Ford Versailles

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Ford Versailles
Visão Geral
Produção 19911996
Fabricante Ford
Modelo
Classe Sedan Médio de Luxo
Carroceria Sedan
Ficha técnica
Motor AP: 1.8L e 2.0L
Transmissão Manual, 05 marchas;

Automática, 03 marchas

Modelos relacionados Ford Royale
Volkswagen Santana
Volkswagen Santana Quantum
Fiat Tempra
Chevrolet Monza
Dimensões
Comprimento 457 cm
Entre-eixos 255 cm
Largura 169 cm
Altura 142 cm
Peso 1120 à 1170 Kg
Consumo 8,78 km/l (urbano), 12,96 km/l (estrada, 100 km/h, vazio)
Cronologia
Ford Del Rey
Ford Mondeo

O nome Versailles foi utilizado por dois veículos produzidos pela Ford. A primeira vez foi na França, entre os anos de 1954 e 1957. Posteriormente, entre 1991 e 1996, a Ford do Brasil fabricou um automóvel com o mesmo nome, tendo por base o modelo Santana fabricado pela Volkswagen, através da joint venture Autolatina, criada no ano de 1986 com o objetivo de dividir os custos e aumentar os lucros, compartilhando projetos entre si. Na época em que foi lançado, o Versailles equivalia ao Ford Fusion atual, sendo o sedan mais caro à venda no Brasil pela Ford na década de 1990.

No Brasil[editar | editar código-fonte]

Ford Versailles

VERSAILLES[editar | editar código-fonte]

O Ford Versailles foi produzido nas versões sedan com 2 portas e 4 portas.

Em 1991, quando o Del Rey já se mostrava obsoleto e sentia a forte pressão da concorrência, com o renovado Chevrolet Monza e a chegada do moderno Fiat Tempra, a Ford viu que precisava de um produto mais moderno e competitivo. Por isso, ela atentou-se para os novos VW Santana/Quantum, que acabavam de ser lançados no mercado brasileiro, como sendo a solução de seus problemas em termos de produto.

Sendo assim, em 1991, já como modelo 1992, a Ford lançou no mercado o Ford Versailles, nas versões GL e Ghia, com as motorizações AP 1800 e 2000 (álcool e a gasolina). Na versão GL, o sedan poderia ser equipado com ambas as motorizações (álcool e gasolina) e AP 2.0i gasolina para o modelo Ghia.

Um detalhe importante e bastante curioso é que o Versailles, assim como a perua Royale, eram fabricados na planta da Volkswagen localizada às margens da Rodovia Anchieta no município de São Bernardo do Campo-SP na mesma linha de montagem de Santana/Quantum, e não na planta da Ford (desativada em 2019), situada no mesmo município e que produzia para a VW os modelos Apollo, Logus e Pointer, na mesma linha de montagem do Escort e Verona.

O Versailles era quase irmão gêmeo do VW Santana, cujas únicas diferenças externas significativas eram as colunas "C" em preto fosco, as lanternas e tampa traseira diferenciadas e os faróis e grade dianteira. Internamente, o carro possuía um acabamento mais conservador e estofamento com espuma de menor densidade, característica dos carros Ford, o painel também tinha desenho exclusivo, embora o quadro de instrumentos fosse muito parecido com o do VW Santana.

A versão Ghia primava pelos luxos e equipamentos de conforto e segurança, como teto solar elétrico a partir de 1994, câmbio automático e ABS (ainda longe de fazerem parte dos carros nacionais).

Em 1996, já perto de ser descontinuado com o fim da Autolatina, recebeu algumas modificações externas, como apliques menores nas lanternas traseiras, aerofólio e grade oval na frente, sendo essas as únicas alterações estéticas que o Versailles sofreu enquanto esteve no mercado, sendo substituído no ano seguinte pelo Ford Mondeo.

Versões[editar | editar código-fonte]

  • GL 1.8/1.8i (2 e 4 portas)
  • GL 2.0/2.0i (2 e 4 portas)
  • Ghia 2.0/2.0i (2 e 4 portas)

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  • Revista Quatro Rodas - Julho de 1991 - Edição 372.
  • Revista Quatro Rodas - Julho de 1995 - Edição 420.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Ford Versailles
Ícone de esboço Este artigo sobre automóveis é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.