Premios Goya

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Prêmio Goya)
Ir para: navegação, pesquisa
Premios Goya
Descrição Premiação cinematográfica da Espanha.
Apresentação Academia das Artes e Ciências Cinematográficas da Espanha
Local Madrid
País Flag of Spain.svg Espanha
Primeira cerimónia 17 de março de 1987
Última cerimónia 2011
Página oficial

Os Premios Goya são prêmios outorgados anualmente pela Academia das Artes e Ciências Cinematográficas da Espanha com a finalidade de condecorar os melhores profissionais em cada uma das diversas especialidades do setor. O prêmio consiste em um busto de Francisco Goya feito em bronze pelo escultor José Luis Fernández.[1] A primeira estatueta entregue foi obra do também escultor Miguel Ortiz Berrocal, tratava-se de uma escultura desmontável, saindo do busto uma câmera. A partir da segunda edição do evento a estatueta foi encarregada a Fernández, que desenvolveu um novo busto, mais reduzido e com a forma que é conhecida hoje.

A cerimônia de entrega dos prêmios acontece entre os últimos dias de janeiro e primeiros de fevereiro. Segue o modelo de outras importantes premiações anuais, como os prêmios Oscar (Estados Unidos), César (França) e BAFTA (Reino Unido).

História[editar | editar código-fonte]

A Academia das Artes e Ciências Cinematográficas é uma instituição privada que foi criada oficialmente em 8 de janeiro de 1986.[1] Um ano depois de sua criação a entidade decide realizar uma celebração para premiar os melhores trabalhos do cinema espanhol realizadas em distintas categorias durante o ano anterior da data de entrega, dessa forma, a academia cria os chamados Premios Anuales de la Academia "Goya". A primeira edição foi realizada no dia 17 de março de 1987 no Teatro Lope de Vega, em Madrid.

No ano 2000 a cerimônia de entrega dos prêmios se realizou pela única vez fora da cidade de Madrid. Naquela ocasião a condecoração foi celebrada em Barcelona.

Em 2003, uma grande quantidade de profissionais do cinema aproveitou a cerimônia de entrega dos prêmios para expressar seu repúdio ao apoio do governo de José María Aznar à invasão dos EUA ao Iraque ("Não à guerra").

No ano seguinte, em 2004, a associação espanhola Asociación Víctimas del Terrorismo convocou uma manifestação em frente ao local de realização da festa devido ao fato da indicação ao prêmio do documentário de Julio Medem, La Pelota Vasca, no qual, segundo os manifestantes, as vítimas do movimento separatista basco são comparadas aos terroristas. Por isso pediram o apoio dos presentes à festa e os incentivaram a portar um adesivo com o slogan "Não ao ETA".[nota 1] Nesta manifestação podia ser lido cartazes com mensagens reprovação ao diretor e obra. Por sua vez, alguns dos profissionais do meio artísticos presentes na celebração formaram uma barreira em torno do Medem e mostraram seus próprios adesivos com as mensagens "Medem sim, ETA não", "Sim à liberdade de expressão" ou "Não ao terrorismo".[nota 2]

Em 2005 José Luis Rodríguez Zapatero tornou-se o primeiro presidente que presenciou a esta entrega dos prêmios. Nesta edição, surgiram algumas acusações de que a entrega estaria sendo politizada (Mar Adentro, de Alejandro Amenábar foi premiado com 14 Goyas em diversas categorias).

No ano de 2008 o prêmio de Melhor Canção Original foi atribuído pela primeira vez a uma canção em português, com a canção "Fado da Saudade", da trilha sonora de Fados, de Carlos Saura, interpretado por Carlos do Carmo.

Categorias[editar | editar código-fonte]

No início existiam apenas 15 categorias dos prêmios Goya, atualmente existem 28, além de um prêmio honorário, o Goya de Honra. Para cada categoria são nomeados quatro candidatos.

  • Melhor atriz revelação
  • Melhor direção de produção
  • Melhor fotografia
  • Melhor cenário
  • Melhor música original
  • Melhor canção original
  • Melhor direção artística
  • Melhor figurino
  • Melhor maquiagem e cabelo
  • Melhor trilha sonora
  • Melhores efeitos especiais
  • Melhor filme de animação
  • Melhor curtametragem de animação
  • Melhor curtametragem documentário
  • Melhor curtametragem de ficção
  • Melhor filme europeu
  • Melhor filme documentário
  • Melhor filme estrangeiro em espanhol
  • Goya de Honra

Estatísticas[editar | editar código-fonte]

Filmes mais premiados[editar | editar código-fonte]

  • 14 prêmios: Mar adentro (2004) -- de 15 indicações (venceu na categoria Melhor Filme)
  • 13 prêmios: ¡Ay, Carmela! (1990) -- de 15 indicações (venceu na categoria Melhor Filme)
  • 9 prêmios: Belle Époque (1992) -- de 17 indicações (venceu na categoria Melhor Filme)
  • 9 prêmios: Pa negre (2010) -- de 14 indicações (venceu na categoria Melhor Filme)
  • 8 prêmios: El rey pasmado (1991) -- de 14 indicações
  • 8 prêmios: Días contados (1994) -- de 19 indicações (venceu na categoria Melhor Filme)
  • 8 prêmios: Nadie hablará de nosotras cuando hayamos muerto (1995) -- de 10 indicações (venceu na categoria Melhor Filme)
  • 8 prêmios: Os Outros (2001) -- de 15 indicações (venceu na categoria Melhor Filme)
  • 8 prêmios: Cela 211 (2009) -- de 16 indicações (venceu na categoria Melhor Filme)
  • 7 prêmios: La niña de tus ojos (1998) -- de 18 indicações (venceu na categoria Melhor Filme)
  • 7 prêmios: Tesis (1996) -- de 8 indicações (venceu na categoria Melhor Filme)
  • 7 prêmios: El perro del hortelano (1996) -- de 12 indicações
  • 7 prêmios: Todo sobre mi madre (1999) -- de 14 indicações (venceu na categoria Melhor Filme)
  • 7 prêmios: Te doy mis ojos (2003) -- de 9 indicações (venceu na categoria Melhor Filme)
  • 7 prêmios: El laberinto del fauno (2006) -- de 13 indicações
  • 7 prêmios: El orfanato (2007) -- de 14 indicações
  • 7 prêmios: Ágora (2009) -- de 13 indicações
  • 6 prêmios: Remando al viento (1988) -- de 13 indicações
  • 6 prêmios: El sueño del mono loco (1989) -- de 11 indicações (venceu na categoria Melhor Filme)
  • 6 prêmios: El día de la Bestia (1995) -- de 14 indicações
  • 6 prêmios: Camino (2008) -- de 7 indicações (venceu na categoria Melhor Filme)

Filmes mais indicados[editar | editar código-fonte]

Notas e referências

Notas

  1. Original: "No a ETA".
  2. Original: "Medem sí, ETA no", "Sí a la libertad de expresión" ou "No al terrorismo".

Referências

  1. a b História. Premios Goya (em espanhol) Academia de las Artes y las Ciencias Cinematográficas de España. Visitado em 10 agosto 2011.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]