Aeroporto de Cascavel

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Cascavel
Aeroporto
Aeroporto Coronel Adalberto Mendes da Silva
IATA: CAC - ICAO: SBCA
Características
Tipo civil público
Administração CETTRANS [1]
Serve Região Metropolitana de Cascavel; Região Metropolitana de Toledo e Sudoeste do Paraná
Localização Flag of Cascavel.jpgCascavel
 Paraná
 Brasil
Inauguração 12 de novembro de 1977 (41 anos)
Coordenadas 25° 0' 08" S 53° 30' 07" O
Altitude 754 m (2 474 ft)
Passageiros 250 000
Capacidade anual 450 000
Principais companhias Logo Azul.jpg Azul Linhas Aéreas
Website oficial Página oficial
Pistas
Cabeceira(s) Comprimento Superfície
15/33 1 780 m (5 840 ft) Asfalto
Helipontos
Número(s) Comprimento Superfície

1

1 22 m (72 ft) Asfalto

O Aeroporto Municipal de Cascavel - Coronel Adalberto Mendes da Silva (IATA: CACICAO: SBCA) é um aeroporto comercial, de caráter regional, localizado no município brasileiro de Cascavel. Serve parte do Oeste, Sudoeste e Noroeste do estado, notadamente as regiões metropolitanas de Cascavel, Toledo, Umuarama, as microrregiões de Pato Branco e Francisco Beltrão e parte do estado de Santa Catarina.[1]

Em processo de ampliação, está entre os 10 aeroportos regionais brasileiros com maior potencial econômico, segundo pesquisa da Urban Systems.[2]

Características[editar | editar código-fonte]

  • Cascavel - SBCA
  • Nome do Aeroporto: Aeroporto Cel. Adalberto Mendes da Silva
  • Endereço: BR-277 - km 601 - Estrada Municipal Itelo Webber s/nº - Bairro Santos Dumont - CEP 85.804-810
  • Administração: CETTRANS - Companhia de Engenharia de Transporte e Trânsito
  • Telefones: 45 3228-2499 (Aeroporto) e 45 3037-7287 (Administração)
  • Terminal de Passageiros: 839,5 m²
  • Vagas de estacionamento: 160 veículos
  • Dimensões da Pista: 1780 x 45 metros
  • Altitude: 754 metros
  • Revestimento da pista: Asfalto
  • Operação VFR/IFR
  • Designativo das cabeceiras: 15/33
  • Resistência da pista: 37/F/A/X/T
  • Abastecimento: AVGAS/JET A1
  • Categoria de Combate a Incêndio: 6
  • Coordenadas geográficas: 25º00'08"S/053º30'07"W[3]
  • Rádio Cascavel (AFIS) 131.850 MHz
  • Despacho Azul 130.625 MHz (Base Cascavel)
  • NDB CAV 220 kHz
  • RNAV GNSS

Companhias aéreas e destinos[editar | editar código-fonte]

Companhias Aeronaves Voos Domésticos Regulares
ATR 72-600

Embraer 195*

Boeing 737

(*) A partir de 1º de julho de 2019.[4]

(**) A partir do dia 5 de agosto de 2019.[5]

Estatísticas[editar | editar código-fonte]

Balcões de check in no aeroporto
Balcões de check in no aeroporto
Pátio e tráfego de aeronaves ATR-72
Pátio e tráfego de aeronaves ATR-72

Em 2005, o número de passageiros foi cerca de 37 mil passageiros. O incremento das operações, com aviões maiores da Trip Linhas Aéreas, Passaredo Linhas Aéreas e, posteriormente Azul Linhas Aéreas, fez o número saltar para 245 mil passageiros, em 2015.

Depois da Trip ser vendida para a Azul, e da saída da Passaredo por problemas financeiros, apenas uma empresa passou a operar, reduzindo o número de embarques e desembarques.

A partir de 2019, com a conclusão das melhorias no sítio aeroportuário, em especial no tamanho e certificação da pista e equipamentos de segurança, a Azul iniciará voos com E-Jets e a Gol Linhas Aéreas passará a servir a cidade com aeronaves Boeing 737, dobrando a oferta de assentos, o que poderá impactar no número de passageiros.[6]

Ano Passageiros Variação
2010 76.149 -
2011 50.651* -33,48%
2012 169.478 234,60%
2013 177.432** 4,70%
2014 236.845 33,48%
2015 245.452 3,64%
2016 195.759 -20,25%
2017 168.859 -13,74%
2018 136.473 -19,18%

* Em 2011 houve paralisação nas atividades do aeroporto para realização de obras na pista no período de 23 de julho de 2011 à 4 de novembro de 2011, porém os voos comerciais só recomeçaram em 2012. [7] [8]

** Em 2013 o aeroporto foi fechado nos meses de janeiro e fevereiro para a aplicação das últimas camadas de asfalto na pista,[9] e na metade do ano houve redução do número de voos comerciais pelo período de quatro meses, por determinação da ANAC.[10][11]

Histórico[editar | editar código-fonte]

Em 1937, iniciaram os voos do Correio Aéreo Nacional à então vila de Encruzilhada de Aparecida dos Portos. O percurso começava em Curitiba e seguia por Prudentópolis, Cascavel, Foz do Iguaçu e Guaíra, penetrando no Mato Grosso. O campo de aviação – na verdade uma clareira aberta nas proximidades da atual Praça Getúlio Vargas – foi apenas o primeiro de quatro aeroportos que ocupariam a mesma área mediante sucessivas reformas. Tinha o solo coberto de grama.

Em setembro de 1952, talvez na primeira perseguição policial motorizada pela BR-35 (atual BR-277), então em obras, um grupo de contrabandistas foragidos de Foz do Iguaçu dirigia-se apressadamente para Cascavel, caçado pela Polícia Militar. O caminhão em que fugiam acabou tombando, resultando em graves ferimentos para os fugitivos. Em razão do sofrimento desses bandidos e com a precariedade no socorro médico, o padre Luis Luíse encampou uma luta para construir um aeroporto capaz de receber aviões comerciais.

Segundo o padre, em depoimento à memória histórica de Cascavel, com a diretoria de tráfego aéreo da Real Aerovias foi estudado o plano de voos que ligaria Cascavel a São Paulo, com dois voos de ida e volta por semana: um saindo de São Paulo, via LondrinaMaringáCampo Mourão–Cascavel–VacariaPorto Alegre; outro saindo de São Paulo–Curitiba–Ponta GrossaPalmas–Cascavel.

A inauguração do Aeroporto Coronel Adalberto Mendes da Silva ocorreu em 2 de janeiro de 1953. Nove dias após foi iniciada a primeira linha aérea regular, com um avião Douglas DC-3.

Em 1959, Cascavel iniciaria a longa batalha, ainda hoje não encerrada, para construir seu Aeroporto Internacional. As obras chegaram a começar, mas foram paralisadas. Entrevistado pelo jornalista Luiz Carlos Biazetto em 1962, para o jornal Diário d’ Oeste, o prefeito Octacílio Mion foi questionado sobre as causas da demora nas obras do Aeroporto Internacional. Segundo Mion, os trabalhos foram interrompidos pela falta de verba do governo estadual e federal e da demorada aceitação do Ministério da Aeronáutica sobre a opção do terreno para o aeroporto. "O Ministério aceitou a área indicada – mas com uma extensão superior à prevista" (exigiu 1,5 milhão de metros quadrados) – no final de 1962.

Mais tarde a ditadura militar pôs fim ao projeto que estava em andamento, inclusive com verbas destinadas e aprovação do Ministério dos Transporte.

O tema foi esquecido por muitos anos e só seria lembrado durante as discussões, em 1976, sobre a necessidade de construir um novo aeroporto em Cascavel, tendo em vista que o campo de pouso então existente estava sem as mínimas condições de receber o general-presidente Ernesto Geisel, que viria à região em outubro. A Prefeitura determinou reformas às pressas no antigo aeroporto e em setembro de 1976, iniciou as obras do atual, descartando qualquer hipótese de um aeroporto internacional, inaugurando-o em dezembro do ano seguinte. [12]

Ampliação[editar | editar código-fonte]

Em outubro de 2010, foi iniciada a ampliação e modernização do aeroporto, numa parceria entre os governos municipal e estadual.[13]

A pista foi aumentada em 10% no comprimento e 50% na largura, passando de 1.615 x 30 metros para 1.780 x 45 metros, com o reforço nas cabeceiras, recapeamento total com elevação do padrão de resistência do piso (PCN 37), área de segurança no final das cabeceiras (RESA), ampliação e melhoras do terminal de passageiros[14], cerca patrimonial em todo sítio aeroportuário, nova taxiway, novo sistema de iluminação, balizamento e segurança, instalação do PAPI - Indicador de Percurso de Aproximação de Precisão e de sistema RNAV.[15]O aeroporto recebeu três novos caminhões de combate a incêndio, respectivamente dois modelo AP2 e um AC3, o que possibilitou um incremento da categoria de segurança para o nível 6. Os hangares particulares foram demolidos e a aviação geral foi transferida para o lado oposto do atual, isolando-a da aviação comercial, o que resultou numa área livre superior a 150 metros em cada lateral da pista, atendendo exigência técnica para operações de aeronaves de maior porte.[16][17][18]

Encontra-se em obras o novo terminal de passageiros, que terá cerca de 6.000 m² e capacidade para 900 mil passageiros por ano, novo estacionamento de aeronaves e estacionamento de veículos. A rua Itelo Webber, que liga a Rodovia BR-277 ao aeroporto, está em fase de duplicação. A expectativa de conclusão é para o ano de 2020.[19][20][21][22]

Em 2013, foi apresentado projeto para nova ampliação, dentro do Programa de Aviação Regional do Governo Federal,[23] que foi aprovado em julho de 2014, com previsão de 55 milhões de reais em verbas.[24] Se efetivada, a pista e a taxiway passarão a ter 2.430 metros de comprimento, pátio de aeronaves superior a 40.000 m², sistema ILS e torre de controle.[25]

Em agosto de 2016, após um grande corte que reduziu o número de aeroportos beneficiados em todo o país, de 800 para 53, o Aeroporto de Cascavel foi confirmado como um dos que receberão investimentos, dada a demanda reprimida, a potencialidade econômica e o pedido da associação das empresas aéreas.[26][27]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Administração do Aeroporto
  2. «Gazeta do Povo - Economia». Gazeta do Povo. 5 de outubro de 2014 
  3. Prefeitura de Cascavel
  4. Nascimento, Giuliano Saito, Leonardo. «Avião para 118 passageiros passará a operar em Cascavel». CGN - a informação em tempo real. Consultado em 24 de março de 2019 
  5. Nascimento, Giuliano Saito, Leonardo. «Gol planeja dois voos diários de Cascavel para Guarulhos (SP) a partir de 05 de agosto». CGN - a informação em tempo real. Consultado em 24 de março de 2019 
  6. «Azul confirma aeronaves de maior porte para operação em Cascavel». O Presente. 8 de abril de 2019. Consultado em 9 de abril de 2019 
  7. Secretaria de Infraestrutura e Logística
  8. G1 Oeste
  9. CGN
  10. G1 Oeste
  11. «Aeroporto perde 108,9 mil passageiros em 3 anos». O Paraná. 19 de dezembro de 2018. Consultado em 26 de março de 2019 
  12. Alceu A. Sperança, jornal O Paraná, seção dominical Máquina do Tempo
  13. Agência Estadual de Notícias - 05.07.2010
  14. CATVE Notícias 30.01.2013
  15. «Portal do Município». 18 de novembro de 2014. Consultado em 5 de fevereiro de 2015 
  16. «Caminhão de combate a incêndio chega ao aeroporto de Cascavel - catve.com». catve.com - Portal de Informação em Áudio e Vídeo 24h por Dia. Consultado em 9 de outubro de 2015 
  17. «Maringá cede caminhão de combate a incêndio ao Aeroporto». CGN. A informação e ponto. Consultado em 7 de fevereiro de 2016 
  18. «Aeroporto de Cascavel recebe novo caminhão do Corpo de Bombeiros - catve.com». catve.com - Portal de Informação em Áudio e Vídeo 24h por Dia 
  19. «Portal do Município de Cascavel | Cascavel 66 anos: Paranhos e Dillenburg apresentam novo Terminal de passageiros». www.cascavel.pr.gov.br. Consultado em 14 de novembro de 2017 
  20. Souza, Pedro de. «Processo de licitação para obras no aeroporto de Cascavel será aberto». www.transportes.gov.br. Consultado em 30 de outubro de 2018 
  21. «Aeroporto: novo terminal de passageiros vai custar R$ 16,3 milhões - Massa News Cascavel». Massa News. Consultado em 24 de março de 2019 
  22. «Alerta Paraná». www.alertaparana.com.br. Consultado em 24 de março de 2019 
  23. http://www.cascavel.pr.gov.br/noticia.php?id=23815 Prefeitura de Cascavel
  24. «Prefeitura de Cascavel - Aeroporto está na fase final do Programa de Aviação Regional» 
  25. Prefeitura de Cascavel (3 de julho de 2014). «Página da Prefeitura». Prefeitura de Cascavel. Consultado em 4 de julho de 2014 
  26. «Programa de aviação regional investirá R$ 300 milhões em 53 aeroportos». Consultado em 29 de agosto de 2016 
  27. «Governo garante investimentos no aeroporto». Consultado em 29 de agosto de 2016 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]