Transamérica Pop

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Transamérica Pop
{{{alt}}}
Transamérica Produções Ltda.
País Brasil
Sede São Paulo, SP
Slogan A sua rádio onde você estiver
Fundação 2000 (19 anos)
Fundador Aloysio de Faria
Pertence a Conglomerado Alfa
Proprietário(s) Aloysio de Faria
Formato Rede de rádio comercial
Gênero Entretenimento e Música
Idioma Português
Página oficial radiotransamerica.com.br/pop/rede

Transamérica Pop foi uma rede de rádios brasileira com sede no município de São Paulo, capital do estado homônimo. Vertente da Rede Transamérica, rede de emissoras controladas pelo Conglomerado Alfa, foi lançada no ano 2000 e é dirigida ao público jovem, com programação musical baseada nos ritmos pop, rock, hip hop e dance music.

História[editar | editar código-fonte]

A Rede Transamérica trabalha com o segmento jovem desde 1985, quando começa a adotar programação que viria a ser sua marca registrada, com foco no humor escrachado e no estilo debochado dos radialistas.[1] Em janeiro de 1990, a rede passa a ser transmitida via satélite, se tornando um grande sucesso e ganhando diversas afiliadas nesta fase.[2][3] Ao final da década, entra em declínio por conta do avanço do segmento popular no dial FM[4] e começa a investir em estratégias de crescimento, passando a adotar em 1999 a divisão das emissoras em vertentes. A Transamérica Light foi a primeira, lançada em março. No ano 2000, a tradicional Rede Transamérica se transforma na vertente Transamérica Pop e, mais tarde, é lançada a Transamérica Hits (de segmentação popular).[5] A vertente Pop também se tornou responsável pela Transamérica Esportes, que produz conteúdo esportivo e transmite partidas de futebol para as filiais, afiliadas e emissoras parceiras.[6] Apesar de trabalhar com a música pop e derivados, filiais da rede em Brasília e Salvador investiam mais em ritmos familiarizados no âmbito local, como o rock e o axé.

Com a divisão, a Transamérica Pop continuou sendo a principal rede de suas filiais. No entanto, começou a perder afiliadas para a Transamérica Hits (incluindo a filial de Belo Horizonte em 2002), também impulsionado pelo auge do segmento popular.[7] A rede Pop foi perdendo espaço e o posto de vertente com maior número de afiliadas da Transamérica, ficando por muito tempo estagnada em crescimento.[8][9]

Em junho de 2019, a Rede Transamérica começa a implantar mudanças na programação da portadora Pop, transformando a programação musical e locução num estilo próximo ao adulto-contemporâneo. Em 3 de julho, a rede passou a unificar as portadoras Pop e Hits durante o horário da madrugada (entre 23h e 4h da manhã) com programação musical pop/rock, extinguindo o tradicional Clube da Insônia.[10]

Confirmando um lançamento de uma nova fase em sua programação, a Transamérica dispensou no dia 12 de julho os locutores Gislaine Martins (Gerente Artística) e Ricardo Sam (Coordenador Artístico), que trabalhavam na emissora desde 1997 e que eram bastante populares no comando do programa 2 em 1, que estava no ar desde 2005.[11] Posteriormente, anunciou Luiz Augusto Alper como coordenador artístico da nova programação.[12] Em 16 de julho, a Transamérica confirma mais mudanças na programação, anunciando a contratação de Pedro Trucão e o fim de programas como Desperta e Esporte de Primeira, além do novo formato definido como "jovem adulto contemporâneo", que segundo a rede tem crescido nos últimos anos.[13]

No dia 22 de julho, a Transamérica confirmou o início da unificação das portadoras Hits e Pop de forma gradativa, retornando a forma de trabalho realizada antes da divisão em portadoras. Também foi confirmada que a nova programação musical será composta de sucessos do rock e pop (nacionais e internacionais), com objetivo atingir e atrair o público que está na faixa entre 25 e 49 anos. O comunicado cita que a unificação e adaptação das emissoras não será de forma abrupta, respeitando "os compromissos comerciais e artísticos assumidos individualmente, por parte das emissoras afiliadas" e que as afiliadas terão prazo máximo de 150 dias, contando a partir de 1.º de agosto.[14] No mesmo dia em que o comunicado foi emitido, a rede também acabou com os programas Transalouca, Conectados e Sarcófago.[15]

Em 5 de agosto, iniciou-se oficialmente os trabalhos da nova Rede Transamérica.[16] A partir deste dia, todas as emissoras que trabalhavam como Transamérica Pop iniciaram fase de transição para o projeto, deixando de usar a nomenclatura em definitivo.

Programas[editar | editar código-fonte]

Atuais[editar | editar código-fonte]

  • Adrenalina
  • Estúdio Ao Vivo
  • Trucão com o Pé na Estrada

Extintos[editar | editar código-fonte]

  • 2 em 1
  • Arquivo Transamérica
  • Bônus
  • Clube da Insônia
  • Conectados
  • Desperta
  • Download Transamérica (Rede, menos São Paulo)
  • Galera Show
  • Hora Extra
  • Hot Hits
  • Jabá Nacional
  • Jornal da Transamérica
  • Naftalina
  • Nitroglicerina
  • Parada Obrigatória
  • Playlist Transamérica
  • Rachando o Bico
  • Reprise dos Anos
  • Sarcófago
  • Segunda-Feira Sem Lei
  • Seleção Transamérica
  • The Vibe
  • Toca 1
  • Transa 3
  • Transalouca
  • Transamérica Colecttion
  • Transamérica Esportes
  • Transamérica Rock Motor
  • Transnotícias (transmitido para todas as portadoras da Rede Transamérica)[17]
  • Transtronic
  • Vibe Transamérica

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Adriana Riemer, a "sonhóloga" Erotildes Durão». Jornal do Commercio. 22 de dezembro de 1985. p. 5. Consultado em 25 de julho de 2019 
  2. «Transamérica parodia Titãs e goza a seleção». Folha de S.Paulo. 30 de junho de 1990. p. E-3. Consultado em 20 de julho de 2019 
  3. Paulo Ricardo Moreira (22 de junho de 1990). «FMs entram no embalo da Copa». Tribuna da Imprensa. Consultado em 7 de agosto de 2019 
  4. Marcel Plasse (5 de junho de 1995). «Transamérica FM troca dance pelo rock de Green Day e Elastica». Folha de S.Paulo. Consultado em 20 de julho de 2019 
  5. Carlos Massaro (22 de agosto de 2013). «Panorama: Rede Transamérica comemora 40 anos no Recife». Tudo Rádio. Consultado em 15 de agosto de 2019 
  6. Carlos Massaro (8 de abril de 2016). «Transamérica lança campanha para comemorar os 15 anos da "Transamérica Esportes"». Tudo Rádio. Consultado em 23 de janeiro de 2017 
  7. Daniel Starck (22 de março de 2008). «Especiais: Agora é a vez da Transamérica». Tudo Rádio. Consultado em 15 de agosto de 2019 
  8. «Rádio Transamérica Hits muda coordenador artístico». Folha Online. 21 de fevereiro de 2006. Consultado em 23 de janeiro de 2017 
  9. Magaly Prado (25 de agosto de 2001). «Scalla FM fora do ar aborrece ouvintes». Folha de S.Paulo. Consultado em 7 de agosto de 2019 
  10. Daniel Starck (4 de julho de 2019). «Transamérica unifica grade de programação das portadoras Pop e Hits a partir das 23h». Tudo Rádio. Consultado em 7 de agosto de 2019 
  11. Carlos Massaro (12 de julho de 2019). «Ricardo Sam e Gislaine Martins deixam a equipe da Transamérica em São Paulo». Tudo Rádio. Consultado em 7 de agosto de 2019 
  12. Daniel Starck (15 de julho de 2019). «Luiz Augusto Alper assume a direção artística da Rede Transamérica a partir da próxima quarta-feira (17)». Tudo Rádio. Consultado em 7 de agosto de 2019 
  13. Daniel Starck (16 de julho de 2019). «Transamérica confirma Pedro Trucão, alinhamento de sua grade musical e mudanças na grade». Tudo Rádio. Consultado em 7 de agosto de 2019 
  14. Daniel Starck (23 de julho de 2019). «Em comunicado, Transamérica confirma unificação gradativa das portadoras Pop e Hits». Tudo Rádio. Consultado em 7 de agosto de 2019 
  15. Amanda Schnaider (31 de julho de 2019). «Rede Transamérica unifica programação nacional». Meio&Mensagem. Consultado em 7 de agosto de 2019 
  16. Daniel Starck (5 de agosto de 2019). «Transamérica altera nesta segunda-feira (5) o formato de sua emissora em Belo Horizonte». Tudo Rádio. Consultado em 7 de agosto de 2019 
  17. Magaly Prado (24 de novembro de 2001). «Rede de rádio estréia jornalismo». Folha Online. Consultado em 23 de janeiro de 2017 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]