, Hampshire, Inglaterra
Nacionalidade Reino Unido britânico
Morte 24 de julho de 1980 (54 anos)
Londres, Inglaterra
Ocupação Ator, comediante, cantor
Cônjuge Anne Howe (1954-1963)
Britt Ekland (1964-1968)
Miranda Quarry (1969-1976)
Lynne Frederick (1977-1980)
Atividade 1948 - 1980
Prêmios Globo de Ouro
Melhor Ator - Comédia ou Musical
1979 - Being There
BAFTA
1959 I'm All Right Jack Melhor Ator
Página oficial
IMDb: (inglês)


Richard Henry Sellers CBE (Southsea, Hampshire, 8 de setembro de 1925Londres, 24 de julho de 1980), mais conhecido como Peter Sellers, foi um ator, comediante e cantor britânico. Ele é mais conhecido pelo público mundial através de suas caracterizações em muitos filmes, entre eles, o Inspetor-Chefe Clouseau da série de filmes A Pantera Cor de Rosa.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Sellers nasceu em 8 de setembro de 1925, em Southsea, um subúrbio de Portsmouth. Seus pais eram William "Bill" Sellers (1900-1962) e Agnes Doreen "Peg", nascidos em Yorkshire (Inglaterra) (née Marks, 1892-1967).[1]

Peter Sellers tornou-se famoso em seu país com a série de rádio da BBC The Goon Show, antes de se lançar em uma carreira cinematográfica de sucesso internacional. Sellers foi o mais famoso intérprete do inspetor Jacques Clouseau, da série A Pantera Cor-de-Rosa.

Além de Clouseau, Sellers criou personagens antológicos como o sinistro Dr. Strangelove (Doutor Fantástico) e o jardineiro Chance do filme Being There ("Muito Além do Jardim").[1] Na vida real, tinha uma relação estranha com a mãe dominadora e submeteu suas mulheres e filhos a torturas psicológicas. Em uma entrevista ele disse: "odeio tudo o que eu faço, não sei como vocês gostam".

Além dos filmes da série de A Pantera Cor-de-Rosa, também foram importantes em sua carreira: The ladykillers (O Quinteto da Morte); Carlton Browne; The Mouse That Roared (O rato que ruge); I'm alright, Jack (Papai é Nudista); The millionairess (Com milhões e sem carinho); Lolita; Dr. Strangelove or: How I Learned to Stop Worrying and Love the Bomb (Dr. Fantástico); Cassino Royale; The Party (Um Convidado bem Trapalhão) e Being There (Muito Além do Jardim).[1]

Em 1964, aos 38 anos, quando filmava a comédia de Billy Wilder Kiss Me, Stupid, Sellers sofreu uma série de ataques cardíacos (13 em alguns dias) [2] , que permanentemente danificaram o seu coração. A condição de Sellers deteriorou-se quando ele adiou tratamento médico adequado e optou por "curandeiros psíquicos". Ele também teve um marcapasso implantado no final de 1970, o que lhe trouxe mais problemas consideráveis.

Um jantar-reunião foi agendado em Londres, com os seus parceiros do Goon Show, Spike Milligan e Harry Secombe, para finais de Julho de 1980. Mas, em 22 de Julho, Sellers entrou em colapso a partir de um ataque cardíaco em seu quarto de hotel Dorchester e entrou em coma. Ele morreu em um hospital de Londres, pouco depois da meia-noite de 24 de Julho de 1980, aos 54 anos [1] . Foi socorrido por sua quarta esposa, Lynne Frederick, e três filhos: Michael, Sarah e Vitória. No momento da sua morte, havia-lhe sido programada naquele mês uma cirurgia cardíaca em Los Angeles.

Embora Sellers tenha entrado com um processo de exclusão de Lynne Frederick de seu testamento, uma semana antes de morrer de um ataque cardíaco em 1980, ela herdou quase todas as suas propriedades, num valor estimado em 4,5 milhões de euros, enquanto seus filhos, receberam R$ 800 cada. Quando Frederick morreu de alcoolismo, em 1994, aos 39 anos de idade, sua mãe Iris havia herdado tudo, inclusive todos os rendimentos e royalties de trabalho dos vendedores. Quando Iris Frederick morre, a fazenda inteira vai para Cassie, a filha que Lynne teve com seu terceiro marido, Barry Unger.[1] O filho de Sellers, Michael, morreu de um ataque cardíaco aos 52 anos, durante cirurgia, em 24 de Julho de 2006 (exatamente 26 anos após a morte de seu pai). Michael tinha sobrevivido por sua segunda esposa, Alison, com quem se casou em 1986, e seus dois filhos.[1]

Em seu testamento, Sellers solicitou que a canção de Glenn Miller "In the Mood" fosse tocada em seu funeral. O pedido é considerado o seu último toque de humor, já que ele odiava a peça. Seu corpo foi cremado, e ele foi enterrado no Golders Green Crematorium, em Londres.[3] Em 1994, as cinzas de sua viúva, Lynne, morta naquele mesmo ano, foram co-enterradas em sua tumba.[1]

O filme de 2004, baseado no livro com o mesmo nome, The Life and Death of Peter Sellers, fala de sua vida. Geoffrey Rush, que interpreta Peter Sellers, ganhou um BAFTA por esta atuação.

Filmografia[editar | editar código-fonte]

Em alguns dos filmes citados, Sellers atua somente com a sua voz.

Referências

  1. a b c d e f g Spike Milligan. Peter Sellers (1925-1980) (em inglês). [S.l.]: Oxford Dictionary of National Biography, 2004. Página visitada em 8 de setembro de 2012.
  2. Kiss Me, Stupid de Turner Classic Movies
  3. Peter Sellers (em inglês) no Find a Grave.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um ator é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.