Economia da África do Sul

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Economia da África do Sul
Johanesburgo, capital econômica da África subsaariana.
Moeda Rand (ZAR)
Ano fiscal 1 de abril – 31 de março (governo); 1 de março – 28/29 de fevereiro (público e privado)
Blocos comerciais OMC, G-20, SACU e outras
Estatísticas
PIB $ 758,12 bilhões (2017)[1]
Variação do PIB Aumento 1,3% (2017)
PIB per capita $11.500 (2013) [2]
PIB por setor agricultura 2,8%, indústria 29,7%, serviços 67,5% (2017)
Inflação (IPC) BaixaPositiva 5,4% (2017)[3]
População
abaixo da linha de pobreza
AumentoNegativo 26,2% (2011)[4]
Força de trabalho total 22,2 milhões (2017)[5]
Força de trabalho
por ocupação
agricultura: 4,6%, indústria: 23,5%, serviços: 71,9% (2014)
Desemprego 29% (2019)[6]
Principais indústrias mineração (maior produtor mundial de platina; ouro, cromo), montagem de automóveis, metalurgia, máquinas, têxteis, ferro e aço, produtos químicos, fertilizante, alimentos, conserto de embarcações
Exterior
Exportações $ 69,1 bilhões (2016) [7]
Produtos exportados ouro, diamante, platina, outros metais e minérios, máquinas e equipamentos
Principais parceiros de exportação China 11.8%, U.S. 8.3%, Japão 6%, Alemanha 5.7%, Índia 4.2% (2012)
Importações $ 73,7 bilhões (2016) [8]
Produtos importados máquinas e equipamentos, produtos químicos, derivados de petróleo, instrumentos científicos, alimentos
Principais parceiros de importação China 14.4%, Alemanha 10.1%, Arábia Saudita 7.7% , U.S. 7.4%, Japão 4.6%, Índia 4.5% (2012) [9]
Dívida externa bruta AumentoNegativo $ 47,66 (2011)
Finanças públicas
Receitas Baixa $ 95,27 bilhões (2012)[10]
Despesas AumentoNegativo $116,55 bilhões (2012)[11]
Fonte principal: [[12] The World Factbook]
Salvo indicação contrária, os valores estão em US$

A África do Sul é um dos maiores produtores de ouro e diamantes. Há grandes diferenças entre a população de origem europeia, mais rica, e a população de origem africana, mais pobre.

O país é o 45º no ranking de competitividade do Fórum Econômico Mundial.[13]

Fiscalidade[editar | editar código-fonte]

O ano fiscal na África do Sul dura de 1 de abril a 31 de março do ano seguinte.

No ano fiscal 2005-2006, o Serviço de Impostos Sul-africano superou as suas expectativas ao cobrar 418 bilhões de rands, vendo assim o déficit nacional baixar para 0,3%, o segundo mais baixo da sua história.[14]

Comércio exterior[editar | editar código-fonte]

Em 2020, o país foi o 38º maior exportador do mundo (US $ 90,4 bilhões, 0,5% do total mundial). Na soma de bens e serviços exportados, chega a US $ 104,8 bilhões, ficando em 37º lugar mundial.[15][16] Já nas importações, em 2019, foi o 39º maior importador do mundo: US $ 88,2 bilhões.[17]

Setores[editar | editar código-fonte]

Setor primário[editar | editar código-fonte]

Agricultura[editar | editar código-fonte]

A África do Sul tem uma forte base agrícola. O clima temperado e a grande superfície de terras férteis permitem grande superfície de culturas e abundantes colheitas. Com o final do regime do Apartheid a classe política emergente falhou em impôr um sistema de reforma agrária de forma a equalizar a posse de terras entre a minoria branca e a maioria negra, mas isso ainda não veio a se executar.

O elemento base da subsistência da população é o milho, ali chamado mealie.

A tabela seguinte apresenta as oito maiores colheitas em 2005, por produção.[18]

Produção 10³ ha 106 ton
Cana-de-açúcar 312 21,73
Milho 3.342 12,00
Trigo 801 2,03
Batata 53 1,91
Uva 123 1,70
Citrinos 84 1,56
Maçã 21 0,78
Girassol 460 0,69

A África do Sul produziu, em 2018, 19,3 milhões de toneladas de cana-de-açúcar (14º maior produtor do mundo), 12,5 milhões de toneladas de milho (12º maior produtor do mundo), 1,9 milhão de toneladas de uva (11º maior produtor do mundo), 1,7 milhão de toneladas de laranja (11º maior produtor do mundo) e 397 mil toneladas de pera (7º maior produtor do mundo). Além disso, no mesmo ano, produziu 2,4 milhões de toneladas de batata, 1,8 milhão de toneladas de trigo, 1,5 milhão de toneladas de soja, 862 mil toneladas de girassol, 829 mil toneladas de maçã, 726 mil toneladas de cebola, 537 mil toneladas de tomate, 474 mil toneladas de limão, 445 mil toneladas de grapefruit, 444 mil toneladas de banana, 421 mil toneladas de cevada, além de produções menores de outros produtos agrícolas, como abacate, abacaxi, pêssego, tangerina, abóbora, repolho, cenoura, colza, sorgo etc.[19]

Pecuária[editar | editar código-fonte]

Na pecuária, a África do Sul produziu, em 2019: 1,8 milhões de toneladas de carne de frango; 1,0 milhões de toneladas de carne bovina; 279 mil toneladas de carne suína; 2,8 bilhão de litros de leite de vaca; 564 mil toneladas de ovo de galinha, entre outros. O país é o 11º maior produtor mundial de .[20]

Mineração[editar | editar código-fonte]

A África do Sul exibe uma das maiores concentrações de riquezas minerais do mundo, entre as quais se destacam:

A África do Sul foi por décadas o maior produtor mundial de ouro até perder este posto em 2006. O país produzia quase 1000 toneladas anuais em 1970, e o volume foi decaindo lentamente ao longo dos anos. Em 2019, havia produzido 105 toneladas.[21]

Em 2019, o país era o maior produtor mundial de platina;[22] o maior produtor mundial de cromo;[23] o maior produtor mundial de manganês;[24] o 2º maior produtor mundial de titânio;[25] o 11º maior produtor mundial de ouro;[26] o 3º produtor mundial de vanádio;[27] o 6º maior produtor mundial de minério de ferro;[28] o 11º maior produtor mundial de cobalto;[29] e o 15º maior produtor mundial de fosfato.[30] Era o 12º maior produtor do mundo de urânio em 2018.[31]

Setor secundário[editar | editar código-fonte]

Indústria e serviços[editar | editar código-fonte]

O Banco Mundial lista os principais países produtores a cada ano, com base no valor total da produção. Pela lista de 2019, a África do Sul tinha a 42ª indústria mais valiosa do mundo (US $ 41,4 bilhões).[32]

Em 2019, a África do Sul era a 22ª maior produtora de veículos do mundo (0,6 milhões) e a 26ª maior produtora de aço (6,3 milhões de toneladas).[33][34][35] A África do Sul é também um dos 10 maiores produtores mundiais de vinho (foi o 9º maior produtor do mundo em 2018).[36] Em 2018, o país foi o 10º maior produtor do mundo de óleo de girassol.[37]

Energia[editar | editar código-fonte]

Nas energias não-renováveis, em 2020, o país era o 86º maior produtor de petróleo do mundo, com uma produção quase nula.[38] Em 2019, o país consumia 569 mil barris/dia (31º maior consumidor do mundo).[39][40] O país foi o 22º maior importador de petróleo do mundo em 2013 (414 mil barris/dia).[41] Em 2015, a África do Sul era a 64º maior produtora mundial de gás natural, 1,1 bilhões de m3 ao ano.[42] Em 2009 a África do Sul era a 38ª maior importadora de gás do mundo (3,5 bilhões de m3 ao ano).[43] Na produção de carvão, o país foi o 7º maior do mundo em 2018: 252,3 milhões de toneladas.[44] Em 2019, o país tinha 2 usinas atômicas em seu território, com uma potência instalada de 1,8 GW.[45]

Nas energias renováveis, em 2020, a África do Sul era o 26º maior produtor de energia eólica do mundo, com 2,6 GW de potência instalada, e o 17º maior produtor de energia solar do mundo, com 5,9 GW de potência instalada.[46]

Produção elétrica da África do Sul: 257.9 TW/hora[47]

Consumo de energia na África do Sul: 234.2 TW/hora[48]

Setor terciário[editar | editar código-fonte]

Turismo[editar | editar código-fonte]

Em 2018, a África do Sul foi o 36º país mais visitado do mundo, com 10,4 milhões de turistas internacionais. As receitas do turismo, neste ano, foram de US $ 8,9 bilhões.[49]

A África do Sul foi durante muito tempo associada ao regime do Apartheid, segregação entre brancos e negros. Com o fim do Apartheid em 1994 e através da eleição democrática do primeiro presidente negro do país, Sr. Nelson Mandela, o país libertou-se das sanções econômicas da ONU e alavancou o turismo como parte importante da economia. Um conjunto associado de beleza exótica e boa infraestrutura de estradas e acomodações, fizeram do país um dos principais destinos do continente africano.

A feira INDABA de turismo no continente africano, anualmente sediada na cidade de Durban, contou em 2007, com mais de 12.000 espectadores (1680 empresas, 7400 funcionários e empresários, 4500 visitantes por dia, 550 jornalistas e mídia especializada).

O turismo apresenta a imagem da África selvagem. O ponto alto do turismo de aventura é um safári pela savana africana. O Parque Nacional Kruger é uma das principais reservas de mamíferos do mundo, permitindo a observação da vida de animais selvagens no habitat natural. Além da diversidade de pássaros, répteis, anfíbios, é possível a observação de mamíferos primatas, ruminantes, carnívoros e tradicionalmente os big five: leão, leopardo, elefante, rinoceronte e búfalo.

Estratégia de crescimento da indústria da cultura: O Ministério de Arte e Cultura da África do Sul trabalha em parceria como o Ministério de Comércio e Indústria para desenvolvimento de uma estratégia de crescimento da indústria da cultura e do turismo. O governo identificou estas indústrias como a chave econômica para o crescimento de outras áreas no país. O propósito é aumentar a potencialidade da indústria cultural e do turismo sul-africano na contribuição para a geração de empregos e renda no país.

Referências

  1. http://www.indexmundi.com/g/g.aspx?v=65&c=sf&l=pt
  2. http://www.indexmundi.com/pt/africa_do_sul/produto_interno_bruto_(pib)_per_capita.html
  3. http://www.indexmundi.com/pt/africa_do_sul/taxa_de_inflacao_(precos_ao_consumidor).html
  4. http://www.indexmundi.com/pt/africa_do_sul/populacao_abaixo_do_nivel_de_pobreza.html
  5. http://www.indexmundi.com/pt/africa_do_sul/forca_laboral.html
  6. http://www.indexmundi.com/pt/africa_do_sul/taxa_de_desemprego.html
  7. http://www.indexmundi.com/pt/africa_do_sul/exportacoes.html
  8. http://www.indexmundi.com/pt/africa_do_sul/importacoes.html
  9. http://www.indexmundi.com/pt/africa_do_sul/importacoes_procedencia.html
  10. http://www.indexmundi.com/pt/africa_do_sul/orcamento.html
  11. http://www.indexmundi.com/pt/africa_do_sul/orcamento.html
  12. «The World Factbook - África do Sul» (em (em inglês)) 
  13. The Global Competitiveness Index 2009–2010 rankings and 2008–2009 comparisons
  14. southafrica.info, 4 de Abril de 2006
  15. Trade Map - List of exporters for the selected product in 2018 (All products)
  16. Market Intelligence: Disclosing emerging opportunities and hidden risks
  17. «International Trade Statistics». International Trade Centre. Consultado em 25 de agosto de 2020 
  18. FAOSTAT database
  19. South Africa production in 2018, by FAO
  20. Produção da pecuária da África do Sul em 2019, pela FAO
  21. USGS Gold Production Statistics
  22. USGS Platinum Production Statistics
  23. USGS Chromium Production Statistics
  24. USGS Manganese Production Statistics
  25. USGS Titanium Production Statistics
  26. USGS Gold Production Statistics
  27. USGS Vanadinum Production Statistics
  28. USGS Iron Ore Production Statistics
  29. USGS Cobalt Production Statistics
  30. USGS Phosphate Production Statistics
  31. World Uranium Mining
  32. Fabricação, valor agregado (US $ corrente)
  33. World vehicle production in 2019
  34. World crude steel production
  35. Global crude steel output increases by 3.4% in 2019
  36. Major Wine Producers
  37. Produção de óleos, pela FAO
  38. Annual petroleum and other liquids production
  39. Statistical Review of World Energy, June 2020
  40. The World Factbook — Central Intelligence Agency
  41. Annual petroleum and other liquids production
  42. CIA. The World Factbook. Natural gas - production.
  43. CIA Gas imports
  44. Statistical Review of World Energy 2018
  45. Nuclear Share of Electricity Generation in 2019
  46. RENEWABLE CAPACITY STATISTICS 2021
  47. «Produção Elétrica na África do Sul». África do Sul - Eletricidade. Indexmundi 
  48. «Consumo de energia elétrica». África do Sul - Eletricidade. Indexmundi 
  49. Destaques do turismo internacional