Festa (álbum de Ivete Sangalo)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Se procura pela canção de mesmo nome, veja Festa (canção).
Festa
Álbum de estúdio de Ivete Sangalo
Lançamento 5 de dezembro de 2001
Gravação 2001
Gênero(s)
Duração 55:45
Idioma(s)
Formato(s)
Gravadora(s) Universal
Produção
Cronologia de Ivete Sangalo
Beat Beleza
(2000)
Clube Carnavalesco Inocentes em Progresso
(2003)
Singles de Festa
  1. "Festa"
    Lançamento: 30 de novembro de 2001
  2. "Penso"
    Lançamento: 15 de junho de 2002
  3. "Astral"
    Lançamento: 3 de dezembro de 2002

Festa é o terceiro álbum de estúdio da cantora brasileira Ivete Sangalo, lançado no dia 5 de dezembro de 2001.[1] Gravado em Salvador, no estúdio Ilha dos Sapos e produzido majoritariamente pelo percussionista Alexandre Lins, Festa marca uma maior mistura de ritmos, entre eles o funk americano como se vê na canção "Pop Zen" e na faixa-título, o MPB, como visto em canções como "Meu Maior Presente", "E Tudo Mais" e "Assimétrica", e o pop, presente nas canções "Ruas e Rios" e "Astral". Apenas três faixas possuem maior influência do axé: a dançante "Tum, Tum, Goiaba" e as agitadas "O Grande Chefe" e "Aqui Vai Rolar". Para fazer o álbum, a cantora quis ultrapassar suas barreiras musicais, fazendo uma mistura de ritmos, o que fez com que o álbum fosse considerado seu álbum mais pop na época.

O álbum conta com 14 faixas, das quais onze são escritas por outros compositores, como os cantores Gilberto Gil e Nando Reis, além de musicistas como Gigi e Ramon Cruz, e uma de autoria da própria cantora. O álbum ainda traz duas faixas bônus: o tema "Narizinho", composto originalmente por Ivan Lins e Vitor Martins e produzida por Sérgio de Carvalho para o seriado Sítio do Pica-Pau Amarelo, exibido pela Rede Globo; e a canção "Back at One", em um dueto virtual com o cantor Brian McKnight (que gravou a canção em 1999), também produzida pelo cantor, que combina a letra original com uma versão em português feita por Mônica Sangalo, irmã de Ivete.

Para promover o álbum e a o mesmo tempo combater a pirataria, o encarte do álbum traz uma foto destacável da cantora que pode ser vestida por seis diferentes tipos de roupas, assinadas pelos estilistas Fause Haten, Glória Coelho e Marcelo Sommer. O álbum recebeu maior divulgação com os singles lançados: a canção-título "Festa" foi lançada como primeiro single e se tornou o grande sucesso do carnaval de 2002, sendo a terceira música de trabalho de Ivete a alcançar o topo da "Hot 100 Brasil", lista das músicas mais executadas nas rádios brasileiras; já os singles subsequentes, "Penso" e "Astral", fizeram sucesso moderado devido ao grande impacto da canção "Festa". O álbum também foi bem aceito pelos críticos, que fizeram questão de elogiar os vocais adotados por Ivete no álbum, além das fusões de estilos no álbum. Festa também foi indicado ao Grammy Latino de Melhor Álbum de Pop Contemporâneo Brasileiro, além de ter vendido mais de 500 mil cópias em todo o Brasil.

Antecedentes[editar | editar código-fonte]

Após o lançamento de seu segundo álbum, Beat Beleza no fim de 2000, que extraiu os singles "Pererê" e A Lua Q Eu Te Dei", além de ter sido indicado ao Grammy Latino de 2000, na categoria "Melhor Álbum de Pop Contemporâneo Brasileiro"[2], Ivete começou a gravar um novo álbum em meados de 2001. Em agosto do mesmo ano, em meio a gravação do álbum, Maria Ivete, mãe da cantora, faleceu,[3] mas mesmo assim, Ivete concluiu o projeto em setembro, no estúdio Ilha dos Sapos (do músico Carlinhos Brown).[4] Numa coletiva de imprensa, Ivete declarou, "Vocês não têm noção de como foi fazer esse disco. Foi rock-and-roll... mas graças a Deus deu tudo certo. Só posso crer que minha mãe está 'assim' com o cara lá de cima."[5]

Estilo e canções[editar | editar código-fonte]

"As pessoas estão falando que meu trabalho está mais MPB, ou mais eclético, mas eu quero ressaltar que sou baiana, minha música é baiana e não tem como dizer que seja outra coisa. A música baiana é que permite que a gente absorva todos os estilos. Além disso, sou uma intérprete, reparou? Me dou o direito de abrir o leque de possibilidades na hora de cantar".

—Ivete falando sobre o álbum.[6]

Festa vê Ivete deixando o axé em segundo plano, investindo em outros ritmos, como o samba reggae, a música black e até a música dance.[7] Outros estilos que o álbum incorpora são o funk americano e a MPB.[5] O álbum foi considerado pelos críticos o mais pop de todos que a cantora lançou até aquele momento. Para ela, "Tem um momento de abertura, um momento mais romântico, outro de carnaval, um pouquinho de tudo".[8] Ivete explicou, "Estou querendo misturar, brincar mais. Desta vez não tive medo de fazer as coisas que eu estava a fim. Nos outros álbuns tive um pouco de receio, não quis ultrapassar minhas barreiras. Acho que estou menos recatada, mais tranquila e menos temerosa comigo mesma."[5] Segundo a cantora ao site da MTV ao ser questionada sobre o termo de "álbum mais pop" da carreira: "Não diria mais pop. Pop vem de popular e todos os meus discos são populares, sem dúvida. Mas neste CD estou mais coerente comigo mesma, respeitando as minhas vontades. Está uma delícia!".[6]

O álbum conta com composições de Gilberto Gil (esquerda) em "Assimétrica" e Nando Reis (direita) em "E Tudo Mais".

"Ruas e Rios" abre o disco com um quê de eletrônico,[9] onde Ivete fala sobre "pertencer sempre ao lugar que nasceu".[10] Já a segunda faixa, "Festa", "é uma música impregnada de percussão e sopro, características da música baiana, mas num todo ela é uma espécie de funk, segundo Ivete.[5] Em "Astral", Ivete canta, "subindo, subindo, subindo, subindo astral".[6] "Penso" é uma canção mais pop, onde Ivete conta uma história de amor adolescente.[11] Já a faixa "Meu Maior Presente" é uma balada, que posteriormente foi regravada pela própria Ivete em seu sexto álbum de estúdio, intitulado Pode Entrar (2009).[12] "E Tudo Mais" foi composta por Nando Reis, enquanto "Assimétrica" foi escrita por Gilberto Gil.[7][9] O axé music é mais visto na faixa "O Grande Chefe", que segundo Silvia Ruiz da ISTOÉ Gente, "tem tudo para estourar no verão".[7] "Tum Tum Goiaba" segue a linha axé, com uma letra inusitada sobre algumas frutas, como goiaba, manga e pinha.[13] Segundo um dos compositores, Márcio Brasil, ao ser perguntado sobre a inspiração para a canção, "palavras sonoras se misturam a pequenas histórias e melodias."[14]

"Em Mim, Em Você" possui um som mais voltado para a MPB,[9] enquanto "Narizinho", com letra de Ivan Lins e Vitor Martins, acordeon de Chiquinho Chagas e flautas de Milton Guedes, fez parte da trilha sonora da série Sítio do Pica Pau Amarelo da Rede Globo.[9] Para encerrar, "Back at One", um dueto com Brian McKnight, gravado por Brian em 1999, e regravado com Ivete para promover o álbum do cantor no mercado brasileiro. Em seguida, Brian, impressionado com a versão que Ivete fez de uma de suas músicas no álbum anterior, Beat Beleza (2000), convidou a cantora para fazer uma versão de "Back at One".[15] Segundo Ivete, "Quando ele decidiu fazer algo no Brasil, ele aparentemente pediu muito material, e ele gostou do meu disco."[15]

Arte gráfica[editar | editar código-fonte]

A capa do álbum traz Ivete em três poses diferentes, com cabelos loiros. Seu encarte traz um "brinde" para os fãs que têm como principal função inibir a pirataria. Como num brinquedo de antigamente, uma capa de papelão traz uma foto de Ivete destacável que pode ser vestida por seis diferentes roupas de festas, desenhadas por estilistas brasileiros, como Fause Haten, Glória Coelho e Marcelo Sommer. Para Ivete, "Essa capa foi feita por mim! Tive essa ideia enquanto ensaiava minha participação no Criança Esperança. Mostrei para os caras da gravadora e eles assinaram na hora. Essa é uma ideia que entretém e evita a pirataria ao mesmo tempo".[16]

Recepção[editar | editar código-fonte]

Crítica[editar | editar código-fonte]

Críticas profissionais
Avaliações da crítica
Fonte Avaliação
AllMusic 3 de 5 estrelas.[17]
Axé Brasil (positivo)[10]
Carnasite 3 de 4 estrelas.[2]
CliqueMusic 2 de 5 estrelas.[9]
ISTOÉ Gente (positivo)[7]

O álbum recebeu em sua maioria críticas positivas. Mônica Loureiro do CliqueMusic, do site UOL, disse que, "Das 14 faixas do álbum, produzido por Alexandre Lins, apenas 'O Grande Chefe', 'Aqui Vai Rolar' - estas em bem clima de trio elétrico - e Tum, Tum, Goiaba são dedicadas ao estilo que consagrou Ivete à frente da Banda Eva. No resto, ela adota canções e suingues diferenciados para se afirmar de vez na MPB." Segundo Mônica, "A voz de Ivete é firme, envolvente e se encaixa bem em qualquer dessas propostas", afirmando que "'Narizinho' é um momento delicioso do CD, ganhando a voz mais aveludada de Ivete."[9] Silvia Ruiz da revista ISTOÉ Gente afirmou que em Festa, "a baiana deixou o axé em segundo plano e investiu em outros ritmos. [...] Não que ela tenha abandonado o ritmo que a consagrou. Ivete faz questão de dizer que é uma cantora do Carnaval e que seu disco foi concebido para ser tocado nos trios. Mas o fato é que o axé só aparece a partir da sétima faixa do disco [...] e fica restrito a duas ou três músicas. De resto, há um pouco de tudo, sempre com os tambores e metais típicos da música baiana de Carnaval permeando o som." Ruiz também disse que "Essa salada musical ganhou temperos nobres com duas participações especiais: o titã Nando Reis e Gilberto Gil, que compuseram duas faixas especialmente para a cantora."[7] Já o site Axé Brasil disse que "O terceiro álbum solo de Ivete Sangalo, Festa (Universal Music), como profetizou o titã Nando Reis numa breve apresentação, é 'sua nova morada'. [...] Com Festa [...] Ivete Sangalo consagra-se musa [do público], seja no lugar que nasceu ou dos lugares por onde passa."[10]

"Festa" também foi indicado ao Grammy Latino na categoria "Melhor Álbum de Pop Contemporâneo Brasileiro", sendo o terceiro álbum consecutivo da cantora a ser indicado na mesma categoria.[18] O álbum perdeu para "Falange Canibal" de Lenine.[19]

Comercial[editar | editar código-fonte]

Ainda em 2001, o álbum recebeu certificado de ouro, pelas vendas superiores a 100 mil cópias, devido à compra dessas cópias pela rede Insinuante.[5] Logo no show de lançamento do álbum, no dia 21 de dezembro de 2001, Ivete também recebeu um certificado de platina, por vendas superiores à 250 mil cópias, com menos de um mês de lançamento.[8] Até 2012, o álbum já tinha ultrapassado a marca de mais de 500 mil cópias vendidas.[20]

Singles[editar | editar código-fonte]

A faixa-título, "Festa", foi lançada como primeiro single do álbum em novembro de 2001,[5][21] tornando-se o grande sucesso do carnaval de 2002, sendo o terceiro single de Ivete a alcançar o topo da "Hot 100 Brasil".[22] Juntamente com "Deixa a Vida Me Levar", do sambista Zeca Pagodinho, "Festa" foi um dos hinos do pentacampeonato da Seleção Brasileira de Futebol, conquistado sobre a seleção da Alemanha na Copa do Mundo FIFA de 2002.[23] O videoclipe da canção traz Ivete promovendo uma grande festa tendo vários amigos artistas, como as atrizes Carolina Dieckmann, Vera Fischer, os atores Bruno Gagliasso e Murilo Rosa, além da cantora Preta Gil, entre outros.[24]

O segundo single do álbum, "Penso", foi lançado no final de março de 2002.[25] A canção adentrou o Top 20, alcançando a posição de número 14.[22] Além disso, "Penso" foi promovida por Ivete em diversos programas de TV, incluindo o "Altas Horas" e "Hebe".[25] O terceiro single do álbum, "Astral", foi lançado em dezembro de 2002,[26] e alcançou a posição de número 36 nas paradas de sucesso.[22] A canção foi promovida no Show da Virada, entre outros programas televisivos.[26] Uma versão ao vivo, com o músico Davi Moraes na guitarra, foi feita para o primeiro álbum ao vivo da cantora, "MTV ao Vivo" (2004).[27]

Canções notáveis[editar | editar código-fonte]

"Back at One", um dueto com o cantor norte-americano Brian McKnight, foi lançada como single em setembro de 2000 para promover o álbum do cantor no Brasil e posteriormente foi incluída no álbum.[15][28] A canção contou com um videoclipe e foi um sucesso nas paradas, alcançando o pico de número 10.[22] "Tum, Tum, Goiaba", foi lançada como single promocional em julho de 2002, e figurou na posição de número 29 nas paradas de sucesso.[22]

Faixas[editar | editar código-fonte]

N.º TítuloCompositor(es)Produtor(es) Duração
1. "Ruas e Rios"  Ramon CruzAlexandre Lins 4:18
2. "Festa"  Anderson CunhaLins 3:44
3. "Astral"  
  • Cláudio Martins
  • Gustavo Di Dalva
Lins 4:03
4. "Penso"  
Lins 3:36
5. "Meu Maior Presente"  CruzLins 3:37
6. "E Tudo Mais"  Nando ReisLins 3:52
7. "O Grande Chefe"  
Lins 3:45
8. "Tum, Tum, Goiaba"  
  • Leonardo Reis
  • Márcio Brasil
Lins 3:37
9. "Aqui Vai Rolar"  
  • Reis
  • Peo Meurrahy
Lins 3:24
10. "Pop Zen"  
  • Alexandre Leão
  • Lalado
  • Manuca Almeida
Lins 4:59
11. "Em Mim, Em Você"  Lins 3:40
12. "Assimétrica"  Gilberto GilLins 5:43
13. "Narizinho"  
Sérgio de Carvalho 3:08
14. "Back at One" (com Brian McKnight)
  • Brian McKnight
  • Mônica Sangalo
McKnight 4:17
Duração total:
55:45

Desempenho nas tabelas musicais[editar | editar código-fonte]

Parada musical (2001-2) Melhor
posição
 Brasil (HITS Rio de Janeiro)[29] 2
 Brasil (HITS São Paulo)[29] 4

Certificação[editar | editar código-fonte]

País Certificador Certificação Vendas
 Brasil ABPD 2× Platina[30] 500.000+[20]

Referências

  1. «Ivete Sangalo - Festa - Amazon.com Music». Amazon.com. Consultado em 11 de janeiro de 2016 
  2. a b «Ivete Sangalo agora é cidadã pernambucana». Carnasite. 19 de julho de 2001. Consultado em 22 de dezembro de 2013  Erro de citação: Código <ref> inválido; o nome "carnasite" é definido mais de uma vez com conteúdos diferentes
  3. «Mãe de Ivete Sangalo morre em Salvador». Diário do Grande ABC. 29 de agosto de 2001. Consultado em 9 de junho de 2017 
  4. (2001) Créditos do álbum Festa por Ivete Sangalo, pg. 15. Universal Music.
  5. a b c d e f «IVETE SANGALO: "Estou menos recatada e mais tranquila"». Ilha.com.br. 4 de dezembro de 2001. Consultado em 28 de dezembro de 2013 
  6. a b c «Ivete Sangalo faz festa de axé sob o sol da Bahia». Ilha.com.br. 4 de dezembro de 2001. Consultado em 28 de dezembro de 2013 
  7. a b c d e Ruiz, Silvia (10 de dezembro de 2001). «Com salada de ritmos, Ivete Sangalo confirma que deseja ir muito além do trio elétrico». ISTOÉ Gente. Consultado em 29 de dezembro de 2013 
  8. a b «Ivete Sangalo faz a festa». Ilha.com.br. 5 de dezembro de 2001. Consultado em 29 de dezembro de 2013 
  9. a b c d e f Mônica Loureiro (2001). «Cliquemusic: Disco: FESTA». CliqueMusic. Consultado em 29 de dezembro de 2013 
  10. a b c «Axé Brasil - Ivete Sangalo». Axé Brasil. Consultado em 29 de dezembro de 2013 
  11. «Penso, de Ivete Sangalo». Letras e Músicas. UOL. Consultado em 29 de dezembro de 2013 
  12. «Meu Maior Presente - Ivete Sangalo | Allmusic». Allmusic. Consultado em 29 de dezembro de 2013 
  13. «Tum Tum Goiaba, de Ivete Sangalo». Letras e Músicas. UOL. Consultado em 29 de dezembro de 2013 
  14. «Marcio Brasil (@marciobrasillll) * Fotos e vídeos no Instagram». Instagram. 8 de janeiro de 2016. Consultado em 11 de janeiro de 2016 
  15. a b c Cobo, Leila (25 de agosto de 2001). «Breaking the Language Barrier». Prometheus Global Media. Billboard (em inglês). 113 (34). 44 páginas. ISSN 0006-2510. Consultado em 10 de janeiro de 2016 
  16. Granato, Bruno. «Ivete Sangalo "Festa – Vem gente de toda cor, tem raça de toda fé"». Saraiva.com.br. Cópia arquivada em 28 de agosto de 2003 
  17. «Ivete Sangalo - Festa | Allmusic». Consultado em 29 de dezembro de 2013 
  18. «Xuxa e padre Marcelo Rossi ganham Grammy Latino». Diário do Grande ABC. 19 de setembro de 2002. Consultado em 23 de janeiro de 2014 
  19. «Lenine vence Grammy Latino de melhor álbum pop brasileiro». Vírgula. 19 de setembro de 2002. Consultado em 23 de janeiro de 2014 
  20. a b «Ivete Sangalo, 40 anos: relembre a trajetória da cantora». IG. Consultado em 5 de maio de 2012 
  21. «Ivete Sangalo acusa censura na Record». Estadão. 20 de novembro de 2001. Consultado em 11 de janeiro de 2016 
  22. a b c d e «Hot 100 Brasil» (PDF). Consultado em 2 de outubro de 2013 
  23. «Festa´ é escolhida a música tema da Seleção Brasileira». Ilha.com.br. 26 de junho de 2002. Consultado em 11 de janeiro de 2016 
  24. «Retrospectiva IS20 Ivete Sangalo em: Clips». Ivete Sangalo Lovers. Consultado em 16 de dezembro de 2013 
  25. a b «Zezé & Luciano e Sangalo dividem a cena». Ilha.com.br. 12 de abril de 2002. Consultado em 11 de janeiro de 2016 
  26. a b «Cantores famosos gravam Show da Virada na Globo». Terra. 4 de dezembro de 2002. Consultado em 11 de janeiro de 2016 
  27. «O Nordeste.com - Enciclopédia Nordeste - Ivete Sangalo». O Nordeste. Consultado em 11 de janeiro de 2016 
  28. (2000) Créditos do álbum Back at One (single) por Brian McKnight. Universal Music (2802-481).
  29. a b «HITS — Os discos mais vendidos da semana». Istoé Gente. Consultado em 13 de novembro de 2014 
  30. «Ivete Sangalo Certificação - Ivete Sangalo». ABPD. Consultado em 26 de julho de 2015 
Ícone de esboço Este artigo sobre um álbum de Ivete Sangalo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.