Tico Santa Cruz

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Tico Santa Cruz
Informação geral
Nome completo Luis Guilherme Brunetta Fontenelle de Araújo
Também conhecido(a) como Tico

TSC

Nascimento 30 de setembro de 1977 (38 anos)
Origem Rio de Janeiro, RJ
País  Brasil
Gênero(s) Rock
Ocupação(ões) Músico, compositor, escritor
Instrumento(s) Vocal, guitarra, violão
Período em atividade 1997 - atualmente
Gravadora(s) Warner Music Brasil, Sony Music, Independente
Afiliação(ões) Detonautas, Raimundos, Gabriel o Pensador
Página oficial bloglog.globo.com/ticosantacruz

Luis Guilherme Brunetta Fontenelle de Araújo (Rio de Janeiro, 30 de setembro de 1977), mais conhecido pelo seu nome artístico Tico Santa Cruz é um músico, compositor, escritor brasileiro. É o vocalista da banda Detonautas Roque Clube. Estudou Ciências Sociais na UFRJ.[1]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Infância e juventude[editar | editar código-fonte]

Cursou Ciências Sociais, Educação Física e Comunicação, não tendo concluído nenhum desses cursos.

Polêmicas[editar | editar código-fonte]

Tico Santa Cruz já se envolveu em diversas polêmicas com a Banda Detonautas, como a com produtores de shows em Juiz de Fora. Em agosto de 2013, Tico se irritou devido à qualidade do som e fez ameaças de morte aos técnicos de som[2] , caso os mesmos desligassem o som do P.A. Em entrevista a portais de noticias[3] [4] , Tico explicou que as "ameaças" foram feitas à produtora, como mostram os vídeos, descartando qualquer mal interpretação, pois não há como "matar uma produtora".

Carreira[editar | editar código-fonte]

Detonautas[editar | editar código-fonte]

Em 1997, em uma das inúmeras salas de bate-papo do precário início da internet discada no Brasil, os jovens Luis Guilherme e Eduardo Simão se encontraram. E a simples pergunta de Luis (“Alguém aí toca algum instrumento?”), respondida em seguida por Eduardo ("Sei cozinhar."), foi a semente para a transformação total da vida de ambos e de terceiros. Tico Santa Cruz e Tchello, e a senha para a formação da banda que, misturando o sol do Rio de Janeiro a madrugadas ora de festa, ora de introspecção em quartos trancados, tomou de assalto o país sob o nome de Detonautas Roque Clube. Após o contato virtual, a hora da realidade. O mineiro Tchello saiu de Ilhéus, no litoral baiano, onde administrava uma pousada, e foi para o Rio, onde passou a tocar com Tico nas diversas formações anteriores do grupo. Com a entrada dos guitarristas Renato Rocha e Rodrigo Netto, do baterista Fábio Brasil e do DJ Cléston, o Detonautas chegou à sua escalação clássica que, após a gravação de uma demo, entrou em campo com o disco Detonautas Roque Clube, lançado pela Warner Music em 2002. Com o sucesso do álbum, que emplacou os hits "Outro Lugar", "Olhos Certos" e "Quando o Sol Se For", a banda foi catapultada para o posto de uma das principais do país. A coroação se deu com a oportunidade de abrir os shows dos Red Hot Chili Peppers no Rio e em São Paulo, e, ainda, três shows do Silverchair. Fechando o ano com chave de ouro, os Detonautas faturaram ainda o prêmio VMB de banda revelação. Sem deixar a bola cair, em 2004 o sexteto emendou Roque Marciano, seu segundo álbum de estúdio. Entre as faixas do trabalho, que rendeu ao grupo seu primeiro disco de ouro, quatro novos hits: "O Dia Que Não Terminou", "O Amanhã", "Só Por Hoje e Tênis Roque". Após gravarem seu primeiro DVD, o Detonautas apresentou, em 2006, Psicodeliamorsexo&distorção, disco que trouxe à tona um som mais denso, pesado, sombrio, e, ao mesmo tempo, psicodélico.

Entre as principais faixas, "Você Me Faz Tão Bem", "Não Reclame Mais" e "Insone", esta última uma viagem sonora nebulosa de quase 20 minutos. No entanto, a faixa mais marcante é a delicada "Tudo Que Eu Falei Dormindo", composta por Rodrigo Netto, que, em 4 de junho de 2006, aos 29 anos, se foi em mais um triste capítulo da recente história carioca. Em 2008, pela Sony Music, é a vez de O Retorno de Saturno. Em uma nova guinada, a banda adota uma sonoridade mais suave e coloca nas paradas a faixa-título e o tributo a "Rodrigo Verdades do Mundo". O trabalho, que também tem como destaques músicas como "Oração do Horizonte" e "Eu Vou Vomitar em Você", foi indicado ao Grammy Latino na categoria melhor álbum de rock brasileiro. Em seguida, uma nova reinvenção se deu com Detonautas Acústico Ao Vivo, CD e DVD acústicos gravados em 2009 no Pólo de Cine e Vídeo, no Rio de Janeiro. Presentes no registro, as inéditas "Só Nós Dois" e "O Inferno São os Outros" se tornaram sucesso em rádios de todo o país. Após um mini-turnê pelo Japão, em 2010, e da entrada, em maio de 2011, no RockWalk Brasil, a calçada da fama do rock brasileiro, a banda vive o processo de gravação de seu quinto álbum de estúdio. Enquanto o trabalho, independente, vai ganhando forma, músicas como "Sexo Tântrico" já podem ser conferidas nos shows do grupo. Outras diversas faixas recentemente produzidas podem ser baixadas no site oficial da banda. Entre elas está "Combate", que, com levada ao estilo Biohazard, tornou-se trilha sonora oficial do canal de lutas de mesmo nome. Também disponíveis estão "Conversando Com O Espelho", uma espécie de '‘rockabilly’', "Sua Alma Vai Vagar Por Aí!", que une o peso e a velocidade hardcore à métrica sagaz dos rappers da ConeCrewDiretoria, e "Um Cara de Sorte", com violões e guitarras fazendo a cama para uma das melodias pop mais redondas já escritas pela banda. A julgar pela variedade e maturidade das novas canções do Detonautas (que conquistou o público presente no dia 2 de outubro no Rock in Rio, dividindo o palco com System Of A Down e Guns N' Roses) e por toda a beleza e densidade sonora produzida pelo grupo ao longo de mais de uma década.

A banda recebe, constantemente, criticas de fãs do verdadeiro Rock N’ Roll, esses afirmam que o som da banda não passa de uma tentativa pueril de produzir um Rock de moda, sem profundidade e desconectados do verdadeiro sentimento que move esse estilo. Entretanto, em defesa da banda, surgem argumentos de que eles utilizam distorções nas guitarras e que a linha de bateria é tão simples como qualquer bom clássico do Rock, isso já seria, segundo seus defensores, uma prova real do poder e da presença da banda no cenário underground.

Raimundos[editar | editar código-fonte]

Em 2010, Tico Santa Cruz assumiu o vocal do Raimundos durante uma turnê especial pelo país. A ideia de dividirem os palcos surgiu do próprio Tico, que postou a seguinte mensagem em seu Twitter, na madrugada de 16 de outubro deste ano: "Liguei para o Digão do Raimundos, sou fã há tempos, me ofereci para fazer alguns shows junto com eles no vocal da banda... Preciso de rock". A partir daí, os preparativos já começaram. O primeiro show ocoreu durante o Festival Cerrado Virtual, em Brasília, que reúne artistas para um tributo a Tom Capone. "Esse show foi uma coincidência, tanto que nem teremos tempo de ensaiar, será uma jam de amigos em homenagem ao nosso falecido amigo e produtor", conta Digão. Nesta ocasião, Tico escolheu cantar "Herbocinética", "Bonita", "A Mais Pedida" e "Eu Quero É Ver o Oco".

A Fazenda 3[editar | editar código-fonte]

No dia 28 de setembro de 2010 começou sua participação no reality "A Fazenda 3", da Rede Record, saindo em busca de um prêmio de R$ 2 milhões. Fazendo o tipo “sou eu mesmo” acabou arrumando confusão e desentendimentos com boa parte dos participantes do programa, foi o 3º eliminado do reality show com 74% dos votos, o maior índice de rejeição do programa até agora. O músico perdeu a disputa contra seus colegas de equipe, Sérgio e Carrasco, e saiu do jogo de mãos vazias, sem ter a chance de disputar o grande prêmio de R$ 2 milhões e o mimo extra de R$ 500 mil, saiu no dia 21 de outubro de 2010. Tico abriu a 3ª Roça do programa ao perder o Desafio Semanal. Além de deixar a equipe Ovelha ainda mais desfalcada. Tico foi recepcionado pela esposa Luciana e pelo colega Renato, do lado de fora da Fazenda. Sem mostrar tristeza, o músico disse que saiu de cabeça erguida. "Não me arrependo de nada. Talvez eu tenha errado no tom, mas mantive os meus valores. Não vou me vender por R$ 2 milhões. [5]

Vida pessoal[editar | editar código-fonte]

Família[editar | editar código-fonte]

É casado com Luciana Rocha há 15 anos, e é pai de Lucas e Bárbara Odara.

Referências

  1. [hhttp://www.cartacapital.com.br/sociedade/tico-santa-cruz-de-familia-conservadora-a-ativista-4395.html «Tico Santa Cruz: de família conservadora a ativista»]. 25 de Julho 2015. Consultado em 14 de Maio de 2016. 
  2. «Tico Santa Cruz se irrita durante show por causa de qualidade de som». www.g1.globo.com.br/. Consultado em 14 de agosto de 2013. 
  3. «Tico Santa Cruz se irrita durante show». www.ufjf.br/. Consultado em 14 de agosto de 2013. 
  4. «Tico Santa Cruz ameaça produtor durante show: 'Você vai ter a morte. Quero ver se é macho'». www.paraiba.com.br/. Consultado em 14 de agosto de 2013. 
  5. «A Fazenda: Tico Santa Cruz é o bad boy da terceira edição - Babado IG». www.gente.ig.com.br/. Consultado em 28 de setembro de 2010. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]