Edda em verso

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Edda em verso
Página da tradução em inglês de Olive Bray, 1908
Portal da Mitologia nórdica

Edda em verso ou Edda poética é uma coleção de poemas em nórdico antigo preservados inicialmente no manuscrito medieval islandês Codex Regius, do século XIII.[1][2] A obra é composta por 11 poemas mitológicos e 19 poemas de heróis nórdicos e germânicos, cujos autores são desconhecidos.[3] Junto com a Edda em prosa de Snorri Sturluson, é a mais importante fonte de informações sobre a mitologia nórdica e de heróis lendários germânicos.[4][5]

Conteúdo[editar | editar código-fonte]

Esta obra é uma coletânea de poemas antigos, ecos de uma tradição oral, sobre deuses e heróis de tempos passados. Inclui narrativas sobre a criação do mundo, assim como do seu fim, sobre deuses asses (Aesir), como Odin, Thor e Frey, sobre heróis como Siegfried.[6]

Poemas Mitológicos[editar | editar código-fonte]

Incluídos no Codex Regius[editar | editar código-fonte]

  • Völuspá (A profecia da mulher sábia, A profecia da vidente)
  • Hávamál (A balada do mais alto, Os ditos de Hár, Os ditos do mais alto)
  • Vafþrúðnismál (A balada de Vafthrúdnir, A canção de Vafthrúdnir, Os ditos de Vafthrúdnir)
  • Grímnismál (A balada de Grímnir, A canção de Grímnir, Os ditos de Grímnir)
  • Skírnismál (A balada de Skírnir, A canção de Skírnir, A jornada de Skírnir)
  • Hárbarðsljóð (O poema de Hárbard, A canção de Hárbard)
  • Hymiskviða (A canção de Hymir, O poema de Hymir)
  • Lokasenna (A discussão de Loki, O cinsurso de insultos de Loki, A disputa de Loki)
  • Þrymskviða (A canção de Thrym, O poema de Thrym)
  • Völundarkviða (A canção de Völund)
  • Alvíssmál (A balada Alvís, A canção Alvís, Os ditos de toda a sabedoria)

Não incluídos no Codex Regius[editar | editar código-fonte]

  • Baldrs draumar (Os sonhos de Baldr)
  • Rígsþula (A canção de Ríg, O canto de Ríg, A lista de Ríg)
  • Hyndluljóð (O poema de Hyndla, A canção de Hyndla)
  • Svipdagsmál (A balada de Svipdag, A canção de Svipdag) - Este título original de Bugge, actualmente compõe os dois poemas:
  • Gróttasöngr (A canção de Mill, A canção de Grotti) (não incluído em muitas edições)
  • Hrafnagaldur Óðins (A canção do corvo de Odin, O canto do corvo de Odin). (não incluído em muitas edições).

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Henry Adams Bellows (tradução) (1936). «Poetic edda». Sacred texts. Consultado em 27 de março de 2013 
  2. Palamin, Flávio Guadagnucci (21–23 de Setembro de 2011). Breves Considerações sobre a Edda Poética e a Edda em Prosa (pdf). V Congresso Internacional de História. Universidade Estadual de Maringá. p. 2363-2364. Consultado em 12 de fevereiro de 2019 
  3. Peter Hallberg. «Den poetiska Eddan» (em sueco). Nationalencyklopedin - Enciclopédia Nacional Sueca. Consultado em 6 de agosto de 2015 
  4. Finn Stefánsson. «eddadigtning» (em dinamarquês). Den Store Danske Encyklopædi - Grande Encicliopédia Dinamarquesa. Consultado em 6 de agosto de 2015 
  5. Branston, Brian; Giovanni Caselli (ilustrador) (2015). «Inledning av Lars Lönnroth». Gudar och hjältar i nordisk mytologi (em sueco). Bromma: Ordalaget. p. 7-9. 167 páginas. ISBN 9789174691375 
  6. Branston, Brian; Giovanni Caselli (ilustrador) (2015). «Inledning av Lars Lönnroth». Gudar och hjältar i nordisk mytologi (em sueco). Bromma: Ordalaget. p. 7-9. 167 páginas. ISBN 9789174691375