Economia do Egito

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Economia do Egipto)
Ir para: navegação, pesquisa
Searchtool.svg
Esta página foi marcada para revisão, devido a incoerências e/ou dados de confiabilidade duvidosa. Se tem algum conhecimento sobre o tema, por favor, verifique e melhore a coerência e o rigor deste artigo.
Economia do Egito
Cairo, vista a partir da Cairo Tower.
Moeda Libra egípcia
Blocos comerciais OMC
Banco Central Banco Central do Egito
Estatísticas
PIB 537,8 mil milhões (2012) (27º lugar)
Variação do PIB 2% (2012)
PIB per capita 6 600 dólares (2012)
PIB por setor agricultura 14,7%, indústria 37,4%, serviços 47,9% (2012)
Inflação (IPC) 8,5% (2012)
População
abaixo da linha de pobreza
20% (2005)
Coeficiente de Gini 34,4 (2001)
Força de trabalho total 27,24 milhões (2012)
Força de trabalho
por ocupação
agricultura 32%, indústria 17%, serviços 51% (2001)
Desemprego 12,5% (2012)
Principais indústrias têxteis, processamento de alimentos, turismo, produtos químicos, produtos farmacêuticos, hidrocarbonetos, construção civil, cimento, metais, manufaturas leves
Exterior
Exportações 28,37 mil milhões (2012)
Produtos exportados petróleo bruto, produtos petrolíferos, algodão, têxteis, produtos de metal, produtos químicos e alimentos processados
Principais parceiros de exportação Itália 8,7%, Índia 7,3%, Arábia Saudita 6,1%, EUA 5,2%, Turquia 4,9%, Espanha 4,2%, França 4,2% (2011)
Importações 58,76 mil milhões (2012)
Produtos importados máquinas, equipamentos, alimentos, produtos químicos, produtos de madeira e combustíveis
Principais parceiros de importação EUA 10,7%, República Popular da China 9,1%, Alemanha 6,3%, Itália 5,1%, Kuwait 4,7%, Turquia 4,4%, Arábia Saudita 4,3% (2011)
Dívida externa bruta 34,88 mil milhões (2012)
Finanças públicas
Receitas 56,64 mil milhões (2012)
Despesas 83,24 mil milhões (2012)
Fonte principal: The World Factbook[1]
Salvo indicação contrária, os valores estão em US$

A economia do Egito tinha em 2012 um PIB de mais 500 bilhões de dólares, segundo o método PPC[1]. O Egito tem quatro principais fontes econômicas, em primeiro lugar vem o turismo, que tem como atrações as pirâmides, e o litoral do Mar Mediterrâneo. Em segundo lugar vem a extração e a exportação de petróleo, que gera emprego e lucros para o governo. Em seguida vem os impostos e as taxas alfandegárias que são cobradas sobre os navios que passam pelo canal de Suez, e em último vem as ajudas que são arremetidas por egípcios que vão para outros países e mandam dinheiro para suas famílias. No tempo antigo, a economia do Egito era à base de trocas.

História da economia[editar | editar código-fonte]

Economia é toda baseada na agricultura, com o método de produção asiático. O faraó era o dono de todas as terras do país, organizando todo trabalho agrícola. Também administrava as construções, e minas

No Egito predomina o regime de servidão coletiva, onde todos eram obrigados a trabalhar para sustentar o faraó, ou pagavam tributos na forma de bens para estado.

Setor primário[editar | editar código-fonte]

Agricultura[editar | editar código-fonte]

Na agricultura destacaram-se no cultivo cevada, faziam cerveja, bebida, e, finalmente o papiro natural do delta do Nilo, servia para fabricar cordas, sandálias, barcos e principalmente papel (papiro), muito usado até a Idade Média.E assim surgiram os colonos.

Pecuária[editar | editar código-fonte]

No Egito se criavam: bois, carneiros, cabras, porcos, aves e asnos. A criação de cavalos só começou no Egito quando os hicsos invadiram o país em 1750 a.C., que usaram os cavalos contra o exército egípcio, que copiou a estratégia depois da invasão. A carne era um alimento de luxo, só os ricos podiam desfrutar dos prazeres das carnes. A população pobre só comia carne em ocasiões festivas e especiais.

Setor secundário[editar | editar código-fonte]

Metalurgia[editar | editar código-fonte]

Os egípcios primitivos aprenderam a usar o cobre e o ouro. Forjavam ferramentas, armas e jóias. Depois começaram a fabricar bronze mais duro de cobre e estanho em fornalha. Já no novo Império, inventaram foles que eram operados com o pé. O metal derretido era despejado em formas.

Setor terciário[editar | editar código-fonte]

Comércio[editar | editar código-fonte]

O comércio no Egito funcionava a base de trocas, pois não conheciam o dinheiro naquela época. Essa prática se tornou mais intensa no novo Império, quando as importações e exportações se intensificaram com os contatos comercias com a ilha de Creta, a Palestina, Fenícia e a Síria.

Além disso, desenvolveram uma indústria bastante artesanal, com produção de armas, barcos, cerâmica, tijolos, tecidos, objetos de vidro, couro e metais. Todos esses produtos que eram produzidos pelos artesãos eram exportados. Os produtos mais importados pelos egípcios eram o marfim, peles de animais, perfumes e outros utensílios usados pelos ricos.

Transportes[editar | editar código-fonte]

Com as construções das pirâmides era necessário transportar as pedras de navio. Durante as cheias do Nilo, os egípcios faziam as pedras flutuar até a orla do deserto. Esses navios eram construídos de madeira do Líbano.

Esses navios eram dirigidos com a ajuda de grandes remos, presos à popa. Os egípcios foram os primeiros a usar velas. Mas, para atravessar o Nilo, os homens comuns do Egito utilizavam barcos de junco para pescar e caçar.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b CIA. «The World Factbook»  Consultado em 28 de março de 2013

Ligações externas[editar | editar código-fonte]