Dagoberto Pelentier

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Dagoberto
Dagoberto
Dagoberto em ação no São Paulo em 2010
Informações pessoais
Nome completo Dagoberto Pelentier
Data de nasc. 22 de Março de 1983 (32 anos)
Local de nasc. Nova Esperança do Sudoeste (PR),  Brasil
Altura 1,75 m
Destro
Apelido Dagol, Michel Teló.[1]

Novo Michel Teló do Vasco

Informações profissionais
Clube atual Brasil Vasco da Gama
Posição Atacante
Clubes de juventude
19992001 Brasil PSTC
Clubes profissionais2
Anos Clubes Jogos (golos/gols)
20012007
20072011
2012
20132014
2015
Brasil Atlético Paranaense
Brasil São Paulo
Brasil Internacional
Brasil Cruzeiro
Brasil Vasco da Gama (emp.)
0108 000(45)
0241 000(61)
0039 000(10)
0081 000(23)
0002 0000(1)
Seleção nacional
20022003
2004
Brasil Brasil Sub-20
Brasil Brasil Sub-23
0015 0000(7)
0006 0000(1)


2 Partidas e gols totais pelo
clube, atualizados até [[22 de Março] de 2015.

Medalhas
Jogos Pan-Americanos
Prata Jogos Pan-Americanos 2003

Dagoberto Pelentier (Nova Esperança do Sudoeste, 22 de março de 1983) é um futebolista brasileiro que joga como atacante. Atualmente defende o Vasco da Gama, emprestado pelo Cruzeiro.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Nascido em Nova Esperança do Sudoeste, Dois Vizinhos, no Paraná, cresceu na localidade de Alto Bela Vista, interior de Enéas Marques. Aos 15 anos, foi convidado para jogar no infantil do PSTC. No ano 2000, foi campeão e artilheiro do Campeonato Paranaense Juvenil, com 25 gols. Em 2001 transferiu-se para o Atlético Paranaense. Em 2007 assinou contrato com o São Paulo, onde teve uma boa passagem e no mesmo ano, uma filha, Thayna. E, em 2011, finalmente acertou com o Internacional, para jogar no clube em 2012, onde teve uma boa passagem. Em 2013 foi contratado pelo Cruzeiro Esporte Clube. Atualmente defende o Vasco da Gama.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Atlético Paranaense[editar | editar código-fonte]

Sua estreia na equipe profissional ocorreu no final de 2001, ajudando a equipe a conquistar o título de campeão brasileiro como jogador reserva da equipe. Em 2002, foi convocado para a Seleção Brasileira Sub-20 e foi campeão do Torneio de Toulon. Pela Seleção Brasileira de Futebol, foi ainda vice-campeão sul-americano Sub-20 e medalha de prata nos Jogos Pan-americanos de 2003. Também disputou o Pré-Olímpico Sul-Americano Sub-23 em janeiro de 2004, mas o Brasil acabou não conseguindo se classificar para as Olimpíadas de Atenas.

Em outubro de 2004, ano em que Dagoberto estava em grande fase, marcando muitos gols pelo Brasileirão, ele acabou sofrendo uma grave contusão no joelho esquerdo, e só voltou a jogar em julho de 2005, uma partida contra o Coritiba. Mas nesta mesma partida, sofreu nova lesão, desta vez na coxa direita, e novamente, foi afastado. O jogador continuou sofrendo lesões musculares nos treinos, e ficou praticamente o ano de 2005 inteiro sem atuar.

Em 2006, Dagoberto voltou a jogar pelo Campeonato Paranaense, mas novamente sofreu lesão no joelho, durante uma partida contra o ADAP.

Além das inúmeras contusões, o que também prejudicou a carreira de Dagoberto, foram as brigas judiciais entre ele e o próprio Atlético. As relações entre jogador e clube ficaram tensas após envolvimento dos seus procuradores, que dificultavam as negociações para a renovação do contrato com o Atlético.

As dificuldades nas relações entre Dagoberto, clube e torcida continuaram, principalmente após a recusa do jogador e seus empresários de proposta milionária do Hamburgo da Alemanha. Enquanto isso, o contrato chegava ao seìu fim, mas o clube não pretendia liberar Dagoberto, e para isso entrou na Justiça e ganhou uma liminar para prorrogar o contrato do jogador até 29 de março de 2008. Sem a prorrogação, a multa rescisória cairia para R$ 5,4 milhões, valor que poderia ser depositado pelos próprios procuradores para liberaração do jogador. Mas como o clube tinha a liminar, o valor da multa era de R$ 16 milhões.[2]

Logo, Dagoberto teve que esperar essa liminar terminar, para que a multa recisória caísse, para então assinar com outro clube.

São Paulo[editar | editar código-fonte]

Finalmente, em abril de 2007, após a longa briga judicial, o próprio Dagoberto pagou a multa de R$ 5,4 milhões e depois assinou contrato de 5 anos com o São Paulo.

Sua estreia pelo Tricolor foi nas oitavas-de-final da Copa Libertadores, contra o Grêmio. Dagoberto entrou no intervalo do jogo e deu um passe para o gol da vitória por 1 a 0.

Adquiriu, após curto período de tempo, a vaga de titular do ataque do São Paulo, e marcou seu primeiro gol pelo clube, na vitória de 2 a 0 sobre o Santos, pelo Campeonato Brasileiro.

Mostrando estar totalmente recuperado de lesões, Dagoberto foi um dos principais jogadores da conquista do Brasileiro de 2007 pelo São Paulo, sendo artilheiro do time na competição junto com Borges e Rogério Ceni com 7 gols.

No Brasileiro de 2008 Dagoberto jogou muito bem e, em diversas partidas, foi essencial para a vitória do Tricolor Paulista. Vivendo uma boa fase no São Paulo, teve uma proposta milionária no começo de 2009 que, devido aos planos de ter uma equipe forte para a disputa da Libertadores em 2009, foi recusada pelo São Paulo.

Não tendo sido aproveitado por Sérgio Baresi, Dagoberto passou a ter mais chances com a troca do treinador. Ao assumir o cargo, Paulo César Carpegiani declarou ver no jogador grande potencial e que este poderia evoluir durante a temporada.[3]

Durante o jogo São Paulo e Linense, no Morumbi, vencido pelo São Paulo, nos minutos finais Dagoberto se envolveu em uma discussão com seu técnico por questões táticas. O treinador chegou a mandar Dagoberto sair de campo se estivesse descontente.[4]

Após a partida, Dagoberto respondeu que "existem atitudes no dia a dia do futebol que fazem parte da rotina em campo e que isso que aconteceu não significa desrespeito à hierarquia de comando ou com o companheiro da equipe". Dagoberto foi punido em 10% de seu salário devido a discussão que teve com o técnico.

Apesar das rusgas com Carpegiani e outros problemas como a dificuldade na renovação de contrato, o jogador continuou apresentando regularidade nas partidas. Além de ter sido o artilheiro do time na temporada de 2011, também foi possuidor do maior número de assistências na equipe.[5]

Internacional[editar | editar código-fonte]

Depois de uma novela de quase 3 meses, Dagoberto, enfim, é anunciado como novo reforço do colorado, em dezembro de 2011. O jogador chegou ao novo clube em janeiro de 2012, e foi recebido no aeroporto por cerca de 100 torcedores. Na sua apresentação oficial, o jogador pediu a camisa de nº 20, em homenagem à data do seu casamento.

Marcou os seus dois primeiros gols no dia 12 de fevereiro de 2012, contra o Caxias, pelo Campeonato Gaúcho, no estádio Centenário, em Caxias do Sul. Dagoberto marcou aos 5 e aos 35 minutos do primeiro tempo, após receber dois passes de Oscar. O jogo acabou em 2-0 para os colorados.

Em 20 de maio, no jogo de estréia do Campeonato Brasileiro, contra o Coritiba, no Beira-Rio, Dagoberto marcou um dos gols mais bonitos do ano: o time ficou tocando a bola durante 1 minuto, até que chegou em Dátolo, que tabelou com Dagoberto. O camisa 20 invadiu a área, tocou para Damião, que protegeu bem e deixou Dagoberto na cara do gol, quase dentro da pequena área, que finalizou de primeira, no canto. 2-0. Marcou outro bonito gol, de cabeça, na derrota para o Botafogo, depois de boa jogada tramada por Guiñazu, Oscar e Damião.

Com Fernandão de treinador, Dagoberto teve um visível crescimento. Marcou dois gols nos dois primeiros jogos com o novo comandante, contra Atlético-GO e Figueirense, mas uma lesão na coxa, o afastou dos gramados por cerca de 1 mês.

Cruzeiro[editar | editar código-fonte]

2013[editar | editar código-fonte]

No dia 8 de janeiro de 2013, o Internacional confirmou a venda do jogador ao Cruzeiro que foi tido como possível substituto para Walter Montillo, que tinha sido vendido para o Santos.[6]

Em 3 de fevereiro de 2013, na reabertura do Mineirão depois das reformas para a Copa do Mundo, fez um gol logo em sua estréia pelo clube, decidiu o clássico contra o Atlético por 2 a 1 quando saiu do banco no segundo tempo e marcou o gol da vitória. Conquistou seu primeiro Campeonato Brasileiro pelo Cruzeiro, com 4 rodadas de antecedência sendo importante para a campanha e assim marcou de vez seu nome na história do clube.

E com a quarta conquista do Campeonato Brasileiro, Dagoberto se juntou a outros jogadores, além de Zico, Zito, Júnior, Raul e Mauro Galvão. Com quatro títulos, completam a lista Antonio Carlos Zago, Gilmar, Rubens Minelli e Mauro Ramos.

2014[editar | editar código-fonte]

Em 2014 conquistou seu primeiro estadual pelo clube, quando empataram com o Atlético pelo placar de 0 a 0, dando vitória para o Cruzeiro pelo critério de desempate. Disputou no mesmo ano sua primeira Libertadores da América pelo clube, sendo eliminado nas quartas pelo então campeão San Lorenzo.

No final do ano conquistou seu segundo Campeonato Brasileiro pelo clube e o quinto de sua carreira, com duas rodadas de antecedência bateram o Goiás por 2 a 1, conquistando então o bicampeonato consecutivo pelo Cruzeiro (o quarto da história do clube), feito único até então na história celeste.

E com a nova conquista do Cruzeiro, entrou para um seleto grupo de jogadores que conquistaram 5 vezes ou mais o campeonato nacional. A pequena lista conta com jogadores como Ademir da Guia, Andrade, César Lemos, Coutinho, Dorval, Dudu, Emerson Leão, Mengálvio e Zinho que conquistaram 5 nacionais. Lideram a lista, com seis brasileiros, Lima, Pepe e o Rei do Futebol, Pelé.

Vasco da Gama[editar | editar código-fonte]

No dia 04 de março de 2015 o jogador foi emprestado pelo Cruzeiro para a equipe do Vasco da Gama até o fim da temporada, sendo considerado até então o principal reforço do Vasco da Gama no ano.

Estatísticas[editar | editar código-fonte]

Até 13 de abril de 2014
Clube Temporada Campeonato
Brasileiro
Copa
do Brasil
Competições
Continentais
Campeonato
Estadual
Total
Jogos Gols Jogos Gols Jogos Gols Jogos Gols Jogos Gols
São Paulo
2007
29
7
0
0
6
0
0
0
35
7
2008
32
6
0
0
8
1
14
0
49
7
2009
29
7
0
0
8
2
17
1
52
10
2010
25
7
0
0
10
3
15
5
48
15
2011
30
8
7
4
3
1
17
9
57
22
Total 140 35 7 4 32 7 62 15 241 61
Internacional
2012
18
6
0
0
10
1
11
3
39
10
Total 18 6 0 0 10 1 11 3 39 10
Cruzeiro
2013
22
4
3
2
0
0
13
7
38
13
2014
21
3
5
0
9
2
7
4
42
9
Total 43 7 8 2 9 2 20 11 80 22

Em Competições Continentais, estão incluídos jogos e gols da Copa Libertadores e Copa Sul-Americana.
Em Campeonato Estadual, estão incluídos jogos e gols do Campeonato Paulista, Campeonato Gaúcho e Campeonato Mineiro.

Todos os gols de Dagoberto pelo Internacional

Títulos[editar | editar código-fonte]

Internacionais
Competição Título Equipe Temporada
França Torneio Internacional de Toulon 1 Seleção Brasileira 2002
=Emirados Árabes Unidos Campeonato Mundial de Futebol Sub-20 1 Seleção Brasileira 2003
Nacionais
Competição Título Equipe Temporada
Brasil Campeonato Brasileiro de Futebol 1 Atlético Paranaense 2001
Brasil Campeonato Brasileiro de Futebol 2 São Paulo 2007 e 2008
Brasil Campeonato Brasileiro de Futebol 2 Cruzeiro 2013 e 2014
Estaduais
Competição Título Equipe Temporada
Paraná Campeonato Paranaense de Futebol 2 Atlético Paranaense 2002 e 2005
Rio Grande do Sul Campeonato Gaúcho de Futebol 1 Internacional 2012
Minas Gerais Campeonato Mineiro de Futebol 1 Cruzeiro 2014

Referências

  1. *Esporte IG. Torcida adota apelido, e Dagoberto vira sósia de Michel Teló (em português) 15 de janeiro de 2012. Visitado em 28 de janeiro de 2013.
  2. Novela Dagoberto e Atlético continua Furacao.com (30/08/2006). Visitado em 31/10/2011.
  3. Desprezado por Baresi, Dagoberto tem novas chances com Carpegiani Globoesporte.com (26/02/2011). Visitado em 27/05/2011.
  4. Briga com Carpegiani renderá multa no salário de Dagoberto. Visitado em 25/05/2011.
  5. De bem com a vida, Dagoberto mostra outra face em 2011: líder do São Paulo. Visitado em 27/05/2011.
  6. Internacional confirma venda de Dagoberto para o Cruzeiro. Visitado em 27/05/2011.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Bandeira de BrasilSoccer icon Este artigo sobre um futebolista brasileiro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.