Economia da Espanha

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Economia da Espanha
Distrito Financeiro Madrid.
Moeda Euro
Ano fiscal ano calendário
Blocos comerciais OMC, União Europeia, OCDE
Banco Central Banco de España
Estatísticas
Bolsa de valores Bolsa de Madrid
PIB
  • Aumento $1,440 trilhões (nominal, 2020 est.)[1]
  • Aumento $2,016 trilhões (PPC, 2020 est.)[1]
Variação do PIB Aumento 2,2% (2019)[1]
PIB per capita $30,733 (nominal, 2018 est.)[1]
PIB por setor agricultura 3,3%; indústria 24,2%; comércio serviços 72,6% (2012)
Inflação (IPC) Baixa 1,7% (2012)[2]
População
abaixo da linha de pobreza
21,1% (2012)
Coeficiente de Gini 42 (2012)[3]
Força de trabalho total Steady.svg 22,75 milhões (2017)[4]
Força de trabalho
por ocupação
agricultura: 4,2%, indústria: 24%, serviços: 71,7% (2009)
Desemprego 13,7% (janeiro de 2020)[5]
Principais indústrias máquinas e equipamentos, química, farmacêutica, automóveis, metalurgia, têxtil e vestuário (inclusive calçados), alimentos e bebidas, turismo, cerâmica e refratários, equipamento médico
Exterior
Exportações $ 313,7 bilhões (2017)[6]
Produtos exportados máquinas e equipamentos, veículos a motor; produtos químicos, construção naval, fármacos, bens de consumo, alimentos
Principais parceiros de exportação França 17,8%, Alemanha 10,6%, Portugal 8,3%, Itália 8,3%, Reino Unido 6,7% (2011)
Importações $ 338,6 bilhões (2017)[6]
Produtos importados combustíveis, produtos químicos, alimentos, prod. semiacabados, bens de consumo, instrumentos de medição e controle médico
Principais parceiros de importação Alemanha 13%, França 11,8%, Itália 6,7%, República Popular da China 5,8%, Países Baixos 5%, Reino Unido 4,5% (2011)
Dívida externa bruta $2,094 trilhões (2017)
Finanças públicas
Dívida pública BaixaPositiva 98,4% do PIB (2017)
Receitas $498,1 bilhões (2017)
Despesas $539 bilhões (2017)
Fonte principal: [[7] The World Factbook]
Salvo indicação contrária, os valores estão em US$

Depois de quase 15 anos de crescimento do PIB acima da média da UE, a economia começou a desacelerar no final de 2007 e entrou em recessão no final de 2008. A Crise econômica de 2008 teve um enorme impacto sobre o país.[8] O PIB contraiu-se 3,7% em 2009, teve pequenos crescimentos de 0,3% em 2010 e 0,4% em 2011 para novamente sofrer uma retração de 1,3% em 2012.[7] A economia novamente entrou em recessão pois a desvantagem do setor privado, a consolidação orçamentária e o desemprego continuamente alto comprimem a demanda doméstica e o investimento, mesmo com as exportações mostrando sinais de resiliência.[7] O desemprego aumentou de 8% em 2007 para 26% em 2012.[7]O país desde 2014 recuperou suas exportações e a taxa de desemprego, mas ainda alta, é gradualmente reduzido. Seus investimentos pioneiros a década de 1990 na América Latina, Ásia (especialmente China e Índia) e África têm sustentado crescimento.[9]

Setor primário[editar | editar código-fonte]

Agricultura[editar | editar código-fonte]

A Espanha produziu, em 2018[10]:

  • 9,8 milhões de toneladas de azeitona (maior produtor do mundo);
  • 9,1 milhões de toneladas de cevada (5º maior produtor do mundo);
  • 7,9 milhões de toneladas de trigo (19º maior produtor do mundo);
  • 6,6 milhões de toneladas de uva (4º maior produtor do mundo, somente atrás de China, Itália e EUA);
  • 4,7 milhões de toneladas de tomate (8º maior produtor do mundo);
  • 3,8 milhões de toneladas de milho;
  • 3,6 milhão de toneladas de laranja (6º maior produtor do mundo);
  • 2,8 milhões de toneladas de beterraba, que serve para produzir açúcar e etanol;
  • 2 milhões de toneladas de batata;
  • 1,9 milhões de toneladas de tangerina (2º maior produtor do mundo, somente atrás da China);
  • 1,4 milhão de toneladas de aveia (3º maior produtor do mundo, somente atrás de Rússia e Canadá);
  • 1,2 milhão de toneladas de cebola (17º maior produtor do mundo);
  • 1,2 milhão de toneladas de pimenta chili (5º maior produtor do mundo);
  • 1,1 milhão de toneladas de melancia (14º maior produtor do mundo);
  • 1 milhão de toneladas de limão (7º maior produtor do mundo);
  • 950 mil toneladas de girassol (11º maior produtor do mundo);
  • 934 mil toneladas de alface e chicória;
  • 903 mil toneladas de pêssego (4º maior produtor do mundo, somente atrás de China, Itália e Grécia);
  • 818 mil toneladas de arroz;
  • 725 mil toneladas de couve-flor e brócolis;
  • 717 mil toneladas de abóbora;
  • 664 mil toneladas de melão;
  • 649 mil toneladas de triticale;
  • 562 mil toneladas de maçã;
  • 492 mil toneladas de caqui (2º maior produtor do mundo, somente atrás da China);
  • 388 mil toneladas de centeio (8º maior produtor do mundo);
  • 386 mil toneladas de banana;
  • 382 mil toneladas de cenoura;
  • 344 mil toneladas de morango (6º maior produtor do mundo);
  • 339 mil toneladas de amêndoa (2º maior produtor do mundo, somente atrás dos EUA);
  • 332 mil toneladas de pera;
  • 273 mil toneladas de alho;
  • 262 mil toneladas de ervilha seca;
  • 238 mil toneladas de beringela;
  • 213 mil toneladas de repolho;
  • 208 mil toneladas de alcachofra (3º maior produtor do mundo, somente atrás de Itália e Egito);
  • 176 mil toneladas de damasco (6º maior produtor do mundo);

Além de produções menores de outros produtos agrícolas.[11]

Mais de metade do rebanho bovino se concentra nas áreas úmidas do norte, enquanto a criação de ovinos se desenvolve na meseta. O gado caprino adapta-se melhor às condições do árido sudeste, e a criação de porcos é comum na Extremadura.

Pesca[editar | editar código-fonte]

Dados de 1993
  • 11,3 milhão toneladas

Minérios[editar | editar código-fonte]

Dados de 1992
  • Carvão (18,6 milhões t).
  • Antracito (14,7 milhões t).
  • Petróleo (1 milhão de t).
  • Zinco (206 mil t)h.
  • Gás natural (48 mil petajoules)
  • Outros : gipsita

Setor secundário[editar | editar código-fonte]

Indústria[editar | editar código-fonte]

  • Automobilística.
  • Construção naval.
  • Eletrônica
  • Química.
  • transporte.
  • Siderúrgica.
  • Têxtil.
  • Calçados.
  • Alimentícia (azeite e vinho).


Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c d «World Economic Outlook Database, October 2019». IMF.org. International Monetary Fund. Consultado em 16 de outubro de 2019 
  2. Espanha confirma inflação em 1,7% em maio
  3. España, el país más desigual de la Eurozona
  4. Erro de citação: Etiqueta <ref> inválida; não foi fornecido texto para as refs de nome ine
  5. «Unemployment by sex and age - monthly average». appsso.eurostat.ec.europa.eu. Eurostat. Consultado em 5 de março de 2020 
  6. a b «CIA World Factbook». CIA.gov. Central Intelligence Agency. Consultado em 15 de janeiro de 2019 
  7. a b c d CIA. «The World Factbook»  Consultado em 6 de abril de 2013
  8. State Borrowing Gets Pricey: Greece and Ireland are having to pay more and more to borrow. Pity their taxpayers, por Parmy Olson. Forbes, 16 de janeiro de 2009.
  9. [1] [2]
  10. Spain production in 2018, by FAO
  11. Spain production in 2018, by FAO
Portal A Wikipédia tem o portal:
Bandeira da Espanha Espanha
Bandeira • Brasão • Hino • Cinema • Culinária • Cultura • Demografia • Desporto • Economia • Forças Armadas • Geografia • História • Portal • Política • Subdivisões • Turismo • Imagens
Ícone de esboço Este artigo sobre economia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.