Economia da Nova Zelândia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Economia da Nova Zelândia
Auckland, o principal centro financeiro do país.
Moeda Dólar neozelandês
Ano fiscal Ano calendário
Blocos comerciais OMC, OCDE, APEC
Estatísticas
Bolsa de valores New Zealand Exchange
PIB
  • Aumento $203,127 bilhões (nominal, 2018)[1]
  • Aumento $197,660 bilhões (PPC, 2018)[1]
Variação do PIB Aumento 2,5% (2019)[1]
PIB per capita
  • Baixa $41,205 (nominal, 2018)[1]
  • Aumento $40,096 (PPC, 2018)[1]
PIB por setor
  • Indústrias: 7.6%
  • Manufatura: 12,2%
  • Serviços: 71%
  • (2011)[2]
Inflação (IPC)
  • Aumento 1,6% (2018)[1]
População
abaixo da linha de pobreza
Sem estatísticas oficiais
Coeficiente de Gini 34,9 (2014)[3]
Força de trabalho total Aumento 2,680 milhões (2019)[4]
Força de trabalho
por ocupação
  • Agricultura: 6,6%
  • Indústria: 20,7%
  • Serviços: 72,7%
  • (2017)[5]
Desemprego BaixaPositiva 3,9% (2019)[4]
Principais indústrias processamento de alimentos, produtos de madeira e papel, têxteis, máquinas, equipamentos de transporte, mineração
Exterior
Exportações NZ$ 79,823 bilhões (2018)[6]
Produtos exportados produtos de granja, carne, madeira e derivados, peixe, máquinas
Principais parceiros de exportação Austrália 23,36%, Estados Unidos 9,64%, República Popular da China 9,21%, Japão 7,1%, Reino Unido 4,21% (2009)
Importações NZ$ 76,076 bilhões (2018)[6]
Produtos importados máquinas e equipamentos, veículos e aeronaves, petróleo, eletrônica, têxteis, plásticos
Principais parceiros de importação Austrália 18,4%, República Popular da China 15,09%, Estados Unidos 10,45%, Japão 7,24%, Alemanha 4,16%, Singapura 4,12% (2009)
Finanças públicas
Dívida pública BaixaPositiva 31,7% do PIB (2017)[5]
Receitas $74,11 bilhões (2017)[5]
Despesas $70,97 bilhões (2017)[5]
Fonte principal: The World Factbook
Salvo indicação contrária, os valores estão em US$

A Nova Zelândia evoluiu nos últimos anos de uma economia agrária dependente principalmente do mercado britânico para uma economia de mercado moderna, com importante componente industrial e capaz de competir globalmente. Sua dinâmica economia resulta num expressivo Produto Interno Bruto e principalmente num elevado PIB per capita (US$ 28.000 dólares americanos em 2010).[7] Suas principais atividades econômicas são a agricultura, a horticultura, a pesca e a silvicultura. Este país possui ainda substanciais indústrias transformadoras, turismo e serviços. É importante destacar as indústrias pesadas, de alumínio e siderurgia concentradas respetivamente nas regiões sul e norte. A moeda oficial do país é o dólar neozelandês.

A Nova Zelândia faz parte do tratado internacional chamado APEC (Asia-Pacific Economic Cooperation), um bloco econômico que tem por objetivo transformar o Pacífico numa área de livre comércio e que engloba economias asiáticas, americanas e da Oceania.

Boeing 747-400 da Air New Zealand

O país é o 25.º na lista ordenada de competitividade do Fórum Econômico Mundial.[8]

Comércio exterior[editar | editar código-fonte]

Em 2020, o país foi o 56º maior exportador do mundo (US $ 38,1 bilhões em mercadorias, 0,2% do total mundial). Na soma de bens e serviços exportados, chega a US $ 57,1 bilhões e fica em 51º lugar mundial.[9][10] Já nas importações, em 2020, foi o 57º maior importador do mundo: US $ 37,1 bilhões.[11]

Setor primário[editar | editar código-fonte]

Agricultura[editar | editar código-fonte]

A Nova Zelândia produziu, em 2018, 414 mil toneladas de kiwi (foi o 3º maior produtor do mundo). Além disso, no mesmo ano, produziu 511 mil toneladas de batata, 453 mil toneladas de maçã, 426 mil toneladas de uva, 379 mil toneladas de cevada, 371 mil toneladas de trigo, 265 mil toneladas de milho, 246 mil toneladas de cebola, além de produções menores de outros produtos agrícolas, como abóbora, tomate e cenoura.[12]

Pecuária[editar | editar código-fonte]

A Nova Zelândia produziu, em 2019, 21,8 bilhões de litros de leite de vaca (8º maior produtor do mundo), 683 mil toneladas de carne bovina (20º maior produtor do mundo), 449 mil toneladas de carne de cordeiro (3º maior produtor do mundo), 238 mil toneladas de carne de frango, 23 mil toneladas de mel (17º maior produtor do mundo), entre outros.[13]

Setor secundário[editar | editar código-fonte]

Indústria[editar | editar código-fonte]

O Banco Mundial lista os principais países produtores a cada ano, com base no valor total da produção. Pela lista de 2019, a Nova Zelândia tinha a 53ª indústria mais valiosa do mundo (US $ 21,0 bilhões).[14]

Em 2019, a Nova Zelândia não produzia veículos e não estava entre os 40 maiores produtores do mundo de aço.[15][16][17] Em 2018, foi o 2º maior produtor mundial de manteiga [18] e em 2019, foi o 3º maior produtor mundial de .[19] Em 2018, foi o 16º maior produtor do mundo de vinho.[20]

Energia[editar | editar código-fonte]

Nas energias não-renováveis, em 2020, o país era o 65º maior produtor de petróleo do mundo, extraindo 18,5 mil barris/dia.[21] Em 2011, o país consumia 148 mil barris/dia (65º maior consumidor do mundo) [22][23]. O país foi o 47º maior importador de petróleo do mundo em 2013 (101 mil barris/dia).[21] Em 2015, a Nova Zelândia era o 50º maior produtor mundial de gás natural, 4,9 bilhões de m3 ao ano. Em 2019 o país era o 59º maior consumidor de gás (4,8 bilhões de m3 ao ano).[24] Na produção de carvão, o país foi o 36º maior do mundo em 2018: 2,9 milhões de toneladas.[25]

Nas energias renováveis, em 2020, a Nova Zelândia era o 40º maior produtor de energia eólica do mundo, com 0,7 GW de potência instalada, e o 72º maior produtor de energia solar do mundo, com 0,1 GW de potência instalada.[26]

Setor terciário[editar | editar código-fonte]

Turismo[editar | editar código-fonte]

Em 2018, a Nova Zelândia recebeu 3,6 milhões de turistas internacionais. As receitas do turismo, neste ano, foram de US $ 11,0 bilhões.[27]

Referências

  1. a b c d e f «World Economic Outlook Database, October 2019». IMF.org. International Monetary Fund. Consultado em 20 de outubro de 2019 
  2. «New Zealand Economic and Financial Overview» (PDF). New Zealand Treasury. 2012. pp. 19–23. Consultado em 17 de março de 2017. Cópia arquivada (PDF) em 4 de maio de 2017 
  3. «Income inequality». data.oecd.org. OECD. Consultado em 23 de outubro de 2019 
  4. a b «Labour market statistics: June 2019 quarter». stats.govt.nz. Statistics New Zealand. Consultado em 23 de outubro de 2019 
  5. a b c d «The World Factbook». CIA.gov. Central Intelligence Agency. Consultado em 23 de outubro de 2019 
  6. a b «Goods and services trade by country: Year ended June 2018 – corrected». Statistics New Zealand. Consultado em 10 de fevereiro de 2019 
  7. The World Factbook. Consultado em 6 de março de 2011
  8. The Global Competitiveness Index 2011-2012 rankings
  9. Trade Map - List of exporters for the selected product in 2018 (All products)
  10. Market Intelligence: Disclosing emerging opportunities and hidden risks
  11. «International Trade Statistics». International Trade Centre. Consultado em 25 de agosto de 2020 
  12. New Zealand production in 2018, by FAO
  13. Pecuária da Nova Zelândia em 2019, pela FAO
  14. Fabricação, valor agregado (US $ corrente)
  15. World vehicle production in 2019
  16. World crude steel production
  17. Global crude steel output increases by 3.4% in 2019
  18. Butter, Cow Milk production by FAO
  19. Wool, greasy production in 2019, Production quantity, by FAO
  20. Major Wine Producers
  21. a b Annual petroleum and other liquids production
  22. Statistical Review of World Energy, June 2020
  23. The World Factbook — Central Intelligence Agency
  24. CIA. The World Factbook. Natural gas - production.
  25. Statistical Review of World Energy 2018
  26. RENEWABLE CAPACITY STATISTICS 2021
  27. Destaques do turismo internacional