Edmundo Pereira Lins

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Edmundo Lins
9° Presidente do Supremo Tribunal Federal do Brasil
Mandato: 1 de abril de 1931
até 15 de novembro de 1937
Antecessor(a): Leoni Ramos
Sucessor(a): Bento de Faria
Ministro do Supremo Tribunal Federal do Brasil
Mandato: 12 de setembro de 1917
até 16 de novembro de 1937
Nomeação por: Venceslau Brás
Antecessor(a): Oliveira Ribeiro
Sucessor(a): Armando de Alencar
Dados pessoais
Nascimento: 13 de dezembro de 1863
Serro, Minas Gerais
Falecimento: 10 de agosto de 1944 (80 anos)
Rio de Janeiro, Distrito Federal[1]
Alma mater: Faculdade de Direito de São Paulo

Edmundo Pereira Lins (Serro, 13 de dezembro de 186310 de agosto de 1944) foi um jornalista, jurista e magistrado brasileiro.

Filho de Miguel Pereira Lins e Antônia Ferreira Campos Lins, formou-se na Faculdade de Direito de São Paulo, em 1889.

Estudou no Seminário de Diamantina e fez o curso de Ciências Jurídicas na Faculdade de Direito de São Paulo. Filiou-se ao Partido Republicano Paulista (PRP) em 1886, tornando-se redator-chefe do jornal "O Movimento". Foi promotor público em Jundiaí, depois juiz em diversas comarcas, até ser nomeado ministro do Supremo Tribunal Federal por Venceslau Brás, em 1917, sucedendo Pedro Antônio de Oliveira Ribeiro, e sucedido por Armando de Alencar. Foi nomeado presidente do Supremo Tribunal Federal em 1 de abril de 1931, presidiu-o de abril de 1931 até a aposentadoria, em novembro de 1937. Foi fundador do Instituto Histórico-Geográfico de Minas Gerais (IHGMG), professor e diretor da Faculdade Livre de Direito de Minas Gerais.

Foi jornalista em jornais republicanos e autor de livros de direito.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Precedido por
Carolino de Leoni Ramos
Presidente do Supremo Tribunal Federal
1931 — 1937
Sucedido por
Antônio Bento de Faria


Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.