Ivete Sangalo (álbum)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Ivete Sangalo
Álbum de estúdio de Ivete Sangalo
Lançamento 30 de julho de 1999[1]
Gravação Abril – Junho de 1999
(Estúdio Ilha dos Sapos, Salvador, Bahia)
Gênero(s)
Duração 54:45
Idioma(s)
Formato(s)
Gravadora(s) Universal
Produção Marco Mazzola
Cronologia de Ivete Sangalo
Discografia da Banda Eva
(1993-1998)
Beat Beleza
(2000)
Singles de Ivete Sangalo
  1. "Tá Tudo Bem"
    Lançamento: 7 de julho de 1999
  2. "Canibal"
    Lançamento: 12 de novembro de 1999
  3. "Se Eu Não Te Amasse Tanto Assim"
    Lançamento: 2 de maio de 2000
  4. "Tô na Rua"
    Lançamento: 1 de setembro de 2000

Ivete Sangalo é o álbum de estreia e solo da cantora brasileira Ivete Sangalo, lançado em julho de 1999 pela Universal Music.[1] No disco, Ivete, recém-saída da Banda Eva, investiu em ritmos diversos como o maracatu, samba-reggae, pop e a música romântica, além do axé music. Carlinhos Brown, Luiz Caldas, João Bosco e Herbert Vianna fazem parte do time de compositores, além da própria Ivete que compôs sozinha as canções "Canibal" e "Medo de Amar", sendo que a última é um dueto com Ed Motta e conta com arranjos do músico César Camargo Mariano. O álbum também conta com regravações das canções "Bota Pra Ferver" (regravação da banda Asa de Águia) e "Sá Marina" (sucesso de Antônio Adolfo e Tibério Gaspar), que causou polêmica com Elza Soares.

Os primeiros singles do disco foram "Tá Tudo Bem" e "Canibal", executadas em shows anteriores à gravação do CD. O disco tornou-se sucesso de vendas principalmente no ano 2000, quando a canção romântica "Se Eu Não Te Amasse Tanto Assim", composta por Herbert Vianna e Paulo Sérgio Valle, foi incluída na trilha sonora da telenovela Uga Uga, da Rede Globo, tornando-se a canção mais executada de 2000. O álbum recebeu críticas favoráveis, com os críticos favorecendo Ivete por ampliar os limites da axé music, com a presença de nomes consagrados da MPB. O álbum também recebeu uma indicação ao Grammy Latino na categoria Melhor Álbum de Pop Contemporâneo Brasileiro. O álbum também recebeu certificado de platina pela Associação Brasileira de Produtores de Discos (ABPD).[2]

Antecedentes[editar | editar código-fonte]

Após seis álbuns lançados com a Banda Eva, entre 1993 e 1998, que venderam mais de 4 milhões de cópias, e sucessos como "Alô Paixão", "Beleza Rara", "Eva", Arerê, Carro Velho, entre outros, Ivete Sangalo anunciou em 1999 que sairia da banda. Ivete afirmou que com a carreira solo ela escolherá as músicas que canta, quem fará os arranjos, qual a roupa que usará no palco e onde irá tocar.[3] A cantora também confirmou, "O repertório vai ser todo escolhido por mim. Para isso, estou ouvindo várias fitas, com músicas de diversos compositores".[3]

Gravação e canções[editar | editar código-fonte]

Tim Maia
Sandrá de Sá
O álbum conta com composições de Herbert Vianna (esquerda) em "Se Eu Não Te Amasse Tanto Assim" e Carlinhos Brown (direita) em "100 o Seu Amor".

Em fevereiro de 1999, Ivete confirmou ao JC Online cinco músicas para o álbum: "Sá Marina" (gravada em 1998 pelo cantor André Rio), "Oba" (de Alain Tavares e Gilson Babilônia), "Música Prapular Brasileira" (de Davi Sales), "Cartão Postal" (de Cassiano, mesmo autor de "Coleção", um dos sucesso da Eva) e "Medo de Amar", de autoria da própria Ivete.[3] Mesmo com a confirmação, apenas 3 das 5 citadas entraram no álbum, sendo que "Cartão Postal" foi re-intitulada "Postal" e entrou no álbum posterior, "Beat Beleza" de 2000.

Sobre o repertório, Ivete também falou, "Tem outra música minha e uma de Carlinhos Brown, que ainda não têm o nome definido. Mas quero deixar o disco bem variado, com vários galopes, samba-reggae, forró, samba", explica. Participações especiais de Gal Costa, Carlinhos Brown, Márcia Britto e Belo (do extinto grupo Soweto) foram confirmadas,[3] mas dos citados, somente Carlinhos Brown chegou a participar do álbum. A canção "Se Eu Não Te Amasse Tanto Assim" foi presente de Herbert Vianna para Ivete, enquanto Ed Motta faz dueto com a cantora na faixa "Medo de Amar", composta pela própria Ivete e com arranjos do músico César Camargo Mariano.[4] Ivete também compôs a dançante e tribal "Canibal".[4] Já a faixa "Bota Pra Ferver" é uma versão da canção de mesmo nome da banda de axé Asa de Águia, gravado para o primeiro álbum da banda de 1988,[5] enquanto "Sá Marina" é uma regravação do sucesso de 1968 do cantor Wilson Simonal, para o seu álbum "Alegria Alegria Vol. 2".[6]

Polêmicas[editar | editar código-fonte]

A cantora Elza Soares gravou "Sá Marina" para o seu álbum, "Elza ao Vivo - Carioca da Gema, só que mesmo após ter prensando 5.000 cópias do álbum, Elza viu seu disco embargado devido aos direitos sobre a música pertencentes à Warner Chappell, que havia cedido com exclusividade a canção para o primeiro disco solo de Ivete. Um mês após a confusão, Ivete e a Universal Music avisaram em comunicado oficial que abriam mão da exclusividade. Assim, 5.000 cópias do álbum tiveram a música e 2.000 ficaram sem.[7] Numa entrevista, Ivete comentou, "A queixa de Elza é direcionada à gravadora, e em parte ela tem razão. Pela própria hierarquia da música, ela tem o direito de gravar o que bem entender. O disco já pronto, prensado, recebi a galinha pulando nos peitos. Me coloquei solidária a ela."[8]

Recepção[editar | editar código-fonte]

Crítica[editar | editar código-fonte]

Críticas profissionais
Avaliações da crítica
Fonte Avaliação
Allmusic 3 de 5 estrelas.[9]
CliqueMusic 3 de 5 estrelas.[10]
Isto É Gente favorável[4]

O álbum foi bem recebido pelos críticos. Na crítica do Allmusic, por exemplo, as canções "Canibal", "100 O Seu Amor", "Eternamente" e "Sá Marina" foram tidas como as melhores do álbum.[9] Gabriela Mellão da Isto É Gente notou que "a grande surpresa de seu disco de estréia é a presença de nomes consagrados da MPB, ampliando os limites da axé music." Gabriela também favoreceu o álbum, que "apresenta Ivete como uma cantora versátil, com talento para experimentar o pop e a MPB."[4] O álbum também conseguiu uma indicação ao Grammy Latino, na categoria "Melhor Álbum de Pop Contemporâneo Brasileiro", mas perdeu para "Crooner" de Milton Nascimento.

Comercial[editar | editar código-fonte]

O álbum saiu com tiragem de 100 mil cópias, e em apenas 2 meses o álbum já tinha vendido mais de 200 mil cópias.[11] O álbum recebeu certificado de platina pela ABPD, o que significou vendas superiores a 250 mil cópias.[2] Segundo a Universal Music, o álbum vendeu mais de 400 mil cópias, em seu total.[12]

Divulgação e marketing[editar | editar código-fonte]

A capa do álbum, foi feita por Luiz Stein, e segundo Ivete, "A capa do meu CD é assim porque Luiz Stein, que a fez, me mostrou um livro do David LaChapelle, que é moderno."[8] Em dezembro de 1999, Ivete, junto com Maurício Manieri, foi uma das atrações no Concert Hall, de São José dos Campos, cantando os sucessos "Canibal" e "Tá Tudo Bem", além de "Arerê", "Carro Velho" e "Levada Louca", da Banda Eva.[13]

Singles[editar | editar código-fonte]

O primeiro single do álbum, "Tá Tudo Bem" foi lançado em julho de 1999. A canção também contou com um videoclipe, gravado no alto dos prédios de São Paulo[14] em agosto de 1999. O videoclipe foi dirigido por Hugo Prata e conta com o modelo Glauco.[15]

O segundo single do álbum, "Canibal", foi lançado no final de novembro de 1999. Para gravar o clipe da canção, dirigido por Monique Gardenberg, Ivete incorporou divas do cinema em um cenário hollywoodiano: uma praia deserta, na Ilha de Cataguazes, em Angra dos Reis. Como par romântico, ela escolheu o ator Fábio Assunção, que também interpretou personagens do mundo cinematográfico.[16]

O terceiro single do álbum, "Se Eu Não Te Amasse Tanto Assim" foi lançado em maio de 2000, e se tornou o maior sucesso do álbum, além de ter sido a música mais tocada no ano 2000, devido também a inclusão da canção na trilha sonora da novela Uga Uga.[17]

A canção "Tô Na Rua" foi lançada nas rádios em meados de setembro de 2000. Mesmo assim, a canção foi incluída nos álbuns "Fortal 2000 - A Estação da Alegria" e "Pure Brazil, Vol. 2: Rio Bahia Carnival" de 2005, que contam com vários sucessos de axé.[18][19] A canção foi apresentada por Ivete em diversas turnês, assim como entrou no seu CD/DVD gravado na Fonte Nova, o "MTV Ao Vivo - Ivete Sangalo" de 2003 e "O Carnaval de Ivete Sangalo" de 2012.[20]

Singles promocionais e canções notáveis[editar | editar código-fonte]

"Bota Pra Ferver", composta por Durval Lelys também ficou conhecida ao ser regravada pela própria Ivete num dueto com Durval no seu CD/DVD Multishow ao Vivo: Ivete no Maracanã, de 2007.[21] A canção também foi incluída no álbum "O Carnaval de Ivete Sangalo".[22]

Já a canção "Medo de Amar" foi lançada em Portugal com a participação do cantor TC, substituindo Ed Motta, com o single promocional sendo lançado em 1999.[23] A canção também foi incluída nas compilações "Se Eu Não Te Amasse Tanto Assim" (2002) e "A Arte de Ivete Sangalo" (2005).[24] Em 2008, a canção foi regravada pela banda de pagode romântico Jeito Moleque para o álbum "Ao Vivo na Amazônia", sendo lançada como single do álbum.[25]

"Sá Marina" também ficou conhecida pelo público, apesar da polêmica envolvendo Elza Soares. A canção foi incluída no álbum "MPB 2000", que contava com canções de grandes nomes da MPB. Ivete também cantou a canção no DVD "Ivete no Maracanã" de 2007.[26]

Faixas[editar | editar código-fonte]

N.º TítuloCompositor(es) Duração
1. "Canibal / Citação Musical: Brincar de Índio"  Ivete Sangalo 3:46
2. "Tá Tudo Bem"  Alexandre Peixe 3:48
3. "100 o Seu Amor"   3:17
4. "Música Pra Pular Brasileira"  Davi Salles 3:22
5. "Monsieur Samba"  
  • Gal Sales
  • Jamoliva
3:48
6. "Medo de Amar" (com a participação de Ed Motta)Ivete Sangalo 4:58
7. "Eternamente"  Davi Salles 3:59
8. "Tô Na Rua"  
  • Gal Sales
  • Xexéu II
3:41
9. "Chuva de Flor"  Marquinho Carvalho 3:17
10. "Tenho Dito"  João Bosco 3:41
11. "Destino"  
  • Gal Sales
  • Jamoliva
4:13
12. "Sá Marina"  
  • Antônio Adolfo
  • Tibério Gaspar
4:22
13. "Se Eu Não Te Amasse Tanto Assim"   4:09
14. "Bota pra Ferver"  Durval Lelys 4:16
Duração total:
54:45

Desempenho nas tabelas musicais[editar | editar código-fonte]

Parada musical (1999-2000) Melhor
posição
 Brasil (HITS Rio de Janeiro)[27] 1
 Brasil (HITS São Paulo)[27] 2

Certificação[editar | editar código-fonte]

País Certificador Certificação Vendas
 Brasil ABPD Platina[2] 400.000+[28]

Referências

  1. a b «Studio Slugfest, Tarzan in Brazil, Ferreira for Pepsi». Billboard. 28 de agosto de 1999. Consultado em 9 de outubro de 2014. 
  2. a b c «Ivete Sangalo Certificação - Ivete Sangalo». ABPD. Consultado em 26 de julho de 2015. 
  3. a b c d e Janaína Lima (8 de fevereiro de 1999). «Ivete está mais animada agora que está solo». JC Online. UOL. Consultado em 15 de dezembro de 2013. 
  4. a b c d Gabriela Mellão. «ZAZ - ISTO É GENTE - DIVERSÃO E ARTE - Ivete Sangalo». Isto É Gente. Consultado em 9 de outubro de 2014. 
  5. «Discografia - Asa de Águia». Asa de Águia. Consultado em 16 de dezembro de 2013. 
  6. «Wilson Simonal ‎– Alegria Alegria Vol. 2». Discogs. Consultado em 16 de dezembro de 2013. 
  7. «Universal Music e Ivete Sangalo sacaneiam Elza Soares». Samba & Choro. 12 de julho de 1999. Consultado em 15 de dezembro de 2013. 
  8. a b «Ivete Sangalo lança hoje, em Salvador, seu disco solo; em entrevista, fala do disco e da sua carreira». Folha de S.Paulo. UOL. 27 de outubro de 1999. Consultado em 15 de dezembro de 2013. 
  9. a b «Ivete Sangalo - Allmusic». Allmusic. Consultado em 15 de dezembro de 2013. 
  10. «Cliquemusic: Disco: Ivete Sangalo». CliqueMusic (UOL). Consultado em 15 de dezembro de 2013. 
  11. «Ivete Sangalo comanda a massa e os negócios». ISTOÉ Gente. 1 de novembro de 1999. Consultado em 15 de dezembro de 2013. 
  12. «Os 1ºs sucessos Ivete Sangalo em carreira solo». Blogs Pop. Consultado em 16 de dezembro de 2013. 
  13. «Maurício Manieri e Ivete Sangalo cantam no Concert Hall». Folha de S.Paulo. UOL. http://www1.folha.uol.com.br/fsp/vale/vl1712199914.htm. 17 de dezembro de 1999. Consultado em 15 de dezembro de 2013. 
  14. «Retrospectiva IS20 Ivete Sangalo em: Clips». Ivete Sangalo Lovers. Consultado em 16 de dezembro de 2013. 
  15. «Depois daqui do fim do mundo você vai para onde?». Folha de S.Paulo. 13 de agosto de 1999. Consultado em 16 de dezembro de 2013. 
  16. «O dia em que Ivete Sangalo virou Deborah Kerr e Liz Taylor». ISTOÉ Gente. 22 de novembro de 1999. Consultado em 15 de dezembro de 2013. 
  17. «Ôba! Kid Vinil volta ao rádio». Folha de S.Paulo. 30 de dezembro de 2000. Consultado em 15 de dezembro de 2013. 
  18. «Fortal 2000: A Estação Da Alegria». Allmusic. Consultado em 16 de dezembro de 2013. 
  19. «Pure Brazil, Vol. 2: Rio Bahia Carnival». Allmusic. Consultado em 16 de dezembro de 2013. 
  20. «Tô Na Rua - Ivete Sangalo». Allmusic. Consultado em 16 de dezembro de 2013. 
  21. «Bota Pra Ferver - Ivete Sangalo». Allmusic. Consultado em 16 de dezembro de 2013. 
  22. «Bota Pra Ferver - Ivete Sangalo». Allmusic. Consultado em 16 de dezembro de 2013. 
  23. «Ivete Sangalo & TC - Medo de Amar (CD) at Discogs». Discogs. Consultado em 16 de dezembro de 2013. 
  24. «Medo de Amar - Ivete Sangalo». Allmusic. Consultado em 16 de dezembro de 2013. 
  25. «Ao Vivo na Amazônia - Jeito Moleque - Allmusic». Allmusic. Consultado em 16 de dezembro de 2013. 
  26. «Sá Marina - Ivete Sangalo - Allmusic». Allmusic. Consultado em 16 de dezembro de 2013. 
  27. a b «HITS — Os discos mais vendidos da semana». Istoé Gente. Consultado em 13 de novembro de 2014. 
  28. «Ivete Sangalo, 40 anos: relembre a trajetória da cantora». IG. Consultado em 5 de maio de 2012. 
Ícone de esboço Este artigo sobre um álbum de Ivete Sangalo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.