Aryabhata

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Nuvola apps important.svg
A tradução deste artigo ou se(c)ção está abaixo da qualidade média aceitável.
É possível que tenha sido feita por um tradutor automático ou por alguém que não conhece bem o português ou a língua original do texto. Caso queira colaborar com a Wikipédia, tente encontrar a página original e melhore este artigo conforme o guia de tradução.
Aryabhata
Nascimento 476
Morte 550 (74 anos)
Ocupação Astronomia, matemática

Aryabhata (आर्यभट) Āryabhaṭa) ou Aryabhata I[1] [2] (476550)[3] [4] foi o primeiro dos grandes astrónomos e matemáticos da era clássica da matemática e astronomia indiana.[5] Ele viveu em Kusumapura (atual Patna).

Biografia[editar | editar código-fonte]

Nome[editar | editar código-fonte]

Embora exista uma tendência em escrever seu nome errado, como "Aryabhatta", devido à uma analogia com outros nomes de sufixo "Bhatta", o seu nome Aryabhata está correto pois assim ele se encontra escrito em cada um dos seus textos sobre astronomia.[6]

Aryabhatiya[editar | editar código-fonte]

Em seu livro, "Āryabhatīya", teorias matemáticas e astronómicas apresentavam a Terra girando em seu eixo e os períodos das planetas eram dados com relação ao sol (em outras palavras, era heliocêntrico). Ele acreditava que a Lua e os planetas brilham devido à luz solar refletida e ele cria que as órbitas das planetas seriam elípticas. O livro explica as causas das eclipses do Sol e da Lua corretamente. Seu valor para a duração do ano em 365 dias, 6 horas, 12 minutos e 30 segundos é notavelmente próximo ao valor verdadeiro que é aproximadamente 365 dias e 6 horas. Este livro está dividido em quatro capítulos: (i) as constantes astronómicas e a tabela do seno (ii) matemática utilizada na computação (iii) divisão de tempo e regras para calcular as longitudes de planetas usando excêntricos e epiciclos (iv) a esfera armilar, regras relacionadas a problemas de trigonometria e a computação de eclipses. Neste livro, o dia foi considerado de um amanhecer ao próximo, ao passo que em seu "Aryabhata-siddhanta" tomou-se o dia de uma meia-noite a outra. Há também diferença em alguns parâmetros astronómicos.

Foi o primeiro a explicar como acontecem os eclipses lunar e solar.[7]

Aryabhata também deu uma indicação muito próxima para Pi. No Aryabhatiya registrou: "Some quatro a cem, multiplique por oito e então adicione sessenta e dois mil. O resultado é aproximadamente a circunferência de um círculo de diâmetro vinte mil. Por esta regra a relação da circunferência para o diâmetro é dada." Em outras palavras, π ≈ 62832/20000 = 3,1416, correto para as quatro casas decimais.

Aryabhata foi o primeiro astrônomo a tentar medir a circunferência da Terra desde Eratóstenes (ca. 200 a.C.), calculando a circunferência do planeta em 24.835 milhas, apenas 0,2% menor que o valor real de 24.902 milhas. Este valor permaneceu como o mais preciso durante mais de mil anos.

Ele também propôs a teoria heliocêntrica da gravitação, antecedendo portanto a Nicolau Copérnico em quase mil anos.

O século VIII tradução árabe de Magnum Opus do Aryabhata, o Āryabhatīya foi traduzido para o latim no século XIII, antes do tempo de Copérnico. Por esta tradução, matemáticos europeus puderam saber os métodos para calcular as áreas de triângulos, volumes de esferas bem como a raiz quadrada e cúbica, enquanto é também provável que o trabalho de Aryabhata teve influência na astronomia européia.

Os métodos de Aryabhata de cálculos astronómicos estiveram em uso contínuo para prática de criação do Pancanga (o calendário Hindu).

Matemática[editar | editar código-fonte]

Um dos livros de Aryabhatiya é sobre matemática. Aryabhata descreve o algoritmo kuttaka para resolver equações indeterminadas. Em tempos recentes, este algoritmo também tem sido chamado de algoritmo de Aryabhata.

Ele também criou um código alfabético singular para representar números que agora é chamado de cifra de Aryabhata.

Aryabhata, e sua obra Aryabhata-Siddhanta, primeiro definiu o seno como o relacionamento moderno entre meio ângulo e meio corda, enquanto também definindo o cosseno, verseno, e seno inverso. Seus trabalhos também contiveram as tabelas mais antigas de valores de seno e verseno (1 - cosseno) valores, em 3,75° intervalos de 0° a 90°, a uma exatidão de três casas decimais. Ele usou a palavra jya para seno, kojya para cosseno, ukramajya para verseno, e otkram jya para seno inverso. As palavras jya e kojya acabaram por tornar-se seno e cosseno respectivamente depois de um erro de tradução (ver Etimologia acima). Uma das fórmulas de trigonometria que Aryabhata desenvolveu foi sen(n + 1)x - sen nx = sen nx - sen(n - 1)x - (1/225)sen nx.

Referências

  1. Aryabhata the Elder. http://www-history.mcs.st-andrews.ac.uk.+Página visitada em 12 de novembro de 2013.
  2. Britannica Educational Publishing. The Britannica Guide to Numbers and Measurement. [S.l.]: The Rosen Publishing Group, 15/08/2010. 97– p. ISBN 978-1-61530-218-5 Página visitada em 12 de novembro de 2013.
  3. Bharati Ray. Different Types of History. [S.l.]: Pearson Education India, 1/09/2009. 95– p. ISBN 978-81-317-1818-6 Página visitada em 12 de novembro de 2013.
  4. B. S. Yadav. Ancient Indian Leaps Into Mathematics. [S.l.]: Springer, 28/10/2010. 88– p. ISBN 978-0-8176-4694-3 Página visitada em 12 de novembro de 2013.
  5. Heidi Roupp. Teaching World History: A Resource Book. [S.l.]: M.E. Sharpe, 1997. 112– p. ISBN 978-1-56324-420-9 Página visitada em 24 June 2012.
  6. K. V. Sarma (2001). Āryabhaṭa: His name, time and provenance pp. 105–115.
  7. Get ready for solar eclipe. National Council of Science Museums, Ministry of Culture, Government of India. Página visitada em 12 de novembro de 2013.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Aryabhata
Ícone de esboço Este artigo sobre um(a) matemático(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.