Iglu

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
A página está num processo de expansão ou reestruturação.
Esta página atravessa um processo de expansão ou reestruturação. A informação presente poderá mudar rapidamente, podendo conter erros que estão a ser corrigidos. Todos estão convidados a contribuir e a editar esta página. Caso esta não tenha sido editada durante vários dias, retire esta marcação.

Esta página foi editada pela última vez por Önni (D C) há 13 dias. (Recarregar)

Comunidade de iglus, ilustração de Charles Francis Hall.

Um iglu ou iglôo (em língua inuíte: iglu,[1] silabário inuktitut: ᐃᒡᓗ (plural: igluit, ᐃᒡᓗᐃᑦ)), conhecido também como casa de neve é um abrigo construído com blocos de neve, normalmente construídos quando a neve pode ser facilmente compactada.

Os iglus são estereotipicamente associados aos inuítes,[2] que foram tradicionalmente associados com as pessoas do Central Ártico do Canadá e a área de Thule da Groenlândia. Outros povos inuit tendiam a usar a neve para isolar suas casas, que foram construídas a partir de osso de baleia. A neve era usada como isolante térmico, graças a presença de bolhas de ar. Na parte externa, a temperatura pode ser tão baixa quanto -45 °C, mas no interior a temperatura pode variar desde -7 °C a 16 °C quando aquecido apenas com o calor do corpo.[3]

Normalmente os iglus apresentam a forma de uma cúpula, apesar de existir iglus de outras formas. Eles são utilizados como abrigo temporário para os caçadores durante o inverno. Sua construção é fácil e barata, tornando-se uma habitação alternativa para os moradores de regiões polares, Ártico e Alasca, onde outras estruturas são caras; por outro lado, fornece abrigo e segurança. Os iglus podem ser uma habitação permanente, se o tamanho e a manutenção forem adequadas.

Tipos de iglu[editar | editar código-fonte]

Desenho de um iglu tradicional.

Existem três tipos de iglus, que são utilizados de acordo com a função que eles têm de cumprir:

  • O menor é construído como um abrigo temporário para os caçadores que estão longe de casa, eles se aventuram no gelo para obter alimentos. Esse tipo é utilizado, principalmente no período noturno e tem uma duração relativamente curta.[3]
  • Existem aqueles de médio porte, que servem como uma habitação familiar, servindo como local de descanso. Sua duração é semipermanente, que exige manutenção constante, cuidando da estabilidade da estrutura.[3]
  • Existem aqueles de grande porte, capazes de acomodar até 20 pessoas. Eles são permanentes e normalmente, uma construção grande dividida em quartos; também pode ser uma série de pequenos iglus interligados por túneis, criando um complexo habitacional na neve. Note-se que a construção do iglu, deve ter acordo comunitário, de modo que a "casa de gelo" se torna parte da formação cultural da comunidade.[3]

Estrutura[editar | editar código-fonte]

As pessoas que mais fazem uso dos iglus são os esquimós. Este abrigo requer a neve endurecida soprada pelo vento em noites anteriores, e compacta o bastante para ser cortada em blocos grandes e maciços, que são arrancados diretamente do chão e dispostos numa espiral ascendente até formar uma cúpula que será encimada pelo último tijolo, este funcionando como a pedra angular que sustentará toda a construção. A forma arredondada dos iglus é muito importante, pois a neve que cair sobre eles irá escorregar para os lados, impedindo a sobrecarga de peso e evitando o risco de desabamento. A resistência dos iglus aumenta com o tempo. As tempestades de neve e as geadas colaboram para que os blocos de gelo fiquem cada vez mais resistentes e grossos.[4]

As lâmpadas a óleo de foca (kulliq) derretem levemente a neve e cimentam toda a estrutura, que podem suportar um peso considerável sobre o "teto".[5] O calor é provido pelo corpo dos habitantes ou por uma fogueira. Geralmente a entrada é através de um buraco feito no chão para que o vento não entre pela "porta principal"; na frente deste buraco é construído um muro com blocos de neve semelhantes aos da construção, para que o vento não penetre facilmente e para evitar que a neve se acumule de forma a fechar a passagem.

Modificações[editar | editar código-fonte]

Desenho de 1916, que mostra o interior de um iglu no Alasca.

Graças às propriedades de isolamento, o interior de um iglu se torna muito confortável. Os esquimós, que se situam entre a Gronelândia e a Ilha de Baffin cobrem o interior com peles de animais, aumentando a temperatura de 5 a 20 °C.[3]

Além disso, móveis podem ser incluídos em iglus grandes, tais como: camas, mesas e até mesmo fogões. Deve ser lembrado, iglu é uma casa na neve, que deve proporcionar todo o conforto possível ao habitante.[6]

Referências

  1. «Iglu». Asuilaak Living Dictionary (em inglês). Arquivado desde o original em 4 de setembro de 2012. Consultado em 19 de julho de 2011. 
  2. Steckley, John L. (2008). White lies about the Inuit (Peterborough, Ont.: Broadview Press). p. 19. ISBN 1551118750. 
  3. a b c d e Rich Holihan; Dan Keeley; Daniel Lee; Powen Tu; Eric Yang (2003). «How Warm is an Igloo?» (PDF) (em inglês). Arquivado desde o original (PDF) em 28 de julho de 2016. Consultado em 28 de julho de 2016. 
  4. http://pubs.aina.ucalgary.ca/arctic/Arctic45-2-199.pdf
  5. http://news.bbc.co.uk/1/hi/magazine/7326031.stm
  6. «Como hacer un iglú» (em espanhol). nevasport.com. 19 de abril de 2005. Arquivado desde o original em 26 de abril de 2005. Consultado em 15 de novembro de 2007. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre arquitetura é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.


Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Iglu
Wikcionário
O Wikcionário possui o verbete iglu.