Microrregião de Francisco Beltrão

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Francisco Beltrão
Unidade federativa Paraná
Microrregiões limítrofes Capanema, Cascavel, Guarapuava, Pato Branco, Chapecó (SC) e São Miguel do Oeste (SC)
Área 5.451,417 km²
População 253.675 hab. est. 2013
Densidade 46,5 hab/km²
Cidade mais populosa Não disponível
PIB R$ 3.953.687.000,00 IBGE/2011
PIB per capita R$ 16.236,00 IBGE/2011

A microrregião de Francisco Beltrão é uma das microrregiões do estado brasileiro do Paraná pertencente à mesorregião Sudoeste Paranaense. Sua população foi estimada em 2006 pelo IBGE em 223.883 habitantes e está dividida em dezenove municípios. Possui uma área total de 5.451,417 km².

Ao norte delimita-se com o Rio Iguaçu, a leste com a microrregião de Pato Branco, ao sul com o estado de Santa Catarina, e a oeste com a Argentina e com a microrregião de Capanema.

Economia[editar | editar código-fonte]

A economia da região é muito atrelada ao agronegócio. O latossolo roxo é muito fértil, e estende-se por toda a região. Devido a formações de relevos antigos, o território não pode ser plenamente aproveitavel. Isto observa-se principalmente na região da Serra do Jacutinga, ao leste da microrregião. Todavia na parte norte e na parte oeste as terras são de relevo mais suaves e assim são intensivamente aproveitadas para a agricultura, principalmente para o plantio de soja, milho e trigo. Outro destaque da região é a produção e abate de aves. Existem unidades industriais da Sadia em Dois Vizinhos e Francisco Beltrão.

A indústria tem destaque menor, e encontra-se concentrada principalmente em Francisco Beltrão, Dois Vizinhos, Ampére, Capanema e Santo Antonio do Sudoeste. Os principais setores são o têxtil, o madereiro e o de metais-leves tal como alumínio.

O comércio é mais desenvolvido em Francisco Beltrão e Pato Branco, que são os principais centros de compras da região e também em Dois Vizinhos. Nas cidades menores o comércio se desenvolve bem, aliado ao crescimento industrial e tradição de cada município.

O PIB da região para o ano de 2004 foi estimado em R$ 2,5 bilhões com valores para o mesmo ano, distribuidos por uma população de 250 mil habitantes, dando assim um PIB per capita de aproximadamente R$ 11 mil, cerca de 10% acima da média do estado.

Clima[editar | editar código-fonte]

O clima é subtropical Mesotérmico Úmido apresentando duas variações, Cfa e Cfb. O Clima subtropical Cfa é encontrado na maioria dos municípios. A variação subtropical Cfb é encontrada apenas nas áreas altas (acima de 850 m de altitude) da Serra do Jacutinga, Serra do Cotrio Morto, Serra do Capanema e ao longo de uma estreita faixa na divisa com Santa Catarina. O inverno costuma ser ameno, com dias muito frios. Algumas cidades como Flor da Serra do Sul e Barracão situam-se em áreas acima de 800 metros de altitude no sul da região, nesses locais as temperaturas podem chegar a até -10° C. Já as cidades situadas próximo ao Rio Iguaçu, no norte, são mais quentes e podem apresentar temperaturas próximas aos 38°C no verão. A pluviosidade anual é em torno dos 1800 mm em toda a região.

Demografia[editar | editar código-fonte]

A maioria esmagadora dos habitantes é descendente de europeus, principalmente de poloneses, alemães e italianos, que até hoje praticam alguns dos antigos costumes e preservam a língua original de seus antepassados, que primeiro fixaram-se no planalto gaúcho e no Vale do Itajaí no início do século, e então por volta de 1940 migraram para esta região.

Municípios[editar | editar código-fonte]