Economia da Nigéria

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Economia da Nigéria
Edifício do Banco Central da Nigéria
Moeda Naira
Blocos comerciais OMC, UA, OPEP
Banco Central Banco Central da Nigéria
Estatísticas
PIB 369,8 bilhões (2010) (32º lugar)
Variação do PIB 6,8% (2010)
PIB per capita 2.400 (2010)
PIB por setor agricultura 31,9%, indústria 32,9%, comércio e serviços 35,2% (2010)
Inflação (IPC) 13,9% (2010)
População
abaixo da linha de pobreza
70% (2007)
Coeficiente de Gini 43,7 (2003)
Força de trabalho total 48,33 milhões (2010)
Força de trabalho
por ocupação
agricultura 70%, indústria 10%, comércio e serviços 20% (1999)
Desemprego 4,9% (2010)
Principais indústrias petróleo cru, carvão, estanho, columbita. Óleo de palma, amendoim, algodão, borracha, madeira, peles, têxteis, cimento e outros materiais de construção, alimentos, calçados, produtos químicos, fertilizantes, materiais impressos, cerâmica, aço, embarcações pequenas
Exterior
Exportações 76,33 bilhões (2010)
Produtos exportados petróleo e derivados 95%, cacau, borracha
Principais parceiros de exportação Estados Unidos 35,08%, Índia 10,43%, Brasil 9,32%, Espanha 7,19%, França 4,65% (2009)
Importações 34,18 bilhões (2010)
Produtos importados máquinas, produtos químicos, equipamentos de transporte, manufaturados, alimentos e animais vivos
Principais parceiros de importação República Popular da China 14,89%, Estados Unidos 8,88%, Países Baixos 8,18%, Coreia do Sul 5,46%, Reino Unido 4,63%, França 4,16% (2009)
Dívida externa bruta 11,02 bilhões (2010)
Finanças públicas
Receitas 10,49 bilhões
Despesas US$ 18,08 bilhões (2009)
Ajuda económica recebida, dado não disponível
Fonte principal: The World Factbook
Salvo indicação contrária, os valores estão em US$

A economia da Nigéria, rica em petróleo mas há muito marcada por instabilidade política, corrupção e má gestão macroeconómica, atravessa uma reforma substancial, posta em prática pela nova liderança civil do país a partir de 2008.[1]

Os anteriores governantes militares da Nigéria não foram capazes de diversificar a economia e afastá-la da sobredependência se um setor petrolífero de capitais intensivos, o qual é responsável por 20% do PIB, 95% das receitas de exportação e cerca de 65% das receitas orçamentais. O setor agrícola, em grande medida de subsistência, não acompanhou o rápido crescimento da população e a Nigéria, em tempos um grande exportador de alimentos, agora precisa importá-los

Os recursos minerais incluem o petróleo, o carvão e o estanho. Os produtos agrícolas incluem amendoim, óleo de palma, cacau, citrinos, milho, sorgo, mandioca, inhames e cana-de-açúcar.

Comércio exterior[editar | editar código-fonte]

Em 2020, o país foi o 50º maior exportador do mundo (US $ 53,6 bilhões, 0,3% do total mundial). Na soma de bens e serviços exportados, chega a US $ 67,9 bilhões, ficando em 48º lugar mundial.[2][3] Já nas importações, em 2019, foi o 52º maior importador do mundo: US $ 47,3 bilhões.[4]

Setor primário[editar | editar código-fonte]

Agricultura[editar | editar código-fonte]

A Nigéria produziu, em 2018[5]:

  • 59,4 milhões de toneladas de mandioca (maior produtor do mundo);
  • 47,5 milhões de toneladas de inhame (maior produtor do mundo);
  • 10,1 milhões de toneladas de milho (14º maior produtor do mundo);
  • 7,8 milhões de toneladas de óleo de palma (4º maior produtor do mundo, perdendo apenas de Indonésia, Malásia e Tailândia);
  • 7,5 milhões de toneladas de legume;
  • 6,8 milhões de toneladas de sorgo (2º maior produtor do mundo, perdendo apenas dos Estados Unidos);
  • 6,8 milhões de toneladas de arroz (14º maior produtor do mundo);
  • 4 milhões de toneladas de batata doce (3º maior produtor do mundo, perdendo apenas de China e Malawi);
  • 3,9 milhões de toneladas de tomate (11º maior produtor do mundo);
  • 3,3 milhões de toneladas de taro (maior produtor do mundo);
  • 3 milhões de toneladas de plantain, ou banana-da-terra (5º maior produtor do mundo);
  • 2,8 milhões de toneladas de amendoim (3º maior produtor do mundo, perdendo apenas de China e Índia);
  • 2,6 milhões de toneladas de feijão-fradinho (maior produtor do mundo);
  • 2,2 milhões de toneladas de milhete (4º maior produtor do mundo, perdendo apenas de Índia, Níger e Sudão);
  • 2 milhões de toneladas de quiabo (2º maior produtor do mundo, perdendo apenas da Índia);
  • 1,6 milhão de toneladas de abacaxi (7º maior produtor do mundo);
  • 1,4 milhão de toneladas de cana-de-açúcar;
  • 1,3 milhão de toneladas de batata;
  • 949 mil toneladas de manga (incluindo mangostim e goiaba);
  • 938 mil toneladas de cebola;
  • 833 mil toneladas de mamão (6º maior produtor do mundo);
  • 758 mil toneladas de soja;
  • 747 mil toneladas de pimentão;
  • 585 mil toneladas de egusi;
  • 572 mil toneladas de gergelim (4º maior produtor do mundo, perdendo apenas de Sudão, Myanmar e Índia);
  • 369 mil toneladas de gengibre (3º maior produtor do mundo, perdendo apenas de Índia e China);
  • 332 mil toneladas de cacau (4º maior produtor do mundo, perdendo apenas de Costa do Marfim, Gana e Indonésia);
  • 263 mil toneladas de castanha de carité;

Além de produções menores de outros produtos agrícolas.[5]

Pecuária[editar | editar código-fonte]

Na pecuária, a Nigéria produziu, em 2019: 329 mil toneladas de carne bovina; 302 mil toneladas de carne suína; 239 mil toneladas de carne de frango; 640 mil toneladas de ovo de galinha; 523 milhões de litros de leite de vaca, entre outros.[6]

Setor secundário[editar | editar código-fonte]

Indústria[editar | editar código-fonte]

O Banco Mundial lista os principais países produtores a cada ano, com base no valor total da produção. Pela lista de 2019, a Nigéria tinha a 35ª indústria mais valiosa do mundo (US $ 51,6 bilhões).[7]

Em 2019, a Nigéria não produzia veículos nem aço.[8][9][10]

Energia[editar | editar código-fonte]

Nas energias não-renováveis, em 2020, o país era o 11º maior produtor de petróleo do mundo, 1,77 milhões de barris/dia.[11] Em 2015, o país consumia 316 mil barris/dia (42º maior consumidor do mundo).[12][13] O país foi o 8º maior exportador de petróleo do mundo em 2018 (1,9 milhões de barris/dia).[11] Em 2015, a Nigéria era o 17º maior produtor mundial de gás natural, 45,1 bilhões de m3 ao ano e o 13º maior exportador de gás do mundo (26,3 bilhões de m3 ao ano).[14] O país não produz carvão.[15]

Nas energias renováveis, em 2020, a Nigéria não produzia energia eólica, nem energia solar.[16]

Mineração[editar | editar código-fonte]

Em 2019, o país era o 4º maior produtor mundial de tântalo[17] e o 9º maior produtor mundial de estanho.[18] O país também é um dos maiores produtores do mundo de turmalina, ametista e topázio.

Setor terciário[editar | editar código-fonte]

Turismo[editar | editar código-fonte]

O país tem um turismo pequeno. Em 2010, a Nigéria recebeu 1,5 milhões de turistas internacionais. As receitas do turismo, em 2018, foram de US $ 1,9 bilhões.[19]

Referências