Síndrome de Mallory-Weiss

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Síndrome de Mallory-Weiss
Lágrima de Mallory-Weiss afetando o lado do esôfago da junção gastroesofágica
Classificação e recursos externos
CID-10 K22.6
CID-9 530.7
DiseasesDB 7803
eMedicine ped/1359
MeSH D008309
Star of life caution.svg Aviso médico

A síndrome de Mallory-Weiss ou Síndrome da laceração gastroesofágica refere-se ao sangramento proveniente de lacerações das paredes na junção do estômago com o esôfago induzidos por ataques de tosse ou vômito.

Causas[editar | editar código-fonte]

A zona mais afetada é a cárdia.

É frequentemente associada com distúrbios que causem vômitos frequentes como o alcoolismo e distúrbios alimentares (anorexia e bulimia)[1] e há algumas evidências que a presença de uma hérnia de hiato é um fator de risco. Também pode ser induzido por gastrite, convulsões epiléticas ou por um trauma físico torácico.[2]

Sinais e sintomas[editar | editar código-fonte]

Seu sintoma mais característico é o vômito de sangue (hematemese), mas também pode ser identificado por sangue escuro nas fezes melena e inclusive pode aparecer sem vômito recorrente.

Na maioria dos casos, a hemorragia cede espontaneamente depois de 24-48 horas, mas tratamento cirúrgico ou endoscópico é às vezes necessário. Raramente há complicações.

Diagnóstico[editar | editar código-fonte]

O diagnóstico definitivo é feito por endoscopia. Medir a pressão arterial e frequência cardíaca ajudam a manejar a gravidade da hemorragia.[3]

Tratamento[editar | editar código-fonte]

O tratamento normalmente é efetivo, sendo que a hemorragia persistente é incomum. Cauterização ou injeção de epinefrina para parar a hemorragia podem ser efetuados durante o procedimento de endoscopia. Soro pode ser necessário para corrigir um desequilíbrio hidroeletrolítico (ou seja, repor água e sais minerais) e em raros casos, quando a perda de sangue é muito grande, pode ser necessário transfusão de sangue.[4]

Muito raramente a embolização das artérias regionais é necessária para cessar a hemorragia.

História[editar | editar código-fonte]

A doença foi descrita primeiramente em 1929 por G. Kenneth Mallory e Soma Weiss em 15 pacientes alcoólicos.[5]

Referências

  • ^ Caroli A, Follador R, Gobbi V, Breda P, Ricci G (1989). "[Mallory-Weiss syndrome. Personal experience and review of the literature]" (in Italian). Minerva dietologica e gastroenterologica 35 (1): 7–12
  • Cecil Textbook of Medicine