Carolino de Leoni Ramos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Carolino de Leoni Ramos
Nascimento 15 de junho de 1857
Cachoeira
Morte 20 de março de 1931 (73 anos)
Niterói
Cidadania Brasil
Ocupação juiz

Carolino de Leoni Ramos (Cachoeira, 15 de junho de 1857Niterói, 20 de março de 1931) foi um advogado, juiz e político brasileiro.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Formou-se na Faculdade de Direito do Recife, em 1879, exerceu a advocacia desde o cargo de promotor até o de Ministro do Supremo Tribunal Federal, chegando a exercer a presidência do órgão até um pouco antes de seu falecimento. Como político, foi vereador das cidades de Valença e Niterói, e prefeito da última. Não exerceu nenhuma obra de vulto no curto espaço de tempo em que esteve na prefeitura, se atendo apenas a concluir as obras iniciadas por seu antecessor. Comandou a municipalidade no final do governo de Nilo Peçanha como presidente da província do Rio de Janeiro.

Exerceu o cargo de Chefe de Polícia do antigo Distrito Federal (na cidade do Rio de Janeiro), de junho de 1909 até novembro de 1910.

Em Niterói, o antigo Largo do Palacete - que possuía esta denominação por ter existido ali um palacete onde abrigou D. João VI - outrora denominado Largo de São Domingos, recebe oficialmente o nome de "Praça Leoni Ramos", em homenagem ao prefeito que terminou obras de melhorias naquele logradouro.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • WEHRS, Carlos. Niterói, Cidade Sorriso: a história de um lugar. Rio de Janeiro: Sociedade Gráfica Vida Doméstica, 1984.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Precedido por
Pereira Nunes
Prefeito de Niterói
1905 — 1906
Sucedido por
Pereira Ferraz
Precedido por
Godofredo Xavier da Cunha
Presidente do Supremo Tribunal Federal
1931
Sucedido por
Edmundo Pereira Lins