Economia da Zâmbia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Economia da Zâmbia

Centro de Lusaka, capital do país

Moeda Kwacha zambiana
Organizações de comércio OMC, União Africana
Estatísticas[1][2]
Produto Interno Bruto US$ 73,299 bilhões (2018)
% de cresc. do PIB 4% (2017)
PIB per capita US$ 3,868 (2018)
PIB por setor agricultura 17,5%, indústria 26%, comércio e serviços 56,5% (2007)
Inflação anual 7,5% (2018)
População abaixo da linha de pobreza 60% (2010)
Força de trabalho 7,5 milhões (2018)
Força de trabalho por setor agricultura 85%, indústria 6%, comércio e serviços 9% (2004)
Taxa de Desemprego 7,2% (2018)
Principais indústrias mineração e processamento de cobre, construção civil, alimentos, bebidas, produtos químicos, fertilizantes, horticultura
Parcerias comerciais[3]
Exportações (US$) 9,710 bilhões (2017)
Principais produtos exportados cobre-cobalto, cobalto, açucares de cana, tabaco, pedras preciosas
Principais mercados Suíça 38,4%, África do Sul 7,3%, China 15%, Índia 9,5%, Congo-Kinshasa 5,1% (2017)
Importações (US$) 8,5 bilhões (2017)
Principais produtos importados minérios de cobre, máquinas, equipamentos de transporte, óxidos e hidróxidos de cobalto, derivados de petróleo, eletricidade, fertilizantes,
Principais parceiros África do Sul 31%, Congo-Kinshasa 21%, China 14%, Kuwait 5% (2017)
Finanças públicas [1]
Dívida externa US$ 2 798 milhões (2007)
Receitas totais (US$) 2 508 milhões (2007)
Despesas (US$) 2 838 milhões
Ajuda econômica recebida US$ 504 milhões (2007)

A economia da Zâmbia cresceu muito ao decorrer dos anos principalmente em 2018, juntamente com sua renda per capita anual (US$ 3,868 dólares) crescendo relativamente. A sua economia depende parcialmente do comércio e serviços, indústria e agricultura e mineração e processamento de cobre. A economia do país está entre as 100 maiores economias do mundo e está entre as 20 maiores economias da África.

O desemprego é o principal problema que o país enfrenta.

É um dos países mais urbanizados da África Subsaariana. Aproximadamente metade da população do país está concentrado em zonas urbanas próximas as rodovias e rotas de transporte enquanto boa parte das áreas rurais estão desabitada.

Comércio exterior[editar | editar código-fonte]

Em 2020, o país foi o 99º maior exportador do mundo (US $ 6,9 bilhões, menos de 0,1% do total mundial). Na soma de bens e serviços exportados, chega a US $ 8,2 bilhões, ficando em 99º lugar mundial.[4][5] Já nas importações, em 2019, foi o 106º maior importador do mundo: US $ 7,2 bilhões.[6]

Setor primário[editar | editar código-fonte]

Agricultura[editar | editar código-fonte]

A Zâmbia produziu, em 2019[7]:

  • 4,9 milhões de toneladas de cana-de-açúcar;
  • 4 milhões de toneladas de mandioca (18º maior produtor do mundo);
  • 2 milhões de toneladas de milho;
  • 281 mil toneladas de soja;
  • 153 mil toneladas de tabaco (6º maior produtor do mundo);
  • 151 mil toneladas de trigo;
  • 130 mil toneladas de amendoim;
  • 109 mil toneladas de batata doce;
  • 72 mil toneladas de algodão;
  • 6,9 mil toneladas de café;

Além de outras produções de outros produtos agrícolas.[7]

Pecuária[editar | editar código-fonte]

Na pecuária, a Zâmbia produziu, em 2019: 191 mil toneladas de carne bovina; 50 mil toneladas de carne de frango; 34 mil toneladas de carne suína; 453 milhões de litros de leite de vaca, entre outros.[8]

Setor secundário[editar | editar código-fonte]

Indústria[editar | editar código-fonte]

O Banco Mundial lista os principais países produtores a cada ano, com base no valor total da produção. Pela lista de 2019, a Zâmbia tinha a 119ª indústria mais valiosa do mundo (US $ 1,5 bilhões).[9]

Mineração[editar | editar código-fonte]

Em 2019, o país era o 7º maior produtor mundial de cobre.[10]

Energia[editar | editar código-fonte]

Nas energias não renováveis, em 2020, o país não produzia petróleo.[11] Em 2011, o país consumia 19 mil barris/dia (129º maior consumidor do mundo) [12][13] Em 2012 o país era o 73º maior importador de petróleo do mundo (14 mil barris/dia).[11] Em 2015, o país não produzia gás natural.[14]

Nas energias renováveis, em 2020, a Zâmbia não tinha energia eólica nem energia solar.[15]

Setor terciário[editar | editar código-fonte]

Turismo[editar | editar código-fonte]

Em 2017, a Zâmbia recebeu 1,0 milhões de turistas internacionais. As receitas do turismo, neste ano, foram de US $ 0,6 bilhões.[16]