Multishow ao Vivo: Ivete no Maracanã

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Multishow ao Vivo:
Ivete no Maracanã
Álbum ao vivo de Ivete Sangalo
Lançamento 21 de março de 2007 (2007-03-21)
Gravação 16 de dezembro de 2006 (2006-12-16)
Local(is) Estádio do Maracanã
(Rio de Janeiro, RJ)
Gênero(s)
Duração 77:35 (CD)
162:00 (DVD)
Formato(s)
Gravadora(s)
Produção
  • Alexandre Lins
  • Joana Mazzucchelli
Cronologia de Ivete Sangalo
As Super Novas
(2005)
Veveta e Saulinho:
A Casa Amarela

(2008)
Singles de Multishow ao Vivo:
Ivete no Maracanã
  1. "Berimbau Metalizado"
    Lançamento: 26 de outubro de 2006 (2006-10-26)
  2. "Completo"
    Lançamento: 4 de janeiro de 2007 (2007-01-04)
  3. "Não Precisa Mudar"
    Lançamento: 10 de abril de 2007 (2007-04-10)
  4. "Deixo"
    Lançamento: 7 de julho de 2007 (2007-07-07)
  5. "Ilumina"
    Lançamento: 5 de outubro de 2007 (2007-10-05)
  6. "Não Quero Dinheiro"
    Lançamento: 10 de abril de 2008 (2008-04-10)

Multishow ao Vivo: Ivete no Maracanã é o segundo álbum ao vivo e em vídeo da cantora brasileira Ivete Sangalo, lançado nos formatos CD e DVD em 21 de março de 2007, pelas gravadoras Universal Music e Mercury Records. Produzido para a série de trabalhos ao vivo promovida pela rede de televisão Multishow, o projeto foi gravado em 16 de dezembro de 2006 no Estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro, reunindo um público de aproximadamente 55 mil pessoas. A produção musical da obra é assinada por Alexandre Lins; o disco conta com sucessos do catálogo anterior de Sangalo, além de algumas faixas inéditas e regravações de compatriotas como Tim Maia, Beto Barbosa, Vinicius de Moraes e Tom Jobim. Participaram como convidados os cantores Samuel Rosa, Saulo Fernandes, Durval Lelys, MC Buchecha e Alejandro Sanz.

O trabalho recebeu revisões díspares por parte dos críticos de música; alguns teceram elogios ao desempenho da cantora na apresentação, comparando o concerto positivamente às "megaproduções internacionais" e afirmando que a artista, com esse lançamento, provava ser mais do que uma cantora de axé, sagrando-se como uma estrela pop. Algumas canções presentes no repertório, contudo, receberam avaliações negativas, sendo descritas como "chatas". Comercialmente, o projeto tornou-se um sucesso, recebendo duas certificações de diamante e três de platina, pela Pro-Música Brasil (PMB), e tornando-se o DVD lançado pela Universal mais vendido no mundo em 2007. O disco foi responsável pela nona e décima indicação da musicista ao Grammy Latino, onde concorreu aos prêmios de Melhor Álbum Pop Contemporâneo em Língua Portuguesa e Melhor Vídeo Musical em Formato Longo.

A divulgação da obra deu-se através de apresentações ao vivo em programas de televisão, além da Turnê Maracanã, que durou dois anos. Seis singles foram liberados para também promover Ivete no Maracanã; "Berimbau Metalizado", lançada como o primeiro, tornou-se um sucesso comercial, obtendo certificação de disco de diamante pela Pro-Música Brasil pelos mais de 500 mil downloads pagos no Brasil. "Completo", gravada em estúdio, tornou-se a segunda música de trabalho, sendo utilizada como tema de uma campanha publicitária do banco Bradesco. Na sequência, foram divulgados "Não Precisa Mudar", com a participação de Saulo Fernandes, "Deixo", incluída na trilha sonora da telenovela Sete Pecados, "Ilumina" e "Não Quero Dinheiro".

Antecedentes[editar | editar código-fonte]

O quinto álbum de estúdio de Sangalo, As Super Novas, tornou-se um sucesso comercial e vendeu mais de um milhão de cópias no Brasil, sendo, portanto, condecorado com certificação de diamante pela Associação Brasileira dos Produtores de Discos (ABPD).[1] A artista, em divulgação ao trabalho, excursionou com a digressão Ivete Sangalo Live!, com datas totalmente dedicadas a concertos internacionais durante o primeiro semestre de 2006,[2] percorrendo mais tarde seu país natal com a Turnê D'As Super Novas.[3] Durante uma dessas apresentações, a cantora recebeu uma ligação do produtor musical brasileiro Max Pierre, que sugeriu a ela que gravasse seu segundo disco ao vivo no Estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro. A princípio, a brasileira descartou a ideia, uma vez que tinha algumas dúvidas quanto ao êxito do projeto; contudo, acabou por ser convencida por seu irmão e empresário, Jesus Sangalo, aceitando a proposta e começando a conceber as primeiras ideias.[4]

Logo após um período de negociações com a equipe responsável pelo estádio, foi decidido que a co-produção do evento ficaria a cargo da Caco de Telha, empresa de propriedade da musicista, que fechou um contrato de produção com o canal de televisão por assinatura Multishow, que demonstrou interesse pela viabilização do projeto.[5][6] Com intuito de que o projeto tivesse uma estrutura inédita e de alta tecnologia,[7] Sangalo e sua equipe recrutaram Rafael Dragaud e José Cláudio Ferreira, que ficaram a cargo do cenário; os dois apresentaram uma estrutura de palco que cobriria 22 metros de largura e 17,6 metros de profundidade. Do piso do palco para o gramado do Maracanã a altura seria de 2,2 metros e do piso do palco ao teto da estrutura, 14 metros. No fundo do palco, um telão em LED 15m X 6m – maior painel de LED já utilizado em algum show no Brasil – que projetou as imagens da apresentação, além de painéis G-Lec de tecnologia alemã de alta resolução, também usados pela primeira vez no país.[8] A tela ao fundo por algumas vezes reproduzia a letra de algumas canções executadas; além dela, foram adicionados dois telões nas laterais, também em LED, além de uma enorme passarela ao centro.[8] "Quero balançar o Maracanã como se fosse gol na final de Copa do Mundo, com Brasil ganhando, claro", declarou Sangalo.[7]

Produção[editar | editar código-fonte]

Vista aérea do Estádio do Maracanã, onde o álbum foi gravado

A própria Sangalo ficou responsável pela direção artística e musical do show, que tem a produção musical assinada por Alexandre Lins, parceiro de longa data da cantora na produção de seus discos.[5] A Banda do Bem, que acompanha a cantora em suas turnês, ficou responsável pelos novos arranjos.[6] Antes da divulgação do show, alguns veículos de imprensa cogitavam que a cantora viria a gravar seu segundo álbum ao vivo em Salvador,[9] assim como o primeiro. No entanto, a informação foi posteriormente desmentida.[10] Logo após, confirmou-se a realização do evento no Estádio do Maracanã;[11] o evento estava inicialmente programado para ocorrer em 16 de setembro de 2006, porém não obteve autorização da Superintendência de Desportos do Estado do Rio de Janeiro, uma vez que já havia sido agendada a realização de uma partida de futebol no local aquele dia.[12] Após uma série de datas serem cogitadas, 16 de dezembro próximo ficou decidido como a data definitiva do evento; os ingressos começaram a ser vendidos no dia 13 de novembro.[13] Diversos artistas, após o anúncio, conformaram a sua participação no projeto, entre eles os compatriotas Samuel Rosa,[14] Saulo Fernandes,[15] Durval Lélys;[16] Buchecha[16] e o espanhol Alejandro Sanz, única participação internacional.[17] O critério de escolha para os convidados, segundo a cantora, se pautou em artistas que tivessem ligação com ela e sua música.[18] Durante a passagem da banda irlandesa U2 no Brasil em 2006, a cantora convidou Bono Vox, vocalista do grupo, para participar do show; porém, devido a uma incompatibilidade de agenda, Vox não pôde aceitar a parceria.[19]

Sangalo selecionou cerca de 30 figurinos[20] e um repertório que combinaria os maiores sucessos de sua carreira solo, seis canções presentes no seu último registro de estúdio As Super Novas, seis canções totalmente inéditas e seis regravações.[8] Depois de de um período de aproximadamente três meses de ensaios, o concerto foi realizado e gravado no dia 16 de dezembro de 2006, no Estádio do Maracanã, na cidade do Rio de Janeiro, reunindo um público de aproximadamente 55 mil pessoas; o espetáculo inciou-se às 21h30, no horário de Brasília.[nota 1][22] Por volta da 00h20, quando já tinham se passado quase três horas, um problema técnico derrubou o som e interrompeu a imagem dos telões. Sangalo, com bom humor, pediu paciência ao público e, quando o problema foi resolvido e a banda já se posicionava para voltar a tocar, a artista cantou algumas músicas da cantora e apresentadora Xuxa, que acabaram por não ser incluídas na edição final do álbum.[23] Durante toda a apresentação, Ivete teve de repetir apenas uma composição, "Flor do Reggae". A gravação foi concluída por volta da primeira hora de domingo;[23] no total, Sangalo apresentou trinta músicas, das quais 28 foram incluídas na versão em vídeo.[20]

Composição[editar | editar código-fonte]

"Não quero perder o rótulo de cantora de axé nunca. O show não mudou em nada minha maneira de ver a minha música. O que mudou é saber que temos o poder de ter as ideias e executá-las, como fizemos. Mais do que no início da carreira, cada vez mais tento me aproximar da música da Bahia. É o sentimento do mundo, a música do mundo, que movimenta os corações do mundo inteiro."

—Sangalo, em entrevista ao jornal Zero Hora, sobre a sonoridade de seu trabalho e sua aproximação à música baiana.[24]

O show se inicia com com o instrumental da canção "Never Gonna Give You Up" ao fundo; Sangalo, sob uma moto preta, entra no palco, que, com ajuda dos telões, causava impressão de fogo. A artista usa os cabelos soltos e lisos e veste um macacão, luvas pretas e uma enorme bota de salto agulha, inspirado no traje usado pela personagem Mulher Gato, das histórias do Batman. Logo em seguida, cantou "Abalou", contida em seu álbum anterior, As Super Novas (2005), uma faixa que une funk com elementos da música dance.[20][22] Antes mesmo de encerrar o primeiro número, a manga esquerda do casaco descosturou-se,[22] não resistindo à apresentação da segunda música, "Festa", do disco homônimo, que, em termos sonoros, une o funk ao pop. Em seguida, convocou a plateia a dar "o grito de guerra mais lindo do Brasil e do mundo", com a música "Sorte Grande", faixa de seu quarto trabalho, Clube Carnavalesco Inocentes em Progresso (2003).[22] O próximo número é uma regravação da música "Não Quero Dinheiro (Só Quero Amar)", de Tim Maia.[25] Depois disso, a cantora sai do palco, para onde retorna acompanhada pelos bailarinos, que descem as escadas ao fundo do palco, reproduzindo movimentos de uma macha, com um figurino que combina botas de couro bege, um vestido chemise de manga longa cor cinza com tons de coral claro e uma boina francesa de mesma coloração. Nesse bloco, as canções dão ênfase ao samba-reggae, são elas: "Berimbau Metalizado", primeiro single do projeto, e "Flor do Reggae", contida no álbum MTV ao Vivo (2004). O primeiro convidado da noite, Samuel Rosa, se junta a Sangalo no palco para a realização da faixa "Não Vou Ficar", retrabalhada em sonoridade samba-reggae e interpretada originalmente por Tim Maia.[26][27]

A quarta faixa no disco, "Corazón partío" é cantada em um arranjo de samba-reggae e é um dueto com Alejandro Sanz, seu intérprete original.

Uma das canções inéditas, "Deixo" apresenta influências de pop em sua composição e guitarra elétrica tocada pela própria Sangalo.

Problemas para escutar estes arquivos? Veja a ajuda.

A nona faixa do álbum, "Ilumina", também originária de As Super Novas, é sucedida pelas inéditas "Não Me Conte Seus Problemas" e "Não Precisa Mudar", sendo a última um dueto com Saulo Fernandes, vocalista da Banda Eva.[25][26] O próximo número a ser apresentado, "Corazón partío", com o espanhol Alejandro Sanz, é interpretada originalmente apenas por Sanz, sendo inclusive parte de seu disco Más, lançado em 1997. Aqui, é retrabalhada com a sonoridade do samba-reggae, mas mantém-se a letra totalmente em castelhano.[28] Neste momento, Sangalo usa um micro branco, tomara-que-caia, tendo na saia os desenhos das calçadas de Copacabana.[8] A décima quarta faixa, "Sá Marina", é um bolero, anteriormente gravado no primeiro disco da cantora, que levava seu nome; trata-se de uma regravação do cantor Wilson Simonal, que interpretou-a originalmente em 1968, para seu disco Alegria Alegria Vol. 2.[29] O axé toma tons mais claros na inédita "Dengo de Amor", assim como no medley de "Chorando Se Foi" e "Preta", de Beto Barbosa; a primeira já tinha sido incluída no último trabalho de Sangalo. As músicas que seguem também são canções de seu catálogo anterior; "Céu da Boca" está presente no álbum MTV Ao Vivo (1992), e "Bota Pra Ferver" no seu primeiro lançamento. A última conta com a participação de Durval Lelys, vocalista da banda Asa de Águia, que é o autor da canção, tendo inclusive gravado-a com o grupo para um de seus projetos.[30] Lelys aparece no palco tocando guitarra.[25][26][27]

Na parte romântica da apresentação, Sangalo surge trajando um vestido branco, sentada em cima de um piano tocado por Damés Venâncio, para cantar a balada pop "Quando a Chuva Passar".[27] Em seguida, sobe numa espécie de guindaste e vai ao meio da plateia para cantar "Se Eu Não Te Amasse Tanto Assim". Ao fim, a artista é ovacionada pelo público e chora.[25] Ela emenda com uma regravação de "Eu Sei que Vou Te Amar", de Tom Jobim e Vinícius de Moraes.[27] Na inédita "Deixo", a cantora aparece em um traje branco e vaporoso, com gaivotas ao redor, enquanto toca uma guitarra que contrasta com o clima romântico pop; ao final da canção, a brasileira é descida por um elevador subterrâneo.[26] Depois disso, o clima de boate pop e música disco toma conta do palco; a essa altura, Sangalo reaparece utilizando uma blusa de regata brilhosa, botas brancas e uma calça jeans de mesma cor. Na apresentação do medley das canções "Nosso Sonho / Conquista", originalmente gravado pela dupla de funk melody brasileira Claudinho & Buchecha, o último participa, apresentando-se com a compatriota. Para além disso, incluiu-se "Poder", que faz parte do último registro de estúdio da artista, no pot-pourri.[25] Um compilado contendo "País Tropical", de Jorge Ben Jor, "Arerê", regravação da Banda Eva, e interpolações de "Taj Mahal", de Ben Jor, encerram o concerto e, portanto, o disco.[31]

Lançamento e divulgação[editar | editar código-fonte]

Sangalo apresentando-se em 2007, durante a passagem da Turnê Maracanã por Natal, Rio Grande do Norte.

Multishow ao Vivo: Ivete no Maracanã foi transmitido na íntegra pelo Multishow pela primeira vez em 21 de abril de 2007, às 21h45.[32][33][34] O disco foi oficialmente lançado em CD no dia 28 de março, e o DVD chegou às lojas em abril.[35][36] A capa, fotografada por Marcos Hermes e Nino Andrés, mostra Sangalo "em momento do show, no palco, com os cabelos soltos e vestindo um macacão preto de maneira em que se podem observar ao fundo pontos de luz, como se estivesse gravitando entre as estrelas, ao mesmo tempo em que se torna a maior delas – a estrela solar", consoante análise de Marilda Santanna, professora da Universidade Federal da Bahia (UFBA).[26]

Para promover o lançamento de Multishow ao Vivo: Ivete no Maracanã, Sangalo embarcou em uma agenda de divulgação, apresentando-se em vários programas de televisão. No mês de abril de 2007, a cantora esteve presente no Domingão do Faustão, onde interpretou algumas faixas do trablho, como "Deixo", "A Galera", "Não Me Conte Seus Problemas" e "Sá Marina", além de algumas canções de seu catálogo anterior.[37] No dia 28 do mesmo mês, foi exibida a participação da musicista no Altas Horas; na ocasião, cantou as canções "Nosso Sonho" e "Conquista" ao lado de MC Buchecha, além de "Berimbau Metalizado" e "Deixo".[38] Um dia depois, Ivete esteve no dominical Tudo é Possível, tocando as composições "Berimbau Metalizado" e "Deixo", além de participar de alguns quadros da atração.[39] Em 4 de maio, foi ao ar a participação de Sangalo no programa Hebe, na qual foi entrevistada pela apresentadora e cantou "Deixo" e "Berimbau Metalizado".[40] No dia 20 próximo, deu uma entrevista à jornalista Marília Gabriela, que foi televisada como parte do programa Marília Gabriela Entrevista; na oportunidade, discorreu sobre o projeto e sobre maternidade, dentre outros temas.[41] No Hoje em Dia, em 11 de julho, cozinhou com o apresentador Edu Guedes, foi entrevistada pelos demais apresentadores e apresentou-se com "Berimbau Metalizado", "Deixo" e obras antigas.[42] Já no dia 14, esteve presente n'O Melhor do Brasil; na atração, Sangalo deu voz a "Berimbau Metalizado", "Deixo", "Ilumina" e à regravação "Não Quero Dinheiro (Só Quero Amar)", além de participar de quadros do programa.[43] Cinco dias depois, participou do Charme, conversando com Adriane Galisteu e comentando assuntos da carreira e da vida pessoal, além de cantar os singles "Deixo" e "Ilumina".[44] No dia 27, do mesmo mês, Sangalo compareceu ao Programa do Jô e tratou sobre a experiência de gravação do disco com Jô Soares, além de interpretar "Deixo".[45] A 5 de agosto, participou do quadro Homenagem ao Artista, do programa de Raul Gil, no qual jovens calouros apresentaram as maiores faixas da carreira da artista; na ocasião, "Deixo", "Berimbau Metalizado" e "Ilumina" foram apresentadas, além de repertório antigo.[46]

Turnê[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Turnê Maracanã

Para promover ainda mais o álbum, Sangalo embarcou na Turnê Maracanã, inspirada na apresentação do álbum, que percorreu todo o Brasil por dois anos e iniciou-se em 24 de março de 2007, em Natal, Rio Grande do Norte.[47][48] O repertório da digressão foi inteiramente baseado no mesmo da gravação do disco Ivete no Maracanã, trazendo seus sucessos e inéditas, além das versões de "Não Vou Ficar" e "Não Quero Dinheiro (Só Quero Amar), de Tim Maia, "Corazón partío", de Alejandro Sanz, "País Tropical" e "Taj Mahal", de Jorge Ben Jor, "Sá Marina", de Wilson Simonal, e "Preta", de Beto Barbosa.[49] Em relação à estrutura, contudo, a artista disse não tentar replicar a proporção do espetáculo no Maracanã, uma vez que seria impossível fazê-lo em todos os lugares que visitasse; "Eu sou uma artista popular. Não quero inviabilizar a apresentação em um lugar mais distante ou menor por causa de cenário, de luz... A única coisa que eu quero é um som bom", disse em entrevista ao jornal O Globo.[33]

Em 23 de julho de 2007, foi anunciado que sua agenda já estava lotada de shows até o final de 2008 em todo o Brasil; de acordo com a equipe da artista, apenas ocasiões especiais teriam a possibilidade de serem encaixadas.[50] Nesta época, Sangalo já recebia o maior cachê de shows do país, em torno de 200 mil reais, para além de 31 passagens de avião para seus funcionários.[51] No dia 30 de maio de 2008, a cantora se apresentou no Rock in Rio Lisboa, em Portugal, partindo para uma série de outros shows pela Europa logo depois.[50] Em outubro, Sangalo teve de interromper a divulgação durante algumas semanas, por ter sofrido um aborto espontâneo depois de seis semanas de gestação.[52] Durante o Carnaval de 2009, estreou-se seu novo single, "Cadê Dalila", que estaria presente em seu próximo álbum.[53]

Recepção[editar | editar código-fonte]

Crítica profissional[editar | editar código-fonte]

Críticas profissionais
Avaliações da crítica
Fonte Avaliação
Allmusic 3.5 de 5 estrelas.[54]
DVD Magazine 5 de 5 estrelas.[55]
Pílula Pop (40/100)[56]

Após seu lançamento, Multishow ao Vivo: Ivete no Maracanã recebeu revisões díspares por parte dos críticos de música; alguns teceram análises comparando-o positivamente às "megaproduções internacionais" e afirmando que Sangalo, com o trabalho, prova ser mais do que uma cantora de axé, sagrando-se como uma estrela pop. Contudo, algumas faixas presentes no repertório receberam avaliações negativas, sendo adjetivadas de "chatas". O crítico Mariano Prunes, do banco de dados AllMusic, foi positivo em sua revisão, dando três estrelas e meia de um total de cinco ao disco, escrevendo que o desempenho da brasileira no palco "não deixaria ninguém invejoso dos megaconcertos oferecidos no Rio por Madonna, Michael Jackson e Rolling Stones". Prunes adicionou que "há algo para todo mundo: axé, reggae, funk, pop, e um inevitável número de balada lenta, todos executados por uma banda firme (...) mas que é ofuscada pelo carisma monstruoso de Sangalo". Dizendo, ainda, que a cantora era um espetáculo por si só, ele concluiu que: "Sangalo queima pelo repertório com seu entusiasmo característico e seu magnetismo infeccioso (...) é uma festa feita para mandar todo mundo pra casa feliz e morto de cansaço de tanto cantar e dançar".[54]

Erika Azevedo, do jornal O Globo, avaliou que "o resultado é tecnicamente irrepreensível, digno de qualquer grande estrela da música (...) pela primeira vez um artista brasileiro investiu realmente numa superprodução audiovisual", além de elogiar a edição "ágil e bem cuidada, preocupada em mostrar a grandiosidade do espetáculo" e o cenário "gigantesco e de alta tecnologia"; ao dizer que o trabalho é prova de que a artista não se encaixa mais somente no título de "musa do axé", ela conclui: "Não precisa gostar do trabalho da cantora para entender porque ela é capaz de levar 50 mil pessoas ao Maracanã e fazê-las cantar suas músicas em uníssono: Ivete é uma pop star e sabe o poder que tem".[33][57] Em uma avaliação mista da obra, Jamari França, outro jornalista d'O Globo, analisa que o DVD consagra a cantora como o que chamou de "prozac musical"; contudo, classificou o dueto "Não Precisa Mudar" como "sem graça toda vida", além de descrever os vocais de Durval Lelys como "voz descolorida". Já em "Corazón partío", com Alejandro Sanz, os intérpretes se "mostram azeitados numa canção chatinha", para França, que foi mais favorável ao dueto com Samuel Rosa, escrevendo que ele "se sai melhor". "O restante do repertório", escreve, "é de natureza celebratória-carnavalesca dentro da ideologia dela de dar circo às massas, convocadas a pular, sair do chão e subir".[27]

Robson Candêo, do portal DVD Magazine, ao avaliar a qualidade técnica do DVD, foi positivo, afirmando que as imagens estavam "excelentes e nítidas", que as cores eram "bem definidas" e o som "perfeito"; a respeito do show, classificou-o como "excelente (...) com uma produção impecável; vai ser difícil achar quem não goste".[55] Escrevendo para o portal Pilula Pop, Rodrigo Ortega deu nota 40 ao álbum, numa escala que vai até 100. Comparando as vocalizações de Sangalo em faixas como "Abalou" às de artistas como Mariah Carey, Ortega escreve que a brasileira parece "quase uma diva" e afirma que os gritos de "Ahá, uhú, o Maraca é nosso", no início do registro em vídeo, são o "jogo mais previsível que já se viu no Maracanã". O jornalista foi negativo em relação às regravações presentes, dizendo que "[Sangalo] é uma das únicas cantoras do Brasil que não precisa apelar para músicas como 'Não Quero Dinheiro', 'Não Vou Ficar' e 'País Tropical'. Mesmo assim, ela apelou".[56] Thiago Ney, jornalista da Folha de S.Paulo, analisando o espetáculo após a transmissão do Multishow, adjetivou-o de "muito frio, burocrático, certinho demais", citando a reapresentação de "músicas que não tinham ficado boas" durante o evento, o que não fez parte da edição apresentada na TV e lançada comercialmente.[58]

Reconhecimento[editar | editar código-fonte]

O álbum rendeu à artista dois Prêmios Multishow de Música Brasileira em 2007, consagrando-se vencedor nas categorias Melhor CD e Melhor Show; no ano seguinte, levou o troféu de Melhor DVD, recebido no palco por Sangalo e Mazzucchelli.[59][60] Também recebeu duas indicações ao prêmio Grammy Latino, nas categorias de Melhor Álbum Pop Contemporâneo Brasileiro e Melhor Vídeo Musical em Formato Longo; na primeira, perdeu para Acústico MTV, de Lenine, enquanto que a segunda condecoração foi recebida por MTV Unplugged, de Ricky Martin.[61][62] Para além disso, a canção "Berimbau Metalizado" também recebeu uma indicação ao troféu de Melhor Canção Brasileira, entregue a "Não Me Arrependo", de Caetano Veloso.[nota 2][63]

Singles[editar | editar código-fonte]

O primeiro single do projeto, "Berimbau Metalizado", foi lançado em 26 de outubro de 2006.[64] A letra da música trata sobre o impacto do som dos instrumentos na plateia, especificamente, o berimbau. A composição foi certificada com disco de diamante pela Pro-Música Brasil, pelos mais de 500 mil downloads pagos no Brasil.[65] "Completo" foi liberada em 4 de janeiro de 2007, como segundo foco de divulgação para download digital, sendo utilizada como tema de uma campanha publicitária do banco Bradesco.[66] Como terceira música de trabalho do registro, lançou-se "Não Precisa Mudar" em 10 de abril de 2007; a música conta com a participação do cantor brasileiro Saulo Fernandes.[67] Lançado em 7 de julho de 2007, o quinto single "Deixo" tornou-se um enorme sucesso, liderando o ranking das músicas mais buscadas na Rádio UOL[68] e alcançando as 100 primeiras posições nas paradas de todo o Brasil, além de conseguir entrar para o Top 50 Português, no número 42, permanecendo na tabela por duas semanas não consecutivas;[68][69] sendo, ainda, incluída na trilha sonora da telenovela Sete Pecados, como tema do casal Dante (Reynaldo Gianecchini) e Clarisse (Giovanna Antonelli).[70] "Ilumina" e "Não Quero Dinheiro" foram as últimas duas faixas selecionadas como foco de promoção, sendo lançadas em 5 de outubro de 2007 e 10 de abril de 2008, respectivamente.[71]

Faixas[editar | editar código-fonte]

CD
TítuloCompositor(es) Duração
1. "Never Gonna Give You Up" (Instrumental) / "Abalou"  
  • Kenneth Gamble
  • Leon Huff
  • Jerry Butler
  • Ivete Sangalo
  • Gigi
5:56
2. "Não Quero Dinheiro (Só Quero Amar)"  Tim Maia 2:46
3. "Berimbau Metalizado"  
  • Doria
  • Miro Almeida
  • Duller
4:03
4. "Corazón partío" (com a participação de Alejandro Sanz)Alejandro Sanz 4:59
5. "Ilumina"  
  • Sérgio Passos
  • Jorge Papapá
  • Edu Casanova
4:19
6. "Não Me Conte Seus Problemas"  
  • Ivete Sangalo
  • Camila San Galo
5:03
7. "Não Precisa Mudar" (com a participação de Saulo Fernandes) 3:50
8. "A Galera"  
  • Augusto Conceição
  • Fábio Alcântara
  • Elivandro Cuca
  • Rayala
  • Sá Trindade
3:39
9. "Dengo de Amor"  
  • Ivete Sangalo
  • Ramón Cruz
3:38
10. "Chorando Se Foi" / "Preta"  
  • Ulises Hermosa
  • Gonzola Hermosa
  • versão: Chico de Oliveira
  • Beto Barbosa
4:23
11. "Bota Pra Ferver" (com a participação de Durval Lélys)Durval Lelys 3:57
12. "Quando a Chuva Passar"  Ramón Cruz 4:46
13. "Deixo"  
  • Sergio Passos
  • Jorge Papapá
5:53
14. "Não Vou Ficar" (com a participação de Samuel Rosa)Tim Maia 3:52
15. "Nosso Sonho" / "Conquista" / "Poder" (com a participação de Buchecha)
  • Buchecha
  • Ivete Sangalo
  • Gigi
  • Radamés
7:37
16. "País Tropical" / "Arerê" / "Taj Mahal"  
  • Jorge Ben
  • Gilson Babilonia
  • Alain Tavares
  • Jorge Ben
5:09
17. "Completo" (faixa bônus)
  • Ivete Sangalo
  • Gigi
3:53
Duração total:
1:17:35

Desempenho comercial[editar | editar código-fonte]

Multishow ao Vivo: Ivete no Maracanã foi um enorme sucesso comercial, tornando-se o disco mais vendido da história da Universal Music no Brasil. O álbum estreou em maio de 2007, sendo adquirido mais de 120 mil vezes apenas no dia do lançamento. Em um mês, CD e DVD somavam, juntos, 220 mil cópias.[73] Em junho de 2007, a revista estadunidense Billboard publicou a informação de que o trabalho havia atingido o primeiro lugar em vendas no Brasil.[74] Até 2012, a versão em CD do álbum já havia vendido cerca de 800 mil cópias;[73] o DVD, por sua vez, mais de 1,2 milhão.[75] A edição de áudio do trabalho foi a segunda mais comprada em todo o país em 2007, perdendo apenas para Minha Benção, de Padre Marcelo Rossi; no ano seguinte, foi a quinta mais adquirida.[76][77] O projeto recebeu três certificações de platina e duas certificações de diamante pela Pro-Música Brasil (PMB), para seu DVD e seu CD, respectivamente.[65] Foi o DVD mais vendido do ano de 2007 e o segundo mais vendido de 2008, em todo o Brasil,[76][77][78] além de tornar-se o disco de vídeo mais procurado da Universal em todo o mundo em 2007, superando Unplugged in New York, do Nirvana, que vendeu 172 mil cópias. Com esse feito, a gravadora voltou a ser a primeira colocada em vendas em território brasileiro, ultrapassando a sua principal concorrente, a Sony BMG. O feito também foi notado pelo jornal O Globo pelo alto número de compras, mesmo em um mercado há sete anos em queda sucessiva por conta dos efeitos da pirataria.[79] Em Portugal, o produto atingiu a posição máxima de 10.º mais popular, mantendo-se durante quinze semanas no compilado do país;[80][81] estima-se que tenham sido adquiridas mais de 50 mil unidades da obra no país.[79]

Créditos[editar | editar código-fonte]

Todo o processo de elaboração de Multishow ao Vivo: Ivete no Maracanã atribui os seguintes créditos:[83]

Gestão
Locais de gravação
Visuais e imagem
Capa
Produção
Instrumentação

Histórico de lançamento[editar | editar código-fonte]

País Data Formato Gravadora
Brasil 21 de março de 2007 (2007-03-21) CD[84] Universal
Abril de 2007 DVD[85]
19 de junho de 2007 (2007-06-19) Download digital[86]
Portugal 8 de maio de 2007 (2007-05-08) DVD[87]
28 de agosto de 2007 (2007-08-28) Download digital[88]

Notas

  1. UTC−2, em razão da observância do horário de verão no estado do Rio de Janeiro durante o ano de 2006.[21]
  2. É importante citar, contudo, que o troféu em questão é entregue aos compositores da canção, e não ao artista/intérprete. Também deve-se notar que apesar de Ivete no Maracanã ser o primeiro disco em que "Berimbau Metalizado" aparece, a faixa foi lançada de maneira avulsa, antes mesmo da gravação do concerto no Rio de Janeiro.
  3. O extended play (EP) apresenta as faixas gravadas durante o concerto, presentes na edição em DVD, mas que não foram incluídas no lançamento em CD. Além disso, tem em seu alinhamento canções como "Mega Beijo" e "Dunas", originalmente incluídas na seção de faixas extras do disco em vídeo.[72]

Referências

  1. «Certificados - Ivete Sangalo (Pro-Música Brasil)». Pro-Música Brasil. Consultado em 6 de maio de 2020 
  2. Fábio Altman (25 de julho de 2006). «Ivete Sangalo: "Não me importo se dizem que estou magra ou gorda"». IstoÉ Gente. Consultado em 12 de maio de 2020 
  3. «Show de Ivete Sangalo reúne 50 mil pessoas em Salvador». O Fuxico. Consultado em 19 de julho de 2015 
  4. "Diário de bordo", making of do DVD Ivete no Maracanã. Universal Music. Brasil, 2007. Disponível em vídeo no YouTube. Consultado em 6 de maio de 2020.
  5. a b «Ivete apresenta como será seu show Multishow ao Vivo – Ivete Sangalo no Maracanã». BaresSP. Consultado em 5 de maio de 2012 
  6. a b «Ivete diz que ficou "supergostosa" em seu novo show». Terra. 28 de agosto de 2006. Consultado em 5 de maio de 2012 
  7. a b «Ivete quer "clima de final de Copa" em show no Maracanã». Terra. 14 de dezembro de 2006. Consultado em 5 de maio de 2012 
  8. a b c d Redação SRzd (14 de dezembro de 2006). «Ivete Sangalo se apresentará no Maracanã». SRzd 
  9. «Ivete ignora fonte nova e grava no Maracanã». Bahia Já. Consultado em 18 de setembro de 2010 
  10. «Novo DVD de Ivete Sangalo deve ser gravado no Maracanã». Virgula. Consultado em 18 de setembro de 2010 
  11. «IVETE SANGALO VAI GRAVAR SEU NOVO DVD NO ESTÁDIO DO MARACANû. Virgula. 4 de agosto de 2006 
  12. «Ivete Sangalo pode gravar segundo DVD no Maracanã». A Tarde. 10 de julho de 2006 
  13. «Ingressos para show de Ivete começam a ser vendidos». A Tarde. 13 de novembro de 2006 
  14. «Samuel Rosa participa de show de Ivete Sangalo». O Fuxico. Consultado em 18 de setembro de 2010 
  15. «Novo DVD de Ivete Sangalo deve ser gravado no Maracanã». Virgula. Consultado em 18 de setembro de 2010 
  16. a b «Ivete Sangalo causa "histeria" em show para 50 mil no Maracanã». Terra. 28 de agosto de 2006. Consultado em 5 de maio de 2012 
  17. «Ivete vai cantar com Alejandro Sanz no Maracanã». Terra. 28 de agosto de 2006. Consultado em 5 de maio de 2012 
  18. «Ivete Sangalo lança DVD ao vivo». Gazeta do Povo. 29 de março de 2007 
  19. «Líder do U2 diz não para convite de Ivete Sangalo». Terra. 28 de agosto de 2006. Consultado em 5 de maio de 2012 
  20. a b c «Ivete Sangalo causa "histeria" em show para 50 mil no Maracanã». Terra. 17 de dezembro de 2006. Consultado em 5 de maio de 2012 
  21. Decreto Nº 5.920, assinado pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva em 3 de outubro de 2006 e publicado no Diário Oficial da União no dia seguinte.
  22. a b c d «Ivete Sangalo levanta poeira no Maracanã». G1. Grupo Globo. 17 de dezembro de 2006. Consultado em 5 de maio de 2012 
  23. a b «Pane pára show e Ivete "acalma" platéia com Xuxa». Terra. 28 de agosto de 2006. Consultado em 5 de maio de 2012 
  24. «Tirando a maior onda». Zero Hora. 22 de abril de 2007. Consultado em 30 de abril de 2020 
  25. a b c d e «Show de Ivete Sangalo reúne mais de 60 mil pessoas no Maracanã». Salvador: Tribuna do Paraná. Consultado em 13 de maio de 2017. Arquivado do original em 21 de março de 2007 
  26. a b c d e Marilda Santanna (2009). As donas do canto: o sucesso das estrelas-intérpretes no Carnaval de Salvador. [S.l.]: EDUFBA. p. 288. ISBN 978-85-2320-885-1. Consultado em 1 de novembro de 2016 
  27. a b c d e Jamari França. «DVD de Ivete Sangalo consagra cantora como prozac musical». O Globo. Consultado em 13 de maio de 2017 
  28. Más (em inglês) no Allmusic
  29. «Wilson Simonal ‎– Alegria Alegria Vol. 2». Discogs. Consultado em 16 de dezembro de 2013 
  30. «Discografia - Asa de Águia». Asa de Águia. Consultado em 16 de dezembro de 2013 
  31. «Show de Ivete Sangalo leva 60 mil pessoas ao Maracanã». A Tarde. Consultado em 13 de maio de 2017. Arquivado do original em 13 de maio de 2017 
  32. Thiago Ney (21 de abril de 2007). «Entrelinhas». Folha de S.Paulo. Consultado em 30 de abril de 2020 
  33. a b c Erika Azevedo (27 de março de 2007). «Ivete Sangalo fala do especial no Maracanã, exibido pelo Multishow». O Globo. Consultado em 29 de abril de 2020 
  34. «Multishow exibe show de Ivete Sangalo gravado no Maracanã». Brasil Online. 23 de abril de 2007 
  35. «Ivete Sangalo vai lançar CD e DVD de show feito em dezembro». Cifra Club. 24 de março de 2007 
  36. «"Não tenho que provar nada a ninguém", diz Ivete». Terra. 28 de março de 2007. Consultado em 5 de maio de 2012 
  37. «Ivete Sangalo no Domingão do Faustão - Maracanã». 19 de fevereiro de 2013 
  38. «Altas Horas recebe Laura Pausini e Ivete Sangalo». 19 de fevereiro de 2013 
  39. «Ivete Sangalo se apresenta no Altas Horas e Tudo é Possível». Consultado em 19 de fevereiro de 2013 
  40. «Multishow ao Vivo: Ivete no Maracanã». Hebe. 4 de maio de 2007. SBT 
  41. «Ivete Sangalo fala de maternidade com Marília Gabriela, no GNT». O Globo. 17 de maio de 2007. Consultado em 13 de maio de 2017. Cópia arquivada em 17 de maio de 2007 
  42. «Multishow ao Vivo: Ivete no Maracanã». Hoje em Dia. 11 de julho de 2007. Rede Record 
  43. «Multishow ao Vivo: Ivete no Maracanã». O Melhor do Brasil. 14 de julho de 2007. Rede Record 
  44. «Multishow ao Vivo: Ivete no Maracanã». Charme. 19 de julho de 2007. SBT. Consultado em 13 de maio de 2017 
  45. «Cantora 'surta' e é demitida do 'Domingão'». Folha. 19 de fevereiro de 2013 
  46. «Raul Gil faz homenagem especial a Ivete Sangalo». Área VIP. 19 de fevereiro de 2013 
  47. «Agenda Oficial da cantora Ivete Sangalo». frantikmag. Consultado em 18 de dezembro de 2013 
  48. «Ivete Sangalo, agenda shows - Janeiro 2007». Carnaxé. 19 de fevereiro de 2013 
  49. «Ivete Sangalo faz 3 Shows no Paraná». Próximo Show. 2006. Consultado em 19 de fevereiro de 2013. Arquivado do original em 2 de abril de 2011 
  50. a b «Ivete solteira». Terra. 2006. Consultado em 19 de fevereiro de 2013 
  51. «Ivete Sangalo cobra o cachê mais alto do país». Bahia Notícias. 2006. Consultado em 19 de fevereiro]] de 2013 
  52. «Após 6 semanas de gravidez, Ivete Sangalo sofre aborto». Estadão. 2006. Consultado em 19 de fevereiro de 2013 
  53. «Ivete Sangalo estreia Dalila na avenida». UOL. 2009. Consultado em 19 de fevereiro de 2013 
  54. a b Prunes, Mariano. «Multishow ao Vivo: No Maracanã > Overview». AllMusic. Consultado em 27 de junho de 2019 
  55. a b Candêo, Robson (28 de julho de 2003). «Ivete Sangalo: Multishow ao Vivo no Maracanû. DVD Magazine. Consultado em 1 de maio de 2017. Cópia arquivada em 1 de setembro de 2003 
  56. a b Ortega, Rodrigo (28 de março de 2007). «Quase tudo, quase nada». Pilula Pop 
  57. Erika Azevedo (28 de março de 2007). «Ivete Sangalo lança seu DVD gravado no Maracanã». Gazeta do Povo (O Globo. Consultado em 29 de abril de 2020 
  58. Thiago Ney (24 de abril de 2007). «Multishow traz Sangalo no Maracanã». Folha de S.Paulo. Consultado em 30 de abril de 2020 
  59. «O Prêmio de 2007». Multishow. 9 de fevereiro de 2010. Consultado em 30 de abril de 2020 
  60. «O Prêmio de 2008». Multishow. 9 de fevereiro de 2010. Consultado em 30 de abril de 2020 
  61. «Não tem para ninguém: Ivete Sangalo lidera Grammy Latino 2007». O Globo. Ego. Consultado em 5 de maio de 2012 
  62. «Veja a relação completa de vencedores do 8º Grammy Latino». O Globo. Consultado em 5 de maio de 2012 
  63. «Winners of the 2007 Latin Grammy Awards». New York Daily News. 9 de novembro de 2007. Consultado em 4 de maio de 2020 
  64. Apple Inc. «Berimbau Metalizado - Single by Ivete Sangalo». Apple Music. Consultado em 1º de novembro de 2010 
  65. a b c «Certificações (Brasil) (álbum) – Ivete Sangalo – Ao Vivo no Maracanã». Associação Brasileira dos Produtores de Discos. Consultado em 8 de junho de 2017 
  66. «Poderosa nos palcos e na mídia (Bradesco - MatosGrey)». São Paulo: Portal da Propaganda. 26 de janeiro de 2007. Consultado em 6 de abril de 2019. Arquivado do original em 29 de maio de 2007 
  67. Lady Kafka (24 de setembro de 2007). «Ivete Sangalo: música "Não Precisa Mudar" cantada no Maracanã». Eita Piula. Consultado em 15 de maio de 2020. Cópia arquivada em 23 de fevereiro de 2009 
  68. a b «Ouça, veja a letra e cante o karaokê de "Deixo", sucesso de Ivete Sangalo». Bol. 17 de julho de 2007. Consultado em 6 de abril de 2019. Arquivado do original em 29 de maio de 2007 
  69. «Ivete Sangalo – Deixo (Top 50)» (em inglês). Portugal Singles TOP 50. 6 de maio de 2007 
  70. «Sete Pecados – Trilha Sonora». Memória Globo. 17 de julho de 2007. Consultado em 6 de abril de 2019. Arquivado do original em 29 de maio de 2007 
  71. «Especial: Ivete Sangalo - Maracanã Ao Vivo». Ponto Pop. Consultado em 15 de maio de 2020. Cópia arquivada em 11 de março de 2016 
  72. Multishow ao Vivo: Especial Edition at iTunes iTunes Acessado em Dezembro de 2010
  73. a b c «Ivete Sangalo, 40 anos: relembre a trajetória da cantora». IG. Consultado em 5 de maio de 2012 
  74. a b Nielsen Business Media, Inc. (1º de março de 2008). «Billboard Hits of The World: Brazil Albums». Billboard (em inglês). Consultado em 18 de dezembro de 2013 
  75. a b «Ivete repassa trajetória de hits em novo DVD». Jornal A Tarde. Consultado em 11 de janeiro de 2011 
  76. a b c «Números do Mercado em 2007». ABPD. 2004. Consultado em 26 de fevereiro de 2012 
  77. a b c «20 CDs e DVDs MAIS VENDIDOS NO BRASIL EM 2008». Associação Brasileira dos Produtores de Discos. Consultado em 8 de janeiro de 2005 
  78. «Eles dominaram as paradas em 2007». Folha. Consultado em 5 de maio de 2012 
  79. a b «DVD de Ivete Sangalo é recorde mundial de vendas da gravadora Universal». O Globo. 20 de janeiro de 2008. Consultado em 18 de julho de 2009 
  80. «CD de Ivete ganha posições entre mais vendidos de Portugal». Agência Lusa. Rádio Criciúma. 30 de maio de 2007. Consultado em 17 de fevereiro de 2015 
  81. a b Multishow ao Vivo: Ivete no Maracanã chart positions Portuguese Charts
  82. «Certificações (Brasil) (vídeo) – Ivete Sangalo – Ao Vivo no Maracanã». Associação Brasileira dos Produtores de Discos. Consultado em 8 de junho de 2017 
  83. (2007) Créditos do álbum Multishow ao Vivo: Ivete no Maracanã por Ivete Sangalo, pg. 2-11 [CD]. Universal Music, Mercury Records (602517187702).
  84. «Ivete Sangalo ‎– Multishow Ao Vivo: Ivete No Maracanã». Discogs. Consultado em 27 de maio de 2017 
  85. «Ivete Sangalo ‎– Multishow Ao Vivo: Ivete No Maracanã». Discogs. Consultado em 27 de maio de 2017 
  86. «Ivete* ‎– Multishow Ao Vivo (Especial Digital)». Discogs. Consultado em 27 de maio de 2017 
  87. «Ivete Sangalo ‎– Multishow Ao Vivo No Maracanã». Amazon.Spain & Portugal. Consultado em 18 de março de 2016 
  88. «Ivete Sangalo ‎– Multishow Ao Vivo No Maracanã». Amazon.Spain & Portugal. Consultado em 18 de março de 2016