Benjamin Tucker

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Benjamin Tucker
Nascimento 17 de abril de 1854
South Dartmouth (Estados Unidos)
Morte 22 de junho de 1939 (85 anos)
Mônaco
Ocupação tipógrafo, sindicalista, jornalista e ativista anarquista.
Escola/tradição Anarquismo, Individualismo
Principais interesses indivíduo, liberdade, autoridade, justiça social.

Benjamin Tucker (South Dartmouth, 17 de abril de 1854Mônaco, 22 de junho de 1939) foi, no século XIX, o principal defensor americano do anarquismo individualista. Foi editor do periódico anarquista americano Liberty[1][2].

Anarquismo[editar | editar código-fonte]

Tucker disse que se tornou anarquista aos 18 anos. A contribuição de Tucker para o anarquismo individualista americano foi tanto através de suas publicações quanto por seus próprios escritos. Tucker foi o primeiro a traduzir para o inglês O único e sua propriedade – o qual Tucker afirmou ser sua maior realização. Tucker também traduziu o livro Deus e o Estado de Mikhail Bakunin. No periódico anarquista Liberty, ele publicou o trabalho original de Stephen Pearl Andrews, Joshua K. Ingalls, Lysander Spooner, Auberon Herbert, Victor Yarros e Lilian Harman, filha do anarquista de amor livre Moses Harman, assim como seus próprios escritos.

Ele também publicou o primeiro artigo original de George Bernard Shaw a aparecer nos Estados Unidos, e foi o primeiro americano a traduzir trechos de Friedrich Nietzsche. Em Liberty, Tucker filtrou e adaptou as teorias de pensadores europeus como Herbert Spencer e Pierre-Joseph Proudhon, as teorias econômicas e legais dos individualistas americanos Lysander Spooner, William B. Greene e Josiah Warren, e os escritos de livre pensamento e movimentos de amor livre em oposição a legislação baseada em religião e proibição de comportamento não-invasivo. Através dessas influências, Tucker produziu um rigoroso sistema filosófico ou individualista anarquista que ele chamou de anarquismo-socialista, argumentando que “[o] mais perfeito socialismo é possível apenas na condição do mais perfeito individualismo.”

De acordo com Frank Brooks, um historiador do anarquismo individualista americano, é fácil compreender mal a revindicação de Tucker ao “socialismo”. Antes dos marxistas estabelecerem uma hegemonia sobre as definições de socialismo, “o termo socialismo era um conceito amplo”. Tucker, assim como a maioria dos escritores e leitores de Liberty, entendiam “socialismo” para se referir a uma ou mais das várias teorias que visavam resolver “o problema do trabalho” através de mudanças radicais na economia capitalista. Descrições de “o problema”, explicações de suas causas, e soluções propostas (por exemplo, abolição da propriedade privada, cooperativas, propriedade estatal, e assim por diante) variaram entre as diversas filosofias “socialistas”.

Referências

  1. Las Corrientes Liberales en los Estados Unidos, por Rudolf Rocker, 1944.
  2. La Anarquía a través de los Tiempos, por Max Nettlau, 1935.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Benjamin Tucker
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Benjamin Tucker

{{Navbox |name = Anarquismo2 |titlestyle = background: #ffffff;

|image =

Black flag waving.svg

|state = collapsed |title = Anarquismo |below = Anarquismo
Portal da Anarquia
|belowstyle = background: #ffffff; |groupstyle = background: white; |liststyle = padding-left:0.5em; padding-right:0.5em;

|group1 = Correntes |list1 = Anarquismo insurrecionárioAnarquismo social

|group2 = História |list2 = Ato de Exclusão AnarquistaBatalha de GênovaBatalha de SeattleBiênio VermelhoCaso de Sacco e VanzettiCatalunha AnarquistaComuna de ParisCongresso de Amasterdã de 1907Escola ModernaGreve Geral de 1917Incidente AmakasuIncidente KōtokuInsurreição anarquista de 1918Exército Insurgente MakhnovistaInternacional de Saint-ImierInternacional NegraJornadas de Maio de 1937Levante ZapatistaMaio de 1968Patagônia rebeldePrimeira InternacionalProvosRebelião em OaxacaRebelião da Baixa CalifórniaRevoada dos galinhas-verdesRevolta de HaymarketRevolta de KronstadtRevolução EspanholaRevolução MexicanaRevolução UcranianaSemana Trágica de 1909Semana Trágica de 1919

|group3 = Princípios |list3 = Crítica da dominação: exploração capitalista e pré-capitalista, Estado, religião, educação e mídia, dominação de classe, imperialismo, dominações de gênero e de raçaDefesa da autogestão: socialização da propriedade, autogoverno democrático, cultura autogestionáriaEstratégia: sujeitos revolucionários, estratégias de luta, revolução social e violência

|group4 = Estratégias de luta |list4 = Antiorganizacionais: grupo de afinidade, insurgência, propaganda pelo atoOrganizacionais: anarcossindicalismo, municipalismo, organização específica anarquista, sindicalismo revolucionárioTransversais: cultura autogestionária

|group5 = Economia |list5 = ColetivismoComunismoMutualismo

|group6 = Debates |list6 = Antiorganizacionismo e organizacionismoLimites e possibilidades da culturaMercado autogestionário ou planificação democráticaOrganização específica anarquistaPolítica no local de moradia ou de trabalhoReformas e lutas de curto prazoUtilização da violência

|group7 = Por região |list7 = ÁfricaArgentinaÁustriaBrasilCanadáChinaCoreiaCubaEspanhaEstados UnidosFrançaGréciaÍndiaInglaterraIrlandaIsraelItáliaJapãoMéxicoPolôniaPortugalRússiaSomáliaSuéciaTurquiaUcrâniaVietnã

|group8 = Tópicos |list8 = AmbientalismoArtesCapitalismoDireitos animaisEducaçãoFeminismoIndividualismoMarxismoNacionalismoQuestões étnicasReligiãoSindicalismoViolência

|group9 = Listas |list9 = BiografiasAnarquistas brasileirosAnarquistas portuguesesAnarquistas em prisõesLivrosComunidadesDocumentáriosFilmes de ficçãoMúsicosOrganizaçõesPeriódicos

|group10 = Relacionados |list10 = AnticapitalismoAntiestadismoAntimilitarismoAutonomismoPós-anarquismoSindicalismoSocialismo libertário

Wiki letter w.svg Este artigo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o. Editor: considere marcar com um esboço mais específico.