Economia da Geórgia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Economia da Geórgia
Banco Central da Geórgia em Tbilisi.
Moeda Lari
Ano fiscal Ano calendário
Blocos comerciais OMC, GUAM e outras
Estatísticas
PIB $16,324 bilhões (nominal, 2018)
$42,606 bilhões (PPC, 2018)
Variação do PIB Aumento 4,7% (2018)
PIB per capita $4,400 (2018)
PIB por setor agricultura 8,1% indústria 24,6%, Comércio 12,4%, Construção 11,3% (2015)
Inflação (IPC) 4,6% (2019)
População
abaixo da linha de pobreza
9,2% (2010)
Coeficiente de Gini 37.9 (2017)
Força de trabalho total 1,998 milhões (2016)
Força de trabalho
por ocupação
agricultura: 8,2%; industria: 23,7%; serviços: 67,95% (2017)
Desemprego 11,8% (2018)
Principais indústrias Aço, máquinas-ferramenta, eletrodomésticos, mineração (manganês, cobre, ouro), produtos químicos, produtos de madeira, vinho
Exterior
Exportações $3,566 bilhões (2017)
Produtos exportados Veículos, ligas de ferro, fertilizantes, nozes, sucata, ouro, minério de cobre
Principais parceiros de exportação Azerbaijão 17.3%, Turquia 10.4%, Armênia 9.9%, Cazaquistão 7.3%, Ucrânia 6.2%, Estados Unidos 5.5%, Canadá 5.1%, Bulgária 4.7% (2011)
Importações $7,415 bilhões (2017)
Produtos importados Combustíveis, veículos, máquinas e peças, grãos e outros alimentos, fármacos
Principais parceiros de importação Turquia 17.8%, Ucrânia 10%, Azerbaijão 8.3%, República Popular da China 7.6%, Alemanha 6.8%, Rússia 5.6% (2011)
Dívida externa bruta AumentoNegativo $16,99 bilhões (2017)
Finanças públicas
Receitas $4,352 bilhões (2017)
Despesas $4,925 bilhões (2017)
Fonte principal: [[1] The World Factbook]
Salvo indicação contrária, os valores estão em US$

A economia da Geórgia é um livre mercado emergente. Durante o Colapso econômico da União Soviética, o seu Produto interno bruto caiu drásticamente, mas o país conseguiu se recuperar durante os anos 2000, tendo um crescimento superior a 10% ao ano graças às reformas econômicas e democráticas causadas pela pacífica Revolução Rosa. Em 2007, o Banco Mundial nomeou a Geórgia como o país número um em reformas econômicas[2][3], e desde então consistentemente marcou-a como um dos países no topo do seu Index de facilidade de fazer negócios. A economia da Geórgia gira em torno do turismo no Mar Negro, do cultivo de frutas cítricas, de chá e de uvas, da mineração do manganês e do cobre e da exportação de vinho, de metais, de maquinaria, de produtos químicos, e de produtos têxteis. O país importa o volume de suas necessidades de energia, incluindo o gás natural e o petróleo. A única alternativa interna que a Geórgia tem para isso é a energia hidrelétrica.

Desemprego[editar | editar código-fonte]

O desemprego é um problema persistente na Geórgia desde a independência do país em 1991. De acordo com a Agência Nacional de Estatísticas do país, o desemprego em 2010 era de 16.3%[4], e desde então vêm sendo reduzido, tendo caído para 11.5% em 2017[1].

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. a b CIA. «The World Factbook». Consultado em 17 de março de 2013 
  2. Banco Mundial, Georgia, Acesso: 16 de setembro de 2018.
  3. Russia Today, Georgia’s reforms please World Bank. Acesso:17 de junho de 2007.
  4. «GeoStat.Ge». geostat.ge. Consultado em 16 de setembro de 2018 

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre economia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.


Flag map of Georgia.svg Geórgia
História • Política • Forças Armadas • Subdivisões • Geografia • Economia • Demografia • Cultura • Turismo • Portal • Imagens