Minimoog

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Minimoog
Informações

O Minimoog é um sintetizador monofônico analógico inventado por Bill Hemsath e Robert Moog. Foi lançado em 1970 pela R.A. Moog Inc. (Moog Music após 1972), tendo sido produzido até 1981.[1] Em 2002, foi redesenhado pelo próprio Robert Moog, tendo sido relançado como Minimoog Voyager.

O Minimoog foi projetado tendo em vista o uso de sintetizadores no rock e no pop. Os grandes sintetizadores modulares eram caros, desajeitados e delicados, o que fazia deles instrumentos inadequados para apresentação ao vivo. Assim, o Minimoog foi pensado para incluir as partes mais importantes de um sintetizador modular em um móvel compacto, sem necessidade de cabos para conectar os elementos. O instrumento, no entanto, superou muito seu objetivo original e se tornou um extremamente popular por sua sonoridade característica.

Minimoog Voyager.

O Minimoog permanece muito utilizado até hoje, mais de quaro décadas após sua invenção, por seu design intuitivo e pela riqueza de seus sons em todos os registros.

Desenho[editar | editar código-fonte]

Basicamente, o painel de controle do Minimoog pode ser dividido em três secções:

Todos os controles são feitos pela variação da tensão, nos sistema popularmente conhecido como "controle de voltagem".

Painel do Minimoog


O Minimoog é monofônico (apenas uma nota pode ser tocada de cada vez) e seu projeto com três osciladores rendeu-lhe o seu famoso som "gordo". Quatro protótipos foram feitos até chegar ao desenho final que foi comercializado. O Minimoog modelo D adaptou parte dos circuitos de instrumentos modulares anteriores, mas muitos dos componentes foram inteiramente desenhados para ele. Para fazer um som, o músico deveria primeiro escolher um formato de onda a ser gerado pelo(s) oscilador(es) e/ou o tipo de ruído (branco ou rosa). Os osciladores permitem a escolha entre várias formas de onda:

Os sinais são roteados no misturador para o filtro, onde é possível controlar a filtragem e adicionar ressonância.

O sinal filtrado então é enviado para o amplificador, onde passa por um gerador de envelope do tipo ADS ou ADSD (Attack, Decay, Sustain, Decay), versão mais simples do mais utilizado ADSR (Attack, Decay, Sustain, Release). No ADSD, o valor do decaimento (decay) é replicado no repouso (release), de modo que há três botões para controlar qutaro parâmetros do som. Parte do diferencial desse intrumento sobre os antigos Moogs modulares é que o Minimoog não precisava de cabos externos de conexão entre os componentes (os chamados patch cables). O sinal e os controles são transmitidos via cabeamento interno ("hard-wired"). Essa configuração, embora mais prática em termos de palco, limita o fluxo do sinal ao percurso descrito acima (oscilador(es) → filtro → amplificador). Contudo, há formas de tentar contornar essa limitação.

Podemos considerar que o Minimoog pode ter, ao todo, seis fontes sonoras, sendo que cinco delas passam pelo misturador com controles de intensidade independentes:

  • 3 osciladores (ver acima);
  • Um gerador de ruído;
  • Uma entrada de linha externa.

Além disso, o filtro pode ser induzido a uma auto-oscilação, provendo assim uma sexta fonte sonora.

O filtro e o amplificador possuem cada um seu próprio gerador de envelope ADS.


Referências

  1. «Chronology 1953-1993». Moog history. MoogArchives.com 

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre instrumento musical é um esboço relacionado ao Projeto Música. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.