Portal:Anarquia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Conteúdo · Temas gerais · Resumo do conhecimento · Portais · Categorias · Listas · Glossários · Índices · Índice A-Z

(Atualizar Conteúdos)
 ver·editar  Portal da Anarquia
Drapeau noir.svg
Anarquismo é uma ideologia política que tem como princípios a luta contra o corporativismo, o monopólio dos meios de produção e o Estado; o anarquismo coletivista também defende a autogestão, baseando-se fundamentalmente em uma crítica da dominação. Os anarquistas defendem uma transformação social fundamentada em estratégias coerentes com seus fins, que deverão permitir a transformação do sistema capitalista e estatista em um sistema socialista e autogestionário.

O anarquismo surgiu na segunda metade do século XIX, a partir da radicalização do mutualismo de Pierre-Joseph Proudhon no seio da Associação Internacional dos Trabalhadores (AIT), durante o final da década de 1860. Entre 1868 e 1894, o anarquismo já havia se desenvolvido significativamente e também havia sido difundido globamente, e exerceu, até 1949, grande influência entre os movimentos operários e revolucionários, embora tenha continuado a exercer influência significativa em diversos movimentos sociais do período pós-guerra até a contemporaneidade, entre fluxos e refluxos.

As posições dos anarquistas são heterogêneas e o anarquismo tem sido marcado por diversos debates e divergências. Os debates mais relevantes se dão em torno da defesa da autogestão e da estratégia. Com base em discussões estratégicas acerca da organização anarquista, das lutas de curto prazo e da violência, estabelecem-se duas correntes do anarquismo: o anarquismo insurrecionário e o anarquismo social ou de massas. O anarquismo insurrecionário afirma que as lutas de curto prazo por reformas e que os movimentos de massa organizados são incompatíveis como anarquismo, dando ênfase à propaganda pelo ato como o principal meio para despertar uma revolta espontânea revolucionária. Já o anarquismo social ou de massas enfatiza a noção de que apenas movimentos de massa podem ser capazes de provocar a transformação social desejada pelos anarquistas, e que tais movimentos, constituídos normalmente por meio de lutas por reformas e questões imediatas, devem contar com a presença dos anarquistas, que devem trabalhar no sentido de radicalizá-los e transformá-los em agentes revolucionários.
Atalho: WP:ANA
Portal:Anarquia/Mutirão Anarquista Wikipediano Portal:Anarquia/Acervo_de_imagens Portal:Anarquia/Citação Portal:Anarquia/Você_sabia Portal:Anarquia/Calendário histórico
Mutirão Anarquista Wikipediano Acervo de Imagens Banco de Citações Banco de Curiosidades Calendário Histórico
 ver·editar Artigo em Destaque
Michele Angiolillo.jpg
Michele Angiolillo Lombardi (Foggia, 5 de junho de 1871, - Vergara, 20 de agosto de 1897) foi um tipógrafo anarquista italiano que assassinou o primeiro ministro Antonio Cánovas del Castillo em 8 de Agosto de 1896, em um balneário termal em Santa Águeda, em Mondragón.

As motivações de Angiolillo residem na necessidade moral de represália tanto à violência do governo espanhol contra os movimentos independentistas de Cuba e das Filipinas (locais em que o estado espanhol cometera milhares de assassinatos para garantir sua soberania) quanto às medidas repressivas desproporcionais que culminaram nos horrores dos Processos de Montjuïc contra libertários espanhóis e latino-americanos. Diante das marcas das torturas nos corpos de anarquistas que conhecera, e das narrativas trazidas das colônias, Angiolillo tomou para si como imperativa a necessidade de se vingar do governo que cometera tais atrocidades.

Preso na logo após cometer o regicídio Michele Angiolillo seria executado no garrote vil na prisão da cidade de Vergara quase um ano depois de sua ação. Desde então é considerado um dos grandes nomes do anarco-ilegalismo por sua vendetta individual, uma figura algo mítica de grande prestígio entre os libertários espanhóis.

 ver·editar Imagem do Acervo


General Autobus Company 1936.jpg
Imagem de CNT

A socialização dos meios de transporte urbanos na Revolução Espanhola, em 1936, foi uma bem sucedida experiência de autogestão econômica sob os moldes anarquistas.
 ver·editar Citação
Mikail Bakunin
Assim, sob qualquer ângulo que se esteja situado para considerar esta questão, chega-se ao mesmo resultado execrável: o governo da imensa maioria das massas populares se faz por uma minoria privilegiada. Esta minoria, porém, dizem os marxistas, compor-se-á de operários. Sim, com certeza, de antigos operários, mas que, tão logo se tornem governantes ou representantes do povo, cessarão de ser operários e por-se-ão a observar o mundo proletário de cima do Estado; não mais representarão o povo, mas a si mesmos e suas pretensões de governá-lo. Quem duvida disso não conhece a natureza humana.
 ver·editar 20 de julho

Copyleft Pirate symbol.svg

→ Colabore para a ampliação deste calendário traduzindo os dados referentes ao dia 20 de julho do calendário anglófono The Daily Bleed, do calendário francófono L’Ephéméride Anarchiste ou do catalão Anarcoefemèrides.

 ver·editar Sabia que...
La Battaglia: Contra a Imigração
 ver·editar Listas relacionadas ao Anarquismo
 ver·editar Categorias
 ver·editar Portais relacionados
 ver·editar Colabore!

Agradecemos o seu interesse por ampliar e melhorar os artigos relacionados com o Anarquismo na Wikipédia! Abaixo algumas coisas que esperam a sua colaboração.


 ver·editar Anarquismo no...