Abertura (xadrez)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Este artigo usa a notação algébrica para descrever os movimentos do xadrez.


Uma abertura (movimentos de abertura ou defesa) é um grupo/sequência de movimentos iniciais do jogo de xadrez, e possuem nomes tais como Defesa siciliana ou Gambito da dama recusado. Existem dezenas de aberturas diferentes, com centenas de variantes nomeadas, a Oxford Companion to Chess lista 1327 aberturas e variantes. Estas variam amplamente desde posições tranquilas (por exemplo a Abertura Réti e algumas linhas do Gambito da Dama Recusado) a táticas de jogo arrojadas (por exemplo o Gambito Letão e a Defesa dos dois cavalos).

Uma sequência de movimentos de abertura que é considerada padrão (algumas vezes catalogada em trabalhos de referência como The Encyclopaedia of Chess Openings) é denominada com "o livro de movimentos". Estes trabalhos de referência algumas vezes apresentam as aberturas usando notação algébrica, árvores de aberturas, ou tabelas de teorias. Quando um jogo começa a se desviar da teoria de aberturas conhecidas, os jogadores dizem estar "fora do livro". Em algumas linhas de aberturas, os movimentos considerados melhores para ambos os lados têm sido estudados até o vigésimo lance ou mais. Enxadristas profissionais dedicam anos de estudos em aberturas, e a teoria das aberturas continua a evoluir.


Começo de um tabuleiro de xadrez. a b c d e f g h
8 torre preta em a8 cavalo preto em b8 bispo preto em c8 dama preta em d8 rei preto em e8 bispo preto em f8 cavalo preto em g8 torre preta em h8 8
7 peão preto em a7 peão preto em b7 peão preto em c7 peão preto em d7 peão preto em e7 peão preto em f7 peão preto em g7 peão preto em h7 7
6 6
5 5
4 4
3 3
2 peão branco em a2 peão branco em b2 peão branco em c2 peão branco em d2 peão branco em e2 peão branco em f2 peão branco em g2 peão branco em h2 2
1 torre branca em a1 cavalo branco em b1 bispo branco em c1 dama branca em d1 rei branco em e1 bispo branco em f1 cavalo branco em g1 torre branca em h1 1
a b c d e f g h Fim do tabuleiro de xadrez.
Posição inicial

Objetivo da abertura[editar | editar código-fonte]

Embora exista uma larga variedade de abertura, os objetivos por trás desses são, na essência, os mesmos. O primeiro e mais importante objetivo é evitar a derrota e perda de peças valiosas. Entretanto, assumindo que nenhum jogador irá cometer um erro grave na abertura, os objetivos principais incluem:

  1. Desenvolvimento: Um dos objetivos principais é mobilizar as peças para casas úteis, onde irão ter impacto no jogo. Para este fim, cavalos são normalmente desenvolvidos para f3, c3, f6 e c6 (ou algumas vezes e2, d2, e7, d7) e ambos os peões de e- e d- são movidos para os bispos poderem se desenvolver (alternativamente, o bispo pode ser flanqueado com uma manobra tal como g3 e Bg2), mobilização rápida é a chave. A rainha entretanto não é normalmente utilizada numa posição central no início do jogo, pois é provável de ser atacada obrigando o jogador a perder tempo para salvá-la.
  2. Controle do centro: No início do jogo não é claro em que parte do tabuleiro as peças serão necessárias. Entretanto, controlar as casas centrais permitem as peças serem movidas para qualquer parte do tabuleiro com relativa facilidade, e pode ter um efeito devastador para o oponente. Em uma visão clássica, o controle do centro é mais bem controlado estabelecendo peões, idealmente em d4 e e4 (ou d5 e e5 para as pretas). Entretanto a Escola Hipermoderna demonstrou que não é sempre necessário ou até mesmo desejável ocupar o centro desta maneira, e que um peão muito avançado pode ser atacado, deixando a arquitetura de defesa vulnerável; um peão ocupando o centro é pouco valioso a não ser que possa ser mantido. A Escola Hipermoderna prega o controle do centro a distância, destruindo a ocupação do oponente no centro, e apenas o tomando posteriormente no jogo. Isto leva a aberturas tais como a Defesa Alekhine numa linha de 1. e4 Nf6 2. e5 Nd5 3. d4 d6 4. c4 Nb6 5. f4 (o Ataque dos quatro peões), a branca tem um formidável centro com peões, mas as pretas esperam miná-lo posteriormente no jogo, deixando a posição das brancas exposta.
  3. Proteger o Rei: O Rei fica um pouco desprotegido no meio do tabuleiro. Ações devem ser tomadas para reduzir esta vulnerabilidade. É comum então para ambos os jogadores rocarem na abertura ou de outra maneira, levando o rei para o canto por meio de um roque artificial.
  4. Fraqueza dos peões: As maiorias das aberturas tentam evitar a criação de peões fracos (isolados, dobrados, atrasados ou ilhas, etc). Algumas aberturas sacrificam as considerações de fim de jogo para um rápido ataque nas posições do oponente. Algumas aberturas desbalanceadas das pretas, em particular, fazem uso dessa ideia; tais como a Holandesa e a Siciliana. Enquanto outras, tais como a Alekhine e a Benini convidam o oponente a estender e formar uma fraqueza de peões.

Certas aberturas aceitam a fraqueza de peões em troca de compensações como uma forma dinâmica de jogar.

  1. Coordenação das peças: Como cada enxadrista movimenta suas peças, cada movimento tenta assegurar que elas estão trabalhando harmoniosamente em direção às casas chaves.

Além dessas ideias, outras estratégias usadas no meio do jogo podem também ser desenvolvidas na abertura. Estas estratégias incluem preparar os peões para um contra-ataque, visando criar uma fraqueza na estrutura de peões do oponente, manter o controle de casas-chave, fazer trocas favoráveis de peças menores (por exemplo, ganhando o par de bispos, ou ganhando a vantagem do espaço seja no centro ou nos flancos).

Em termos gerais, muitos escritores (por exemplo, Reuben Fine em As ideias por trás das aberturas de xadrez) comentam que a tarefa das brancas na abertura é preservar e incrementar a vantagem conferida pelo primeiro movimento, enquanto que das pretas é igualar o jogo. Entretanto já existem aberturas que fornecem a chance das pretas jogarem agressivamente para adquirir vantagem desde o início.

De acordo com o MI Jeremy Silman, o propósito da abertura é criar um balanço dinâmico entre os dois lados, que irá determinar a característica do meio-jogo e os planos estratégicos escolhidos por ambos os lados.[1] Por exemplo, na variação Winawer da abertura francesa, as brancas irão tentar usar seu par de bispos e a vantagem do espaço para atacar a ala do Rei, enquanto as pretas irão simplificar trocas (em particular, trocando um dos bispos brancos para destruir a estratégia) e irão contra-atacar a fraca linha de peões na Ala da Dama.

Nomenclatura das aberturas[editar | editar código-fonte]

A maioria das mudanças nas regras do xadrez no final do século XV aumentaram a velocidade do jogo, consequentemente desenvolvendo a importância do estudo das aberturas. Assim, os primeiros livros de xadrez, tais como o texto de 1497 de Luis Ramirez de Lucena apresentam análises de aberturas, assim como Pedro Damiano de Odemira (1512), e Ruy López de Segura (1561). A discórdia de Ruy López com Damiano relativo aos méritos de 2…Cc6 levando a 3.Bb5 (depois de 1.e4 e5 2.Cf3 Cc6) ser nomeado por ele como Ruy Lopez ou Abertura Espanhola.[2] A teoria das aberturas foi estudada mais cientificamente a partir da década de 1840, e muitas variações de aberturas foram descobertas e nomeadas neste período. Infelizmente a nomenclatura das aberturas se desenvolveu ao acaso, e a maioria dos nomes são mais acidentes históricos do que baseados em qualquer sistema. As mais antigas tenderam a ser nomeadas por localidades geográficas e pessoas. As aberturas são comumente conhecidas por nomes de enxadristas, não sendo sempre o nome do primeiro a utilizá-la, algumas vezes é nomeada pelo enxadrista que primeiro a popularizou ou publicou uma análise sobre ela.

Aberturas eponímicas incluem a Ruy Lopez, Defesa Alekhine, Defesa Morphy, e o Sistema Réti. Alguns poucos nomes de aberturas homenageiam duas pessoas, tais como a Defesa Caro-Kann.

Existem as aberturas conhecidas por nacionalidades, por exemplo a Inglesa, Espanhola, Escandinava, Siciliana, etc. Cidades também são utilizadas, tais como Vienna, Berlim, e Wilkes-Barre. O sistema catalão é referência a região da Espanha chamada de Catalunia.

Poucas aberturas têm nomes descritivos, como a Giuoco Piano (Italiana: "jogo calmo"). Descrições mais prosaicas incluem a de Dois Cavalos e Quatro Cavalos.

Já no século XX popularizou-se nomear as aberturas com nomes imaginários ou de animais. Como a maioria das sequências de movimentos mais tradicionais já foram nomeados, torna-se incomum e recentes o desenvolvimento de aberturas como Orangotango, Hipopótamo, Elefante, e Ouriço.

Muitos termos são usados para as aberturas para melhor caracterizá-las. Além do termo Abertura, termos comuns incluem Jogo, Defesa, Gambito, e Variante; termos menos comuns são Sistema, Ataque, Contra-ataque, Contragambito, Revertido e Invertido. Para tornar o assunto mais confuso, estes termos são usados de forma muito inconsistente.

Considerando algumas das aberturas nomeadas por nacionalidades: Jogo Escocês, Abertura Inglesa, Defesa Francesa, e Jogo Russo — o jogo Escocês e a Abertura Inglesa são ambas aberturas brancas, a Entretanto estas definições não são precisas, aqui estão algumas observações gerais sobre como elas são usadas.

Jogo
Usado apenas para algumas das mais antigas aberturas, por exemplo a Escocesa, a Vienna, e o Jogo dos quatro cavalos.
Abertura
Junto com a Variante, este é o termo mais comum.
Variante
Usualmente utilizado para descrever uma linha de uma abertura mais geral, por exemplo a Variante de Trocas do Gambito da Dama Recusado.
Defesa
Sempre se refere a uma abertura escolhida pela pretas,tais como Dois Cavalos ou Defesa Índia do Rei, a menos, é claro, que tenha sido 'revertida', o que a torna uma abertura para as brancas.
Gambito
Uma abertura que envolve o sacrifício de material, usualmente um ou mais peões. Gambitos podem ser jogados pelas brancas (Gambito do Rei) ou pelas pretas (Gambito Letão). Os nomes completos algumas vezes incluem Aceito ou Recusado dependendo se o oponente aceitou ou não o material oferecido, como no Gambito da Dama Aceito e Gambito da Dama Recusado. Em alguns casos, o sacrifício material é apenas temporário. Por exemplo, depois de 1.d4 d5 2.c4 dxc4 (o Gambito da Dama Aceito), as brancas podem recapturar o peão imediatamente jogando 3.Da4+ se assim o desejar.
Contra-gambito
Um gambito oferecido em resposta ao gambito do oponente, ou, qualquer gambito utilizados pelas pretas.

Alguns exemplos incluem o Contragambito Albin para o Gambito da Dama, o Contragambito Falkbeer para o Gambito do Rei, e o Contragambito Greco (o nome original do Gambito Letão).

Sistema
Um método de desenvolvimento que pode ser usado contra muitas configurações diferentes do oponente. Exemplos incluem o Sistema Réti, Sistema Barcza, Sistema Colle e o Sistema porco-espinho.
Ataque
Algumas vezes utilizada para descrever uma variação provocativa ou agressiva tal como o Ataque Albin-Chatard (ou Ataque Chatard-alekhine), o Ataque Fígado Frito na Defesa dos dois cavalos, e o Ataque Grob. Em outros casos se refere a um sistema defensivo das pretas quando adotado pelas brancas, como no Ataque Índio do Rei. E ainda em outros casos o nome parece ser usado ironicamente, como no quase inofensivo Ataque Durkin (também chamado de Abertura Durkin).
Reversa, Invertida
Uma abertura das pretas jogada pelas brancas, ou mais raramente uma abertura das brancas jogada pelas pretas. Exemplos incluem a Siciliana Reversa (para a Abertura Inglesa), e a Húngara Invertida.

Uma minoria de aberturas são prefixadas com “Anti-“. Estas aberturas pretendem evitar uma linha particular disponível para o oponente, por exemplo a Anti-Marshall (contra o Contra-Ataque Marshall na Ruy Lopez) e o Gambito Anti-Merano (contra a Variação Merana da Defesa Semi-Eslava).

Classificação das aberturas de xadrez[editar | editar código-fonte]

Ver artigo de apoio Notação algébrica de xadrez

A posição inicial no xadrez oferece as brancas vinte possibilidades para o primeiro movimento. Destes, 1.e4, 1.d4, 1.Cf3 e 1.c4 são as mais populares dos movimentos pois promovem um rápido desenvolvimento e controle do centro, as outras poucas aberturas são consideradas razoáveis e menos consistentes

A abertura Dunst (1.Cc3) desenvolve o cavalo para uma boa casa, entretanto não é flexível porque bloqueia o peão da coluna c, e também, depois de 1.…d5 o cavalo pode ser chutado para uma casa inferior depois de …d4. (note que depois de 1.Cf3 o análogo 1.…e5? apenas perde um peão). A abertura Bird (1.f4) remete ao controle do centro mas não o desenvolvimento, e enfraquece a posição do Rei consideravelmente. A abertura Sokolsky (1.b4) e o fianquetto do Rei e da Dama (1.b3 e 1.g3) ajuda pouco o desenvolvimento das peças, apenas visam o controle do centro perifericamente e são mais lentas que as aberturas mais populares, as outras onze possibilidades são raramente utilizadas em níveis elevados. Destas, as melhores são meramente lentas tais como 1.c3, 1.d3, e 1.e3. Possibilidades piores ignoram o centro e o desenvolvimento como 1.a3, enfraquecendo a posição do Rei (por exemplo 1.f3 e 1.g4), ou movendo os cavalos para casas ruins (1.Ca3 e 1.Ch3)

As pretas tem vinte possibilidades de respostas às brancas e muitas dessas são jogadas simétricas das aberturas mais comuns, mas com um tempo a menos. Defesas começando com 1.…c6 e 1.…e6, algumas vezes seguidas do domínio no centro 2.…d5, também são populares. Defesas iniciando com …d6 acopladas com um fianchetto na ala do Rei também são comumente utilizadas.

Uma maneira razoável de agrupar as aberturas é:

  • Abertura Dupla do Peão do Rei ou Jogo Aberto (1.e4 e5)
  • Abertura Simples do Peão do Rei ou Jogo Semi-Aberto (1.e4 outra)
  • Abertura Dupla do Peão da Dama ou Jogo Fechado (1.d4 d5)
  • Abertura Simples do Peão da Dama ou Jogo Semi-Fechado (1.d4 outra)
  • Aberturas Flanqueadas (incluindo 1.c4, 1.Cf3, 1.f4, e outras)
  • Movimentos não usuais das Brancas.

Jogo Aberto (1.e4 e5)[editar | editar código-fonte]

Começo de um tabuleiro de xadrez. a b c d e f g h
8 torre preta em a8 cavalo preto em b8 bispo preto em c8 dama preta em d8 rei preto em e8 bispo preto em f8 cavalo preto em g8 torre preta em h8 8
7 peão preto em a7 peão preto em b7 peão preto em c7 peão preto em d7 peão preto em f7 peão preto em g7 peão preto em h7 7
6 6
5 peão preto em e5 5
4 peão branco em e4 4
3 3
2 peão branco em a2 peão branco em b2 peão branco em c2 peão branco em d2 peão branco em f2 peão branco em g2 peão branco em h2 2
1 torre branca em a1 cavalo branco em b1 bispo branco em c1 dama branca em d1 rei branco em e1 bispo branco em f1 cavalo branco em g1 torre branca em h1 1
a b c d e f g h Fim do tabuleiro de xadrez.
Abertura Dupla do Peão do Rei/Abertura Aberta

Aberturas Abertas são aberturas de xadrez caracterizadas pelos primeiros lances (em notação algébrica):

1.e4 e5 (Abertura Dupla do Peão do Rei ou Abertura Aberta)

Variantes[editar | editar código-fonte]

Sendo 2.Cf3 é a principal resposta das brancas, podendo levar a:

Outras Variantes:

Jogo Semi-aberto[editar | editar código-fonte]

são aberturas de xadrez em que as brancas jogam 1.e4 (ver notação algébrica) e as pretas respondem com um lance diferente de e5 (que leva a Aberturas Abertas) na primeira jogada.

Começo de um tabuleiro de xadrez. a b c d e f g h
8 torre preta em a8 cavalo preto em b8 bispo preto em c8 dama preta em d8 rei preto em e8 bispo preto em f8 cavalo preto em g8 torre preta em h8 8
7 peão preto em a7 peão preto em b7 peão preto em e7 peão preto em f7 peão preto em g7 peão preto em h7 7
6 peão preto em c6 6
5 peão preto em d5 5
4 peão branco em d4 peão branco em e4 4
3 3
2 peão branco em a2 peão branco em b2 peão branco em c2 peão branco em f2 peão branco em g2 peão branco em h2 2
1 torre branca em a1 cavalo branco em b1 bispo branco em c1 dama branca em d1 rei branco em e1 bispo branco em f1 cavalo branco em g1 torre branca em h1 1
a b c d e f g h Fim do tabuleiro de xadrez.
Defesa Caro-Kann
Começo de um tabuleiro de xadrez. a b c d e f g h
8 torre preta em a8 bispo preto em c8 dama preta em d8 rei preto em e8 bispo preto em f8 cavalo preto em g8 torre preta em h8 8
7 peão preto em a7 peão preto em b7 peão preto em c7 peão preto em d7 peão preto em e7 peão preto em f7 peão preto em g7 peão preto em h7 7
6 cavalo preto em c6 6
5 5
4 peão branco em e4 4
3 3
2 peão branco em a2 peão branco em b2 peão branco em c2 peão branco em d2 peão branco em f2 peão branco em g2 peão branco em h2 2
1 torre branca em a1 cavalo branco em b1 bispo branco em c1 dama branca em d1 rei branco em e1 bispo branco em f1 cavalo branco em g1 torre branca em h1 1
a b c d e f g h Fim do tabuleiro de xadrez.
Defesa Nimzowitsch
Começo de um tabuleiro de xadrez. a b c d e f g h
8 torre preta em a8 cavalo preto em b8 bispo preto em c8 dama preta em d8 rei preto em e8 bispo preto em f8 cavalo preto em g8 torre preta em h8 8
7 peão preto em a7 peão preto em b7 peão preto em d7 peão preto em e7 peão preto em f7 peão preto em g7 peão preto em h7 7
6 6
5 peão preto em c5 5
4 peão branco em e4 4
3 3
2 peão branco em a2 peão branco em b2 peão branco em c2 peão branco em d2 peão branco em f2 peão branco em g2 peão branco em h2 2
1 torre branca em a1 cavalo branco em b1 bispo branco em c1 dama branca em d1 rei branco em e1 bispo branco em f1 cavalo branco em g1 torre branca em h1 1
a b c d e f g h Fim do tabuleiro de xadrez.
Defesa Siciliana


Nos jogos semi-abertos as Brancas jogam 1.e4 e as Pretas quebram a simetria imediatamente com um movimento diferente de 1…e5. As defesas mais populares para 1.e4 são a Siciliana, a Francesa e a Caro-Kann. A Pirc e a Moderna também são vistas, enquanto a Alekhine e a Escandinava tem ocasionalmente aparecido em jogos do Campeonato Mundial de Xadrez. A Nimzowitsch é jogável mas rara, assim como a Owen. A Defesa Grob e a Defesa St. George são estranhas, entretanto Tony Miles certa vez utilizou a Defesa St. George's para derrotar o então campeão mundial Anatoly Karpov.

Variantes:

Jogo Fechado (1.d4 d5)[editar | editar código-fonte]

Aberturas Fechadas são aberturas de xadrez caracterizadas pelos primeiros lances (em notação algébrica):

1.d4 d5 (Abertura Dupla do Peão da Dama/Abertura Fechada)

As mais importantes aberturas fechadas são da família do Gambito da Dama, onde as Brancas jogam 2.c4). O Gambito da Dama é de certa forma confundido, uma vez que as Brancas podem recuperar o peão ofertado se assim quiserem.


Começo de um tabuleiro de xadrez. a b c d e f g h
8 torre preta em a8 cavalo preto em b8 bispo preto em c8 dama preta em d8 rei preto em e8 bispo preto em f8 cavalo preto em g8 torre preta em h8 8
7 peão preto em a7 peão preto em b7 peão preto em c7 peão preto em e7 peão preto em f7 peão preto em g7 peão preto em h7 7
6 6
5 peão preto em d5 5
4 peão branco em d4 4
3 3
2 peão branco em a2 peão branco em b2 peão branco em c2 peão branco em e2 peão branco em f2 peão branco em g2 peão branco em h2 2
1 torre branca em a1 cavalo branco em b1 bispo branco em c1 dama branca em d1 rei branco em e1 bispo branco em f1 cavalo branco em g1 torre branca em h1 1
a b c d e f g h Fim do tabuleiro de xadrez.
Aberturas Fechadas

Variantes[editar | editar código-fonte]

Começo de um tabuleiro de xadrez. a b c d e f g h
8 torre preta em a8 cavalo preto em b8 bispo preto em c8 dama preta em d8 rei preto em e8 bispo preto em f8 cavalo preto em g8 torre preta em h8 8
7 peão preto em a7 peão preto em b7 peão preto em c7 peão preto em e7 peão preto em f7 peão preto em g7 peão preto em h7 7
6 6
5 peão preto em d5 5
4 peão branco em d4 4
3 3
2 peão branco em a2 peão branco em b2 peão branco em c2 peão branco em e2 peão branco em f2 peão branco em g2 peão branco em h2 2
1 torre branca em a1 cavalo branco em b1 bispo branco em c1 dama branca em d1 rei branco em e1 bispo branco em f1 cavalo branco em g1 torre branca em h1 1
a b c d e f g h Fim do tabuleiro de xadrez.
Jogo Fechado
Começo de um tabuleiro de xadrez. a b c d e f g h
8 torre preta em a8 cavalo preto em b8 bispo preto em c8 dama preta em d8 rei preto em e8 bispo preto em f8 cavalo preto em g8 torre preta em h8 8
7 peão preto em a7 peão preto em b7 peão preto em e7 peão preto em f7 peão preto em g7 peão preto em h7 7
6 6
5 peão preto em d5 5
4 peão branco em c4 peão branco em d4 4
3 3
2 peão branco em a2 peão branco em b2 peão branco em e2 peão branco em f2 peão branco em g2 peão branco em h2 2
1 torre branca em a1 cavalo branco em b1 bispo branco em c1 dama branca em d1 rei branco em e1 bispo branco em f1 cavalo branco em g1 torre branca em h1 1
a b c d e f g h Fim do tabuleiro de xadrez.
Gambito da Dama
Começo de um tabuleiro de xadrez. a b c d e f g h
8 torre preta em a8 bispo preto em c8 dama preta em d8 rei preto em e8 bispo preto em f8 torre preta em h8 8
7 peão preto em a7 peão preto em b7 cavalo preto em d7 peão preto em f7 peão preto em g7 peão preto em h7 7
6 peão preto em c6 peão preto em e6 cavalo preto em f6 6
5 peão preto em d5 bispo branco em g5 5
4 peão branco em c4 peão branco em d4 4
3 cavalo branco em c3 peão branco em e3 cavalo branco em f3 3
2 peão branco em a2 peão branco em b2 peão branco em f2 peão branco em g2 peão branco em h2 2
1 torre branca em a1 dama branca em d1 rei branco em e1 bispo branco em f1 torre branca em h1 1
a b c d e f g h Fim do tabuleiro de xadrez.
Defesa Cambridge-Springs


Sistemas Índios (1.d4 Cf6)[editar | editar código-fonte]

Começo de um tabuleiro de xadrez. a b c d e f g h
8 torre preta em a8 cavalo preto em b8 bispo preto em c8 dama preta em d8 rei preto em e8 torre preta em h8 8
7 peão preto em a7 peão preto em b7 peão preto em c7 peão preto em d7 peão preto em f7 peão preto em g7 peão preto em h7 7
6 peão preto em e6 cavalo preto em f6 6
5 5
4 bispo preto em b4 peão branco em c4 peão branco em d4 4
3 cavalo branco em c3 3
2 peão branco em a2 peão branco em b2 peão branco em e2 peão branco em f2 peão branco em g2 peão branco em h2 2
1 torre branca em a1 bispo branco em c1 dama branca em d1 rei branco em e1 bispo branco em f1 cavalo branco em g1 torre branca em h1 1
a b c d e f g h Fim do tabuleiro de xadrez.
Defesa Nimzoíndia
Começo de um tabuleiro de xadrez. a b c d e f g h
8 torre preta em a8 cavalo preto em b8 bispo preto em c8 dama preta em d8 rei preto em e8 bispo preto em f8 torre preta em h8 8
7 peão preto em a7 peão preto em b7 peão preto em c7 peão preto em e7 peão preto em f7 peão preto em g7 peão preto em h7 7
6 peão preto em d6 cavalo preto em f6 6
5 5
4 peão branco em c4 peão branco em d4 4
3 3
2 peão branco em a2 peão branco em b2 peão branco em e2 peão branco em f2 peão branco em g2 peão branco em h2 2
1 torre branca em a1 cavalo branco em b1 bispo branco em c1 dama branca em d1 rei branco em e1 bispo branco em f1 cavalo branco em g1 torre branca em h1 1
a b c d e f g h Fim do tabuleiro de xadrez.
Defesa Índia Antiga
Começo de um tabuleiro de xadrez. a b c d e f g h
8 torre preta em a8 cavalo preto em b8 dama preta em d8 rei preto em e8 bispo preto em f8 torre preta em h8 8
7 peão preto em a7 bispo preto em b7 peão preto em c7 peão preto em d7 peão preto em f7 peão preto em g7 peão preto em h7 7
6 peão preto em b6 peão preto em e6 cavalo preto em f6 6
5 5
4 peão branco em c4 peão branco em d4 4
3 cavalo branco em c3 cavalo branco em f3 3
2 peão branco em a2 peão branco em b2 peão branco em e2 peão branco em f2 peão branco em g2 peão branco em h2 2
1 torre branca em a1 bispo branco em c1 dama branca em d1 rei branco em e1 bispo branco em f1 torre branca em h1 1
a b c d e f g h Fim do tabuleiro de xadrez.
Defesa Índia da Dama


Os sistemas índios são defesas assimétricas para 1.d4 que empregam a estratégia hipermoderna do xadrez sendo fianchettos são comuns em muitas dessas aberturas. Assim como as Aberturas Fechadas, transposições são muito importantes em muitas das Defesas Índias e podem ser alcançadas por várias ordens diferentes de movimentos. Embora as Defesas Índias tenham sido campeãs na década de 1920 por enxadristas da escola hipermoderna, elas não foram totalmente aceitas até que os enxadristas soviéticos mostrarem no final da década de 1940 que estas eram boas para as Pretas. Desde então, as Defesas Índias têm sido a mais popular resposta para 1.d4 porque oferece uma partida desbalanceada com chances para ambos os lados.

A Defesa Benoni é uma arriscada tentativa das Pretas de desbalancear a posição e ganhar uma peça ativa ao custo de permitir as Brancas um peão calço em d5 e uma maioria no centro. As Brancas usualmente jogam por uma quebra no centro com e5, enquanto as Pretas tentam afetar…b5. Tal popularizou a defesa na década de 1960, vencendo muitos jogos brilhantes com ela, e Bobby Fischer ocasionalmente a adotou, com bons resultados, incluindo uma vitória no Campeonato Mundial de 1972 numa partida contra Boris Spassky.

As Pretas às vezes adotam uma ordem de movimento um pouco diferente, jogando 2…e6 antes de 3…c5. Muitos enxadristas fazem isto para evitar uma afiada linha das Brancas. Depois de 1.d4 Cf6 2.c4 c5 3.d5 e6 4.Cc3 exd5 5.cxd5 d6 6.e4 Bg7, as Brancas podem jogar a afiada 7.Bb5+ Cfd7 (considerada a melhor) 8.f4; mas jogando 1.d4 Cf6 2.c4 e6 3.Cf3 c5, as Pretas evitam esta linha.

O Gambito Benko-Volga é algumas vezes utilizado por enxadristas fortes, e é muito popular em níveis iniciantes.

As Pretas jogam para abrir linhas na ala da Dama onde as Brancas estarão sujeitas a uma considerável pressão.

Se as Brancas aceitam o Gambito, a compensação das Pretas é posicional em vez de tática, e sua iniciativa pode durar mesmo após a troca de várias peças e bem dentro do final de partida.

As Brancas às vezes escolher tanto decliner o Gambito como devolver o peão ganho.

Advogada por Nimzowitsch no início de 1913, a Defesa Nimzoíndia foi o primeiro sistema índio a ganhar total aceitação. Esta remanesce como uma das mais populares e bem respeitadas defesas para 1.d4. As pretas atacam o centro com peças e se preparam para trocar um Bispo por um Cavalo para enfraquecer a ala da Dama com peões dobrados.

A Defesa Índia da Dama é considerada sólida, segura, e talvez de alguma maneira empatável. As Pretas algumas vezes escolhem a Índia da Dama quando as Brancas evitam a Nimzoíndia jogando 3.Cf3 em vez de 3.Cc3. As Pretas constroem uma boa posição que não fazem concessões de posição, embora algumas vezes dificulte para as Pretas as chances de obter uma chance de vitória. Karpov é considerado um expert nesta abertura.

A Defesa Bogo-Índia é uma sólida alternativa para a Índia da Dama, em que algumas vezes é transposta. Esta é menos popular que a abertura, entretanto, talvez porque muitos enxadristas são aversos a desistir do par de bispos (particularmente sem dobrar is Peões das Brancas), como as Pretas terminam por fazer 4.Cbd2. A clássica 4.Bd2 De7 é algumas vezes vista, embora mais recentemente 4…a5!? e até mesmo 4…c5!? têm surgido como alternativas. 4.Cc3, transpondo para a Nimzoíndia é perfeitamente jogável mas raramente vista, uma vez que a maioria dos enxadristas que jogam 3.Cf3 fazem isto para evitar esta abertura.

A Defesa Índia do Rei é agressiva e de certa forma arriscada, e geralmente indica que as pretas não se satisfarão com um empate. Embora tenha sido ocasionalmente usada no início do século XIX, a Índia do Rei foi considerada inferior até a década de 1940 quando foi apresentada nas partidas de Bronstein, Boleslavsky, e Reshevsky. A defesa favorita de Fischer para 1.d4, perdeu popularidade no meio da década de 1970. O sucesso de Kasparov com a defesa restaurou a proeminência da defesa na década de 1980.

Ernst Grünfeld debutou a Defesa Grünfeld em 1922. Distinguida pelo movimento 3…d5, Grünfeld pretendia uma melhoria na Índia do Rei que não foi considerada inteiramente satisfatória na época. A Defesa Grünfeld tem sido adotada pelos Campeões Mundiais Smyslov, Fischer, e Kasparov.

A Defesa Índia Antiga foi introduzida por Tarrasch em 1902, mas é comumente associada com Chigorin que a adotou cinco anos depois. É similar a Índia do Rei em que ambas apresentam um peão no centro com…d6 e…e5, mas na Índia Antiga Preta o Bispo do Rei é desenvolvido para e7 em vez de ficar flanqueado em g7. A Índia Antiga é sólida, mas as posições são usualmente pregadas e falta as possibilidades dinâmicas encontradas na Índia do Rei.

A Abertura Catalã é caracterizada pelas Brancas formando um centro de Peões em d4 e c4 e flanquando o Bispo do Rei.

Ela se parece com uma combinação do Gambito da Dama com a Abertura Réti.

Desde que a Catalã pode ser alcançada de diferentes ordens de movimento, algumas vezes é chamada de Sistema Catalão.

O Ataque Neo-Índio, Ataque Torre, e o Ataque Trompowski são variações anti-Índia das Brancas.

Relacionadas ao Ataque Richter-Veresov, elas apresentam um Bg5 inicial das Brancas e evitam muito da detalhada teoria de outras Aberturas do Peão da Dama.

O Tango do Cavalo Preto ou Defesa Mexicana introduzida por Carlos Torre em 1925 em Baden divide similaridades com a Defesa Alekhine com as Pretas tentando induzir um prematuro avanço do Peão das Brancas. Ela pode ser transposta em muitas outras defesas.

O Gambito Blumenfeld (ou Contragambito) leva a uma superficial mas equivocada semelhança com o Gambito Benko, pois os objetivos das Pretas são muito diferentes.

As Pretas gambitam um Peão da ala na tentativa de construir um centro forte.

As brancas podem tanto aceitar como declinar para manter uma pequena vantagem posicional.

Embora seja jogável pelas Pretas, o Blumenfeld não é muito popular.

A Defesa Döry é incomum, mas foi algumas vezes adotada por Keres, e irá às vezes se transpor numa variação da Defesa Índia da Dama mas com linhas independentes.

A Defesa Budapeste raramente é jogada em partidas de Grandes Mestres, mas algumas vezes é utilizada por amadores. Embora seja um gambito, as Brancas usualmente permitem as Pretas recuperar o peão sacrificado.

Outras respostas das Pretas para 1.d4[editar | editar código-fonte]

Começo de um tabuleiro de xadrez. a b c d e f g h
8 torre preta em a8 cavalo preto em b8 bispo preto em c8 dama preta em d8 rei preto em e8 bispo preto em f8 cavalo preto em g8 torre preta em h8 8
7 peão preto em a7 peão preto em b7 peão preto em e7 peão preto em f7 peão preto em g7 peão preto em h7 7
6 6
5 peão preto em d5 5
4 peão branco em c4 peão branco em d4 4
3 3
2 peão branco em a2 peão branco em b2 peão branco em f2 peão branco em g2 peão branco em h2 2
1 torre branca em a1 cavalo branco em b1 bispo branco em c1 dama branca em d1 rei branco em e1 bispo branco em f1 cavalo branco em g1 torre branca em h1 1
a b c d e f g h Fim do tabuleiro de xadrez.
Ataque Panov-Botvinnik
Começo de um tabuleiro de xadrez. a b c d e f g h
8 torre preta em a8 cavalo preto em b8 bispo preto em c8 dama preta em d8 rei preto em e8 bispo preto em f8 cavalo preto em g8 torre preta em h8 8
7 peão preto em a7 peão preto em b7 peão preto em c7 peão preto em e7 peão preto em f7 peão preto em g7 peão preto em h7 7
6 peão preto em d6 6
5 5
4 peão branco em d4 4
3 3
2 peão branco em a2 peão branco em b2 peão branco em c2 peão branco em e2 peão branco em f2 peão branco em g2 peão branco em h2 2
1 torre branca em a1 cavalo branco em b1 bispo branco em c1 dama branca em d1 rei branco em e1 bispo branco em f1 cavalo branco em g1 torre branca em h1 1
a b c d e f g h Fim do tabuleiro de xadrez.
Defesa Wade
Começo de um tabuleiro de xadrez. a b c d e f g h
8 torre preta em a8 cavalo preto em b8 bispo preto em c8 dama preta em d8 rei preto em e8 bispo preto em f8 cavalo preto em g8 torre preta em h8 8
7 peão preto em a7 peão preto em b7 peão preto em c7 peão preto em d7 peão preto em e7 peão preto em g7 peão preto em h7 7
6 6
5 peão preto em f5 5
4 peão branco em d4 4
3 3
2 peão branco em a2 peão branco em b2 peão branco em c2 peão branco em e2 peão branco em f2 peão branco em g2 peão branco em h2 2
1 torre branca em a1 cavalo branco em b1 bispo branco em c1 dama branca em d1 rei branco em e1 bispo branco em f1 cavalo branco em g1 torre branca em h1 1
a b c d e f g h Fim do tabuleiro de xadrez.
Defesa Holandesa


Existem muitas outras defesas que podem ser usadas para 1.d4. A mais comum é a agressiva Defesa Holandesa. A Holandesa, adotada por um tempo pelos campeões mundiais Alekhine e Botvinnik, e jogada Botvinnik e seu desafiante David Bronstein no Campeonato Mundial de Xadrez de 1951, ainda é utilizada ocasionalmente por enxadristas de alto nível como Short e outros. Outra abertura bastante comum é a Defesa Benoni, que pode se tornar bem variada se transposta para a Benoni Moderna, de qualquer forma outras variações são mais sólidas. O Gambito Englund é um raro e dúbio sacrifício. A Defesa Polaca nunca foi muito popular mas Spassky, Ljubojevic, e Csom, entre outros, tentaram utilizá-la. A Defesa Keres (também conhecida como Defesa Canguru), é totalmente jogável, mas tem pouca significância, desde que é transposta na Holandesa, Nimzoíndia, ou Bogo-Índia.

A Defesa do Cavalo da Dama é uma abertura incomum que muitas vezes se transpõe na Defesa Nimzowitsch depois de 1.d4 Nc6 2.e4 ou na Defesa Chigorin depois de 2.c4 d5, embora possa levar a linha únicas, como por exemplo depois de 1.d4 Cc6 2.d5 ou 2.c4 e5.

Aberturas de Flanco (incluindo a Inglesa, Réti, Bird, e flancos das Brancas)[editar | editar código-fonte]

Começo de um tabuleiro de xadrez. a b c d e f g h
8 torre preta em a8 cavalo preto em b8 bispo preto em c8 dama preta em d8 rei preto em e8 bispo preto em f8 cavalo preto em g8 torre preta em h8 8
7 peão preto em a7 peão preto em b7 peão preto em c7 peão preto em e7 peão preto em f7 peão preto em g7 peão preto em h7 7
6 6
5 peão preto em d5 5
4 peão branco em c4 4
3 cavalo branco em f3 3
2 peão branco em a2 peão branco em b2 peão branco em d2 peão branco em e2 peão branco em f2 peão branco em g2 peão branco em h2 2
1 torre branca em a1 cavalo branco em b1 bispo branco em c1 dama branca em d1 rei branco em e1 bispo branco em f1 torre branca em h1 1
a b c d e f g h Fim do tabuleiro de xadrez.
Abertura Réti

As Aberturas flanco são um grupo de aberturas das Brancas tipificadas por um ou ambos os flancos.

As Brancas jogam no estilo hipermoderno, atacando o centro pelos flancols com peças em vez de ocupá-lo com Peões.

Estas aberturas são jogadas às vezes, e 1.Cf3 e 1.c4 perseguem apenas 1.e4 e 1.d4 em popularidade de movimentos de abertura.

A Abertura Réti é caracterizada pelas Brancas jogando 1.Cf3, flanqueando um ou os dois Bispos, e não jogando de início d4 (o que geralmente transporia em uma abertura de 1.d4).

O Ataque Índio do Rei (AIR) é um sistema desenvolvido pelas Brancas que pode ser usado como resposta para quase todas as Aberturas das Pretas.

A característica do AIR é configurar 1.Cf3, 2.g3, 3.Bg2, 4.0-0, 5.d3, 6.Cbd2, embora 7.e4, embora estes movimentos possam ser jogados em diferentes ordens.

De fato, o AIR é provavelmente mais utilizado depois de 1.e4 quando as Brancas o usam para responder a uma tentative das Pretas de jogar uma Abertura Semi-Aberta tal como a Caro-Kann, Francesa, ou Siciliana, ou mesmo em jogos abertos.

Seu grande apelo talvez seja que adotando um padrão de desenvolvimento, as Brancas podem evitar uma larga quantidade de estudos requeridos para encontrar a maioria das diferentes possibilidades de resposta das Pretas para 1.e4.

A Abertura Inglesa também é frequentemente transposta em aberturas 1.d4, mas pode ter uma característica independente como bem incluindo variações simétricas (1.c4 c5) e a Defesa Siciliana revertida (1.c4 e5).

A Abertura Larsen e a Sokolsky são ocasionalmente vistas em partidas de GMs. Benko usou 1.g3 para derrotar Fischer e Tal em 1962 no Torneio de Candidatos em Curaçao.

Com a Abertura Bird as Brancas tentam ter um forte apoio sobre a casa e-5.

A abertura pode lembrar a Defesa Holandesa invertida depois de 1.f4 d5, ou as Pretas podem tentar interromper as Brancas jogando 1…e5!? (Gambito From).

Movimentos não usuais para as Brancas[editar | editar código-fonte]

Começo de um tabuleiro de xadrez. a b c d e f g h
8 torre preta em a8 cavalo preto em b8 bispo preto em c8 dama preta em d8 rei preto em e8 bispo preto em f8 cavalo preto em g8 torre preta em h8 8
7 peão preto em a7 peão preto em b7 peão preto em c7 peão preto em d7 peão preto em e7 peão preto em f7 peão preto em g7 peão preto em h7 7
6 6
5 5
4 4
3 cavalo branco em h3 3
2 peão branco em a2 peão branco em b2 peão branco em c2 peão branco em d2 peão branco em e2 peão branco em f2 peão branco em g2 peão branco em h2 2
1 torre branca em a1 cavalo branco em b1 bispo branco em c1 dama branca em d1 rei branco em e1 bispo branco em f1 torre branca em h1 1
a b c d e f g h Fim do tabuleiro de xadrez.
Abertura Amar
Começo de um tabuleiro de xadrez. a b c d e f g h
8 torre preta em a8 cavalo preto em b8 bispo preto em c8 dama preta em d8 rei preto em e8 bispo preto em f8 cavalo preto em g8 torre preta em h8 8
7 peão preto em a7 peão preto em b7 peão preto em c7 peão preto em d7 peão preto em e7 peão preto em f7 peão preto em g7 peão preto em h7 7
6 6
5 5
4 4
3 cavalo branco em a3 3
2 peão branco em a2 peão branco em b2 peão branco em c2 peão branco em d2 peão branco em e2 peão branco em f2 peão branco em g2 peão branco em h2 2
1 torre branca em a1 bispo branco em c1 dama branca em d1 rei branco em e1 bispo branco em f1 cavalo branco em g1 torre branca em h1 1
a b c d e f g h Fim do tabuleiro de xadrez.
Abertura Durkin
Começo de um tabuleiro de xadrez. a b c d e f g h
8 torre preta em a8 cavalo preto em b8 bispo preto em c8 dama preta em d8 rei preto em e8 bispo preto em f8 cavalo preto em g8 torre preta em h8 8
7 peão preto em a7 peão preto em b7 peão preto em c7 peão preto em d7 peão preto em e7 peão preto em f7 peão preto em g7 peão preto em h7 7
6 6
5 5
4 peão branco em b4 4
3 3
2 peão branco em a2 peão branco em c2 peão branco em d2 peão branco em e2 peão branco em f2 peão branco em g2 peão branco em h2 2
1 torre branca em a1 cavalo branco em b1 bispo branco em c1 dama branca em d1 rei branco em e1 bispo branco em f1 cavalo branco em g1 torre branca em h1 1
a b c d e f g h Fim do tabuleiro de xadrez.
Abertura Orangotango


Cada uma destas aberturas raramente é adotada por uma ou mais das seguintes razões: é considerada muito passiva para as Brancas (1.e3, 1.d3, 1.c3); gratuitamente enfraquece as posições das Brancas (1.f3, 1.g4); não faz nada para ajudar o desenvolvimento das Brancas ou controlar o centro (1.f3, 1.a4, 1.h4); ou desenvolve o cavalo para uma casa inferior (1.Ch3 or 1.Ca3).

Referências

  1. Jeremy Silman, O Livro Completo de Estratégias de Xadrez (Los Angeles: Siles Press, 1998), p. 3.
  2. H.J.R. Murray, A História do xadrez (Oxford: Clarendon Press, 1913), pp. 782-83, 814-15.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • BATISTA, Gérson P. e BORGES, Joel C. O Espírito da Abertura. São Paulo: Ciência Moderna, 2004.
  • D’AGOSTINI, Orfeu. Xadrez Básico. São Paulo: Ediouro, 1954.
  • FILGUTH, Rubens. Xadrez de A a Z: dicionário ilustrado. Porto Alegre: Artmed, 2005.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


A Wikipédia possui o
Portal de Enxadrismo
Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
Wikilivros Livros e manuais no Wikilivros