Apedemak

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Apedemak
Fragmento de um monumento comemorativo ao rei cuxita Tanyidamani, retratando Apedemak, o deus de cabeça de leão, associado a guerra e a fertilidade. Apedemak segura um feixe de sorgo e um cetro com um pequeno leão sentado. As inscrições na parte superior esquerda estão grafadas na escrita meróitica, e nomeiam o rei e o deus.
Outro(s)
nome(s)
Apademak
Nome nativo
p
ir
M
k
ii
Local de culto Naqa
Meroé
Musawwarat es-Sufra
Símbolo Arco e flecha
Cetro
Consorte Ísis (em relatos)
Amesami (possivelmente)
Filho(s) Hórus (em relatos)
Região Núbia

Apedemak (também grafado como Apademak) era, na mitologia núbia e na mitologia egípcia, o deus da guerra, da fertilidade e da proteção do faraó.[1][2][3] Os egípcios representavam seu nome como Pa-ir-meki (traduzido como "aquele que protege", em hieróglifos).[1] Apedemak foi uma divindade de grande influência na religião núbia, contudo, acredita-se que possuía pouca relevância entre os egípcios.[3]

Uma série de templos meroíticos dedicados ao deus são conhecidos da região de Butana, atual Sudão: Naqa, Meroé e Musawwarat es-Sufra, que aparentam ser seus principais locais de culto.[3] No templo de Naqa, construído pelos governantes de Meroé, Apedemak era retratado como um deus com três cabeças de leão e com quatro braços, ou como uma cobra com cabeça de leão.[2][3] Contudo, era frequentemente retratado como um homem com uma cabeça de leão. Seu principal símbolo era o arco e a flecha, armas associadas a guerra.[2]

Em Naqa, as paredes também estão decoradas com imagens do deu com outras divindades egípcias, até mesmo formando uma tríade com Ísis, como sua consorte, e Hórus, como seu filho.[3] Há também uma imagem de Apedemak com a rainha Amanitore, seu marido Natakamani e seu filho, fazendo oferendas para Apedemak.[3] Ankhs também brotam das narinas de Apedemak para todas as narinas da família real, em um gesto que assemelha-se a está expirar "a vida eterna" sobre eles.[3]

Há indícios de que em um período anterior na história da Núbia, existiu uma possível consorte de Apedemak, chamada de Amesami, adorada somente na Núbia.[3] Era representada com uma coroa em forma de falcão, ou com uma Lua crescente sobre a cabeça de um falcão parado.[3] Os poucos resquícios indicam que Amesami era uma deusa protetora, pois a Lua crescente simbolizava proteção.[3]

Apedemak foi o principal deus da dinastia de Meroé na Núbia, substituindo Amani (nome pelo qual os núbios adoravam Ámon, um dos principais deuses egípcios).

Galeria[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

  • Sekhmet, deusa da vingança, da guerra e da medicina para os antigos egípcios;
  • Set, deus do caos, da seca, da guerra, e do deserto para os antigos egípcios.

Referências

  1. a b «Apedemak». Global Egyptian Museum. Consultado em 11 de janeiro de 2018 
  2. a b c Administrador. «Apedemak». Antigo Egito - Site 
  3. a b c d e f g h i j «Apedemak and Amesami». Myth and Wonder. Consultado em 11 de janeiro de 2018 
Ícone de esboço Este artigo sobre mitologia egípcia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.